Arquivo da tag: FECIM

Cultura de Muqui em Folias de Cinema pra europeu ver

Encantadora turma de jovens da cidade capixaba é liderada pelo jovem escritor, artista e cineasta LÉO ALVES

Jovens realizadores culturais da pequenina Muqui, uma adorável cidade situada ao Sul do Espírito Santo, tem uma ‘dura’ missão: representar a cultura capixaba num Intercâmbio Cultural, agendado pra março, na Europa. Coisas que esta turma vai tirar de letra, experts que são no trato com a Arte e a Cultura.

Este AURORA DE CINEMA viu de perto  – durante a realização do I FECIM (Festival de TV e Cinema Independente), realizado em setembro passado -, e tivemos oportunidade de comentar aqui o show de acertos que foi o Festival.

Desde então, MUQUI e esta jovem e aguerrida turma comandada por Léo Alves não saíram mais do nosso coração e da nossa memória afetiva.

Léo Alves e Jussan Silva e Silva levam o FECIM a Luana Piovani…

Contemplados pelo edital de Intercâmbio e Difusão Cultural, desenvolvido pelo Ministério da Cultura, e pelo Edital de Locomoção da Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo, participantes de três coletivos culturais de Muqui – ligados às artes, à música e ao audiovisual – terão a oportunidade de participar de diversas atividades em Portugal. Um acerto dos avaliadores dos dois editais, que, sem dúvida, será muito bem aproveitado por estes coletivos de MUQUI.

O Grupo Cultural ETC, Os Muquiranas e o Grupo de Música Manoel Vicente de Castro são coletivos que participarão do intercâmbio-viagem. Entre as ações previstas para a viagem, o carro-chefe é a exibição do documentário O Palhaço Menino, produção dos jovens do Grupo Cultural ETC, dirigido por Léo Alves, tendo como foco a histórica e bela manifestação das Folias de Reis.

Cena de ‘O Palhaço Menino’, Doc de Léo Alves que será exibido em Portugal…

A exibição do Doc de Léo acontecerá em OVAR, cidade portuguesa que mantém a tradição das Trupes de Reis e que também serviu de cenário para as gravações da obra em 2011.

Cena de ‘O Palhaço Menino’, Doc que evidencia beleza da cultura popular…

Além disso, participantes das Folias de Reis também estarão em Portugal, proporcionando a chance de difundir e valorizar as culturas capixaba e nacional. O jovem Wilson Diniz, de 23 anos, Mestre da Folia de Reis “Missão Divina”, está ansioso: “Será uma grande experiência, uma viagem que vou levar para a vida toda. É uma grande alegria poder levar a Folia de Reis para o lugar onde ela se originou”, conta. A iniciativa tem apoio do projeto “Ano do Brasil em Portugal” da Funarte e do Ministério da Cultura.

Léo Alves: talento, inteligência e sensibilidade realizando relevantes ações culturais e amealhando parcerias por onde passa…

Outra atividade a ser desempenhada em Portugal é a gravação da 2ª temporada da série de web TV Dentro e Fora de Casa, projeto em formato de reality show que teve a 1ª temporada patrocinada pelos editais do Programa Rede Cultura Jovem da Secult.

Jussan Silva e Silva, um dos integrantes do coletivo cultural ETC, outra grande força criativa de Muqui…

Gravada em 2012, a web série objetivava valorizar o estado do Espírito Santo ao levar três jovens a três cidades capixabas que eles desconheciam, registrando histórias e contribuindo para o diálogo intercultural entre as comunidades. Jáa as gravações em Portugal começarão na Universidade do Porto, onde será retratada a vida de estudantes brasileiros que residem no país.

Foto: Léo Alves, diretor do documentário "O Palhaço Menino: histórias de quem, desde pequeno, sonha e vive as Folias de Reis", retornará à Portugal, em março, para exibição da obra em Ovar, cidade que foi cenário para a produção e que possui a tradição das "Trupes de Reis". A "Folia de Reis" é uma manifestação cultural popular trazida ao Brasil pelos europeus, mais precisamente portugueses, no período da colonização.

Léo Alves preparando para nova temporada em Portugal…

Para Léo Alves, diretor da série, a viagem proporcionará maior visibilidade às ações, além de servir como incentivo aos participantes: “Temos construído uma história cultural muito interessante em Muqui. Os coletivos culturais da cidade têm promovido a valorização dessa cidade histórica cheia de expressões culturais. A viagem tende a contribuir decisivamente para a cultura do Espírito Santo e para o fomento de nossas atividades”.

