Arquivo da tag: Festival de Cinema de Gramado

‘Repare Bem’: Maria de Medeiros no Festival de Gramado

 
Novo filme da cineasta portuguesa será exibido dia 13, 19h, no 41º Festival de Gramado
 
 
 
Documentário está na Mostra Competitiva Longa-Metragem Estrangeiro, e tem estreia programada para 23 de agosto 
 

Três gerações de mulheres, uma história de sobrevivência, de coragem e de luta por um mundo mais justo entre o Brasil, o Chile, a Itália e a Holanda. 

O jovem guerrilheiro Eduardo Leite “Bacuri” morre em 1970 nas mãos da ditadura militar brasileira, depois de 109 dias de tortura. Sua companheira Denise Crispim, perseguida e presa durante a sua gravidez, consegue fugir para o Chile depois do nascimento de Eduarda. Lá, encontra seus pais exilados, os quais dedicaram toda a vida à luta pela liberdade. Mas a violência da repressão volta a atingir a família com o golpe de Estado de Augusto Pinochet, obrigando pais e filhos a se dispersar pelo mundo. 

Hoje, depois de quarenta anos vividos entre a Itália e a Holanda, Denise e Eduarda receberam Anistia e Reparação do Brasil. A verdade sobre o passado abre caminho para um futuro mais justo. 

Depois de “Capitães de Abril”, seu filme sobre a Revolução dos Cravos em Portugal, Maria de Medeiros aborda neste documentário a questão do dever de memória através de uma história de amor e transmissão entre pais e filhos. 

Nela se destacam a figura de Encarnación, a avó resistente e autora de um fascinante diário; Denise, a mãe lutadora que defende como uma onça sua filha; e Eduarda, a menina europeia que se reencontra com o Brasil.

  

A diretora

Nascida em Lisboa,Maria de Medeiros é atriz, cantora e diretora de cinema internacional. Foi premiada com a Coppa Volpi de melhor atriz no Festival de Veneza pela sua interpretação no filme “Três irmãos”, de Teresa Villaverde. Seu trabalho tornou-se mundialmente conhecido com o papel de “AnaïsNin” em “Henry and June” de Phil Kaufman e de “Fabienne” em “PulpFiction” de Quentin Tarantino.

Como cantora, Maria de Medeiros tem três CDs de estúdio: A little more blue (2007), Penínsulas & continentes (2010) e Pássaros eternos (2012).

Em 2007, Maria de Medeiros foi nomeada Artista pela Paz da Unesco.

Seu primeiro longa-metragem como diretora, Capitães de Abril, foi selecionado para o Festival de Cannes e obteve vários prémios internacionais, entre os quais o da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Atualmente, Maria de Medeiros apresenta no Brasil a peça “Aos Nossos Filhos”, de Laura Castro, em cartaz no Sesc Santana, em S.Paulo, após temporadas em Brasília e Rio de Janeiro. 

REPARE BEM

Brasil/Itália/França, 2012, 95 min, 10 anos.

Direção: Maria de Medeiros
Roteiro: Maria de Medeiros, com a colaboração de Ana Petta.

Fotografia: Maria de Medeiros, Daria D’Antonio, Louis Hanon, Bruno Pozzitrev
Montagem: Maria de Medeiros, Manoel de Sousa
Produtor: Maria de Medeiros, Minnie Ferrara, Agustí Camps, Ana Petta
Produção: Projeto Marcas da Memória, Comissão de Anistia e Reparação, Ministério da Justiça do Brasil, Instituto Via BR

Distribuição: Filmes da Mostra

* O blog Aurora de Cinema estará em Gramado com apoio do  SKY Hotel

Negócios de Cinema em Gramado…

Pelo quinto ano consecutivo, Gramado vai sediar a Ação de Cinema, próximos dias 14 e 15, na sede da Sociedade Recreio Gramadense e na Câmara de Vereadores da cidade.

