Arquivo da tag: Erasmo Carlos

Virada Cultural terá Roberto Carlos em mostra da Cinemateca

A Cinemateca Brasileira participa mais uma vez da VIRADA CULTURAL, evento organizado pela Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo.

Mantendo a já tradicional programação dedicada aos grandes astros da música popular brasileira e mundial, exibe neste ano o documentário Bob Marley: the making of a legend, de Esther Anderson e Gian Godoy. Inédito no Brasil, o filme revela momentos de intimidade do astro da música jamaicana antes de chegar ao estrelato.

O programa dedicado à música pop inclui ainda outra atração muito especial – a projeção, em novas cópias 35mm – confeccionadas especialmente para a ocasião pelo Laboratório da Cinemateca -, de três clássicos do cinema musical brasileiro, dirigidos pelo cineasta e produtor Roberto Farias:

Roberto Carlos em ritmo de aventura, Roberto Carlos e o diamante cor de rosa, e Roberto Carlos a 300 km por hora. Os fãs do Rei terão um prato cheio conferindo a apresentação da trilogia protagonizada pelo principal ídolo da Jovem Guarda. Durante a madrugada, a Cinemateca ainda promove sessões voltadas aos amantes do sexo explícito.

Dois clássicos da pornochanchada recentemente projetados no Festival de Roterdã, na Holanda, fecham as atrações da VIRADA – Senta no meu que eu entro na tua, de Ody Fraga, e Fuk-fuk à brasileira, de J. A. Nunes, pseudônimo do diretor Jean Garrett.

 CINEMATECA BRASILEIRA

Largo Senador Raul Cardoso, 207

próximo ao Metrô Vila Mariana

ENTRADA FRANCA

Outras informações: (11) 3512-6111 (ramal 215)

www.cinemateca.gov.br 

Wanderlea, Roberto Carlos e Erasmo Carlos: em busca do diamante cor-de-rosa…

PROGRAMAÇÃO 

05.05 | SÁBADO 

SALA CINEMATECA BNDES 

18h00 PRÉ-ESTREIA BOB MARLEY: THE MAKING OF A LEGEND

20h00 ROBERTO CARLOS EM RITMO DE AVENTURA

22h00 ROBERTO CARLOS E O DIAMANTE COR DE ROSA 

06.05 | DOMINGO  

SALA CINEMATECA BNDES 

00h00 ROBERTO CARLOS A 300 KM POR HORA

02h00 SENTA NO MEU, QUE EU ENTRO NA TUA

04h00 FUK FUK À BRASILEIRA 

dom 6 de maio – 00h00 

SESSÃO ESPECIAL 

Bob Marley: the making of a legend, de Esther Anderson e Gian Godoy

Inglaterra/Jamaica, 2011, vídeo digital, cor, 92’ | Exibição em DVD | Legendas em português

Documentário sobre o astro do reggae Bob Marley. O filme reúne uma série de imagens captadas numa câmera de vídeo nos anos 1970 por Esther Anderson, à época sua namorada. O material revela momentos de sua intimidade antes de chegar ao estrelato, conversas entre Marley e sua banda, a The Wailers, fotos e hábitos pessoais. Inédito no Brasil, o documentário foi apresentado em diversos festivais de cinema ao redor do mundo e recebeu a Menção Honrosa da UNESCO no Jamaica Reggae Film Festival.

Não indicado para menores de 16 anos

Olhar Inusitado para a MPB

Bastidores da MPB, com fotos incríveis, sob o olhar de Cristina Granato

Muita gente vai morrer de rir, outras ficarão um pouco envergonhadas e algumas, nostálgicas. Assim é Um olhar na Música Popular Brasileira, livro de Cristina Granato retratando shows e bastidores da MPB desde a década de 80, com lançamento HOJE, 18, no Espaço Tom Jobim, no Jardim Botânico.

Cristina tomou uma decisão que tem tudo para agradar a seus muitos amigos e, sobretudo, aos artistas retratados: a tradicional fila de autógrafos está descartada do lançamento. Em vez de autografar, Cristina quer assistir às canjas dos amigos, como o já confirmadíssimo Erasmo Carlos, além de Alcione, Fernanda Abreu, e outros. “Será a primeira vez que vou a um evento para curtir e não para trabalhar”, diz Cristina antes de completar: “Não quero ficar carregando nada. Quero dançar e curtir com os amigos. Acho uma honra o fato de o Erasmo ter topado cantar para mim. Sou superfã dele”. E vai ter muita fã dela por lá também, isso é fato.

