Arquivo da tag: festival de Cannes

Festivais com inscrições abertas

Para a 52ª Semana da Crítica do Festival de Cannes, cujo objetivo é descobrir novos talentos. Desde que foi criada, em 1962, apresenta os primeiros e segundos trabalhos de diretores de todo o mundo. Entre os nomes que já passaram pelas mais diversas edições do evento estão Bernardo Bertolucci, Jean Eustache, Otar Iosseliani, Ken Loach e Wong Kar Wai. Entre os brasileiros, a diretora Juliana Rojas – menção honrosa na edição deste ano pelo filme “O Duplo” -; Ricardo Alves Júnior (com o média-metragem “Permanências”, em 2011); Cavi Borges e o curta “A Distração de Ivan”, em 2010; além de “A Via Láctea”, de Lina Chamie (2007); e “A Marvada Carne”, de André Klotzel (1987).

Inscrições www.semainedelacritique.com/inscriptions.php até 22 de março.

6º Los Angeles Brazilian Film Festival – LABRFF 2013, que está programado para acontecer de 24 a 28 de abril, em Los Angeles, na Califórnia.

Inscrições gratuitas para filmes de ficção (longa-metragem), e não ficção (documentários), além de curtas. A programação do LABRFF inclui mostras de competição, paralelas, e mostra tributo. Quinze categorias devem concorrer ao Troféu LABRFF, e os filmes serão avaliados por um júri oficial composto por grandes nomes do cinema internacional.

Podem participar da Seleção Oficial filmes produzidos a partir de 2009, e que não tenham estreado nos Estados Unidos. Entretanto, poderá haver filmes convidados, que participarão apenas das mostras paralelas, sem concorrer ao troféu. A mostra de competição de longas terá a participação de seis filmes, e a de documentários quatro. Já a mostra competitiva de curtas terá 6 filmes concorrendo aos títulos.

Ficha de inscrição e regulamento: www.labrff.com/submissions. Prazo de inscrição termina dia 20 de fevereiro.

Em cinco edições, o LABRFF exibiu mais de 300 títulos e premiou 72 categorias, tendo distribuído prêmios e troféus aos competidores. O LABRFF também realiza seminários, workshops e debates voltados ao fomento da indústria do audiovisual internacional, salientado o papel de incentivador a novas coproduções de filmagens entre o Brasil e os Estados Unidos.

* A 2ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental, evento gratuito não-competitivo, será realizado em São Paulo, de 23 a 30 de maio. Os interessados poderão se inscrever até dia 28 de fevereiro. Serão aceitas obras finalizadas a partir de 2010, sem restrições de gênero, duração ou suporte de captação/finalização, com temáticas ambientais, tais como: energia, água, mudanças climáticas, consumo, povos e lugares, ativismo ambiental, resíduos sólidos, políticas públicas socioambientais, mobilidade, habitação, áreas verdes, áreas urbanas, alimentação, economia verde, globalização, vida selvagem, sustentabilidade, entre outras.

A Mostra é um evento anual que pretende chamar a atenção da população para questões ambientais, de sustentabilidade, cidadania, governança, participação e políticas públicas, e busca contribuir não apenas para a difusão de importantes obras cinematográficas, mas também para o enriquecimento das discussões sobre sustentabilidade e meio ambiente no Brasil.

Informações e inscrições: www.ecofalante.org.br/mostra

Sandy volta ao cinema e vai contracenar com Fagundes

Bem diferente da imagem de moça recatada, título que rejeita, a cantora Sandy aceitou convite para voltar ao cinema — seu último trabalho foi em ‘Acquária’ (2003).

SANDY: longe da imagem de ingênua, cantora vai voltar à telona

E talvez surpreenda vivendo ‘Bruna’, uma personagem que terá muitas facetas, entre elas a de sedutora, no filme Quando Eu Era Vivo, de Marco Dutra (diretor de vários curtas e do filme “Trabalhar Cansa”, em parceria com Juliana Rojas, selecionado para o Festival de Cannes ano passado). “Ela tem um lado sensual bem apurado. Gosta de exercer seu poder de sedução”, diz Sandy.

