Arquivo da tag: Demian Reis

Uma Década de Palhaços

O grupo Palhaços para Sempre celebra seus dez anos apresentando remontagens de espetáculos criados pelo grupo, números clássicos, e ministrando uma oficina de palhaçaria. O grupo, que nasceu após o VIII Retiro de Clown e o Sentido Cômico do Corpo, ministrado pelo Lume Teatro, foi fundado no ano 2000 por Demian Reis, Felícia de Castro, Flavia Marco Antônio, João Porto Dias e João Lima, no intuito de pesquisar a arte do palhaço.

 Em parceria com SESC SENAC PELOURINHO, o Palhaços para Sempre saúda a primavera apresentando durante todo mês de setembro o espetáculo JARDIM, que, criado e encenado originalmente por Flavia Marco Antonio (Fuinha) e Felícia de castro (Bafuda) em 2002, foi contemplado com prêmio duplo de melhor atriz no XII Festival Nordestino de Teatro de Guaramiranga (2005). Agora, para comemorar os dez anos do grupo, a peça é remontada com Felícia de Castro (Bafuda) e Suzana Miranda (Ricota), uma representante da nova geração de palhaços e palhaças que vêm colorindo Salvador. 

Ainda em setembro o grupo apresenta na Arena do SESC, comandado por Demian Reis (Tezo) e Felícia de Castro (Bafuda), o espetáculo LAVANDO A ALMA, que em clima de celebração, recria números clássicos com elementos novos, surpresas, muita música, e as participações especiais dos palhaços Alexandre Casali (Biancorino) e João Lima (Tiziu), e dos músicos Rowney Scott (Arquibaldo) e Celo Costa (Trilili), parceiros do grupo ao longo de seus dez anos. 

Em outubro o aniversário continua com oficina e surpresas ainda por vir. Integrando a Mostra de Artes do SESC, Demian Reis ministrará OFICINA DE PALHAÇARIA. 

O projeto de celebração dos 10 anos do Palhaços para Sempre recebe o apoio institucional da FUNCEB através do calendário de pequenos apoios, e recebe homenagem do FILTE – Festival Latino-Americano de Teatro da Bahia integrando sua programação. 

SERVIÇO


O Quê – 10 Anos do grupo Palhaços para Sempre

 Quando – espetáculo JARDIM ( 03 A 25 DE SETEMBRO, SEXTAS E SÁBADOS, ÁS 20 h)

         espetáculo LAVANDO A ALMA (SÁBADOS, DIAS 18 E 25 DE SETEMBRO, ÀS 16 h)

Onde – TEATRO SESC SENAC PELOURINHO

         LAVANDO A ALMA (ENTRADA FRANCA)    Classificação Livre 

SOBRE OS ESPETÁCULOS   

JARDIM   

Jardim é um espetáculo de palhaçaria feminina e foi criado e encenado originalmente por Flavia Marco Antonio e Felícia de castro em 2002. Agora, para comemorar os dez anos do grupo Palhaços para Sempre, a peça é remontada com uma nova palhaça. Na cena, duas estranhas criaturas entram plantando flores em pequenos vasos. Na perspectiva do universo feminino, as palhaças Bafuda (Felícia de Castro) e Ricota (Suzana Miranda) evidenciam as luzes e as sombras do ser humano, que aparecem quando se está em relação com o outro.  Tendo como temática os afetos, o espetáculo convida a cultivar um novo coração. A dimensão absurda do conflito humano é revelada através de situações cômicas que oscilam entre a guerra e paz. O ridículo feminino e universal é escancarado nos jogos que brincam com diversos universos como o funk, o futebol, o nacionalismo, a guerra, o movimento hippye, o mundo da moda… a realidade é recriada momento a momento numa lógica nonsense e cheia de surpresas. Jardim foi contemplado com prêmio duplo de melhor atriz no XII Festival Nordestino de Teatro de Guaramiranga, (CE, 2005).

 

CONCEPÇÃO, DIREÇÃO E ATUAÇÃO ORIGINAL: Felícia de Castro e Flavia Marco Antonio

PALHAÇAS: Felícia de Castro (Bafuda) e Suzana Miranda (Ricota)

ILUMINAÇÃO: Mariana Terra

ASSESSORIA DE DIREÇÃO: João Lima e Ricardo Puccetti

ASSESSORIA DE FIGURINO E ADEREÇOS: Rino Carvalho

COSTURA: Angélica Paixão

REALIZAÇÃO: Palhaços para Sempre  

LAVANDO A ALMA              

Uma das fontes principais de aprendizado da arte da palhaçaria vêm da montagem de números clássicos. O espetáculo Lavando a Alma reflete este costume como um dos caminhos de criação trilhados pelo grupo Palhaços para Sempre. Em clima de celebração, esquetes são recriadas com elementos novos e surpresas, e as participações especiais dos palhaços Alexandre Casali (Biancorino) e João Lima (Tiziu), e dos músicos Rowney Scott e Celo Costa parceiros do grupo ao longo de seus dez anos. O número O Jornal contará com a presença de um convidado cada dia. No número “As Lavadeiras” os palhaços vão lavar roupa, mas só tem um sabão. Entre tapas e beijos, golpes e explosões, se desenrolam situações cômicas da palhaçaria universal. As lavadeiras Tezo (Demian Reis) e Bafuda (Felícia de Castro) mostram que lavar roupa suja pode exigir muito samba e rebolation. 