João do Valle e Chico Buarque em foto de 1989…

CAETANO no camarim de seu show no COPACABANA PALACE, 1985

TIM MAIA e Marília Gabriela – 2º PRÊMIO SHARPP de MÚSICA, COPACABANA PALACE,  ABRIL 1989

* Da coluna de LU LACERDA, do Rio

Ribeirão Preto Faz 10 de Feira do Livro

 

Acontece em Ribeirão Preto desde sexta a 10ª Feira Nacional do Livro, que prossegue até 20 de junho, no centro da cidade. A organização abriu inscrições, até dia 13, para três seminários (de dramaturgia, rodada do livro e de leitura e literatura infantil e juvenil) que irão ocorrer entre 14 e 19 de junho.

Na Feira deste ano, os homenageados são Ziraldo, Gilberto Freyre, Nádia Gotlib (autora local), Marilene Baracchini (patronesse), além da Espanha e do Estado do Acre. 

Martinho da Vila é uma das atrações artísticas

A feira será realizada nas praças XV de Novembro e Carlos Gomes, com estandes de livrarias, e palestras dos escritores (como Carlos Heitor Cony, Ignácio de Loyola Brandão, Mário Prata, Moacyr Scliar, Rubem Alves, Pedro Bandeira e Zuenir Ventura) com o público durante o dia e o começo da noite. Várias atividades paralelas estão programadas, inclusive shows musicais (Erasmo Carlos, Martinho da Vila, Zélia Duncan e Clube da Esquina, entre outros) gratuitos nos finais de noite.

A TRISTEZA de ROBERTO CARLOS

-Cleomir tavares/Photo Rio News

Cleomir Tavares/Photo Rio News

Roberto Carlos se emociona em sepultamento da mãe

Muito abatido e emocionado, Roberto Carlos não escondeu as lágrimas durante o sepultamentro de sua mãe, Laura Moreira Braga, na manhã desta segunda, 19, no cemitério Jardim da Saudade, Zona Oeste do Rio.

ROBERTO, que hoje faz 69 anos, evitou olhar para o caixão no momento do sepultamento. Cercado por amigos, o Rei desviava o olhar, protegido por óculos escuros de aros azuis, sua cor preferida. 

O cantor utilizou um lenço para enxugar as lágrimas e rezou ao lado de parentes e amigos. ROBERTO CARLOS deixou o cemitério logo após a cerimônia, em torno das 10:30h da manhã. 

Fãs e amigos, como Wanderléia, Erasmo Carlos e Rosemary aguardavam o cantor em Sulacap, Zona Oeste do Rio. O carro de Roberto acompanhou o da funerária que levou o corpo ao cemitério. 

Antes do sepultamento, o padre Antônio Maria rezou uma missa na capela do cemitério. Quando terminou a solenidade, Roberto deixou a capela segurando as alças do caixão. O Rei chegou a começar a cantar Lady Laura em homenagem à mãe, mas não conseguiu terminar tamanha a emoção. 

 Durante o enterro, o Rei ergueu as mãos para rezar o “Pai Nosso” e a Ave Maria. Familiares e fãs cantaram a música Nossa Senhora em homenagem ao cantor. O Rei estava todo o tempo ao lado da irmã, Norma.

Cleomir Tavares/Photo Rio News
Cleomir Tavares/Photo Rio News

Roberto Carlos no sepultamento de Lady Laura

Ao chegar ao local, ROBERTO CARLOS foi muito aplaudido pelos fãs, que o aguardavam cantando a música Jesus Cristo. Foi criado um cordão de isolamento para separar as centenas de fãs do local onde aconteceu o sepultamento.

Num dos poucos momentos de descontração, Roberto Carlos ensaiou um sorriso e acenou para os fãs. Em outro momento, Roberto abraçou o amigo Jerry Adriani.  

Pelo twitter, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, mandou pêsamos a Roberto e prometeu uma homenagem a Lady Laura.

“Vamos homenagear a carioca Lady Laura. Algum equipamento de saúde ou escola. Nossos sentimentos ao Rei”, postou. 

Cleomir Tavares/Photo Rio News

Roberto Carlos deixa o cemitério após o sepultamento da mãe

WANDERLEA também chora Lady Laura

 

Amiga de Roberto Carlos desde os tempos  da Jovem Guarda, Wanderléa e não poderia deixar de comparecer ao enterro da mãe do cantor, Lady Laura, por quem sempre teve uma grande admiração:


“A cena que ficou gravada na minha memória com maior intensidade foi a do Roberto sentado no colo da Dona Laura. Eu ficava encantada em ver estas cenas… em ver como ele tinha carinho pela mãe”, contou bastante emocionada, de dentro de um carro, no cemitério Jardim da Saudade, próxima ao túmulo da família do cantor.
Wanderléa, assim como Erasmo e agora Roberto Carlos, já enfrentou a perda de sua mãe.“Quando soube da morte da Dona Laura, me senti órfã de novo. Eu lembrei muito da minha mãe e da mãe do Erasmo que agora estão juntas no céu”, acrescenta.