Realização da Fundacine (Fundação Cinema do Rio Grande do Sul), 40º Festival de Cinema de Gramado, SESC – RS e Programa Cinema do Brasil/APEX Brasil,  com  apoio da  APTC/RS (Associação Profissional de Técnicos Cinematográficos), do  SIAV/RS (Sindicato da Indústria Audiovisual do RS),  do IECINE (Instituto Estadual de Cinema), Secretaria de Estado da Cultura, e Fundação Cultural Piratini TVE,  a iniciativa objetiva aproximar e promover encontros de negócios do audiovisual entre produtores, realizadores e empresas investidoras. Também estão previstos na programação encontros individuais entre os participantes com interesses afins, além de seminários relacionados às políticas públicas da atividade audiovisual.

Para participação nos Encontros de Negócios e agendamento de encontro One-a-One com os convidados internacionais é necessário conhecimento básico de inglês e espanhol.

Inscrições gratuitas através do e-mail producao@fundacine.org.br, pelo telefone (51) 3226-3311, ou diretamente com a FUNDACINE na Sociedade Recreio Gramadense durante o festival de cinema.

5ª Ação de Cinema em Gramado

Locais: Câmara de Vereadores (Rua São Pedro, nº 369 – Centro – Gramado) e Sociedade Recreio Gramadense (Rua Garibaldi, 328 – Centro – Gramado)

A Sociedade Recreio Gramadense, um dos cenários da Ação de Cinema…

PROGRAMAÇÃO

Dia 14 de agosto

Seminário – 9h às 12h – Teatro Elisabeth Rosenfeld da Câmara

PRODAV – Sul (FSA)

Convidados: Sindicado dos Produtores, ANCINE e BRDE.

Mediador: Jaime Lerner (ABD-Nacional)

Seminário – 14h às 17h – Teatro Elisabeth Rosenfeld da Camara

Distribuição e Exibição Digital

Convidados: Filme B, Empresa Mística, FENEEC.

Mediador: João Guilherme Barone (FUNDACINE)

Dia 15 de agosto

Encontros de Negócios do Audiovisual – 9h às 12h

MESA 1 – CO-PRODUÇÃO INTERNACIONAL

Convidados: Revista Variety, INCAA, Festival de HAVANA.

Mediador: Beto Rodrigues (SIAV RS).

MESA  2 – DISTRIBUIÇÃO INTERNACIONAL

Convidados: Promovere, M-Appeal, Latinopólis.

Mediador: André Sturm (Programa Cinema do Brasil)

MESA 3 – DISTRIBUIÇÃO NACIONAL

Convidados: Federação dos Exibidores, Elo Company e Vitrine Filmes.

Mediador: a definir

MESA 4 – NEGOCIAÇÃO DE PRODUTOS PARA EXIBIÇÃO EM TV

Convidados: Turner Network Television – TNT e Home Box Office – HBO.

Mediador: Cícero Aragon (Box Brazil).

Encontros One-a-One – 14h às 17h

A Fundacine estará agendando horários para os encontros individuais com os convidados das mesas, os quais estarão à disposição para atendimento durante a tarde do dia 15 agosto.

Gramado verá ‘Toda nudez será castigada’…

Neste ano no qual comemora sua quadragésima edição, o Festival de Cinema de Gramado vai exibir o primeiro filme premiado de sua história: Toda Nudez Será Castigada, clássico do cineasta Arnaldo Jabor.

A exibição será na sexta, dia 17, no Palácio dos Festivais. Na mesma noite, Jabor recebe o Troféu Eduardo Abelin, uma das quatro homenagens que o Festival entrega nesta edição.

Darlene Glória é a protagonista do premiado “Toda Nudez”…

Quando seu filme inaugurou a galeria de vencedores do Festival de Cinema de Gramado, em 1973, Arnaldo Jabor não estava presente na cerimônia. Toda Nudez Será Castigada chegou na serra gaúcha cercado de polêmicas por narrar a história de um homem que ia contra todos os costumes de sua época ao se casar com uma prostituta.

O filme é um marco não só para o Festival, mas para o próprio diretor: “Foi meu primeiro filme de ficção, muito mais de acordo com os meus desejos do que Pindorama, que era um trabalho anterior mais adequado às regras da época. Toda Nudez… foi um encontro comigo mesmo. Foi o filme que mais me marcou”.

