Arquivo da tag: festival ComuniCurtas

Espaço de Arte: território de Afeto, Cinema e algo mais em Curitiba

Visita ao aconchegante Espaço de Arte, criado e coordenado por Cássia Hauari na capital paranaense, é obrigatória…

Estive em Curitiba final de maio por conta do Festival OLHAR DE CINEMA, que, em sua primeira edição, já chegou marcando presença e dizendo que veio para ficar.

Foram dias ótimos na capital paranaense, cercada de amigos queridos, vendo bons filmes, saboreando deliciosos pratos e conversando muito sobre Cinema. Que, sendo a Sétima Arte, traz todas as outras.

Curitiba tem uma arquitetura impressionantemente bela, ruas bem cuidadas e uma aura de paz que permeou toda nosssa estada por lá. E como chove na capital paranaense ! Não ficamos um dia por lá sem que a chuva deixasse de cair, farta e constante. Falo no final de maio, início de junho. Também lá já estive, em épocas de verão, e o calor reina absoluto.

Pois foi lá nesta cidade querida onde reencontrei minha amiga Sandra Zawadzki, artista plástica e cineasta, que nos acolheu (ao lado de seu companheiro, o cineasta Mello Viana) com braços e coração abertos, tornando a estada em Curitiba muito mais agradável. E inesquecível.

Foi Sandra Zawadzki quem nos apresentou outra artista curitibana, a incrível Cássia Hauari, misto de deliceza, sensibilidade, hospitalidade e simpatia que cativam à primeira vista.

Aurora, André Costa e Sandra Zawadzki: encontro feliz na noite curitibana…

Sandra e Cássia são irmãs de alma, inspiradas artífices do melhor tom e da mais fina harmonia, buscando a beleza das pequenas coisas; afetivas em gestos triviais; doces e envolventes, sem fazer esforço algum.

Solícitas, foram amigas e anfitriãs do mais alto quilate. Levaram-nos para um excepcional point da noite curitibana – o restô espanhol  Pata Negra -, onde jantamos pratos deliciosos e refinados, como o salmão ao molho de manga e arroz de castanhas e amêndoas que eu pedi – ai, delícia, assim eles me matam !

E na segunda foi a vez de nos convidarem a conhecer o Espaço de Arte, depositário de todos os sonhos e concretudes artísticas de Cássia Hauari, um lugar delicadamente belo, sensivelmente artístico e afetuosamente magnético.

Ali, eu, André Costa, e nossas amigas Fabíola Rodrigues e Fabiana Silveira, passamos uma inesquecível segunda-feira, debaixo de uma chuva torrencial, mas nem ela tornou frio aquele dia pleno de carinho, arte, cultura e valiosa troca de saberes.

No ESPAÇO DE ARTE, há lugar e boa vontade pra acolher toda forma de Arte, qualquer forma de expressão artística.

Cássia Hauari faz Especialização em Arte-Educação, mas de uns anos pra cá, é fascinada por Cinema. Conta isso com um brilho contagiante nos olhos. O sonho maior que ela acalenta agora é levar o cinema pra dentro de seu Espaço de Arte, onde já há uma sala bacana e bem equipada. As cadeiras são de um antigo cinema de Curitiba. Ela só queria assim. E foi atrás num antiquário até descolar as históricas cadeiras para seu Espaço.

Indormida, Cássia aproveitou a realização do Festival OLHAR DE CINEMA e participou de oficinas e do Seminário de Cinema Contemporâneo. Ficou encantada com as aulas do professor Hernani Heffner e conseguiu levar uma porção de amigos a fazer o curso junto com ela. E foi lá, num dos debates do festival, que Cássia conheceu o jovem cineasta/ator/produtor e professor da UEPB, André da Costa Pinto, e encantou-se com as palavras do diretor.

Sei bem o que é isso e o quanto a fala de André tocou Cássia. Eu também fui tocada de imediato pela força, ousadia e destemor deste guri paraibano quando o conheci em São Luís, há alguns anos, numa edição do Festival Guarnicê de Cinema, comandado por Euclides Moreira Neto.