Ainda segundo Wanderléa, Roberto é forte, porém tem sensibilidade e facilidade para o choro. “Ele sabe que o coração dela está estará sempre vivo para nós”, concluiu.

Adeus a Lady Laura no aniversário do REI

Nesta manhã em que o REI Roberto Carlos completa 69 de vida, a nota dissonante: o dia do Adeus à sua mãe e companheira amorosa e dedicada, Lady Laura.

Durante todo o dia de ontem, familiares e amigos passaram pelo Hospital Copa D’or, onde Lady Laura havia sido internada no último dia 31. A irmã e o irmão do Rei, Norma Braga e Carlos Alberto, recebiam os pêsames dos que chegavam. Maria Emir, irmã de Maria Rita — terceira mulher de Roberto Carlos, que morreu em 1999 —, esteve com a mãe no hospital.

Diretor dos espetáculos do Rei por mais de 30 anos, Luiz Carlos Miéle também passou por lá. “Quero dar um abraço mais no filho do que no artista. Lady Laura era muito presente na vida de Roberto, dava palpites e sempre que podia ia aos ensaios”, disse.

Muito emocionado, Erasmo Carlos, maior parceiro do Rei, quase não conseguiu falar. “Estou muito triste” lamentou. Dudu Braga, filho de Roberto, desabafou: “A principal lembrança dela é o amor. Minha avó é insubstituível”.

Médico de Lady Laura há mais de 20 anos, Milton Kazuo Yoshino assegurou que sua morte foi tranquila, sem dor. Depois de melhorar gradativamente, ela teve nova infecção hospitalar e precisou ser entubada mais uma vez. Ainda segundo ele, durante os momentos de lucidez, Lady Laura perguntava sobre o filho e sempre demonstrou muito otimismo. Depois que a mãe foi internada, Roberto Carlos chegou a adiar sua viagem, mas, segundo a assessoria do cantor, Laura apresentou melhora e ele resolveu viajar.

Laura será enterrada em caixão branco e com terço

O padre Antônio Maria, grande amigo do Rei e de sua mãe, esteve ontem à tarde no Copa D’Or e contou que, há pouco tempo, trocou seu terço com o de Lady Laura, que será enterrada com ele. “Eu fiquei com o terço dela e o meu vai com ela. É um momento muito triste, mas temos que nos conformar com a vontade de Deus. Lady Laura é muito querida e vai ser louvada eternamente”, declarou.

Amigos da família contam que Roberto Carlos escolheu um caixão para o enterro da mãe: branco, uma das cores preferidas do cantor, com um crucifixo no tampo e alças nas laterais em dourado.

De acordo com a maquiadora do Rei, Neide de Paula, que o acompanhou na viagem aos Estados Unidos, o cantor recebeu a notícia de que a mãe tinha piorado momentos antes de subir ao palco do Radio City Music Hall e disse estar muito preocupado com o estado de saúde de Lady Laura. “Soubemos da morte antes, mas resolvemos poupá-lo e dar a notícia só depois que ele acabasse de fazer o show”, declarou ela.

SOLIDÁRIOS na Dor de ROBERTO CARLOS

Alex Palarea /Ag. News

Roberto Carlos deixa o hospital Copa D’Or, na Zona Sul do Rio, na madruga desta segunda-feira, 19

Como era de se esperar, filho amante e dedicado, ROBERTO CARLOS está arrasado e neste momento participa do enterro da mãe, Lady Laura, no Rio.

Roberto Carlos desembarcou na capital carioca na madruga de domingo, após show em Nova York, e seguiu direto para o hospital em Copacabana.

O filho do REI (cada dia mais parecido fisicamente com o pai), Dudu Braga, e o compositor Erasmo Carlos também estiveram no local levar seu adeus a Laura Moreira Braga, e solidariedade a ROBERTO CARLOS.  Lady Laura morreu de insuficiência respiratória aguda, seguida de duas paradas cardíacas.

