Arquivo da tag: direção de Nelson Pereira dos Santos e Dora Jobim

Palma de Ouro: Walter Salles e Nelson Pereira dos Santos em Cannes

Com o novo filme, Na estrada, diretor vai competir com David Cronenberg e Ken Loach.

O festejado cineasta brasileiro Walter Salles, com o filme Na estrada, disputará a Palma de Ouro do 65º Festival de Cannes, que começa dia 16 de maio.

Na estrada tem no elenco Sam Riley, que dá vida ao alter ego de Jack Kerouac, Garret Hedlun, que encarna Dean Moriarty, inspirado no escritor Neal Cassady, Kristen Stewart (a estrela da saga “Crepúsculo”), que interpreta a esposa de Moriarty, Kirsten Dunst e Viggo Mortensen.

Criador de Terra Estrangeira, Central do BrasilAbril DespedaçadoDiários de motocicleta, Walter Salles é um colecionador de prêmios mundo afora:  venceu o Urso de Ouro em Berlim e acumula diversas outras estatuetas. Na Estrada começou a ser rodado em 2010, inspirado no clássico beatnik “Pé na estrada” (“On the road”). A adaptação do livro de Kerouac relata uma viagem pelos Estados Unidos no fim dos anos 40, repleta de drogas, sexo, álcool e aventuras.

Walter Salles já tinha experiência com um road movie, pois retratou a viagem do jovem médico Erneto Che Guevara pela América Latina em “Diários de motocicleta”, também exibido em Cannes, em 2004.

O cineasta Francis Ford Coppola (“O Poderoso chefão”, “Apocalypse Now”) comprou os direitos do livro de Kerouac em 1979 e tentou diversas vezes filmar a obra, que definiu a geração beat dos Estados Unidos, mas o projeto nunca encontrava financiamento. Depois de assistir Diários de motocicleta, Coppola escolheu Walter Salles para dirigir o filme.

O roteirista de Na estrada é o portorriquenho José Rivera, que trabalhou com Salles em “Diarios de Motocicleta”.

O diretor brasileiro Walter Salles e o ator Viggo Mortensen conversam no set do longa 'Na estrada' (Foto: Divulgação)
Walter Salles e o ator Viggo Mortensen conversam no set de ‘Na estrada’ (Foto: Divulgação)

Além do filme de Walter Salles, o cinema do Brasil será o convidado de honra do 65º Festival de Cannes, anunciaram os organizadores do evento.

O filme mais recente de Nelson Pereira dos Santos, A música segundo Tom Jobim, será exibido em sessão especial, como parte da presença de honra brasileira no Festival.

Outro cineasta latino-americano, o mexicano Carlos Reygadas, também disputará a Palma de Ouro, com o filme “Post tenebras lux”.

Entre os 20 filmes que integram a mostra principal do maior festival de cinema do mundo, estão “Like someone in love”, do iraniano Abbas Kiarostami, “Cosmopolis”, do canadense David Cronenberg e com o astro do momento Robert Pattinson, e “Mud”, do americano Jeff Nichols, assim como “Amour”, do austríaco Michael Hanek.

Ator Viggo Mortensen em cena do filme 'Na estrada' (Foto: Divulgação)
Ator Viggo Mortensen em cena do filme ‘Na estrada’
(Foto: Divulgação)

O britânico Ken Loach, que já apresentou 16 filmes em diversas mostras de Cannes, competirá pela Palma de Ouro com “The angel’s share”.

A Itália estará presente com “Big house” de Matteo Garrone, que foi premiado em Cannes em 2008 com “Gomorra”. O presidente do júri da mostra oficial, Nanni Moretti, pode ser sensível ao tema do longa-metragem: a televisão italiana sob Berlusconi.

Três filmes franceses também foram selecionados: “Vous n’avez encore rien vu”, de Alain Renais, “De rouille et d’os”, de Jacques Audiardy, e “Holly motors”, de Leos Carax .

Walter Salles: mais uma vez no Festival de Cannes…

O filme de Wes Anderson “Moonrise kingdom” (Edward Norton, Bruce Willis, Bill Murray, Frances McDormand e Tilda Swinton) abrirá o Festival, onde será exibido fora de concurso o filme de animação “Madagascar 3″”.

Entre os atores esperados na Riviera estão Nicole Kidman, Brad Pitt e a francesa Marion Cotillard.

“Thérèse Desqueyroux”, que o francês Claude Miller concluiu pouco antes da morte, no início de abril, encerrará o festival, dia 27 de maio.

Apenas o prazer de ver e ouvir Tom Jobim…

O extraordinário universo da música de Antônio Carlos Jobim não cabe em palavras. Foi com essa idéia em mente que o diretor Nelson Pereira dos Santos, ao lado de Dora Jobim, se dispôs a encarar o desafio de desvendar em filme a trajetória musical do grande compositor brasileiro, autor de uma obra eterna, de alcance internacional. 

Nelson dirigiu, em 1985, um documentário sobre Tom Jobim para a televisão brasileira, com duração de quatro horas. Sempre teve grande admiração pelo compositor. Quando decidiu fazer A música segundo Tom Jobim percebeu que o acervo de fotos e filmes da família do compositor e arquivos obtidos pela pesquisa de Antônio Venâncio eram tão ricos que o próprio material podia, por si só, contar a história de Tom. “Vi que em cada imagem havia uma outra história”, diz Nelson. “E mais outra. Era uma história dentro da outra, contando tudo através da música”. A espinha dorsal do filme foi construída com base na música e nas imagens em movimento e fotográficas. Dessa forma, a atenção se concentra em cada foto, em cada performance original e surpreendente. E o filme promove uma perfeita interação entre o espectador e a música.