Corrida pelos KIKITOS revela filmes concorrentes

Festival de Cinema de Gramado vai de 10 a 18 de agosto

Betty Faria será uma das Homenageadas na 40 edição do Festival de Gramado

A organização do Festival de Gramado anuncia os filmes selecionados para sua 40ª edição: 8 longas nacionais e cinco estrangeiros vão disputar os KIKITOS, bem como 14 curtas brasileiros e outros 21 gaúchos em mostra dedicada exclusivamente a essa produção.

Entre os Homenageados, receberão prêmios especiais o cineasta argentino Juan José Campanella (ganhador do Oscar por “O Segredo dos Seus Olhos”), as atrizes Betty Faria e Eva Wilma, e o diretor e jornalista Arnaldo Jabor.

Na competição brasileira, são destaque O Som ao Redor, do pernambucano Kleber Mendonça Filho (vencedor do prêmio da crítica internacional no Festival de Roterdã, na Holanda), e Eu Não Faço a Menor Ideia do que Eu Tô Fazendo com a Minha Vida, segundo filme de Matheus Souza, depois do elogiado “Apenas o Fim”.

Também foram selecionados “Futuro do Pretérito: Tropicalismo Now!” e “Jorge Mautner – O Filho do Holocausto”, documentários que já haviam sido exibidos no circuito de festivais no país. Entre os curtas brasileiros, está O Duplo, de Juliana Rojas, recentemente premiado no Festival de Cannes.

Eva Wilma também vai receber merecida Homenagem em Gramado

“Temos uma variedade estética e narrativa muito grande. É uma seleção que explora as múltiplas possibilidades do cinema nacional e latino”, afirma o jornalista Marcos Santuário, responsável pela curadoria ao lado do crítico Rubens Ewald Filho e do ator José Wilker.

Uma novidade deste ano é a diminuição do valor dos ingressos para o público ter acesso às sessões no Palácio dos Festivais: R$ 20 e R$ 10 para estudantes e idosos.

Gramado prepara 40a edição: 40 anos dando visibilidade ao Cinema Brasileiro…

Confira a lista dos SELECIONADOS ao Festival de Gramado 2012:

Longas-metragens brasileiros
“Super Nada” (SP), de Rubens Rewald
“Insônia” (RS), de Beto Souza
“O que se Move” (SP), de Caetano Gotardo
“Futuro do Pretérito: Tropicalismo Now!” (SP), de Ninho Moraes e Francisco César Filho
“Eu Não Faço a Menor Ideia do que Eu Tô Fazendo com a Minha Vida” (RJ), de Matheus Souza
“O Som ao Redor” (PE), de Kleber Mendonça Filho
“Colegas” (SP), de Marcelo Galvão
“Jorge Mautner – O Filho do Holocausto” (RJ), de Pedro Bial e Heitor D’Alincourt

Longas-metragens latinos
“Artigas, La Redota” (Uruguai), de Cesar Charlone
“Calafate, Zoológicos Humanos” (Chile), de Hans Mülchi Bremer
“Vinci” (Cuba), de Eduardo del Llano Rodríguez
“Leontina” (Chile), de Boris Peters
“Diez Veces Venceremos” (Argentina), de Cristian Jure

Curtas-metragens brasileiros
“#”, de Andre Farkas e Arthur Guttilla (SP)
“A Ballet Dialogue”, de Filipe Matzembacher e Márcio Reolon (RS)
“A Mão que Afaga”, de Gabriela Amaral Almeida (SP)
“A Triste História de Kid-Punhetinha”, de Andradina Azevedo e Dida Andrade (SP)
“Casa Afogada”, de Gilson Vargas (RS)
“Di Melo – O Imorrivel”, de Alan Oliveira e Rubens Pássaro (SP)
“Diário do Não Ver”, de Cristina Maure e Joana Oliveira (MG)
“Dicionário”, de Ricardo Weschenfelder (SP)
“Funeral à Cigana”, de Fernando Honesko (SC)
“Linear”, de Amir Admoni (SP)
“Menino do Cinco”, de Marcelo Matos de Oliveira e Wallace Nogueira (BA)
“Meta”, de Rafael Baliu (SP)
“O Duplo”, de Juliana Rojas (SP)
“Piove, il film Di Pio”, de Thiago Brandimarte Mendonça (SP)