Alex Palarea /Ag. News

Roberto sai do hospital depois de acertar detalhes do enterro de sua mãe Lady Laura

 

Alex Palarea /Ag. News

Tristeza do REI é indisfarçável 

Alex Palarea /Ag. News

Erasmo Carlos prestou solidariedade ao amigo

 Alex Palarea /Ag. News

Dudu Braga, filho de Roberto Carlos, também deixa o hospital

A Letra de LADY LAURA

Lady Laura – Composição: Roberto Carlos/Erasmo Carlos

Tenho às vezes vontade de ser
Novamente um menino
E na hora do meu desespero
Gritar por você
Te pedir que me abrace
E me leve de volta pra casa
E me conte uma história bonita
E me faça dormir
Só queria ouvir sua voz
Me dizendo sorrindo
Aproveite o seu tempo
Você ainda é um menino
Apesar de distância e do tempo
Eu não posso esconder
Tudo isso eu às vezes preciso escutar de você
Lady Laura, me leve pra casa
Lady Laura, me conta uma história
Lady Laura, me faça dormir
Lady Laura
Lady Laura, me leve pra casa
Lady Laura, me abrace forte
Lady Laura, me faça dormir
Lady Laura
Quantas vezes me sinto perdido
No meio da noite
Com problemas e angústias
Que só gente grande é que tem
Me afagando os cabelos
Você certamente diria
Amanhã de manhã você vai se sair muito bem
Quando eu era criança
Podia chorar nos seus braços
E ouvir tanta coisa bonita
Na minha aflição
Nos momentos alegres
Sentado ao seu lado, eu sorria
E, nas horas difíceis
Podia apertar sua mão
Tenho às vezes vontade de ser
Novamente um menino
Muito embora você sempre acha que eu ainda sou / Toda vez que eu te abraço e te beijo
Sem nada dizer
Você diz tudo que eu preciso / Escutar de você…

Roberto Carlos, agora, sem Lady Laura

Com este post, prestamos homenagem a Lady Laura e nos solidarizamos com a dor do Rei Roberto Carlos, filho amoroso e dedicado, para quem a mãe foi sempre um grande esteio.

Durante show do cantor em Nova York na noite deste sábado, RC cantou Lady Laura, a bela música em homenagem a mãe, Laura Moreira Braga.

Lady Laura faleceu às 18:20h, segundo boletim do  Hospital Copa D’ Or, em Copacabana, Zona Sul do Rio, vítima de infecção pulmonar, aos 96 anos.

O cantor não foi informado da morte da mãe antes do início do show. Ao cantar a música, ele disse ao público que estava preocupado com a saúde de Lady Laura, mas que ligou para o Brasil e foi informado que ela estaria “melhorzinha”.

Depois do tradicional momento em que rosas são entregues para o público ao som de Jesus Cristo e o cantor se despede, o maestro da banda de Roberto Carlos, Eduardo Lages, se dirigiu à plateia e disse que o cantor não voltaria mais ao palco porque tinha acabado de receber a notícia da morte da mãe.

Segundo a assessoria de imprensa do hospital Copa D’or, Lady Laura morreu às 18h20. No atestado de óbito constam como causas: choque séptico e insuficiência respiratória aguda, decorrentes de pneumonia bacteriana e agravados por insuficiência renal crônica, insuficiência coronariana e arritmia cardíaca. Ela havia sido internada dia 31 de março e levada para o Centro de Terapia Intensiva (CTI) em estado grave, com quadro de infecção pulmonar.

Música

A mãe do cantor ficou conhecida nacionalmente pela música Lady Laura, parceria do filho com Erasmo Carlos. A canção’, composta em 1976, em momento de solidão num hotel de Nova York, se tornou uma das que mais fazem sucesso fora do Brasil.

 Na gravação da canção Lady Laura’, em 1978, Roberto chorou no estúdio e a música foi repetida várias vezes. A mãe nunca abandonou o filho desde o dia em que Roberto cantou pela primeira vez no rádio, aos 9 anos, em Cachoeiro de Itapemirim, no Espírito Santo.

Apesar de lúcida, Lady Laura vivia sob os cuidados de duas empregadas e só saía aos domingos para assistir à missa na Igreja Nossa Senhora do Brasil.

Foi Lady Laura, devota de Nossa Senhora, Cosme e Damião e São Judas Tadeu, quem passou a forte religiosidade para o cantor. Ela era uma das pessoas que mais incentivaram a carreira artística de Roberto Carlos.

Diálogo com a mãe

Na quinta (15), em entrevista em Nova York, onde recebeu uma homenagem pelos 50 anos de carreira e pela marca de 100 milhões de discos vendidos, ele relembrou que decidiu o seu futuro aos nove anos de idade, ao voltar para casa depois de se apresentar na Rádio Cachoeiro de Itapemirim, no Espírito Santo.

Roberto lembrou o diálogo que teve com a mãe.

 “Mãe, você quer que eu seja médico, mas eu não quero ser médico mais não, porque agora eu quero ser cantor”. A mãe ainda questionou que tinha sido apenas uma apresentação na rádio e ele respondeu – “É mas é isso que eu quero. E nunca mais mudei a minha cabeça”, completou.