Aguinaldo Silva em depoimento à TV FECIM, sendo registrado por Léo Alves

Cortejo quase saindo

Na edição de estreia do FECIM, os jovens de Muqui e a presença Aurora de Cinema… Saraváaaaaaa !

FECIM: este Festival nasceu com fôlego de gigante

AURORA DE CINEMA direto do FECIM-Muqui

Estar na edição inaugural do Festival de TV e Cinema Independente de Muqui – adorável cidade do sul capixaba – foi uma das mais felizes experiências desta nossa vida de repórter, sempre em busca dos lugares e fatos onde o Cinema Brasileiro é destaque ou possa ser sublinhado.

O FECIM ganhou meu interesse desde que soube que o festival era ideia de um grupo de jovens que trabalham com teatro, audiovisual, música, dança e outras artes, e cujo foco irmanava, numa mesma pulsação, os meandros da Sétima Arte e também os da Televisão – sobretudo no tocante à Telenovela.

Sempre achei: quem gosta de contar e ouvir histórias e, portanto, é um apreciador de Dramaturgia (ainda que não tenha consciência disso), não pode desprezar nenhum tipo de espaço ou veículo onde isso se dá. Afinal, os pilares das três principais artes onde isso acontece são o Teatro, o Cinema e a TV. Em todos esses, as histórias contadas, encenadas, exibidas, veiculadas são DRAMATURGIA. Cada meio tem sua especificidade, óbvio, mas a força motriz é a mesma.

Thelma Guedes e Duca Rachid: contribuição relevante ao FECIM…

Sou uma apaixonada por Dramaturgia, irremediavelmente levada pelo Teatro – a Arte Milenar -, o Cinema e as Telenovelas. Daí, quando descobri o FECIM (através da página da escritora Duca Rachid no Facebook), não pensei duas vezes: “Vou saber quem organiza este festival e vou tentar ir”. E assim o fiz.

Entrei rapidamente em contato com Léo Alves, o idealizador e coordenador-geral, e me apresentei, dizendo que queria muito estar em Muqui para o FECIM. A partir daí, nossa troca de conversas fluiu célere e sempre conectada. Foi mais de um mês trocando e-ms e tentando falar com Léo pelo telefone, o que acabei só conseguindo quando já estava na capital capixaba – nossa agendas não se encontravam nunca. Mas um dia recebi uma mensagem super carinhosa e estimulante de Léo Alves: “Aurora, engraçado, tenho cada vez mais a sensação de já te conhecer há muito tempo”. E essa  sensação passou a nos guiar…

Léo Alves no centro e seus renomados convidados: tudo fluiu em perfeita sintonia no FECIM…

Conhecer Léo Alves foi uma gratíssima satisfação. Nós temos mesmo tudo a ver. Léo possui uma energia vibradora que realiza, e caminha rumo aos objetivos traçados com determinação, sensibilidade e serenidade que cativam à primeira vista. Logo, nas primeiras trocas de e-ms, Léo Alves já tinha me ganhado. E quando ele foi me receber na rodoviária de Cachoeiro do Itapemirim, na véspera da abertura do FECIM, foi como o encontro de dois amigos, que apenas não se viam há alguns meses.

Teatro Neném Paiva lotou todas as noites para ver CINEMA de graça no FECIM…

Cheguei em Muqui na noite de quarta, 31 de outubro, e fiquei surpresa ao ver tudo já em clima de festival, e com ares de grande evento. Na praça principal da bela cidade histórica, epicentro do FECIM, tendas estavam armadas, bem decoradas e iluminadas. Cartazes espalhados nos postes, banners pelas tendas e no Teatro Neném Paiva – QG da Produção (montado na Escola de Música contígua ao teatro) -, e funcionários trabalhando como se o festival já tivesse começado, tudo causava positivo impacto diante de um evento que iria acontecer numa cidade interiorana, em ritmo de estreia.

Desde o início percebi: o FECIM chegava muito bem estruturado e os organizadores tinham pensado o festival como um evento para nascer forte, se firmar e evoluir. Havia, no íntimo de cada um que circulava ali nas tendas e entorno do QG do FECIM, uma vontade de acertar e a certeza de estar no caminho certo, cujos fluidos me alcançaram rapidamente.

E a partir da minha chegada ao ponto central do FECIM – onde Simone Marçal ultimava detalhes da produção em conversas com uma grande equipe, formada em sua maioria por voluntários -, senti que o festival idealizado por Léo Alves seria um sucesso.