“Adoro atuar e era um lado meu que estava adormecido. Minha personagem é uma estudante de música, desencanada, que leva tudo na boa e não se envolve demais. Mas ela acaba criando um apego pelo drama do mocinho e o ajuda a decifrar uns códigos”, revela Sandy.

O seduzido da história seria interpretado por Fábio Assunção, mas o ator teve de recusar o convite porque não conseguiu conciliar sua agenda com as filmagens — ele estreia como diretor da peça O Expresso do Pôr do Sol, a partir de 1º de setembro, em Sampa.

Antônio Fagundes também está no elenco do novo filme de Marco Dutra…

No lugar, entrou Marat Descartes, que fará o filho do personagem de Antônio Fagundes. É na casa deles que Bruna aluga um quarto e a história se desenrola. “Me sinto muito honrada em contracenar com o Fagundes. Sempre dá um friozinho na barriga trabalhar com grandes atores”, admite Sandy.

Para viver Bruna, Sandy quer alongar os cabelos…

O diretor Marco Dutra afirma não pretender desconstruir a imagem da cantora: “A personagem lida com loucura, o limite do que é e não é natural. É mais desafiador do que pensar em sensualidade, volúpia. Isso existe, sim, só que é mais uma característica dela”, explica.

Sandy Wallpaper

“Convidei a Sandy porque o roteiro tem relação com música e queria alguém que tivesse esse background para enriquecer a personagem. Então, não demorou para o nome dela vir à minha cabeça”, conta Marco Dutra.

Além de atuar, Sandy cantará no filme, que começa a ser rodado mês que vem, em São Paulo.

Laura Neiva é destaque na Rolling Stones

Jovem atriz fala da admiração por DÉBORA BLOCH e quer encarar papéis mais desafiadores para deixar a fama de “menininha” 

Nas telonas na pele de Gabi, no filme de E aí…Comeu?, uma jovem que compõe um triângulo amoroso com os personagens de Tainá Müller e Bruno Mazzeo, Laura Neiva conversou com a revista Rolling Stone Brasil de julho sobre vida pessoal, carreira e inspirações profissionais, entre elas, a atriz Débora Bloch.

 

Laura e Débora se conheceram nas filmagens do primeiro trabalho da atriz, o filme À Deriva, de Heitor Dhalia, e coincidentemente, descobriram usar o mesmo perfume: Narciso Rodriguez For Her. A experiência ao lado da atriz foi marcante na carreira de Laura, que se derrete em elogios: “Sempre achei ela uma mulher muito bonita, e a relaciono com esse cheiro. Então, quando eu quero ficar bonita, ponho o cheiro da Débora Bloch. É uma grande atriz, uma mulher incrível. As escolhas dela, a postura, acho tudo perfeito”, afirma.

 

Laura Neiva, Vincent Cassel e Débora Bloch no Festival de Cannes…

Aos 18 anos, Laura também é bem seletiva quanto aos projetos que abraça. Em  quatro anos de carreira, além dos dois filmes, participou de dois curtas-metragens e ficou um ano em cartaz em Ligações Perigosas, ao lado de Maria Fernanda Cândido. Agora, ela se sente pronta para novos desafios e anseia por “papéis diferentes, dificuldades novas, não sempre fazer o papel da menininha. Vai ser uma delícia poder experimentar algo novo, como uma personagem bem má, mas com uma maldade muito inteligente”, diz a atriz.

Sobre o romance com o apresentador Felipe Solari, Laura diz que a diferença de idade – 12 anos entre os dois – em nada atrapalha e faz até piada. “Minha mãe tem 34 anos e meu namorado tem 30. Cheguei a pensar que um já poderia ter ficado com o outro”, brinca. “É meu primeiro mais velho. Mas parece menos. Às vezes, eu olho para ele e digo: ‘30 anos, uau’. Ele fica superfeliz”, finaliza.

Corrida pelos KIKITOS revela filmes concorrentes

Festival de Cinema de Gramado vai de 10 a 18 de agosto

Betty Faria será uma das Homenageadas na 40 edição do Festival de Gramado

A organização do Festival de Gramado anuncia os filmes selecionados para sua 40ª edição: 8 longas nacionais e cinco estrangeiros vão disputar os KIKITOS, bem como 14 curtas brasileiros e outros 21 gaúchos em mostra dedicada exclusivamente a essa produção.