André da Costa Pinto é assim: um vulcão derramando ideias, sensibildiade, ousadia e afetividade por todos os poros. Impossível não se contaminar.

E foi por isso que aconteceu nossa ida ao ESPAÇO DE ARTE. Cássia Hauari encantou-se com André e seu inventivo e prolífico festival de cinema, o COMUNICURTAS, que a UEPB realiza desde o início, e chega este ano à sétima edição. Cássia ficou tão empolgada com as histórias de André da Costa Pinto que já agendou visita à UEPB pro início de julho: quer conhecer de perto a Reitora Marlene Alves (que vem realizando um trabalho importante, pioneiro, e fundamental em defesa da Educação e da Cultura em Campina Grande) e entender melhor como André consegue realizar o festival em Campina e mobilizar tanta gente, seja da cidade, da Paraíba, ou dos quatro cantos do país.

Porque Cássia Hauari também pretende fazer um festival de cinema e quer que ele seja tão imponente, pulsante e aglutinador como o ComuniCurtas idealizado por André.

Por isso, levou André para conhecer seu espaço e conversar com seus parceiros de jornada e de ideias sobre a experiência dele em Campina Grande.

Este AURORA DE CINEMA acompanhou tudo de perto e pode garantir que, nasceu ali, naquele dia chuvoso em Curitiba, tendo como cenário o ESPAÇO DE ARTE, uma vigorosa semente audiovisual. Daquele Encontro, artístico, afetuoso e eloquente, comandado por Cássia Hauari, vai germinar o benfazejo fruto de uma nova aurora cinematográfica.

E como se não bastasse toda a alegria e os fluidos mágicos proporcionados por este encontro, no qual Sandra Zawadzki tem contribuição relevante, Cássia ainda nos brindou com um inigualável almoço nas dependências de seu convidativo ESPAÇO DE ARTE. Detalhe: o cardápio, de extremo bom gosto, foi todo elaborado pela própria Cássia, bem como a decoração do ambiente. Há ainda que citar, em negrito, a competência de seu corpo funcional, onde se destaca sua filha Thaíse Hauari, sendo o lugar comum inevitável: a garota é bela, simpática e tão boa anfitriã quanto a mãe -, responsável por um plantel de refinadas sobremesas.

Cássia e Thaíse Hauari: unidas pela Arte, sintonizadas pela afetividade…

Afe ! Foi pra lá de Demais esta visita ao ESPAÇO DE ARTE Cássia Hauari.

Deliciosa e inconfundível sobremesa de banana by Thaíse Hauari: manjar dos deuses…

E olhe que os gentis funcionários ainda nos brindaram com a sonoridade irretocável de  Tim Maia, Jorge Ben Jor e HERBERT VIANNA… não queriam que eu saísse de lá… Benza Deus !

A Cássia Hauari e sua Thaíse, e a nossa estimada Sandra Zawadzki, toda a nossa gratidão e apreço, com um comovido PARABÉNS pelo muito que vem investindo em Arte & Cultura, e pela certeza de que muito ainda farão.

E o desejo AURORA DE CINEMA de que o ESPAÇO DE ARTE prossiga sua trajetória de êxito e possa alargar seu raio de ação, firmando-se também como um espaço de Cinema, para o cinema, pelo Cinema e com o Cinema.

SARAVÁ !!!

Intensidade e ALEGRIA, As Marcas do ComuniCurtas

ARRASTÃO COMUNICURTAS

 Sob a batuta de ANDRÉ COSTA, muito em breve, Festival será o mais concorrido do Norte e Nordeste

Acompanho de perto, há alguns anos, a realização do Festival Audiovisual ComuniCurtas, anualmente realizado na agradável Rainha da Borborema -como é carinhosamente conhecida a cidade paraibana – pela Universidade Estadual de Campina Grande (UEPB), tendo como maestro o encantador André da Costa Pinto.

Há sempre muito o que dizer, de bom, sobre o festival. E lembro que, assim como a história do nascimento do festival e a maneira com que André o conduz me fizeram aderir à idéia do ComuniCurtas de imediato, foi assim também com minha querida amigatriz Arly Arnaud, com Bete Mendes e Beth Formaggini, e com a jornalista Maria do Rosário Caetano, que lá esteve na edição passada.