Mostra de curtas gaúchos
“24 Horas com Carolina”
“A Vida da Morte”
“As Irmãs Maniacci”
“Boa Viagem”
“Brisa”
“Casa Afogada”
“Dr Lang e a Ciência da Metalinguagem”
“Elefante na Sala”
“Estrada”
“Fez A Barba E O Choro”
“Garry”
“Ignácio e Saldanha”
“Lobos”
“Noite Um”
“O Beijo Perfeito”
“Paraphilia”
“Quem é Rogério Carlos?”
“Rigor Mórtis”
“Rua dos Aflitos, 70”
“Só isso”
“Todos os Meus Ídolos Estão Mortos”

Arnaldo Jabor: trajetória vitoriosa será alvo de Homenagem em Gramado

De Olho no Kikito…

Até 1º de junho, estão abertas as inscrições para as mostras competitivas da 39ª edição do Festival de Cinema de Gramado, agendado para o período de 5 a 13 de agosto, na adorável serra gaúcha.

Mais charmoso e concorrido festival de cinema do pais, o Festival de Gramado dá especial atenção ao cinema brasileiro e às cinematografias autorais e de produção independente e a obras da América Latina, organizando a programação em três mostras competitivas:

filmes longa-metragem brasileiros; longas-metragens estrangeiros; filmes em curta-metragem brasileiros.

O KIKITO é o mais conhecido e cobiçado prêmio do Cinema Brasileiro

Além disso, o Festival de Gramado promove a Mostra Panorâmica com filmes em longa-metragem, brasileiros ou estrangeiros, fora de competição.

Os interessados em concorrer devem acessar www.festivaldegramado.net

E o KIKITO está com…

Confira os vencedores do 38º Festival de Cinema de Gramado:

LONGA-METRAGEM BRASILEIRO

 

Melhor Filme de longa-metragem: BRÓDER de JEFERSON DE Melhor Diretor: JEFERSON DE por BRÓDER Melhor Ator: CAIO BLAT por BRÓDER

Melhor Atriz: SIMONE SPOLADORE por NÃO SE PODE VIVER SEM AMOR

Melhor Roteiro: DANI PATARRA E JORGE DÚRAN por NÃO SE PODE VIVER SEM AMOR

Melhor Fotografia: LUIS ABRAMO por NÃO SE PODE VIVER SEM AMOR

Melhor Trilha Musical: JOÃO MARCELLO BÔSCOLI e JEFERSON DE por BRÓDER 

E JONH ULHOA, RUBEN JACOBINA e DIAMANTINO FEIJÓ por PONTO ORG 

Melhor Montagem: QUITO RIBEIRO e JEFERSON DE por  BRÓDER

Melhor Direção de Arte: ANA DOMINONI por  O ÚLTIMO ROMANCE DE BALZAC 

Prêmio Especial do Júri: O ÚLTIMO ROMANCE DE BALZAC, de GERALDO SARNO 

Prêmio da Crítica: Melhor Filme: DIÁRIO DE UMA BUSCA, de FLAVIA CASTRO

Prêmio do Júri Popular: Melhor Filme: 180º, de EDUARDO VAISMAN

Prêmio do Júri Estudantil: Melhor Filme: DIÁRIO DE UMA BUSCA, FLAVIA CASTRO

 

Jeferson De: consagração no Festival de Cinema de Gramado

 

 LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO

Melhor Filme: MI VIDA CON CARLOS, de GERMAN BERGER

Melhor Diretor: NICOLAS PEREDA, por PERPETUUM MOBILE

Melhor Ator: GABINO RODRIGUEZ, por PERPETUUM MOBILE e MARTIN PIROYANSKY,

por LA VIEJA DE ATRAS;