Entre os Homenageados, receberão prêmios especiais o cineasta argentino Juan José Campanella (ganhador do Oscar por “O Segredo dos Seus Olhos”), as atrizes Betty Faria e Eva Wilma, e o diretor e jornalista Arnaldo Jabor.

Na competição brasileira, são destaque O Som ao Redor, do pernambucano Kleber Mendonça Filho (vencedor do prêmio da crítica internacional no Festival de Roterdã, na Holanda), e Eu Não Faço a Menor Ideia do que Eu Tô Fazendo com a Minha Vida, segundo filme de Matheus Souza, depois do elogiado “Apenas o Fim”.

Também foram selecionados “Futuro do Pretérito: Tropicalismo Now!” e “Jorge Mautner – O Filho do Holocausto”, documentários que já haviam sido exibidos no circuito de festivais no país. Entre os curtas brasileiros, está O Duplo, de Juliana Rojas, recentemente premiado no Festival de Cannes.

Eva Wilma também vai receber merecida Homenagem em Gramado

“Temos uma variedade estética e narrativa muito grande. É uma seleção que explora as múltiplas possibilidades do cinema nacional e latino”, afirma o jornalista Marcos Santuário, responsável pela curadoria ao lado do crítico Rubens Ewald Filho e do ator José Wilker.

Uma novidade deste ano é a diminuição do valor dos ingressos para o público ter acesso às sessões no Palácio dos Festivais: R$ 20 e R$ 10 para estudantes e idosos.

Gramado prepara 40a edição: 40 anos dando visibilidade ao Cinema Brasileiro…

Confira a lista dos SELECIONADOS ao Festival de Gramado 2012:

Longas-metragens brasileiros
“Super Nada” (SP), de Rubens Rewald
“Insônia” (RS), de Beto Souza
“O que se Move” (SP), de Caetano Gotardo
“Futuro do Pretérito: Tropicalismo Now!” (SP), de Ninho Moraes e Francisco César Filho
“Eu Não Faço a Menor Ideia do que Eu Tô Fazendo com a Minha Vida” (RJ), de Matheus Souza
“O Som ao Redor” (PE), de Kleber Mendonça Filho
“Colegas” (SP), de Marcelo Galvão
“Jorge Mautner – O Filho do Holocausto” (RJ), de Pedro Bial e Heitor D’Alincourt

Longas-metragens latinos
“Artigas, La Redota” (Uruguai), de Cesar Charlone
“Calafate, Zoológicos Humanos” (Chile), de Hans Mülchi Bremer
“Vinci” (Cuba), de Eduardo del Llano Rodríguez
“Leontina” (Chile), de Boris Peters
“Diez Veces Venceremos” (Argentina), de Cristian Jure

Curtas-metragens brasileiros
“#”, de Andre Farkas e Arthur Guttilla (SP)
“A Ballet Dialogue”, de Filipe Matzembacher e Márcio Reolon (RS)
“A Mão que Afaga”, de Gabriela Amaral Almeida (SP)
“A Triste História de Kid-Punhetinha”, de Andradina Azevedo e Dida Andrade (SP)
“Casa Afogada”, de Gilson Vargas (RS)
“Di Melo – O Imorrivel”, de Alan Oliveira e Rubens Pássaro (SP)
“Diário do Não Ver”, de Cristina Maure e Joana Oliveira (MG)
“Dicionário”, de Ricardo Weschenfelder (SP)
“Funeral à Cigana”, de Fernando Honesko (SC)
“Linear”, de Amir Admoni (SP)
“Menino do Cinco”, de Marcelo Matos de Oliveira e Wallace Nogueira (BA)
“Meta”, de Rafael Baliu (SP)
“O Duplo”, de Juliana Rojas (SP)
“Piove, il film Di Pio”, de Thiago Brandimarte Mendonça (SP)

Mostra de curtas gaúchos
“24 Horas com Carolina”
“A Vida da Morte”
“As Irmãs Maniacci”
“Boa Viagem”
“Brisa”
“Casa Afogada”
“Dr Lang e a Ciência da Metalinguagem”
“Elefante na Sala”
“Estrada”
“Fez A Barba E O Choro”
“Garry”
“Ignácio e Saldanha”
“Lobos”
“Noite Um”
“O Beijo Perfeito”
“Paraphilia”
“Quem é Rogério Carlos?”
“Rigor Mórtis”
“Rua dos Aflitos, 70”
“Só isso”
“Todos os Meus Ídolos Estão Mortos”

