Arquivo da tag: festival de cinema de Jericoacoara

Inscrições abertas a 3 festivais cearenses

Cine CE, Jericoacoara e FestCine Maracanaú mobilizam realizadores de todo o país

Conforme já publicado aqui anteriormente, as inscrições ao Cine Ceará – festival comandado pelo cineasta Wolney Oliveira – prosseguem abertas até o final deste mês. O concorrido festival será realizado na primeira semana de junho, em Fortaleza. O regulamento completo do festival, organizado pela Associação Cultural Cine Ceará, encontra-se em http://cineceara.com

No CineCE 2011, wolney Oliveira e Nicette Bruno

Já os que quiserem se inscrever para o Festival de Cinema Digital de Jericoacoara  tem somente até o próximo dia 15 para efetuar suas inscrições. O festival é coordenado pelo escritor, produtor e cineasta Francis Vale e vai acontecer também em junho – de 15 a 21. Acesse http://www.jeridigital.com.br/

Enquanto isso, o FestCine Maracanaú se firma como uma boa janela audiovisual no vizinho município de Maracanaú, e as inscrições prosseguem até 15 de maio.

Podem ser inscritos filmes e vídeos de qualquer país e de todo o Brasil, produzidos a partir de 2009 e finalizados no formato digital.

Além das mostras competitivas de longas e curtas-metragens, o FestCine Maracanaú inclui ainda a Mostra Rodolfo Teófilo, dedicada a obras de realizadores da Região Metropolitana de Fortaleza, com duração de até 20 minutos; e a Mostra Novas Mídias, com produções de até 5 minutos, realizadas em mídias digitais – câmeras fotográficas, celular, webcam, dentre outros dispositivos.  

Embora ainda sem data marcada, o festival está previsto para acontecer no segundo semestre, sob a batuta do cineasta e produtor Afonso Celso. Em 2011, um dos destaques foi a participação de profissionais dos estúdios DreamWorks, Bill Tessier e Chris Kirshbaum, que pela primeira vez ministraram no País um workshop de animação e efeitos especiais.

Aurora Miranda Leão, Walter Webb, Marília Medina e Fabiano de Souza na edição 2011 do Fest Cine Maracanaú

Também abrilhantaram a realização do II Festival de Cinema de Maracanaú os  atores Jayme Matarazzo, Nathália Dhill, Marília Medina e Cláudio Jaborandi, além dos cineastas Walter Webb (BA-SP), Caio Soh (RJ) e Fabiano de Souza (RS). 

Mais informações: http://www.festcinemaracanau.com.br

BABAUPARATODOS no Cine Ceará e em JERI

O cambista que virou artista e não quer nem

saber em que bicho isso vai dar

 (Documentário – duração: 15 minutos – ano de produção: 2010 – direção: Carlos Normando*)

Fotografia/câmera:  Rômulo Fonseca e J. Moreira (Pastinha)

Som direto:  Weffiston Brasil

Produção/Edição/Direção:  Carlos Normando

Músicas:  Babau do Pandeiro

Participações: Babau do Pandeiro, Paulo Oliveira, Cleílton dos Teclados e o brega star Falcão

Prêmios em Festivais:  3º lugar na 6ª Mostra do Curta Nordestino (FestNatal 2010); selecionado para o 18º Gramado Cine Vídeo (2010); selecionado para o 8º Festival de Cinema de Maringá (2011).

Conheça um pouco mais sobre o filme através de seu próprio criador, o cineasta CARLOS NORMANDO: 

Qual o motivo da escolha desse tema?

 O Babau do Pandeiro é antes de tudo um cara corajoso. Com mais de 70 anos, resolveu ser cantor e com tudo o que não se espera de um cantor. Como diz o Falcão no filme, ele não tem cara de galã e nem voz de veludo… Então foi esse o motivo principal da escolha do Babau como personagem do documentário. Se ele fosse bonito e tivesse uma voz espetacular, seria apenas mais um.

Como foi o trabalho de captação das imagens?

Foi tudo muito planejado e com antecedência. Corri o risco até dele não topar fazer o filme. Quando fui conhecê-lo pessoalmente, as anotações com as primeiras ideias já estavam bastante avançadas. Mas funcionou legal. Quando se planeja tudo direitinho, você já chega sabendo o que quer fazer e como fazer. E o resultado disso é o aproveitamento do material filmado. Juntando tudo, não usei nem três fitas de Mini-DV.

Foram cinco manhãs de filmagens. E uma equipe altamente enxuta e sintonizada: eu o cinegrafista e o técnico de som. Fui tudo produzido com o apoio técnico do Laboratório de Audiovisual e Novas Mídias da Universidade de Fortaleza – Unifor.

 E de onde saiu esse título?