 Mas o tempo é ouro e tenho pouco dele agora para escanear a memória inteira e sair contando de tudo um pouquinho… Vale a intenção de fazê-lo mas, por enquanto, registro os aspectos mais palpitantes.

   

Vejamos os pontos que mais se destacaram nesta sexta edição COMUNICURTAS:

A presença de Ingra Liberato e Elke Maravilha: as duas divas de nossa constelação artística causaram burburinho na cidade e contribuíram para o considerável aumento de público nas sessões.

Ana Célia, a doçura do Receptivo, a esfuziante ELKE e a atriz Arly Arnaud: QUERIDAS !

A quantidade e diversidade de filmes produzidos em diversas cidades paraibanas, sobretudo na própria Campina Grande.

A inclusão de uma Mostra de Cinema Argentino, que teve em seus idealizadores – Judith e Martin Ibarra – duas presenças inteligente e simpaticamente marcantes.

Curtas que apostaram na despretensão – como O Quinto Beatle, “Pedro Perilima”, Explícito, Estrelando José Sawlo, Cinema Americano, e Salete Cobra levaram a platéia às gargalhadas, destacando-se ainda A Fábrica de Gravatas, do inventivamente original Eric Medeiros.

A presença de nomes relevantes da cena cultural gaúcha e paulista, representadas por Gilberto Perin, Marcus Mello, Marcus Reolon, Felipe Matzembacher, e Luciana Androsina na composição de uma das comissões julgadoras, que tiveram ainda a presença já conhecida de Itamar Borges (Goiânia) e Luís Borges (responsável pelo Festival de Cuiabá).

Ressalte-se também a presença iluminada e iluminadora do gentleman Fábio Takahashi, idealizador da Mostra da Diversidade Sexual, que acontece todo ano em Rio Preto (SP).

A presença da atriz Eloína Ferreira Duvoisin, carinhosamente chamada de Dona Nina, impressionante destaque no filme A Fábrica, dirigido com a já conhecida competência do realizador curitibano Aly Muritiba.

A fala de saudação do Pró-Reitor de Planejamento da UEPB, professor Rangel Jr., enfatizando o apoio da UEPB ao festival e apontando para a criação de novos campi da Universidade, num dos quais irá funcionar o curso superior de Cinema.

A participação do artista Bruno Oliveira com sua hilária Chica Timbó, presença sempre benfazeja no ComuniCurtas.

Antes do show de VAL DONATO, Bruno (Timbó) Oliveira e Aurora Miranda Leão

As atrações noturnas no bar Opção – onde Val Donato reafirmou sua enorme vocação para o CANTO, esbanjando uma voz bela e poderosa, dominando as atenções da noite -, e no despachado ‘Tenebra” (o disputado bar Poco Loco), onde Elke Maravilha distribuiu simpatias na noite de terça e onde faltou espaço nas noites de sexta e sábado. Uma irreverência bem ao gosto dos descolados ! Aliás, sem uma noite no Tenebra, Campina Grande não tem a menor graça…

Na porta do Cine São José, fechado por falta de compromisso político sério com a atividade cultural: André Costa e Aurora Miranda Leão no movimento que reuniu inúmeros realizadores e imprensa na manhã sabatina do ComuniCurtas

Esta redatora entre as belas Thaíse Carvalho e Táyra Sódi no camarim do Teatro do SESC Campina Grande…

A singularidade das apresentadoras Thaise Carvalho e Táyra Sódi, a compenetrada e a ‘atrapalhada’, uma dupla cativante que André faz muito bem em manter no posto, desde a primeira edição. As duas meninas são um número à parte no festival, ambas inteiramente dedicadas ao que fazem.

A manhã de sábado em frente ao histórico prédio do Cine São José, retomando uma luta que André da Costa Pinto vem mantendo há anos (com sua aguerrida turma de seguidores) em defesa do privilegiado espaço para a Sétima Arte, situado no coração de Campina.