Em A música segundo Tom Jobim, os diretores escolheram o caminho sensorial da imagem e do som para exibir o trabalho do músico, considerado, ao lado de Heitor Villa-Lobos, um dos maiores expoentes de todos os tempos da música brasileira. Não há uma palavra sequer no filme. E nem é preciso. Uma sucessão de imagens de grandes intérpretes brasileiros e internacionais em performances inesquecíveis, e do próprio Tom Jobim, em diferentes momentos, alinhava a trajetória musical do “maestro soberano”.

 

Tom, ao lado do melhor dos parceiros, o incomparável Vinícius de Moraes…

Gal Costa, Elizeth Cardoso, Jean Sablon, Agostinho dos Santos, Pierre Barouh, Alaíde Costa, Henri Salvador, Gary Burton, Silvia Telles, Gerry Mulligan, Ella Fitzgerald, Sammy Davis Jr, Judy Garland, Vinicius de Moraes, Errol Garner, Pat Hervey, Márcia, Lio, Mina, Elis Regina, Adriana Calcanhoto, Nara Leão, Maysa, Fernanda Takai, Nana Caymmi, Diana Krall, Oscar Peterson, Sarah Vaughan, Cybele e Cynara, Carlinhos Brown, Jane Monheit, Stacey Kent, Birgit Brüel, Milton Nascimento, Lisa Ono, Paulo Jobim, Miucha, Caetano Veloso, Chico Buarque, Gilberto Gil e Paulinho da Viola são os intérpretes das canções de Jobim no documentário.

 

Está tudo lá: a força e a beleza da sua música, as diferentes fases do artista, o alcance e a poesia das suas canções, sua personalidade musical, a importância da sua obra. Tudo conduzido de forma vigorosa e poética, sem necessidade de maiores explicações. Apenas o prazer e a emoção de ouvir Tom Jobim

Sobre Nelson Pereira dos Santos

Consagrado diretor de cinema, considerado um dos mais importantes cineastas do país, Nelson Pereira foi um dos precursores do Cinema Novo. Seu filme Vidas Secas é um dos filmes brasileiros mais premiados de todos os tempos. Aos 27 anos, em 1955, lançou seu primeiro longa-metragem Rio 40 Graus. Ao longo da sua carreira, fez mais de 20 filmes, entre eles Boca de Ouro, Amuleto de Ogum, Fome de Amor, Como Era Gostoso o Meu Francês, Jubiabá, Tenda dos Milagres, e Memórias do Cárcere, prêmio da FIPRESCI no Festival de Cannes de 1984.

 

A neta Dora, que assina a direção com o mestre Nelson Pereira

Sobre Dora Jobim

Com grande experiência no universo dos DVDs musicais, Dora Jobim dividiu a direção com Nelson Pereira dos Santos. É profunda conhecedora do material de arquivo de Tom Jobim, seu avô, fez um levantamento extenso dos arquivos, e seu ouvido musical foi importante instrumento na hora da montagem. Sua experiência, aliada ao rico acervo fotográfico e de imagens da viúva de Tom, Ana Jobim, contribuiu de forma decisiva na elaboração do filme. 

Patrocinador – NATURA

Desde 2005, a Natura apóia iniciativas artísticas por meio do Natura Musical, programa de patrocínio e valorização cultural. O Natura Musical apóia projetos valorizadores da música em seu amplo universo, e capazes de colocar a cultura brasileira em contato com outras partes do mundo, de resgatar histórias e renová-las, de promover a conexão de pessoas, com elas mesmas e com as outras. O filme A música segundo Tom Jobim é um desses projetos.

Até hoje, o Natura Musical já contemplou mais de 150 projetos de diversos gêneros artísticos e estágios de produção musical, como produção de filmes, livros, gravação de CDs, DVDs, turnê de shows e festivais, até mesmo iniciativas de pesquisa e sócioeducativas. seja por meio dos editais públicos ou seleção direta. Criada em 1969, a Natura é a maior fabricante brasileira de cosméticos e produtos de higiene e beleza, e líder no setor de venda direta. Está presente no Brasil, Argentina, Peru, Chile, México, Colômbia e França – onde mantém uma loja e um centro-satélite de pesquisa e tecnologia. Na Bolívia. atua por meio de empresa distribuidora. Sua força de vendas é formada por 1.362 milhão de consultoras, sendo 1.131 milhão no Brasil e cerca de 230 mil no exterior.

 

A MÚSICA SEGUNDO TOM JOBIM

Brasil, 2011, 90 min, livre.

Um filme de Nelson Pereira dos Santos

Produção: Regina Filmes

Direção: Nelson Pereira dos Santos e Dora Jobim

Roteiro: Miucha Buarque de Hollanda e Nelson Pereira dos Santos

Direção Musical: Paulo Jobim

Pesquisa: Antônio Venâncio

Edição: Luelane Correa

Produtores Associados: Instituto Antônio Carlos Jobim, Leticia Monte e Maurício Andrade Ramos

Produção Executiva: Márcia Pereira dos Santos

Direção de Produção: Ivelise Ferreira

Assistente de Direção: Douglas Soares

Finalização: Marcelo Pedrazzi

Som: Jorge Saldanha e Yan Saldanha

Design: Elianne Canetti Jobim

Produtor Musical: Vinicius França

Assessoria Jurídica: Dario Correa

Tradução e Legendas: Adriana Rouanet

Distribuição: Sony Pictures