Melhor Atriz: ALMA BLANCO, por LA YUMA

Melhor Roteiro: PABLO JOSE MEZA, por LA VIEJA DE ATRAS

Melhor Fotografia: MIGUEL LITTIN por MI VIDA CON CARLOS

Prêmio Especial do Júri: LA YUMA, de FLORENCE JANGEY

Prêmio da Crítica: Melhor Filme: EL VUELCO DEL CANGREJO, de OSCAR RUIZ NAVIA

Prêmio Júri Popular: Melhor Filme: MI VIDA COM CARLOS, de GERMAN BERGERPrêmio Júri Estudantil: Melhor Filme: EL VUELCO DEL CANGREJO, de OSCAR RUIZ NAVIA 

Caio Blat, Jonathan Haagensen e Silvio Guindane: elenco do premiado BRÓDER

 

 PREMIAÇÃO – CURTA 35 MM E DIGITAL

Melhor filme: CARRETO, de CLAUDIO MARQUES E MARILIA HUGHES  E HARUO

                      OHARA, de RODRIGO GROTA

Prêmio Especial do Júri: OS ANJOS DO MEIO DA PRAÇA, de ALÊ CAMARGO E

                                         CAMILA CARROSSINE

Melhor Diretor: RODRIGO GROTA por HARUO OHARA

Melhor Ator: FLAVIO BAURAQUI por NINJAS

Melhor Atriz: ELISA VOLPATTO por UM ANIMAL MENOR

Melhor Roteiro: CLAUDIO MARQUES E MARILIA HUGHES por CARRETO 

Melhor Fotografia: CARLOS EBERT por HARUO OHARA

Melhor Trilha Musical: MARCELO FRUET, BOTO STANLEY E AUGUSTO CANANI

por AMIGOS BIZARROS DO RICARDINHO

Melhor Montagem: PAULO SACRAMENTO por NINJAS

Melhor Direção de Arte: VICENTE SALDANHA por AMIGOS BIZARROS DO

                                        RICARDINHO

Prêmio da Crítica: Melhor Filme:  BABÁS, de CONSUELO LINS

Prêmio do Júri Popular: Melhor Filme: RATÃO, de SANTIAGO DELLAPE

Prêmio Estudantil: Melhor Filme: HARUO OHARA, de RODRIGO GROTA 

 

Mostra Panorâmica:

 

Melhor Filme: TERRA DEU, TERRA COME, de RODRIGO SIQUEIRA 

MOSTRA GAÚCHA – Prêmio Assembléia Legislativa de Cinema                                           35MM E DIGITAL

Melhor Filme: Um Animal Menor, de PEDRO HARRES e MARCOS  CONTRERAS

Melhor Direção: William Meyer, por Eu e o cara da piscina

Melhor Roteiro: Pedro Harres e Marcos Contreras, por Um animal Menor

Melhor Fotografia: Bruno Polidoro, por Um animal menor e Peixe Vermelho

Melhor Direção de Arte: Lívia Santos, por Eu e o cara da piscina

Melhor Música: Jean Pierre Caron e Rafael Sarpa, por Peixe Vermelho

Melhor Montagem: Denise Marchi, por Eu e o cara da piscina

Melhor Edição de Som: Gabriela Bervian, por Peixe Vermelho

Melhor Produtor/ Produtor Executivo: Ana Adams, por Peixe Vermelho

Melhor Ator: Fernando Mantelli, por  Limbo

Melhor Atriz: Araci Esteves, por Maldita

Sensacional atriz gaúcha ARACI ESTEVES ganha mais uma estatueta

Festival de Gramado: Contagem Regressiva

A 38º edição do mais tradicional festival de cinema do país já divulgou os curtas-metragens selecionados para sua mostra competitiva. Na categoria NACIONAL, foram escolhidas 16 produções de seis diferentes estados brasileiros: Bahia, Distrito Federal, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo. Para a MOSTRA GAÚCHA foram escolhidas 12 obras, três delas do interior do Estado.

Palácio dos Festivais: sede do mais importante festival de cinema do país

O lançamento oficial, com a divulgação dos longas-metragens, homenageados e programação completa do Festival será dia 19, às 10 horas, no Hotel Sheraton Porto Alegre, com transmissão ao vivo pelo site do evento.

