Arquivo da tag: festival de Cannes

Selecionados do CINE-CE

logo

O Cine Ceará – Festival Ibero-Americano de Cinema, chega à sua 20º edição levando ao público cearense uma parcela significativa da produção de cinema e vídeo ibero-americanos. O festival será realizado em Fortaleza de 24 de junho a 1 de julho, e das 109 produções inscritas, selecionou apenas oito para disputar a Mostra Competitiva de Longa-Metragem.

A lista de longas selecionados inclui três produções brasileiras as quais duas são totalmente inéditas. El último Comandante, de Vicente Ferraz e Isabel Martinez, é um longa de ficção produzido em parceira com a Costa Rica. Outro filme inédito é o documentário Memória Cubana, de Alice de Andrade e Iván Nápoles. 

Estrada para Ythaca, dirigido por Luiz Pretti, Ricardo Pretti, Guto Parente e Pedro Diógenes, diretores cearenses iniciantes, é o outro longa brasileiro que venceu a 13ª Mostra de Cinema de Tiradentes realizada em janeiro deste ano. Outros cinco longas de ficção da Argentina, Costa Rica, Espanha, México e Cuba também estão entre os selecionados. 

Os selecionados concorrem nas categorias de: Direção; Fotografia; Edição; Roteiro; Trilha Sonora Original; Som; Direção de Arte; Ator e Atriz. O vencedor receberá o Troféu Mucuripe e um prêmio no valor de US$ 10 mil (dez mil dólares). 

Longas-Metragens selecionados: 

El último comandante

Ficção. 35mm. 94´. Cor. Brasil/Costa Rica. 2010

Direção Vicente Ferraz e Isabel Martínez

 

Memória Cubana

Documentário. Beta Digital. 71 Min. Brasil/Cuba/França. 2010

Direção: Alice de Andrade e Iván Nápoles

 

Estrada para Ythaca

Ficção. HDV. 70´. Cor. Brasil. 2010

Direção Luiz Pretti, Ricardo Pretti, Guto Parente e Pedro Diógenes

 

O último verão de la Boyita / El último verano de La Boyita

Ficção. 35 mm. 86 Min. Cor. Argentina/França/Espanha. 2009

Direção: Julia Solomonoff

 

Do amor e outros demônios/ Del amor y otros demonios

Ficção. 35mm. 97 Min. Cor. Costa Rica/ Colômbia. 2009

Direção: Hilda Hidalgo

 

A mulher sem piano/ La mujer sin piano

Ficção. 35mm. 95 Min. Cor. Espanha/França. 2009

Direção: Javier Rebollo

 

Alamar/ Alamar

Ficção. HD/ 35mm. 73´. Cor. México. 2009

Pedro González Rubio

 

Lisanka/ Lisanka

Ficção. 35mm. 113 Min. Cor. Cuba/Venezuela/Rússia. 2009

Direção: Daniel Diaz Torres 

 

Para a Mostra Competitiva de Curtas-Metragens a organização do festival recebeu 398 inscrições e foram selecionadas 16 produções brasileiras as quais sete são de São Paulo, cinco do Ceará, duas de Pernambuco, uma do Rio de Janeiro e outra do Rio Grande do Sul. Os filmes selecionados concorrem nas seguintes categorias de: Melhor Curta; Direção; Fotografia; Edição; Roteiro; Som; Direção de Arte; Ator; e Atriz.

 

Curtas-Metragens selecionados:

 

Divino De repente – Fábio Yamaji – SP – ANI

Lugar Comum – Jonas Brandão – SP – ANI

Avós – Michael Wahrmann – SP – FIC

O Som do Tempo – Petrus Cariri – CE – FIC

Cidade Desterro – Gláucia Soares – CE – DOC

Supermemória – Danilo Carvalho – CE – DOC

Vento – Márcio Salem – SP – FIC

Fractais Sertanejos – Heraldo Cavalcanti – CE – DOC

Azul – Eric Laurence – PE – FIC

Ave Maria ou Mãe dos Sertanejos de Camilo Cavalcante – PE – DOC

Ensaios de cinema – Allan Ribeiro – RJ – FIC

Jardim do Beleléu – Ari Cândido – SP – FIC

OUIJA – Marcelo Galvão – SP – FIC

Dona Militana – Hermes Leal – SP – DOC

A Amiga Americana – Ivo Lopes – CE – FIC

Os Amigos Bizarros do Ricardinho – Augusto Canani – RS – FIC

 

Outro curta-metragem que não estará competindo, mas que merece destaque é o Los Minutos, Las Horas, da cearense Janaina Marques Ribeiro, que terá uma exibição Hors Concours no cine São Luis com data a ser definida. O curta é resultado da tese de  fim de curso da escola de cinema de Cuba e esteve na seleção oficial do Cinefondation do Festival de Cannes. 

Saiba mais: www.cineceara2010.com.br  

Mostras

 

Como nas edições anteriores, o Cine Ceará vai agregar às Mostras Competitivas uma programação de seminários, oficinas e mostras especiais, sempre voltadas para a produção do cinema ibero-americano, além de homenagear grandes ícones no cinema nacional e do exterior. 

MEMÓRIAS DO MURO 

Uma das fronteiras mais midiáticas da história, o Muro de Berlim, foi sem dúvida o símbolo mais visível da Guerra Fria e da divisão do mundo em dois blocos.  Sua queda em 1989 representaria o fracasso de uma ideologia e a desaparição de um mundo.

