Arquivo da tag: encantadora

Cultura de Muqui em Folias de Cinema pra europeu ver

Encantadora turma de jovens da cidade capixaba é liderada pelo jovem escritor, artista e cineasta LÉO ALVES

Jovens realizadores culturais da pequenina Muqui, uma adorável cidade situada ao Sul do Espírito Santo, tem uma ‘dura’ missão: representar a cultura capixaba num Intercâmbio Cultural, agendado pra março, na Europa. Coisas que esta turma vai tirar de letra, experts que são no trato com a Arte e a Cultura.

Este AURORA DE CINEMA viu de perto  – durante a realização do I FECIM (Festival de TV e Cinema Independente), realizado em setembro passado -, e tivemos oportunidade de comentar aqui o show de acertos que foi o Festival.

Desde então, MUQUI e esta jovem e aguerrida turma comandada por Léo Alves não saíram mais do nosso coração e da nossa memória afetiva.

Léo Alves e Jussan Silva e Silva levam o FECIM a Luana Piovani…

Contemplados pelo edital de Intercâmbio e Difusão Cultural, desenvolvido pelo Ministério da Cultura, e pelo Edital de Locomoção da Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo, participantes de três coletivos culturais de Muqui – ligados às artes, à música e ao audiovisual – terão a oportunidade de participar de diversas atividades em Portugal. Um acerto dos avaliadores dos dois editais, que, sem dúvida, será muito bem aproveitado por estes coletivos de MUQUI.

O Grupo Cultural ETC, Os Muquiranas e o Grupo de Música Manoel Vicente de Castro são coletivos que participarão do intercâmbio-viagem. Entre as ações previstas para a viagem, o carro-chefe é a exibição do documentário O Palhaço Menino, produção dos jovens do Grupo Cultural ETC, dirigido por Léo Alves, tendo como foco a histórica e bela manifestação das Folias de Reis.

Cena de ‘O Palhaço Menino’, Doc de Léo Alves que será exibido em Portugal…

A exibição do Doc de Léo acontecerá em OVAR, cidade portuguesa que mantém a tradição das Trupes de Reis e que também serviu de cenário para as gravações da obra em 2011.

Cena de ‘O Palhaço Menino’, Doc que evidencia beleza da cultura popular…

Além disso, participantes das Folias de Reis também estarão em Portugal, proporcionando a chance de difundir e valorizar as culturas capixaba e nacional. O jovem Wilson Diniz, de 23 anos, Mestre da Folia de Reis “Missão Divina”, está ansioso: “Será uma grande experiência, uma viagem que vou levar para a vida toda. É uma grande alegria poder levar a Folia de Reis para o lugar onde ela se originou”, conta. A iniciativa tem apoio do projeto “Ano do Brasil em Portugal” da Funarte e do Ministério da Cultura.

Léo Alves: talento, inteligência e sensibilidade realizando relevantes ações culturais e amealhando parcerias por onde passa…

Outra atividade a ser desempenhada em Portugal é a gravação da 2ª temporada da série de web TV Dentro e Fora de Casa, projeto em formato de reality show que teve a 1ª temporada patrocinada pelos editais do Programa Rede Cultura Jovem da Secult.

Jussan Silva e Silva, um dos integrantes do coletivo cultural ETC, outra grande força criativa de Muqui…

Gravada em 2012, a web série objetivava valorizar o estado do Espírito Santo ao levar três jovens a três cidades capixabas que eles desconheciam, registrando histórias e contribuindo para o diálogo intercultural entre as comunidades. Jáa as gravações em Portugal começarão na Universidade do Porto, onde será retratada a vida de estudantes brasileiros que residem no país.

Foto: Léo Alves, diretor do documentário "O Palhaço Menino: histórias de quem, desde pequeno, sonha e vive as Folias de Reis", retornará à Portugal, em março, para exibição da obra em Ovar, cidade que foi cenário para a produção e que possui a tradição das "Trupes de Reis". A "Folia de Reis" é uma manifestação cultural popular trazida ao Brasil pelos europeus, mais precisamente portugueses, no período da colonização.