Foi uma manhã de apitos (doados por André), buzinaço, palavras de ordem e muitas emoções, irmanadas na defesa de uma sala de exibição digna. De Dona Nina (a atriz Heloína Duvoisin) a Fábio Takahashi, passando por Marcus Mello, Marcus Villar e Luciana Druzina, e chegando até a linda garotinha do exímio fotógrafo João Carlos Beltrão, juntamos muitas vozes em prol do Cinema !

 

A solenidade de encerramento conduzida por uma competente banda musical, que acompanhava, sempre fazendo um som diferente, toda a leitura da lista de vencedores, dando à noite um ar chic e original – bom demais !

A subida ao palco de toda a voluntária equipe que trabalha sob a batuta de André da Costa Pinto (cerca de 60 pessoas) e contribui para a beleza e competência do ComuniCurtas.

A presença simpática, desprendida, sem luxo nem aparato da professora Marlene Alves, Reitora da Universidade Estadual da Paraíba, de discurso singelo mas profundamente sintonizado com as coisas que dizem respeito à Cultura: Marlene ressaltou a importância do ComuniCurtas, garantiu a continuidade do Festival em 2012, saudou a todos os convidados, imprensa e participantes, e demonstrou imenso apreço e admiração pelo que André Costa vem fazendo em termos de Teatro-TV e Cinema na Paraíba, saudando-o como um novo Glauber Rocha !  De quebra, ainda pediu licença à mãe do querido produtor para dividir com ela a admiração pelo filho.

Naquele momento, Marlene Alves falou por todas nós que tanto admiramos, apoiamos e vibramos com as realizações de André da Costa Pinto, e queremos vê-lo indo muito mais longe, porque é muito extensa, complexa e profunda a trajetória do garoto que começou Revelando os Brasis e criou uma janela enorme para revelar, incentivar, fomentar e incrementar, ainda mais, a produção artística e audiovisual do país, contribuindo sobremodo para o surgimento e valorização de artífices culturais, os quais, sem sua visão multifária, dificilmente conseguiriam espaço qualificado para a exibição de suas obras.

Para encerrar, só deixar um muito obrigada pela possibilidade de fazer parte da família ComuniCurtas, um beijo muito caloroso pra André Costa, uma salva de palmas pra Reitoria/Decom/Proex da UEPB, um afetuoso abraço em toda a equipe realizadora, e em todos os realizadores, jurados e convidados que este ano fizeram do ComuniCurtas uma saudade muito viva em fotos e emoções. Até 2012 !

Na recepção do hotel, em tempo de despedida, Paulo Roberto, Marcel Karling, Luciana Druzina, André Costa, Aurora Miranda Leão e Kennel Rógis

André, Aurora e Kate em foto de Carol Torquato Ledo… ComuniCurtas é uma curtição !

INGRA LIBERATO Abre Hoje mais um ComuniCurtas

Atriz INGRA LIBERATO estará hoje em Campina Grande para lançar curta cearense RESTA UM, que vai abrir Festival COMUNICURTAS


Em atuação cheia de erotismo e espontaneidade, INGRA LIBERATO faz homenagem à musa HELENA IGNÊZ…

 
Hoje a noite é de festa e Cinema em Campina Grande. Ali, a atriz baiana INGRA LIBERATO desembarca hoje para promover o lançamento do filme RESTA UM, da jornalista e atriz cearense Aurora Miranda Leão, no qual ela encabeça elenco que tem ainda Rosamaria Murtinho, Sílvio Tendler, Samuel Reginatto, Miguel Jorge, Bruno Safadi, Henrique Dantas e Júlio Léllis.

 
“A presença de Ingra é aguardada com bastante expectativa e, sem dúvida, é um diferencial importante no ComuniCurtas deste ano”, diz o cineasta paraibano André da Costa Pinto, idealizador e coordenador-geral do Festival ComuniCurtas de Cinema e Vídeo, que acontece anualmente em Campina Grande e hoje é considerado um dos mais importantes festivais de curta-metragem do país.
 
A edição deste ano começa nesta segunda e prossegue até 3 de setembro, nas dependências do SESC e da UEPB.
 