DRAMATURGIA: Números da palhaçaria clássica. 

RECRIAÇÃO: Palhaços para Sempre

PALHAÇOS: Demian Reis (Tezo) e Felícia de Castro (Bafuda)

MÚSICOS: Rowney Scott e Celo Costa

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: Alexandre Casali (Biancorino) e João Lima (Tiziu)

OFICINA DE PALHAÇARIA com Demian Reis

Esta oficina objetiva oferecer uma introdução à palhaçaria. Nos encontros será abordado o corpo cômico, a improvisação, a composição e o repertório clássico do palhaço. A metodologia, voltada para a prática artística do palhaço, se dá por meio de jogos, exercícios, da condução de situações e condições de improvisação e a assistência de vídeos seguida de debate. Ao final os alunos terão experimentado alguns caminhos para o desenvolvimento de uma comicidade pessoal e como apresentar um número do repertório da palhaçaria clássica. Tempo cômico, escuta da platéia, foco e triangulação são alguns princípios técnicos que serão estudados como via para se conquistar uma consciência cômica. Serão dadas algumas referências para desenvolvimento de figurino e maquiagem. A oficina será acompanhada por referência histórica e teórica do palhaço no Brasil e na Europa.

 

 HISTÓRICO DO GRUPO

 

Ao longo de dez anos de trajetória o grupo criou os espetáculos Ato de Clown, Bafo de Amor, Jardim (prêmio de melhor atriz no XII Festival Nordestino de Teatro), Supertezo, Tataravó (parceria com o palhaço Alexandre Luis Casali e o músico Celo Costa, participação no Festival de Aurillac, França 2004), A Puta e o Palhaço, Pega-Ladrão, Super Gag (participação no Festival de Edimburgo, Escócia), Elefante com Farinha, A Missão, A Peleja do Jagunço com o Soldado Invocado (parceria com Nayara Homem e João Lima), recriou números clássicos como O Jornal, As Lavadeiras e O Garçon, ministrou diversas oficinas, participou de festivais nacionais e internacionais e teve a oportunidade de estudar com Ricardo Puccetti, Carlos Simioni, Eugenio Barba, Luis Carlos Vasconcelos, Leris Colombaioni, Angela de Castro, Marcio Libar, Jango Edwards, Amir Haddad, Fraser Hooper, Chacovachi, Doutores da Alegria, Jon Davison, Tadashi Endo, Thomas Leabheart, entre outros. O grupo é membro da Cooperativa Baiana de Teatro e o integrante Demian Reis defendeu a sua tese de doutorado no dia 13 de julho de 2010 no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da UFBA intitulado Caçadores de Risos: o mundo maravilhoso da palhaçaria, com orientação de Cleise Mendes.

A Fábula de Mulheres de Rosário

CARTAZ ROSÁRIO.jpg

Rosário é uma fábula de mulheres, deusas e animais preparada para o espectador na forma de um ritual. O espetáculo se inspira, em especial, na simbologia da coroação de reis negros, sempre viva nos congados mineiros e em outros folguedos brasileiros. Esta experiência cênica revela aspectos das formações identitárias brasileiras a partir do encontro de culturas diversas em novo território e a religiosidade como dispositivo de sobrevivência e técnica de resistência numa realidade hostil.
 
Ancorado no contato com manifestações populares como os reisados e romarias da região do Cariri, na pesquisa vocal e na força dos cantos tradicionais, o espetáculo solo da atriz Felícia de Castro manifesta um ritual feminino e poético. Através de canções e explosões de textos, a atriz traz à cena um rosário de mulheres em uma única prece. Um corpo dilacerado pelo corte da desterritorialização traduz no acontecimento cênico um ciclo de crueldade, criatividade, luta e reinvenção de si mesmo pela beleza e pela fé. Uma fábula pessoal que recria imagens de terra, mar, mãe, rainhas, coroações, cortes e catarses. 
 
FICHA TÉCNICA:

Concepção, pesquisa e Atuação – Felícia de Castro
Direção e Preparação Vocal– Demian Reis
Assistência de direção – Carolina Laranjeira

Assessoria em danças brasileiras – Rafael Rolim
Iluminação e operação de luz – Eduardo Albergaria

Figurino – Rino Carvalho
Trilha Sonora – Fabiano de Cristo e coletivo rosário
Operação de som – Ana Carla Silva

Produção – Viviane Jacó

Assessoria de Imprensa – Dayane Pereira
Arte Gráfica e Fotografias – Eduardo Ravi
Cenografia e Adereços (boi e coroa) – Maurício Pedrosa e coletivo rosário
Costura – Angélica Paixão
TEATRO DO ICBA (corredor da Vitória, 1809, telefone: 3338 4700).

Quando: 05 a 27 de agosto de 2010 /Quintas às 14h e 20h, Sextas às 20 h.
Quanto: Valor: R$ 10,00 e 5,00 
Realização: Felícia de Castro
Site: espetaculorosario.blogspot.com