 

A mostra Memórias do Muro reúne um grupo de filmes documentários e de ficção que abordam a temática desde diversas perspectivas, enfocando sobre tudo aspetos da realidade cotidiana e refletindo os conflitos humanos numa cidade e num mundo dividido. Entre os filmes se encontram documentos históricos das cinematografias da Alemanhã oriental e ocidental, assim como produções recentes a maioria inéditas no Brasil. 

DIÁSPORAS: AS FRONTEIRAS DA IDENTIDADE

 

A humanidade viveu desde sempre enormes movimentos. De um continente ao outro, as diásporas tem se sucedido para criar um mundo cada vez mais multicultural. Desde seus primórdios, o cinema tem retratado esses movimentos, documentando-os e recriando-os, em todas as línguas e humores.  

Desde o curta The immigrant, feito por Charles Chaplin em 1917, possivelmente o primeiro filme sobre o tema, a figura do imigrante, o forasteiro, o refugiado, entrou no enorme repertório de personagens cinematográficos. Um resumo, talvez o mais dramático, do homem dos nossos séculos mais próximos: o sobrevivente que reconstrói sua vida longe do país natal.

 

Os documentários que compõem esta mostra transitam por alguns desses temas. A odisséia dos cubanos, jogando-se ao mar, em busca de sonhos, ou a reencontrar seres amados. A luta obstinada das trabalhadoras de Los Angeles, pelos seus direitos mais básicos. A imensa perda cultural e humana na Argentina da Ditadura, devido ao exílio forçoso de seus intelectuais e cientistas. O resumo cósmico da infinita São Paulo, cidade de imigrantes por excelência. A desaparição de algumas fronteiras e a crescente hostilidade de outras. Um mundo onde a identidade cultural a cada passo se questiona, enriquece e reconsidera. Um mundo cada vez mais necessitado de paz, tolerância e aceitação de diferenças. Em suma, um mundo novo.

 

Os Homenageados desta edição:

José Wilker, Patrícia Pillar, Ruy Guerra, um dos mais respeitados cineastas do Brasil, e o peruano Francisco J. Lombardi, premiado diretor conhecido internacionalmente.

Palma de Ouro pode ser do Brasil

Nove filmes, incluindo o brasileiro Estação, de Márcia Faria, disputarão a Palma de Ouro para curta-metragens do 63º Festival de Cannes, anuncia a organização da mostra.

Os nove filmes, com duração média de 10 a 15 minutos, representam todos os gêneros cinematográficos: ficção, documentário e animação, segundo os organizadores do festival.

O prêmio para melhor curta-metragem será anunciado no encerramento do festival, dia 23 de maio.

O Brasil também terá representante na Quinzena dos Realizadores, com Alegria, de Marina Meliande e Felipe Bragança.

da France Presse, em Paris

Brasil em CANNES

Alegria, segundo longa da dupla Marina Méliande e Felipe Bragança, fará sua estreia mundial na Quinzena dos Realizadores, do 63º Festival de Cannes.

A mostra francesa acontece de 12 a 23 de maio

Já o curta A Distração de Ivan, filmado em Brás de Pina e centrado na realidade do subúrbio carioca, com direçãota de Cavi Borges e Gustavo Melo, representará o Brasil na seleção competitiva da Semana Internacional da Crítica, mostra paralela do Festival de Cannes.

Em sua 49ª edição, a Semana começa dia 13. A produção brasileira, baseada em fatos reais da vida de Gustavo Melo, acompanha o processo de amadurecimento do menino Ivan (Rodrigo Costa), criado pela avó (Miriam Pérsia), na Zona Norte do Rio de Janeiro.

O filme mostra uma época na qual a violência já existia, mas ainda não era tão cruel como hoje. O que mais sintetiza a periferia no curta são hábitos e brincadeiras, como as peladas de rua e o jogo de taco, além da proximidade entre os vizinhos e a demarcação de território — diz Cavi Borges. —  Questões sociais são universais. Existem em qualquer país. Falar do ser humano e da sociedade onde ele vive é fundamental para gerar reflexão, a partir de diferentes pontos de vista.

* Informações de Rodrigo Fonseca

Juliette Binoche Convida à Palma de Ouro

Atriz francesa Juliette Binoche, em registro da fotógrafa Brigitte Lacombe, será a imagem da 63ª edição do Festival de Cannes, grifado para 12 a 23 de maio, informaram hoje os organizadores do evento.

A foto de Lacombe mostra Binoche sobre um fundo azul, descalça, com camisa e calça pretas e segurando pincéis.

  Efe  
A atriz francesa Juliette Binoche estampa o cartaz da 63ª edição do Festival de Cannes
 

“A graça de seu gesto é um convite a segui-la”, diz uma nota à imprensa, que indica que os organizadores ficaram “seduzidos” pela “figura alegórica” representada por Binoche, ganhadora de um Oscar com O Paciente Inglês.

A silhueta da atriz, que “ilumina a cena com sua presença”, e a “simplicidade” da imagem, que desprende “magia” pelo “olhar enigmático” de Binoche, foram outros aspectos do pôster que foram elogiados.

QUINCAS de PAULO JOSÉ em CANNES

 

PAULO JOSÉ VIVE QUINCAS EM MAIS UMA ATUAÇÃO MARCANTE

A duas semanas da coletiva de imprensa que revelará os filmes da seleção oficial da 63ª edição do Festival de Cannes, uma penca de possíveis candidatos corre contra o tempo para ficar pronto para o maior contenda cinematográfica do planeta.

O brasileiro QUINCAS BERRO D’ÁGUA, de Sérgio Machado, é um dos concorrentes. O filme tem no elenco também Vladimir Brichta, Mariana Ximenes e Milton Gonçalves.

VIVAAAA !!!!!!!