Aliás, a criativa logomarca – criação do artista Wilson Ferreira – e a graça de garota encontrada por Léo para protagonizar todo o material de divulgação do FECIM, já trazia embutido um certo condão de ludicidade e beleza, capazes de conquistar de imediato.

A vinheta criada por Léo Alves como principal peça audiovisual publicitária do FECIM é de uma plasticidade singela e cativante.

Com a jornalista Aurora Miranda Leão, a graciosa empatia de Duda Teixeira, a cativante ‘mascote’, mais um trunfo do FECIM

A menina Maria Eduarda (Duda) Teixeira tem uma docilidade e empatia que a câmera captou e o coração do público aderiu prontamente com o maior afeto, conectando instantaneamente ao chamado do Cinema na Cidade Menina

As irmãs Fernanda e Simone Marçal, tocando o FECIM, festival que foi uma sucessão de acertos…

Esta primeira impressão teve chance de se confirmar todos os dias: em cada atividade da programação, afirmava-se o acerto de um projeto bem pensado, feito coletivamente, com um plano de trabalho bem elaborado, debatido, e absorvido por toda a equipe.

Turma preparada para o belo cortejo que abriu lindamente a programação do FECIM…

Essa sintonia que houve (e há) entre os que realizaram o I FECIM é o grande trunfo deste festival, que, nem bem terminou, e já emana novas e boas vibrações através de reuniões virtuais e troca de ideias entre os muitos que pensaram o FECIM, e agora orquestram um festival ainda melhor para 2013, ancorados e estimulados (com todo merecimento) por nomes de envergadura que participaram de sua programação, e hoje derramam-se em elogios para este Festival na Cidade Menina, o qual, de caçula, só tem o fato de estar na pioneira edição.

Parte da equipe que tocou o FECIM e a jornalista Aurora Miranda Leão…

Mas o FECIM que eu vi nascer em postagens via web é um festival da maior importância, nascido com energia e estrutura suficiente para alçar grandes voos e prospectar grandes ações na seara da dramaturgia e do audiovisual, a partir de MUQUI.

Cavi Borges, Aurora Miranda Leão e Claudia Puget: sintonia artística no FECIM…

Anotem o que este AURORA DE CINEMA vem dizendo desde que começamos a postar informações sobre o FECIM: este Festival ainda vai ser tão concorrido que vai chegar o dia em que hotéis e estabelecimentos ‘Cama & Café’ de Muqui e cidades vizinhas não vão conseguir abrigar todos os interessados em participar in loco de sua programação.

Que deve ser maior a cada edição. O que este AURORA DE CINEMA viu e ouviu de gente elogiando o FECIM fez esta redatora ficar de dedo cansado de tanto teclar.

Desde o mais pacato morador de Muqui até nomes como os da escritora e Doutora em Cinema, Bernadette Lyra; passando pelo do cineasta/produtor Cavi Borges; o do escritor Eduardo Nassife; o do ator Mouhamed Harfouch; as cineastas Luíza Lubiana e Ceci Alves; até as escritoras Thelma Guedes e Duca Rachid; todas as falas, como em uníssono, davam conta das mesmas impressões: o FECIM foi uma sucessão de acertos, seus ‘maestros’ (encarnados em Léo Alves, Jussan Silva, e Simone Marçal) estão de PARABÉNS, Muqui é uma cidade adorável, a equipe trabalhou com competência e disposição, e o Festival chegou com  porte de Leão.

Desde o lúdico cortejo inaugural, passando pelas exibições lotadas, a roda de samba debaixo de chuva na praça principal de Muqui, os almoços e jantares adoráveis no belo casario da artista Cláudia Puget, a programação paralela na antiga estação ferroviária, até o adorável bicicletaço com chuva de poesias no último dia do Festival, tudo no FECIM foi bonito, funcionou, e só merece PARABÉNSSSSSS !!!

O artista Wander Polatti, a escritora Bernadette Lyra,  o produtor Jussan Silva e Silva, e a jornalista Aurora Miranda Leão celebram o êxito do FECIM…

Em breve, novo post sobre o FECIM. Aguardem !

A Igreja Matriz, cenário imponente de Muqui, a cidade do FECIM… Até 2013 !

FECIM: Festival em Muqui foi um Show de Acertos !