Arnaldo Jabor: trajetória vitoriosa será alvo de Homenagem em Gramado

Walter Salles: “A Palma de Ouro é como entrar no estádio do Camp Nou para jogar contra o Barcelona”

“Vou de peito aberto, sem esperar nenhum prêmio”, diz WALTER SALLES sobre a disputa pela Palma de Ouro

Na edição de ÉPOCA desta semana, Ruth Aquino conversa com Walter Salles, em Paris, sobre seu último (e polêmico) filme, Na Estrada. A produção concorre à premiação máxima do Festival de Cannes, a cobiçada Palma de Ouro: “Vou de peito aberto, sem esperar nenhum prêmio. Competir em Cannes é como entrar no estádio de Camp Nou, na Espanha, para jogar contra o Barcelona”, diz o cineasta.

 

Para levar o tema às telas, Walter Salles adaptou a história de Pé na Estrada, clássico do poeta Jack Kerouac, que relata uma viagem de travessia dos EUA, feita por dois jovens da geração beat – considerada ícone da contracultura e da transgressão.  Kerouac era um ideólogo da liberdade a todo custo e, por isso, tanto o romance quanto o filme, polemizam por tratarem o sexo de forma aberta e as drogas como um meio para a ampliação dos sentidos e do autoconhecimento. 

Quanto ao que levou o diretor a se tornar cineasta, ele explica que foi o fato de sempre ter se encantado pelas narrativas das estradas, o que são o tema das produções de Central do Brasil, Diários de Motocicleta e agora de Na estrada, todas dirigidas por ele: “O filme que me trouxe para o cinema foi Passageiro: profissão repórter, de Antonioni, com Jack Nicholson no papel de David Locke.”, conta.

Beleza extrema, sensibilidade, educação, inteligência: Walter Salles nasceu merecendo a Palma de Ouro

Outro ponto abordado na entrevista foi o objetivo de se fazer cinema. Usando a máxima do colega de profissão, Manoel de Oliveira, ´A cultura é aquilo que sobra quando todo o resto acabou’, Walter Salles diz: “Não importa como você deixa esse testemunho. (…) O importante é que seja uma tradução de sua inquietação.”

Filmes brasileiros ganham destaque na China

 

O KingBonn Short Films Awards, festival de curta-metragem realizado na China, dedica este ano um programa especial aos filmes brasileiros. A curadoria dos filmes foi feita em parceria com a Associação Cultural Kinoforum, que há 23 anos realiza o Festival Internacional de Curtas-metragens de São Paulo.

No ano passado, uma delegação do Festival chinês esteve em São Paulo e trouxe alguns filmes lá realizados, os quais foram exibidos na 22ª edição do Festival.

Zita Carvalhosa levando cinema brasileiro ao exterior (foto Lígia Brosch)

Este ano, a diretora Zita Carvalhosa foi convidada a integrar o júri do festival KingBonn. Ela estará na China a partir do dia 13 de maio e vai apresentar a sessão de filmes brasileiros, ao lado de Thais Fujinaga, diretora do filme L, que será um dos exibidos. 

A equipe do Festival encaminhou para a curadoria chinesa os DVDs com os 10 filmes preferidos do público nas edições de São Paulo em 2010 e 2011. A partir daí foram selecionados os oito filmes que comporão a programação do KingBonn, que acontece anualmente em maio, na cidade de Shenzhen.

 Os filmes selecionados são:

“O Divino, de repente”, de Fabio Yamaji

“Nós somos um poema”, de Beth Formaggini e Sérgio Sbragia

“Olhos de ressaca”, de Petra Costa

“Assunto de família”, de Caru Alves de Souza

“Doce de coco”, de Allan Deberton

“L”, de Thais Fujinaga

“Para eu dormir tranquilo”, de Juliana Rojas

“Tela”, de Carlos Nader 

Déborah Ingrid, a expressiva atriz de Doce de Coco: atuação premiada

A diretora Zita Carvalhosa seguirá para o Festival de Cannes, marcando a presença do Festival Internacional de Curtas-metragens de São Paulo no evento.