Léo Alves preparando para nova temporada em Portugal…

Para Léo Alves, diretor da série, a viagem proporcionará maior visibilidade às ações, além de servir como incentivo aos participantes: “Temos construído uma história cultural muito interessante em Muqui. Os coletivos culturais da cidade têm promovido a valorização dessa cidade histórica cheia de expressões culturais. A viagem tende a contribuir decisivamente para a cultura do Espírito Santo e para o fomento de nossas atividades”.

Aguinaldo Silva em depoimento à TV FECIM, sendo registrado por Léo Alves

Cortejo quase saindo

Na edição de estreia do FECIM, os jovens de Muqui e a presença Aurora de Cinema… Saraváaaaaaa !

Grafo Audiovisual anuncia OLHAR DE CINEMA e abre inscrições

Festival Internacional de Curitiba terá mais prêmios, número de salas e mais dias de Cinema…

Após o enorme êxito da primeira edição do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba, já estão abertas as inscrições para a segunda edição, que este ano será realizada de 6 a 14 de junho.

As inscrições permanecerão abertas até 1º de março.

Além da sua duração, que agora passa a ser de 9 dias, o Olhar de Cinema 2013 – Festival Internacional de Curitiba também aumentou os valores de suas premiações:

·         Melhor Filme Competitiva Internacional Longa – R$ 12.000

·         Melhor Filme Competitiva Brasil Longa – R$ 10.000

·         Melhor Filme Competitiva Internacional Curta – R$ 4.000

·         Melhor Filme Competitiva Brasil Curta – R$ 3.000

O Olhar de Cinema 2013 – Festival Internacional de Curitiba passará a contar também com uma sala a mais no Espaço Itaú, e com projeções pelo sistema DCP tanto em 2D como em 3D.

SOBRE O OLHAR DE CINEMA 2013

Criado pelos amigos  Aly Muritiba, Marisa Merlo e Antônio Junior, diretores da Grafo Audiovisual, este é um Festival que começou com enorme fôlego. Ousado, com uma programação visual das mais bonitas já vistas por este Aurora de Cinema, o festival teve organização caprichada, salas lotadas, ótimos filmes e bastante público em debates e oficinas, além de ter como cenário a encantadora capital paranaense. Um belo gol da GRAFO !

O objetivo do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba é promover reflexões sobre o cinema e formar novos olhares, por meio de um destaque dado a curtas e longas-metragens pouco comuns nas salas de cinema brasileiras.

Abrangendo várias expressões culturais, o festival busca uma seleção de filmes que se comuniquem entre si. A intenção é congregar novos talentos, diretores veteranos, convidados prestigiados e o público num mesmo lugar para que isso seja a alma do festival.

Na edição passada, participaram mais de 11 mil pessoas entre convidados e público, do Brasil e da América Latina, tendo sido exibidos 73 filmes de 22 países.

Saiba mais: www.olhardecinema.com.br

SERVIÇO:

Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba

Realização: Grafo Audiovisual, Ministério da Cultura, Governo Federal.

Patrocínio: Volvo

Apoio: Estúdio Tijucas, Shopping Crystal

Promoção: RPCTV

Avenida Brasil: Porque Amamos Carminha

Intérprete e personagem entrelaçaram-se no gosto popular criando um emaranhado de emoções e cumplicidade que responde por grande parte do êxito da trama de João Emanuel Carneiro

Carminha no auge: rica, linda e vivendo das graças do marido Tufão…

O que mais surpreendeu em AVENIDA BRASIL não foi o mega ibope do último capítulo – coisa de louco, tchê ! -, nem a forma como o autor se inspirou em escritores famosos, nem a trilha, nem o encantamento com o subúrbio traduzido no Divino.

Carminha: milionária encantadora e má do subúrbio…

Tudo isso já houve antes, e continuará acontecendo. E sobre o montão de coisas que se somam para o êxito desta novela que hoje é uma latejante saudade, falaremos adiante.