AURORA DE CINEMA direto do FECIM-Muqui

Festival comandando por Léo Alves debateu televisão e cinema independente, e encerrou com animada festa onde a trilha de Avenida Brasil deu o tom…

Foram apenas 4 dias mas o valor do que foi visto, falado e debatido em Muqui, a intensidade e competência  com que a programação se desenvolveu, e o alcance do  que foi projetado e discutido no FECIM tem uma amplitude que o torna um festival além-fronteiras capixabas.

Uma criança linda, numa logomarca especialmente tocante… viva o FECIM !

A começar pela identidade visual de sua marca, o FECIM pode ser considerado o mais grato dos caçulas do circuito de festivais de Cinema do país – e o único que inclui a produção de telenovelas em sua grade de debates -, tendo começado com fôlego de adolescente e com cancha pra transformar-se numa das grandes vitrines do Cinema Brasileiro, até então correndo por fora do circuito mais badalado.

A pequena e linda Maria Eduarda Teixeira, ou smplesmente DUDA – a Garota FECIM – é um encanto, e, assim como me encantou de pronto, conquistou a tantos outros que aqui estiverem ou acompanharam o festival pela internee e as matérias de jornais e tevês. Essa graciosa magia emanda de Duda fortaleceu de modo decisivo a singeleza da marca adotada pelo Festival, e a bicicleta que Duda pedala nas fotos e na belíssima (!!!) vinheta de Léo Alves, de modo muito rápido, adentrou o coração ao pedalar, cheia de graça, os paralelepípedos sonhadores de Muqui.

Mas eu vou pedir licença a você, leitor querido deste blog, para me permitir interromper agora este breve relato, já que estou partindo daqui a pouco de Muqui, e ainda qeuro dar uma volta pela cidade antes de retornar a Vitória.

O belo cortejo que ganhou as ruas de Muqui celebrando a abertura do FECIM…

Porque há tanto e tão bem pra falar do FECIM, que vou ter de escrever um ARRASTÃO FECIM para tentar, ainda que resumidamente, fazer uma panorâmica de tudo quanto aconteceu aqui em Muqui nestes dias felizes, breves e contagiantes em que o Cinema e a TV foram colocados lado  a lado com profundidade e coerência, e nos quais o nível das discussões plantou frutos que ainda vão dar muito audiovisual pra fazer, ver, e debater.

A Igreja Matriz, um dos esplendores históricos mais visitados de Muqui…

Numa cidade arquitetonicamente cinematográfica, conceber um festival como o FECIM é uma tradução perfeita para o dito popular da “sopa no mel”…

DUDA Teixeira, a bela muquiense que empresta poesia e encantamento ao FECIM…


Thelma Guedes, Mouhamed Harfouch, Duca Rachid e Eduardo Nassife abrilhantando o FECIM…

Cavi Borges, cineasta e produtor, presença iluminadora no FECIM…

Desde já, PARABÉNSSSSSS aos sonhadores que idealizaram esta pequenina jóia cultural chamada FECIM, liderados por esta força especial que é Léo Alves, à esmerada produção desta incansável Simone Marçal, a toda a equipe que construiu e fez nascer um festival tão grandioso e pontilhado de tantos pontos POSITIVOS, e um abraço muito carinhoso a todos que tão carinhosamente receberam o AURORA DE CINEMA em Muqui, e contribuíram com generosidade e senso de coletivo para o Gol de MESSI que foi este I FECIM.

Parte do time que fez do FECIM um sucesso contagiante…

Saraváaaaaaaa !

FECIM: Bicicletas e chuva de poesias acordam domingo de Muqui

AURORA DE CINEMA direto do FECIM-MUQUI

O sábado foi todo de chuva em Muqui, mas nem por isso houve menos animação, alegria, produção e muitas atividades em torno do Cinema e de todas as artes imbutidas na sétima.

Música, Literatura, Teatro, Circo, Dança, História, Patrimônio e Natureza: tá tudo muito junto e misturado nestes dias prolíficos do I Festival de TV e Cinema Independente de MUQUI, o FECIM, que agora já é uma referência importante na vida de todos quanto participam deste surpreendente e benfazejo encontro de Artes & Sentimentos, num congraçamento de ideias só possível quando se sabe que a Arte e as ações em favor do Bem não tem limites nem fronteiras.

A presença vibrante e inteligente da escritora e professora Doutora em Cinema,  Curadora da Mostra Itaú de Cinema, Bernadete Lyra*, foi o destaque do sábado, assim como a presença sempre carismática do querido cineasta e produtor Cavi Borges foi um dos pontos altos da tarde de sexta no FECIM.