Segunda-feira (29/08)
19h: Cerimônia de Abertura no SESC Centro
Homenagem aos cineastas Marcus Vilar e Torquato Joel
Entrega do Prêmio Machado Bitencourt de Contribuição ao Cinema Paraibano
 
19:30h – exibição do curta-metragem RESTA UM da jornalista/documentarista cearense Aurora Miranda Leão, tendo INGRA LIBERATO como protagonista.

Este ano, foram mais de 600 trabalhos inscritos, sendo 80 selecionados nas categorias de Ficção, Documentário, Experimental e Animação.

Composto por debates, oficinas, mostras especiais e competitivas, o Comunicurtas apresentará os debates no período da manhã, no Departamento de Comunicação Social da UEPB. Público, produtores e idealizadores vão discutir produções exibidas na noite anterior.

As oficinas – entre elas uma de Antônio Leal e outra de Beth Formaggini – acontecem todas as tardes, também no Departamento de Comunicação. As mostras especiais, como a de produções argentinas e a infantil acontecem pela manhã, no Sesc-Centro. 

O FILME 

A cerimônia de abertura terá início às 19h, no Cine Teatro do Sesc-Centro, com a exibição de Resta Um, curta-metragem da jornalista/atriz/cineasta e produtora cultural cearense Aurora Miranda Leão, estrelado por Ingra Liberato, que estará presente à sessão.  

RESTA UM traz no elenco também a atriz Rosamaria Murtinho, o ator Samuel Reginatto, o escritor Miguel Jorge e os cineastas Sílvio Tendler, Bruno Safadi, Henrique Dantas, Alex Moletta e Júlio Léllis.

Com referências explícitas à produção Belair, o filme experimental mistura estéticas e homenageia o cineasta JÚLIO BRESSANE, pilar da produtora carioca que, nos anos de 1970, conseguiu realizar 7 longas-metragens em apenas 3 meses. Além disso, o roteiro de RESTA UM, conduzido por instigante depoimento do cineasta Sílvio Tendler, assume a inspiração BELAIR e faz citações exponenciais aos trabalhos de cineastas como Zeca Ferreira, Gui Castor, Zeca Brito e André da Costa Pinto. 

Filme Amanda & Monick é uma das citações do curta RESTA UM

RESTA UM é mais uma realização Aurora de Cinema em parceria com a Cabeça de Cuia Filmes, da fotógrafa Lília Moema. 

O FESTIVAL

Nesta edição, o festival homenageará os curta-metragistas paraibanos Marcus Vilar e Torquato Joel, que receberão o Prêmio Machado Bittencourt pela contribuição ao Cinema paraibano.

Além da dupla, o Comunicurtas ainda prestará uma homenagem ao cineasta e roteirista Hilton Lacerda pelo conjunto de sua obra.

Objetivando promover a “socialização da cultura cinematográfica local”, todas as atividades oferecidas pelo Festival são gratuitas, com exceção das oficinas, para as quais pede-se a entrega de brinquedos para doação, no ato de inscrição.
www.comunicurtas.com.br 

Sílvio Tendler ganha Mostra no RIO

 Isa Albuquerque, diretora do longa Ouro Negro e do Festival Ibero-Americano de Cinema, maranhense radicada no Rio, está à frente da mostra O Documentário Segundo Silvio Tendler, que será realizada entre os dias 31 deste e 4 de setembro, no Centro Cultural da Justiça Federal, no Rio. 

A mostra reunirá seis filmes do cineasta, entre longas e médias-metragens, que retratam aspectos da política brasileira nos últimos 30 anos: Utopia e Barbárie; Encontro com Milton Santos; Glauber, o filme – Labirinto do Brasil: Marighella – Retrato Falado do Brasil; Josué de Castro; e Jango

O cineasta Silvio Tendler

“A Isa Albuquerque é apaixonada pelo meu trabalho e ela transformou essa paixão em uma mostra de filmes. Achei isso muito legal”, disse Silvio, que é detentor das três maiores bilheterias de documentários na história do cinema brasileiro: O Mundo Mágico dos Trapalhões (1,8 milhões), Jango (1 milhão) e Anos JK (800 mil). 