Adriana Esteves e Marcello Novaes: atores foram destaque com atuações soberbas…

Mas o que mais nos chama a atenção – depois de ler, reler e encontrar nos mais diferentes espaços informativos comentários sobre a novela -, é uma sensação de “Queremos Carminha !” que ainda está no ar.

Esta sensação é o que vai por baixo das afirmações, e corre no íntimo, de todos quanto agora comentam o final da novela – todos viram a mobilização nacional gerada pela exibição do último capítulo da trama, praticamente parando São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre  –  é o que aflora quando se afirma coisas do tipo “Carminha podia ter reagido”, ou “Pensei que Carminha estava mentindo”, ou ainda “Achei que Carminha ia dar a volta por cima”, ou, mais agudo ainda, “Queria que Carminha tivesse terminado rica, numa mansão na zona sul”, ou “Queria Carminha milionária enganando um novo Tufão”…

Carminha e Tufão: casal mobilizou as atenções do “Divino”…

A marcante cena em que Nina corta e pinta os cabelos de ‘Carminha’…

Isso tudo é a tradução mais latente e recôndita de que o envolvimento com a Carminha de ADRIANA ESTEVES tomou tal proporção que o público desejava não só não ver a vilã ficar pobre e sem glamour, como gostaria de ver novamente a atriz – que ele aprendeu a amar e ver bela, mesmo com todas as maldades de Carminha – esbanjando charme e eloquência de vencedora.

Este público queria rever/reencontrar sua Carminha-Adriana de novo linda, loura, esbanjando elegância, destratando os pobres,  enganando o marido, tripudiando com as funcionárias, fazendo exigências mis, zombando dos suburbanos e dizendo – sem papas na língua e com a maior desfaçatez – as insanidades que dizia. Porque a Carminha Vencedora, Bonita e Altiva era também o alter ego da enorme classe C, ou de quantos se sentiram inferiorizados tantas vezes, e que, naqueles momentos de altivez sórdida da vilã, se sentiam vingados ou de alma lavada através dos ótimso diálogos da trama.

E aqui entra, intenso e avasssalador, o potencial artístico de ADRIANA ESTEVES, a quem a imensa maioria da platéia queria ver novamente brilhando e tendo as rédeas da história nas mãos.

SENSACIONALLLLLLLL !

E isso só é possível de ser alcançado, em se tratando de personagem Antagonista, quando se tem uma intérprete do quilate de ADRIANA ESTEVES, cuja maestria, charme e competência a faz uma Atriz do mais alto refinamento interpretativo.

O que esta magnânima ATRIZ Adriana Esteves conseguiu através desta personagem criada por João Emanuel Carneiro é algo ainda a ser estudado por especialistas da área, e quem sabe mereça muito mais ainda a análise de quem atua na área da Psicologia.

Pois o que Adriana Esteves alcançou através de Carminha foi muito mais do que o apoio da audiência, a vibração da plateia, a emoção do telespectador, o entusiasmo dos colegas, a vibração da crítica, o encantamento do autor, ou o misto de adesão x revolta total de todo o público de Avenida Brasil.

Adriana Esteves e sua irretocável CARMINHA conseguiram foi mexer no imaginário coletivo e fustigar a emoção de quantos puderam ver – e vibrar – com a estupenda interpretação desta Atriz para uma personagem capaz das maiores vilanias e atrocidades.

A capacidade impressionante e invejável de ADRIANA ESTEVES de criar expressões faciais diversas para ‘Carminha’, numa mesma cena, ecoou fundo na emoção do telespectador e criou uma empatia só explicável pelas leis do sentimento…

Num próximo post, mais sobre AVENIDA BRASIL.

TODOS OS APLAUSOS para Adriana Esteves, Atriz cujo nome se inscreve na galeria das Grandes Damas da TeleDramaturgia…

O autor e as atrizes Isis Valverde, ADRIANA ESTEVES e Débora Falabella…