Aurora Miranda Leão e Bernadete Lyra: encontro valoroso no FECIM…

* Criadora do termo Cinema de Bordas e, junto com outros pesquisadores, mantém um intenso trabalho voltado para este tipo de cinema. Segundo Bernadete, “cinema de bordas é um modo de conceituar todo um tipo de produção cinematográfica ou audiovisual que constitui um universo paralelo ao mundo do cinema institucionalizado pela historiografia cinematográfica tradicional, ou seja, por aquela historiografia que foi, em boa parte, pautada na autoria e na noção do “bom”, do “belo” e do “artístico”. Esse universo paralelo é heterogêneo, apresentando variantes”. 

N.R.: Em breve, traremos um ARRASTÃO FECIM com detalhes e imagens de todo o Festival !

Foi com muito samba e debaixo de chuva que o sábado se despediu, anunciando um domingo de muita alegria e cores pelo Sítio Histórico da adorável cidade capixaba de Muqui.

Hoje, às 9:30, começa o esperado passeio de bicicletas pelas principais ruas de Muqui, com uma parada estratégica na Igreja Matriz para um congraçamento entre participantes do FECIM e moradores da Cidade Menina através de uma chuva de poesias, que deverá respingar muita emoção, entusiasmo, cores e letras por aqui.

À noite, haverá missa na Matriz, às 19h, com o canto lírico de Gustavo, e fechando a noite, uma super produzida festa para irmanar os corações – que se tanto se empenharam para o êxito do FECIM – e celebrar a próxima edição, a qual deverá ser ainda muito melhor que esta, mal nascida e já engatinhando em ritmo de Ano 10…

* Curta mais o FECIM: http://g1.globo.com/videos/espirito-santo/estv-2edicao/t/edicoes/v/profissionais-renomados-participam-de-festival-de-cinema-em-muqui-no-es/2222658/

Abertura comprova: FECIM veio para ficar

AURORA DE CINEMA direto do FECIM-MUQUI

Aqui em MUQUI, o Cinema empresta asas à Poesia – ou será a Poesia que cria a narrativa ? -, anda flertando com a música, caminha de braços dados com a História, e cede passagem à Alegria !

Este é o clima desde que foi aberto o I FECIM – Festival de TV e Cinema Independente de Muqui -, na tranquila e bela cidade capixaba, que sedia este festival que nasceu forte e espalha sementes multifárias por onde passa, iluminando e sendo iluminado por fotógrafos, artistas e visitantes de todas as partes do país, que, como eu, também não se cansam de declarar seu encantamento por esta Cidade Menina que é Muqui…

 

Habitué de festivais de cinema há alguns anos, e vendo com satisfação seu crescente, contínuo e veloz crescimento – num país onde as salas de cinema são escassas, deveríamos ter um festival em cada bairro -, ando profundamente impressionada com o que vem sendo este FECIM, idealizado pelo jovem cineasta LÉO ALVES – este é um dínamo !

Inteligente, sensível, aguerrido… e traça todo o panorama na maior tranquilidade, sempre rindo, educado, cumprimentando todo mundo na maior simpatia e generosidade… Léo Alves é uma figura rara !  Estou encantada… este garoto vai longe porque sabe o chão que pisa, como pisa e porque pisa.

Desde que cheguei, um dia antes do festival começar, a impressão positiva ultrapassou o que esperava encontrar aqui. Cheguei à noite, em companhia do próprio Léo Alves, naquele misto de surpresa e satisfação por saber estar, finalmente, pisando o chão do maior Sítio Histórico do Espírito Santo.

As ruas de paralelepípedos, o clima de tranquilidade hospitaleira, a Igreja Matriz e o farto casario emprestando ares cenográficos à cidade, foram me conquistando enquanto os quilômetros eram trilhados. Até que chegamos à praça principal e ao QG da Produção – a Escola de Música, tendo anexo o aconchegante Teatro Neném Paiva.

Ali, uma generosa equipe já acumulavaa horas de trabalho, coordenada pela produtora Simone Marçal, uma força poderosa na organização do FECIM. Alojados num corredor de tendas, charmosamente decoradas, os integrante da equipe checavam as ações dos grupos, e até o prefeito Nicolau Esperidião Neto estava por lá mostrando que a Prefeitura está realmente envolvida com o FECIM.