Sílvio Tendler em foto de Aurora Miranda Leão, junho 2010

* Em tempo: o cineasta SÍLVIO TENDLER conduz os depoimentos do filme RESTA UM, que será lançado nesta segunda no Festival COMUNICURTAS, em Campina Grande. 

Filme de Júlio Léllis será lançado no ComuniCurtas

 
 

Depois de selecionado para o festival de TRIBECA, cuja curadoria é de Robert Redford e Fernando Meirelles, o longa MEA CULPA, primeira ficção do cineasta mineiro JÚLIO LÉLLIS, chega ao Brasil e terá seu lançamento oficial no Festival Comunicurtas, festival comandado pelo aguerrido cineasta André da Costa Pinto, e que será aberto dia 29 de agosto em Campina Grande.

Mariana Terra e Daniel Del Sarto também estão no elenco de MEA CULPA..
 
A sinopse diz: Matriarca de uma família sofre um pequeno acidente que a faz relembrar um grande trauma que mudou a sua vida e de suas filhas. Ela recorre a uma psicóloga que acaba envolvida de forma singular na história. Baseado em fatos reais. O filme foi produzido sem nenhuma espécie de patrocínio. Seleção oficial do 9th Cine Fest Brazil-New York.
 
Direção: Julio Lellis
roteiro e edição: André Damin
diretor de fotografia; Pedro Maia
diretor de arte: Raphael Moura e Christina Saboia
trilha sonora: Breno Pessurno
Produção: Sinos Filmes
 
ELKE faz participação especial no filme de Julinho Léllis
 
Elenco:
Daniel Del Sarto, Silvia Stutz, Mariana Terra, Mitzi Evelyn, Miro Marques, Breno Pessurno, Nádia Figueiredo, Lúcia Paiva, Antônio Mattos, Vanessa Amorim, Thay Lellis
 
Participação especial: Elke Maravilha e Cristina Prochaska

Mergulho no Mundo do Cinema

Caso você seja daqueles interessados em cinema, a recomendação do momento é ler Ensaios de Cinema, mais recente livro do crítico LG de Miranda Leão, jornalista com mais de 50 na estrada, com passagens por todos os grandes jornais de Fortaleza – Correio do Ceará, Unitário, Gazeta de Notícias –, ex-alunos dos mestres da Linguística e da Gramática – Aurélio Buarque de Hollanda, Rocha Lima, Paulo Rónai e Antônio Houaiss -, e colaborador do Diário do Nordeste há mais de duas décadas.

Ensaios de Cinema teve concorrido lançamento no Centro Cultural Oboé, ocasião na qual foi exibido o curta LG – Cidadão de Cinema, homenagem do cineasta capixaba Gui Castor ao profícuo ensaísta (o curta tem 15 minutos e é uma produção Ceará-Espírito Santo, com roteiro assinado pela filha do homenageado, jornalista Aurora Miranda Leão), e vem tendo prestigiados lançamentos em vários festivais de cinema pelo país – a exemplo do Festival Nacional de Cinema de Goiânia, Festival Aruanda de Documentários e Festival de Cinema de Anápolis. E já tem agendadas noites de autógrafos nos festivais de Patos (Cinema com Farinha), Campina Grande (ComuniCurtas), Taquaritinga do Norte (Curta Taquary), Festival de Cinema de Araxá (MG), e VII Curta Canoa (em Canoa Quebrada).

Ensaios de Cinema é mais um produto cultural lançado com o aval do programa Cultura da Gente – linha de ação do Banco do Nordeste que apóia a produção e lançamento de obras artísticas e culturais de seus funcionários aposentados (cuja responsável é a eficiente Rosana Virgínia). LG é um destes. Dedicou mais de 30 anos de trabalho ao BNB e foi lá, por exemplo, onde conheceu o aplaudido cineasta Walter Hugo Khoury, na década de 1970.

Khoury tinha vindo a Fortaleza a convite do BNB para realizar algumas peças publicitárias para a instituição. Ainda no avião, deparou-se com uma página do jornal Diário do Nordeste, onde alguns críticos da cidade apontavam seus filmes preferidos do ano anterior. LG era um desses e o único a indicar dois filmes de Khoury como alguns dos Melhores.  Logo ao chegar ao Banco do Nordeste, o cineasta paulista então perguntou ao fotógrafo da instituição, José Alves, se alguém ali conhecia aquele crítico. E qual não foi sua surpresa ao descobrir que LG trabalhava ali mesmo, como assessora do Gabinete da Presidência.