A 23ª edição do Festival de Sampa acontecerá de 23 a 31 de agosto, em diversas salas de exibição na capital paulista.

‘O Duplo’: Juliana Rojas e Sabrina Greve em Cannes

Filme da diretora brasileira, que vai ao festival pela quinta vez, entra na Semana da Crítica

 

Sabrina Greve em cena do curta “O Duplo”

 

O curta-metragem O Duplo, da brasileira Juliana Rojas, foi selecionado para o Festival de Cannes . O filme da diretora, que estreou ano passado seu primeiro longa, Trabalhar Cansa, será exibido na Semana da Crítica, mostra paralela que não integra a competição oficial.

Esta é a quarta vez de Juliana em Cannes, mas a primeira como diretora solo – as outras foram de filmes codirigidos com o parceiro Marco Dutra. A cineasta exibiu o curta Lençol Branco em 2005, na Cinéfondation, dedicada a filmes universitários; em 2007, recebeu o prêmio Descoberta na Semana da Crítica pelo curta Um Rumo; e em 2011 competiu com o longa Trabalhar Cansa na mostra Um Certo Olhar.

Persistindo no cinema fantástico dos trabalhos anteriores, O Duplo é baseado no mito nórdico do Doppelgänger, um ser fantástico que tem o dom de assumir a mesma forma de uma pessoa, mas representando seu lado negativo. No elenco, estão a ótima Sabrina Greve e Gilda Nomacce.

Atualmente, Juliana Rojas mora em Paris, onde trabalha no roteiro de seu segundo longa, dentro do programa de Residência do Festival de Cannes. Trata-se de As Boas Maneiras, nova parceria com Marco Dutra.

Sabrina Greve: atriz de atuação sempre marcante, está em novo curta

O Duplo é o único filme brasileiro na Semana da Crítica, que tem entre os destaques da programação o britânico “Broken”, de Rufus Norris, estrelado por Tim Roth e Cillian Murphy, e “J’Enrage de son Absence”, segundo longa da atriz Sandrine Bonnaire, com William Hurt.

O cinema brasileiro é convidado de honra em Cannes 2012. Até o momento, no entanto, só outros dois filmes do país estão confirmados na programação: “Na Estrada”, longa de Walter Salles que concorre a Palma de Ouro, e o documentário A Música Segundo Tom Jobim, de Nelson Pereira dos Santos, fora de competição.

Wagner Moura vai atuar e coproduzir novo longa de Heitor Dhália

Wagner Moura vai coproduzir novo longa onde terá papel marcante…

O diretor Heitor Dhalia está a mil por hora com a pré-produção do seu novo longa Serra Pelada. Wagner Moura será coprodutor e protagonista do filme, que quer mostrar a febre do ouro na região do Pará nos anos 70: “Estou até com medo, é um desafio muito grande por ser uma mega produção, longe do eixo e na região amazônica. Vai ser um épico”, diz Heitor.

As locações ainda estão sendo acertadas, mas já é certo que o filme será rodado em Paraopeba (MG), Marabá, e na própria área do garimpo, a Serra Pelada. O  elenco deve ser fechado semana que vem e o nome mais forte é o do músico Seu Jorge, super cotado para contracenar com Wagner.

Seu Jorge vai voltar ao cinema em novo filme de Heitor Dhália…

As filmagens começam em julho, e o lançamento está previsto para o primeiro semestre de 2013: “Quero levá-lo para o Festival de Cannes”, afirma Heitor Dhália.

Apoio à distribuição internacional de filmes

As inscrições para a 4ª edição do Prêmio de Apoio à Distribuição Internacional terão início na segunda, 13 de fevereiro, durante o Festival de Berlim, e serão encerradas dia 3 de junho, após o Festival de Cannes.

Esta edição terá o montante de USD 250 mil, a ser dividido entre os 10 projetos selecionados. Cada ganhador receberá USD 25 mil, sendo que USD 15 mil provenientes do Programa Cinema do Brasil e USD 10 mil do Ministério das Relações Exteriores.

O valor a ser investido pelo distribuidor deve ser equivalente ou superior ao valor do apoio do Programa Cinema do Brasil, ou seja, o distribuidor deverá comprovar contrapartida mínima de 50% nas despesas de comercialização (cópias e promoção).