Novas ferramentas

Para acompanhar os avanços nos meios de comunicação, o Festival de Cinema de Gramado disponibiliza perfis em duas das mais utilizadas redes sociais, Twitter e Facebook, com informações e promoções exclusivas. Acompanhe-nos!

http://www.twitter.com/gramado_oficial
http://www.facebook.com/pages/Festival-de-Cinema-de-Gramado/140769275936287/

Site remodelado

O site oficial do Festival (www.festivaldegramado.net) está passando por uma remodelação e logo fará sua estreia, trazendo mais recursos, novo layout e navegação simplificada.

Credenciamento de imprensa

Os jornalistas interessados em cobrir o Festival de Cinema de Gramado devem se credenciar diretamente no site (www.festivaldegramado.net). Não serão aceitos pedidos por email ou telefone e cada solicitação passa por critérios de escolha que levam em conta o perfil do veículo e cobertura pretendida.

De Olho no KIKITO

Mais relevante FESTIVAL DE CINEMA do país, FESTIVAL DE CINEMA DE GRAMADO. recebe inscrições até 1 de junho .

A 38a edição acontecerá de 6 a 14 de agosto na agradável e bela cidade serrana do Rio Grande do Sul.

Liége Nardi na coordenação e Ana Mota na assessoria de Imprensa.

Saudades de BUZA FERRAZ

Ator, diretor e produtor, Alberto Buza Ferraz faleceu na madrugada de sábado, 3 de abril, vítima de 3 paradas cardíacas. Ele estava internado no Hospital Samaritano, em Botafogo, zona sul carioca, e tinha leucemia há 13 anos.

Buza Ferraz era carioca e iniciou a carreira ainda adolescente, no teatro.

A estréia foi em 1969 no musical Hair dirigido por Ademar Guerra e apresentado no Rio com ajuda do próprio Buza, que reabriu um antigo teatro da família para estreá-la – seu pai, Paulo Ferraz, foi dono dos Estaleiros Mauá.

Em 1972, participou do Teatro Opinião na montagem de Bordel da Salvação, de Brendan Behan, entre outras peças. Em 1978, fundou seu próprio grupo, Jaz-o-Coração, com o qual realizou a primeira montagem de O Triste Fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto.

Na televisão, sua primeira atuação de maior repercussão foi na novela O Rebu (1974), de Bráulio Pedroso, quando encarnou o personagem Cauê, primeiro homossexual da teledramaturgia brasileira. A obra, na época, foi censurada.

Ferraz também trabalhou em diversos filmes brasileiros, entre eles Vestido de Noiva (2006), adaptação de livro homônimo de Nelson Rodrigues, e Brava Gente Brasileira (2000), de Lúcia Murat.

Além dos trabalhos como ator, Buza produziu a adaptação do livro Estorvo, de Chico Buarque, para o cinema, mas o trabalho foi marcante foi no filme For All – O Trampolim da Vitória, que dirigiu e roteirizou com o amigo cineasta Luís Carlos Lacerda (1996).

Com FOR ALL, Buza e Lacerda-Bigode ganharam no Festival de Gramado os prêmios de Melhor Filme, Júri Popular, direção musical, direção de arte e roteiro.

Segundo informações da família, Buza trabalhava atualmente em uma peça escrita por seu filho caçula, Antônio Bento, 20 anos. Além de Antônio, o ator tinha outros quatro filhos. 

Filmografia

• Elvis & Madona (2008)

• Vestido de Noiva (2006)

• Viva Sapato! (2002)

• Brava Gente Brasileira (2000)

• Vox Populi (1998)

• For All – O Trampolim da Vitória (1997)

• O País dos Tenentes (1987)

• Patriamada (1984)

Novelas

• Páginas da Vida (2006)

• História de Amor (1995)

• Despedida de Solteiro (1992)

• Pedra Sobre Pedra (1992)

• Kananga do Japão (1989)

• Helena (1987)

• De Quina pra Lua (1985)

• Final Feliz (1982)

• Brilhante (1981)

• O Amor É Nosso (1981)

• O Rebu (1974)

• Selva de Pedra (1972)

Outros programas

• Faça Sua História (2008)

• Casos e Acasos (2008)

• Labirinto (1998)

• Você Decide

• Meu Marido (1991)

• República (1989)

• Santa Marta Fabril (1984)

• Marquesa de Santos (1984)

• Quem Ama Não Mata (1982)

• Romeu e Julieta (1980)

Alguns dados sobre BUZA FERRAZ:

Alberto Paulo Ferraz era carioca. Diretor e ator. Encenador ligado ao teatro de grupo e à criação coletiva dos anos 70 e início dos 80, funda e dirige os grupos Companhia Tragicômica Jaz-o-Coração e Pessoal do Cabaré.