O encontro de LG e Khoury, crítico e cineasta, foi como o encontro de dois amigos de infância. E culminou com uma amizade que durou até o fim da vida de Walter Hugo Khoury, em 2003.
Os desdobramentos deste feliz encontro é um dos temas do livro Ensaios de Cinema, onde o leitor também pode ficar sabendo mais e melhor sobre a cinematografia de nomes emblemáticos como Orson Welles, Stanley Kubrick, Ingmar Bergman, François Truffaut, Federico Fellini e Michelangelo Antonioni, e ainda sobre a relevância do Cinema Europeu, Sueco e Alemão, e as dimensões dos filmes de guerra e dos filmes B, por exemplo.

O genial STANLEY KUBRICK tem sua filmografia dissecada pela pena do Mestre LG

Conhecido nas lides cinematográficas por seu profícuo exercício da crítica, o mais recente livro de LG – Ensaios de Cinema – tem prefácio com a assinatura do renomado crítico Rubens Ewald Filho, único jornalista brasileiro a cobrir, in loco, a badalada entrega do Oscar: “Tivemos o prazer de editar pela Coleção Aplauso da Imprensa Oficial uma seleção de seus textos. Mas que são apenas uma pequena representação do que ele escreveu nesta última década. Agora temos mais de seus escritos, maior e melhor. Neste livro, todos os textos referem-se a filmes, cineastas ou cinematografias especiais (como cinema alemão, sueco, americano) e há outra coisa que eu admiro, seu rigor. L.G. não  escreve sem ter visto pelo menos três vezes o filme ou a obra a qual se reporta.Antes de tudo, é um livro para mergulhar de cabeça e alma, coração aberto e olhos cheios de imagem”. 

Orson Welles é um dos cineastas analisados pelo crítico LG Miranda Leão

Enquanto da jornalista Neusa Barbosa (biógrafa de Woody Allen e editora do CineWEB), o crítico LG ganhou as seguintes palavras: 

É de admirar que um profissional da crítica mantenha intocado seu fôlego intelectual tantas décadas num mister assim polêmico, não raro ingrato e carregado de incompreensões. Afinal, alguns desavisados costumam confundir os críticos com infalíveis juízes do bom gosto e alguns entre estes, os mais vaidosos, aceitam assim ser considerados. Não é o caso de Miranda Leão que, embora mestre, ensina nas entrelinhas de seus iluminados comentários com a sutileza que cabe aos dotados da melhor sabedoria, amparado numa pedagogia que vem da enorme intimidade com o assunto que comenta.{…} Mestre em literatura de língua inglesa e portuguesa, Miranda Leão domina a língua com uma fina expressão, construindo frases certeiras que, embora se alonguem num estilo precioso, cultivado em épocas mais eruditas do que esta apressada nossa, sempre sabem onde querem chegar. Suas palavras acertam sempre no alvo, construindo análises e conceitos capazes de enriquecer o universo de seus leitores”. 

SERVIÇO

Livro ENSAIOS DE CINEMA

Editado pelo Banco do Nordeste do Brasil

(programa Cultura da Gente)

280 páginas, sugestão de preço: R$ 25,00 

ONDE ENCONTRAR

Livraria Oboé (Center Um)

Livraria CULTURA (www.livrariacultura.com.br)

Livraria Lua Nova (Benfica)

Locadora Distrivídeo 

Mais informações: 9103.0556 (Aurora)

Alguns Festivais, Muitos Amigos …

Cada festival de cinema é um momento de celebração especial. Cada um tem sua personalidade e em cada um encontramos motivos  para angariar momentos inesquecíveis, pois – como dizia nosso adorável VININHA -, “A Vida é a Arte do Encontro”… 

Portanto, vamos relembrar festivais de 2008, 2009, 2010…

Zanella, Aurora e Bernardo em Ribeirão Pires...