O incentivo refere-se única e exclusivamente às despesas de comercialização (cópias e promoção) para lançamento do filme em sala de cinema, e o filme precisará ser exibido em pelo menos 5 cidades ou ficar em exibição durante pelo menos 4 semanas.

O apoio à distribuição será dado unicamente a filmes produzidos ou representados por empresas associadas ao Programa Cinema do Brasil.

Como se inscrever

O formulário de inscrição será disponibilizado no período de inscrição no site www.cinemadobrasil.org.br/pt/atualidades/noticias/id/89

O distribuidor deverá encaminhar ao Programa Cinema do Brasil:

• Portfólio da empresa;

• Contrato estabelecido com a empresa detentora dos direitos do filme;

• Proposta de lançamento e distribuição, incluindo o plano de despesas de comercialização (cópias e promoção), orçamento detalhado com indicação de como os recursos recebidos serão aplicados e também indicação dos valores que a empresa investirá diretamente.

As propostas devem ser enviadas pelos correios e pelo e-mail info@cinemadobrasil.org.br.

Endereço para inscrição:
CINEMA DO BRASIL
Av. Paulista, 1313 – 9º – Cj. 901 – Cerqueira César
CEP – 01311-923 – São Paulo – SP – BRASIL
Tel/Fax: 11 3285.0783 / 0875

Cannes Convida…

VERSION EN FRANÇAIS CI-DESSOUS 

  

 CANNES FILM FESTIVAL – May 11th to May 22nd, 2011 

The Cinefondation, student film selection of the Cannes Film Festival, the aim of which is to discover new talented filmmakers, will present films from film schools (fiction or animation).

In 2010, 13 films were selected (Belgium, Croatia, Cuba, Finland, France, Hungary, Serbia, Slovakia, South Korea, United Kingdom, United States). 

The deadline to apply and send student films to the Cinefondation is February 15th, 2011. 

From now on, you can send films of your students. A working version of the film is accepted. 

Applications must be filled in directly online at

http://www.festival-cannes.com/en/theselection/cinefondationPreselection.html

The Cinefondation rules and a mini-poster with the selection deadline can be downloaded using the link below:

www.cannesinteractive.com/files/Cinefondation/english.pdf

We thank you in advance for circulating the information in your school and remain at your disposal for any further information. 

Georges Goldenstern

Cinefondation Executive Director 

Cinefondation

3 rue Amelie

75007 Paris

Tel: 00 33 (0)1 53 59 61 21

Fax: 00 33 (0)1 53 59 61 24

www.cinefondation.com 

In order to keep our database updated we would very much appreciate if you could inform us in case this email did not reach the right person in your school and send us the name, title and email address of the person to be contacted in the future.

 

FESTIVAL DE CANNES – du 11 au 22 mai 2011.

La selection Cinefondation du Festival de Cannes, dont le but est de participer a la decouverte de jeunes talents, presente chaque annee une vingtaine de films provenant d’ecoles de cinema (fiction ou animation). 

En 2010, 13 films ont ete selectionnes (Belgique, Croatie, Coree du Sud, Cuba, Etats-Unis, Finlande, France, Hongrie, Royaume-Uni, Serbie, Slovaquie). 

La date limite d’inscription et d’envoi des films pour la Cinefondation est fixee au 15 fevrier 2011. 

Vous pouvez des a present nous adresser les films de vos etudiants. Une version de travail du film est acceptee.

Les inscriptions se font directement en ligne sur le site Internet de la Cinefondation

http://www.festival-cannes.com/fr/theselection/cinefondationPreselection.html 

Le reglement de la Cinefondation ainsi qu’un mini-poster d’information pour affichage peuvent etre telecharges en utilisant le lien ci-dessous :

www.cannesinteractive.com/files/Cinefondation/francais.pdf

 Nous vous remercions par avance de bien vouloir diffuser cette information dans votre etablissement et sommes a votre disposition pour tout renseignement complementaire. 

Georges Goldenstern

Directeur de la Cinefondation 

Cinefondation

3 rue Amelie

75007 Paris

Tel: 00 33 (0)1 53 59 61 21

Fax: 00 33 (0)1 53 59 61 24

http://www.cinefondation.com