De lá, fomos a um barzinho, onde um camarão delicioso nos recebeu, ao lado de um grupo que tocava umas músicas brasileiras destas que amamos… aí, claro, não podia faltar MEU ERRO (do poeta HERBERT VIANNA) pra fechar a noite no melhor estilo de VAI VALER !
Isso tudo foi na quarta, e na quinta, o FECIM foi aberto, com um colorido e festeiro cortejo que percorreu as principais ruas da cidade, e polvilhou de graça, força e luzz este festival que inscreve-se já como um foco poderoso de CINEMA, Audiovisual e Cultural que brota a partir do sul do Espírito Santo, se espraia nos elogios de cada visitante que aqui está participando do festival – seja com filmes, oficinas, palestras, debates -, e vai reverberar muito forte e longe aa partir da ebulição que é este festival menino que nasceu forte que nem os primeiros chutes de Messi na pequenina Rosário, em sua natal Argentina.
No mais, estou indo embora, como diz a música de Belchior… porque agora vou cair em campo pra acompanhar as atividades do FECIM.
Às 14h, tem mesa para debater TV e Cinema com a presença das autoras Duca Rachid e Thelma Guedes, que estão na cidade desde ontem, assediadamente festejadas.
Aguardem os próximos posts com mais notícias do FECIM.

Tudo pronto para a abertura do FECIM

AURORA DE CINEMA direto do FECIM-MUQUI

Confira o que acontece hoje por aqui, no Sítio Histórico de Muqui, no Espírito Santo…

Dia 1º de novembro – Quinta-feira

9h00 às 10h00 – 1ª. Sessão – Mostrinha Vitória Cine Vídeo para Crianças – Teatro Neném Paiva

  • Eu queria ser um monstro – Marão – 8’ – RJ
  • Menina da Chuva – Rosária – 6’ – RJ
  • A Ilha – Alê Camargo – 9’47” – DF
  • AmigãoZão – Andrés Lieban – 1’10” – RJ
  • Como comer um elefante – Jansen Raveira – 5’52” – RJ
  • Historietas Assombradas (para crianças malcriadas) – Victor Hugo Borges – 16’ – SP
  • Linhas e Espirais – Diego Akel – 2’16” – CE
  • Pajerama – Leonardo Cadaval – 9’ – SP
  • Clóvis em busca de uma namorada – André Bessart – 3’13” – SP
  • Queda Livre – Marcelo Vidal e Renan de Moraes – 1’10” – RJ

10h00 às 11h00 – 2ª. Sessão – Mostrinha Vitória Cine Vídeo para Crianças – Teatro Neném Paiva

 16h00 – Abertura da exposição “Bicicletas”, na casa Ana Fraga no Centro Histórico de Muqui.

17h15 – Abertura da Banca do FECIM, com Lançamento da Revista Ops – Local: Tenda Externa Teatro Neném Paiva

18h00 – Cortejo Poético com a Banda Lira 24 de Junho. Saída na Av. Getúlio Vargas, altura da MC Flores (no “Corredor da boiada”)

19h00 – Cerimônia de Abertura – Teatro Neném Paiva.
Apresentação de dança “Roberta Jazz”.
Apresentação: Quem é o Grupo Cultural ETC.

20h00 – 1ª. Sessão da Mostra Competitiva – Teatro Neném Paiva

  • Julieta de bicicleta – de Marcos Flávio Hinke – Animação – 10’ – 2012 – Curitiba/PR
  • Controlando a minha maluquez – dos Alunos da EEEFM Mário Gurgel – 9’ – Documentário – 2011 – Vitória/ES
  • As curvas de Neimeyer – dos Alunos da Rede Municipal de Vitória – 10’ – Animação – 2010 – Vitória/ES
  • A malcriação de Tonha – dos alunos da Rede olhares do Mundo do Instituto Parceiros do Bem – Núcleo Araçá – 9’21” – Documentário – 2012 – São Mateus/ES
  • Mimby Marae’y (A flauta sagrada) – dos alunos da Rede olhares do Mundo do Instituto Parceiros do Bem – Núcleo Aldeia Três Palmeiras – 15’28” – Documentário – 2012 – Aracruz/ES
  • Festa no apartamento de Suzana – 10 de julho de 2011 – de Christopher Faust – 3’ – Ficção – 2012 – Curitiba/PR
  • De orquídeas e selos – de Carolina Paraguassú Dayer – 14’40” – Documentário – 2009 – Rio/RJ / Goiania/GO
  • Garoto Barba – de Christopher Faust – 14’ – Ficção – 2010 – Curitiba/PR
  • Galinha D’angola – de Daniel Salaroli – 11’ – Ficção – 2011 – São Paulo/ SP

22h00 – Show – Grupo Moxuara – “Aventura Moxuara”, Projeto Circulação Cultural da Secult / ES.Local: Praça Municipal de Muqui.