Aurora e André Costa agitam noite do Comunicurtas

Julinho Science, Aurora, Marão e Zeca Brito

 

Zeca Ferreira e Aurora na animação de Jeri

 

Carlos Segundo curtindo no Festival de Jeri

Filipe Wenceslau, Valério Fonseca e Zeca Ferreira: amigos queridos

Jornalistas em Jeri: Síria Mapurunga e Aurora Miranda Leão

Animação em JERI

Filipe, Zeca, Aurora, Valério, Síria e Lucas Harry

 Rosamaria Murtinho, Alice Gonzaga e Aurora

Ney Latorraca, Aurora e Luiz Carlos Lacerda

Leona Cavalli, Aurora, Fafy Siqueira e Teca Pereira

Porque a Vida é Quase Filme…

André Costa, Alexandre Soares, Aurora M. Leão e Zeca Brito: curtição no embalo do ComuniCurtas

 

Aurora Miranda Leão e Zeca Brito: só ALEGRIA em Campina Grande...

ComuniCurtas Movimentou Campina Grande

Público chegando para as sessões sempre lotadas no cine-teatro SESC Campina Grande
 
Cineasta André da Costa Pinto apresenta mais uma edição do festival idealizado por ele
 
 
foto

 João Carlos Beltrão, fotógrafo homenageado desta edição, ao lado da graciosa filha

foto
Rafael Trindade, o capixaba que conquistou a todos com simpatia e inteligência
foto
As sorridentes apresentadoras no palco do cine-teatro do SESC …
foto
Aurora Miranda Leão, integrante do júri da Mostra Tropeiros da Borborema
foto
O animador carioca Marão apresenta seu curta, o premiado “Eu quero ser um Monstro”
 
foto
 
 Rômulo Azevedo e jornalista Maria do Rosário Caetano, que integrou o júri e lançou seu livro Cangaço – O Nordestern no Cinema Brasileiro
foto
Como em todas as noites, cinema brasileiro teve público garantido no Comunicurtas
Aurora Miranda Leão, Arly Arnaud, Bertrand Lyra e Maria do Rosário Caetano
foto
Agitadas noites do TENEBRA, onde Rosário Caetano encontrou melhor caldo de peixe da cidade
A inesquecível e animadíssima noite na cachaçaria: forró e MPB até a madruga …
Júlio Science, Aurora, Marão e Zeca Brito na curtição

Inscrições ComuniCurtas 5

As inscrições às Mostras Competitivas do ComuniCurtas, o Festival Audiovisual de Campina Grande – PB, prosseguem até 5 de junho. Regulamento e ficha de inscrição em www.comunicurtas.com.br.

Dentre as Mostras, competitiva Tropeiros da Borborema: serão aceitos vídeos produzidos por realizadores naturalizados paraibanos, filmes rodados na Paraíba de até 20 minutos. Mostra Competitiva Brasil para trabalhos de até 20 minutos produzidos em qualquer estado do país. Mostra Competitiva Estalo: Para trabalhos de até um minuto de duração produzidos por realizadores naturalizados paraibanos.

Mostra Competitiva A idéia é… : aberta a todos os profissionais, estudantes e agências publicitárias da Paraíba. Mostra Competitiva Tropeiros do Telejornalismo: serão aceitas tele-reportagens com até 5 minutos de duração, abordando qualquer conteúdo.
Idealizado pelo jovem cineasta André Costa, o ComuniCurtas incentiva produções cinematográficas regionais e nacionais, bem como as produções televisivas e de agências de publicidade e propaganda do Estado da Paraíba. Todas as produções participantes das Mostras Competitivas concorrem ao Prêmio Machado Bittencourt

O Festival, em sua quinta edição, homenageia o diretor de fotografia paraibano, João Carlos Beltrão, grande referência para a nova geração de cineastas paraibanos. João receberá o prêmio Machado Bittencourt em reconhecimento a sua obra e pela contribuição que tem dado ao audiovisual no Estado.

Este ano, o ComuniCurtas acontece de 23 a 27 de agosto. O Festival é uma realização UEPB – DECOM – CCSA e conta com o apoio do Moinho de Cinema da PB e do SESC – Centro.