Estreou como ator em 1969 no musical Hair, dirigido por Ademar Guerra. Com o mesmo diretor, atua em Missa Leiga, de Chico de Assis, 1972. No Teatro Opinião participa de Bordel da Salvação, de Brendan Behan, 1972. Seu primeiro trabalho de expressão como intérprete acontece em 1975, na elogiada montagem de Pano de Boca, de Fauzi Arap. É dirigido por Antônio Pedro em Síndica, Qual é a Tua?, de Luiz Carlos Góes, 1976.

Em 1978, organiza o grupo Jaz-o-Coração, integrado por jovens atores, que estréia em São Paulo e a seguir, com maior sucesso, no Rio de Janeiro, com uma adaptação autoral do romance O Triste Fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto, que a crítica louva pela inteligência e teatralidade. Tanto a qualidade da adaptação, de sua autoria, como o vigor e a linguagem pessoal da sua encenação, projetam Buza Ferraz para a primeira linha dos jovens criadores teatrais da sua geração. Com esse espetáculo de estréia do grupo angaria o Prêmio Molière em categoria especial, a indicação para o Mambembe de melhor diretor e de Jaz-o-Coração como melhor grupo e a inclusão de Policarpo entre os dez melhores espetáculos do ano, em premiação organizada pelo Jornal do Brasil.

No espetáculo seguinte, Mistério Bufo, 1979, Buza Ferraz coordena e dirige uma criação coletiva elaborada em oito meses de trabalho. O grupo dá continuidade à pesquisa de linguagem cênica de forte teatralidade e humor contundente iniciada com Policarpo, e confirma a personalidade criativa do encenador. O espetáculo figura nas listas dos melhores do ano, organizadas pela revista Veja e pelo Serviço Nacional de Teatro, SNT.

Os dois últimos trabalhos que dirige para o grupo, Serafim Ponte Grande, adaptado de Oswald de Andrade, 1982, e O Beijo no Asfalto, de Nelson Rodrigues, 1984, embora coerentes com as buscas anteriores do artista, não produzem o mesmo impacto. Com a dispersão do Pessoal do Cabaré, Buza Ferraz se ausenta do panorama teatral da segunda metade dos anos 80 e interrompe sua trajetória como encenador. Durante esse período, atua na televisão e no cinema.

Cabaré Valentin, coletânea de esquetes do comediante alemão Karl Valentin, marca, em 1980, o início das atividades de um outro grupo, que a partir do sucesso do espetáculo toma o nome de O Pessoal do Cabaré, e compõe, com o Pessoal do Despertar, a linha de frente do jovem teatro carioca na virada das décadas 70/80. Levando para o novo conjunto alguns dos seus principais colaboradores da fase anterior, Buza, também tradutor e adaptador dos textos, cria um espetáculo de diversão, despretensioso, mas de contagiante alegria. O espetáculo é incluído nas listas de melhores do ano. Em Poleiro dos Anjos, 1981, definido pelo autor como ‘folhetim afetivo de uma geração’, ele estréia como autor, redigindo uma série de pequenos textos em torno das lembranças de infância e são confrontados, no presente, com as perplexidades dos jovens atores no seu processo de montagem. Dessa forma, o Pessoal do Cabaré se coloca como sujeito da cena, metaforizando, por extensão, os jovens da sua faixa etária. Na direção, Buza Ferraz aprofunda sua linha de trabalho a partir da estrutura dramatúrgica fragmentada. Novamente uma série de prêmios e indicações coroam o trabalho do grupo.

O saudoso crítico carioca Yan Michalski, um dos mais respeitados e atuantes do país, considerava BUZA um dos maiores criadores de imagens cênicas do país.

BUZA FERRAZ com Bete Mendes na inesquecível novela de Bráulio Pedroso, O REBU…