23h00 – Show Local – Praça Municipal de Muqui.

23h40 – Show com a banda “Na Estrada” – Praça Municipal de Muqui.

FECIM: Aguinaldo Silva apóia festival de Muqui

Autor de novelas consagradas, Aguinaldo Silva apóia FECIM desde o início…

Confira entrevista do autor Aguinaldo Silva à TV FECIM, que já funciona para incrementar ainda mais o I Festival de TV e Cinema Independente de MUQUI

http://www.youtube.com/watch?v=HSljpzH951A&feature=youtu.be

Oficinas gratuitas de Cinema em MUQUI

Atenção, pessoal de MUQUI e cidades capixabas vizinhas:

Oportunidade ótima, rara e oportuna ! Vai ficar de fora desta ?

Léo Alves, estudante de Jornalismo, empenhado na realização do FECIM…

Entendendo o audiovisual como importante ferramenta no processo pedagógico, o 1º Festival de TV e Cinema Independente de Muqui (FECIM) vai realizar oficinas audiovisuais para alunos e professores das escolas do município.

GRATUITAS, as oficinas acontecerão dias 10 e 11 deste outubro no Teatro Neném Paiva. Para participar, alunos e professores podem inscrever-se a partir desta segunda, dia 1º de outubro, na Secretaria de Educação de Muqui, localizada no centro da cidade. Mais informações: www.fecim.com.br

Imagem inline 1

* O AURORA DE CINEMA estará na cobertura jornalística oficial do FECIM, que tem na Coordenação-Geral o jovem produtor Léo Alves

Muqui mobilizada em torno do Cinema e TV

De olho numa ampla divulgação para o I Festival de TV e Cinema Independente de Muqui, cidade capixaba, a organização do festival – idealizado pelo ativista cultural Léo Alves – resolveu convocar jovens estudantes de Comunicação para contribuir com a popularização da empreitada. E para tanto, abriu seleção através de concurso.

O I FECIM é um festival que já nasceu com ares de vencedor. Basta conhecer as ideias do jovem Léo Alves e as peças publicitárias do festival para ter esta certeza. Léo é movido pela chama do entusiasmo, apaixonado por Cinema e TV, orgulhoso de sua bela cidade (um dos tesouros capixabas), e aguerrido em prol das coisas nas quais acredita. Assim, com pulso firme, sensibilidade, inteligência, ousadia e disposição está arregimentando apoios e parcerias para fazer do FECIM um festival relevante no cenário cultural e artístico do país.

Léo Alves tem iniciativa saudada em todas as partes de Muqui (aqui com Tânia e Márcia Brasil)…

Desde já, temos certeza que o FECIM terá uma estreia auspiciosa e veio para ficar.

Foram mais de 30 inscrições, oriundas dos mais diversos Estados brasileiros (BA, RJ, ES, MG e GO), de estudantes muito engajados no audiovisual e interessados em participar da assessoria de Comunicação e cobertura do FECIM, o 1º Festival de TV e Cinema Independente de Muqui (ES). Depois da análise das respostas da pergunta “Por que cobrir um Festival de Cinema em Muqui?”, além de análise técnica do currículo, a organização do FECIM divulga os estudantes selecionados, bem como a lista de suplentes.

Pela qualidade das inscrições e valorização dos universitários na primeira edição do festival, a produção do FECIM permitirá a participação dos suplentes na cobertura, desde que as despesas de transporte, hospedagem e alimentação fiquem por conta de cada um.

O 1º FECIM acontecerá de 1 a 4 de novembro, na cidade histórica de Muqui, interior do Espírito Santo, e o AURORA DE CINEMA estará por lá participando da cobertura diária.

Selecionados (por ordem alfabética):

Diego Nunes – UFES – Vitória – ES

Honório Filho – UFES – Vitória – ES

Jéssika Claudino – UFES – Vitória – ES

Karolina Lopes Gonçalves – UFES – Vitória – ES

Lorena Silva – UFOP – MG

Lorrayne Rocha – Estácio de Sá – Vitória – ES

Suplentes (por ordem decrescente):

Flávia Stella – UFOP – Ouro Preto – MG

Matheus Medeiros de Souza – UFGO – GO

Leonardo Ribeiro – UFES – Vila Velha – ES

Mariana Preti – UFES – Vila Velha – ES

Wagner Vieira – Estácio – Estácio de Sá – ES

Gustavo Crispim Cardoso – UFGO – GO

Tatiana Werneck – UFES e CEET – Vitória – ES

Com relação às inscrições, a quantidade de filmes superou todas as expectativas da organização, segundo o idealizador, Léo Alves. Dia 20 de outubro, sai  o resultado dos selecionados.

