Arquivo da tag: FestAruanda

FELIZ ARUANDA NOVO !

  
Eis o criativo cartão de BOAS FESTAS que recebemos do atencioso agitador cultural e documentarista BERTRAND LIRA, tendo como “modelo’ o sapeca JUAN, que durante o concorrido festival paraibano formava – com a bela maninha Maria Olívia e o primo Gabriel – o Trio ARUANDINHA.
 
Juan e Maria Olívia são filhos do casal Lúcio Villar, idealizador e coordenador-geral do Festival ARUANDA de Documentários, que já virou tradição dos dezembros culturais em João Pessoa, cresce a cada ano e se consolida como um dos mais importantes do país.
 
O cartão é uma grata surpresa, que divido com você, leitor amigo, torcendo pra que, na próxima edição, o Trio ARUANDINHA faça as entregas dos troféus aos vencedores da Mostra ARUANDINHA – sessões de filmes infantis que acompanham a programação oficial do FestARUANDA.
 
E nós fazemos coro: FELIZ 2011 e um Novo Ano de muito CINEMA BRASILEIRO ! 
 
 

Aruanda Começa dia 10

      

fest_aruanda

Programção do concorrido festival paraibano terá 48 filmes para concorrer em quatro categorias: ficção, documentário, experimental e animação. O evento é promovido pelo Núcleo de Estudos, Pesquisa e Produção Audiovisual (Neppau), da UFPB.

“A produção aumentou significativamente e credito isso à facilidade de acesso às novas mídias, ao barateamento dos equipamentos e à criação de novos cursos de audiovisual em todo o país”, diz documentarista Bertrand Lira, coordenador do Neppau, do departamento de Mídias Digitais, responsável pelo festival.

O sexto Festival Aruanda do Audiovisual Universitário Brasileiro foi criado com o objetivo de fomentar, reconhecer e contemplar os novos talentos e futuros profissionais da área do audiovisual no circuito estadual, regional e nacional. O FestAruanda também coloca João Pessoa em destaque no circuito do cinema nacional. O festival tem patrocínio do MinC, BNB, Caixa Econômica Federal e Fundo Municipal de Cultura.

OS SELECIONADOS

Ficção:

“Los minutos, lãs horas”, de Janaina Marques Ribeiro (CE)
“Aviário”, de Daniel Favaretto (SP)
“Feliz aniversário”, de Fábio Souza (RJ)
“A distração de Ivan”, de Cavi Borges e Gustavo Mello (RJ)
“Cheirosa”, de Carlos Segundo (MG)
“Um par a outro”, de Cecília Engels (SP)
“O tempo das coisas”, de Jacqueline M. Souza e Marcos Flávio Hinke (PR)
“Bode Movie”, de Taciano Valério (PE)
“Senhoras”, Adriana Vasconcelos (DF)
“Operação Mamãe”, Marise Farias (RJ)
“Rua Mão Única”, André Gevaerd (SP)
“Feijão com arroz”, Daniela Marinho (DF)
“Vela ao crucificado”, Frederico Machado (MA)
“3.33”, de Sabrina Greve (SP)
“Nego fugidio”, de Cláudio Marques (BA)
“Semeador urbano”, de Cardes Amâncio (MG)
“Eu não sei andar de bicicleta”, de Diego Florentino (PR)
“Ensaio de cinema”, Allan Ribeiro (RJ)
“Um par”, de Lara Lima (SP)
“Made in Taiwan”, de Daniel Araújo (PB)
“Direita”, de Marcelo Quixaba Gonçalves (PB)
“Desassossego”, de Marco di Aurélio (PB)

Documentário

“Lapidar o bruto”, de Natália Queiroz (SP)
“É muita areia pro meu caminhãozinho”, de Ana Paula Guimarães e Eduvier Fuentes Fernández (SP)
“Último retrato”, de Abelardo de Carvalho (RJ)
“O som do tempo”, de Petrus Cariry (CE)
“O Divino”, de repente, de Fábio Yamaji (SP)
“Família Vidal”, de Diego Benevides (PB)
“Iolovitch: o azul de Brasília”, de Adriana de Andrade (DF)
“Contracorrente”, de Ismael Farias, Leandro Cunha e Paulo Roberto (PB)
“Menino artífice , de Ana Célia Gomes (PB)
“Retratos”, de Leo Tabosa e Rafael Negrão (PE)
“Oscar 07/02”, de João Krefer (PR)
“A minha amiga: um breve relato sobre nós”, de André Costa (PB)

Experimental

“1:21”, Adriana Câmara (PE)
“Nem dia, nem noite”, Roderick Steel (SP)
“Reciclando formas: a arte de Ana Christina”, de Laurita Caudas e Elisa Cabral (PB)
“Sintonize-se”, de Jonathas Falcão (PB)
“Bokeh”, de Breno César (PE)
“Relativamente inconsciente”, de Claudinei Foganholi (SP)
“Súbito”, de Breno César (PE)

Animação

“Quando as cores somem”, de Luciano Lagares (SP)
“Ser humano”, de Fernando Pinheiro (MG)
“O acaso e a borboleta”, de Tiago Américo e Fernanda Correa (PR)
“Bailarino e o bonde”, de Rogério Nunes (SP)
“O ciclo”, de Maurício Ramos Marques (PR)
“O retorno de Saturno”, de Lisandro Santos (RS)
“Uma estrela no quintal”, de Danielle Divardin (SP)