Confiram um belo teaser sobre o FECIM:

http://www.youtube.com/watch?v=N6FBM-ele1k

MAIS: http://www.fecim.com.br/

Muqui fará Festival unindo TV e Cinema Independente

O lugar é a convidativa cidade capixaba de Muqui. E o festival é o FECIM, cuja primeira edição acontecerá nos primeiros dias de novembro.

Trata-se de uma ação cultural realizada pela Escola de Música Manoel Vicente de Castro, em parceria com o Grupo Cultural ETC, coletivo de jovens realizadores do município de Muqui, objetivando expandir o diálogo cinematográfico capixaba. Para isso, os organizadores querem promover a discussão, o fomento, a valorização e a exibição de obras audiovisuais de artistas e núcleos independentes do Estado do Espírito Santo.

O foco principal deste projeto é criar um mecanismo potencializador na área cinematográfica, possibilitando um intercâmbio de ideias e de fusão cultural, fazendo do Sítio Histórico de Muqui o cenário de um novo pólo de referência na área.

FECIMMinha cidade cenográfica, pano de fundo da nossa história

Menina de vestido rodado corre pelas vielas. Espalha doçura, ingenuidade e encantamento. A cidade torna-se parte da beleza aura feminina e derrama olhares sedutores por quem quer que passe nas avenidas. O trem corta a cidade e a banda, com sua música envolvente, acorda a menina, que desperta ainda sonhadora. O palhaço, saltitante na Folia de Reis não assusta quem, de longe, aprecia sua desenvoltura. Os bois pintadinhos, que passam ligeiros e coloridos pela porteira do carnaval muquiense, enche de orgulho aquela que cresceu e que, hoje, envolvida e apaixonada, sente-se mais madura e independente para trilhar seu próprio caminho.

Muqui embriona os sonhos infantis e torna-se a cidade dos roteiros cinematográficos da vida real. É o berço de alegrias e tristezas, compartilhadas dentro das casas ou nas praças, nos jardins. É a cidade que se renova, crescendo e sonhando com cada menina, se apaixonando como toda jovem e se amadurecendo como toda mulher. Menina…Mulher…Muqui…Uma dentro da outra, como a fruta dentro da casca.

Conhecida como a “cidade menina”, Muqui é palco de diferentes manifestações folclóricas tradicionais, que enchem de cor as ruas amarronzadas pelo tempo, e reacendem a vivacidade e dinamicidade da cultura popular. A evolução, porém, é parte natural da história e, com a comemoração de seu centenário, vê-se a necessidade de transformar a cidade no verdadeiro pano de fundo de projetos culturais dinâmicos e envolventes.

O Festival de TV e Cinema Independente de Muqui (FECIM), projeto elaborado por jovens realizadores do município, lança as bases para a criação de atividades constantes de exibição e valorização de filmes independentes. Pretende contribuir para o exercício da cidadania, promovendo experiências educativas, recreativas, integrativas, culturais e compensatórias através da exibição de curtas e longas-metragens na cidade.

Muqui abre suas portas e as porteiras para a realização jovem. É hora de bater a claquete, dando início ao primeiro festival de vídeo, colocando os nomes dos jovens na história da cidade. Muita luz, câmera e ação pelas ruas de Muqui!

O FORMATO DO FESTIVAL

Como forma singela e poética de representação, o 1º FECIM homenageará a cidade de Muqui, com ênfase numa identidade visual lúdica e dinâmica, usando elementos artísticos inspirados no artesanato, no folclore e na história da região, colocando no cerne o desenho de uma menina que anda numa bicicleta em direção ao futuro. Essa imagem traz à tona uma reflexão sobre “a cidade menina”, a qual, diante da evolução natural da história, deve crescer e amadurecer.

A proposta do FECIM é ampliar os espaços de debate acerca da televisão e da telenovela brasileira, rompendo antigos preconceitos acadêmicos, promovendo formas mais prazerosas de leitura, compreensão e reflexão do universo teledramatúrgico, provocando o contato de autores e artistas de novelas com os telespectadores e possibilitando possíveis trocas culturais.

Afinal, como dizem os organizadores do FECIM, novela não é só um produto, é, também arte!

* Em breve, novidades sobre o Festival de Muqui…