Ah! A etapa da criação do título é talvez a mais importante para mim. Enquanto eu não consigo um título convincente, eu não me sinto com segurança para dar início ao projeto. É uma das primeiras coisas em que penso. Inicialmente, tinha pensado em “Babau para todos”. Aí uma aluna minha de Publicidade, a Carolina Saraiva, deu a ideia de juntar tudo numa só palavra. Fica tão estranho quanto o personagem, disse-me ela. Comprei na hora a ideia!

E a edição?

Por mais que se planeje um documentário como esse, a edição é o momento em que o trabalho realmente nasce. Diante de todos os clipes de vídeo disponíveis, você vai definindo uma sequência que considere interessante. Só não dá pra se apaixonar pelo material, pois muitas vezes você é obrigado a cortar determinado trecho e isso pode ser uma decisão muito difícil. Mas a edição é outra etapa que odoro. Acho até que todo diretor deveria sentar diante do computador e, ele mesmo, operar a máquina.

Onde o documentário será exibido?

Inicialmente, na TV Unifor. E no circuito dos festivais. São mais de cem festivais no Brasil inteiro. Meus outros trabalhos tiveram um excelente desempenho nesses festivais. Só para citar alguns exemplos, ganhei prêmios de melhor curta nos festivais de Maringá-PR, no Fricine, em Nova Friburgo-RJ, no Guarnicê, em São Luís, no Cine Ceará, entre outros. Mas o grande lance é mostrar o trabalho por aí… Já tive três documentários meus selecionados para exibição em rede nacional pela TV Câmara (programa Olhares).  

Quem é Carlos Normando

Cearense de Fortaleza, jornalista e professor universitário dos cursos de Audiovisual e Novas Mídias (Unifor) e de Publicidade e Propaganda (Faculdade Cearense). Fez estágio em “Cinema Verdade” na escola Varan Ateliers de Paris. É autor dos documentários “Lolô S.A.”, “Possante Velho de Guerra”, “Tons de Totonho” entre outros.

SALVE, HERMANOS !

A inspirada foto é do amigo pernambucano LEO TABOSA, realizador premiado que assina pela direção do Doc RETRATOS (ao lado de Rafael Negrão)…

A foto foi feita da varanda da minha suíte na pousada Maxitália, durante os dias do primeiro Festival de Jericoacoara – Cinema Digital.

Nossa torcida tá valendo, como mostra o fabuloso time comandado por Maradona

A Festa do Cinema em JERI

 
 
De quarta a domingo, 9 a 13 de junho, foram dias ensolarados na paradisíaca Jericoacoara… Cenário de rara beleza, propício para aliar Cinema, Ecologia, relações humanas, beleza e música de qualidade, Jeri caiu no gosto de cineastas de todo o país…
 
Mica Farina, o bam-bam-bam das trilhas, recebe merecido troféu pelo filme O Bailarino e o Bonde, de Rogério Nunes, no qual a trilha é o sinal verde… Público aplaudiu o “Mestre” de pé…
 
Zeca Ferreira, diretor do belo Áurea, vence na categoria MELHOR FILME e recebe aplausos de aprovação. Filme tem fotografia pra lá de boa do premiado Pedro Urano…
 
Atriz SABRINA GREVE, gracinha de amiga, tem estréia premiada com curta-metragem 3.33, roteiro e direção dela …
  
  
Filipe Wenceslau, paraibano de Salvador, leva prêmio (das mãos de Edna Letícia) pelo ótimo 300 Dias
 
Leo Tabosa, de Recife, ganha Melhor Documentário com Retratos, que ele assina com Rafael Negrão
  
  
Vencedores posam pra foto em clima de alegria…
  
Cineasta Carlos Segundo, de Uberlândia, criador de “Cheirosa”, concede entrevista no cenário das exibições do Festival de JERI

Jornalista Aurora Miranda Leão sela amizade com colega botafoguense, premiado cineasta carioca Valério Fonseca
 

Lucas Sá (nosso Harry Potter), cineasta que desponta em São Luís, e Síria Mapurunga, única jornalista destacada para a cobertura oficial do festival de Jericoacoara

Começa Festival de Cinema de JERI

HOJE em JERI :


 

19h – Mostra Informativa Cinema Ambiental | Tenda Jeri e NAEC Jijoca Jeri e NAEC Jijoca

Filme – Sertão Vivo, ENCINE

20h – Exibição Especial | Tenda Jeri e NAEC Jijoca Jeri e NAEC Jijoca

Filme – Couro de Gato, de Joaquim Pedro de Andrade

20h – Mostra Competitiva | Tenda Jeri e NAEC Jijoca Jeri e NAEC Jijoca

  • A Vida é boa, de Cláudio Junior – CE
  • A Eternidade, de Leon Sampaio – BA
  • Cuidado Palhaços!, de Pablo Peixoto – DF
  • A Vermelha Luz do Bandido, de Pedro Jorge – SP
  • Incelença da Perseguida, de Silvio Gurjão – CE
  • O Retorno de Saturno, de Lisandro Santo – RS
  • Áurea, de Zeca Ferreira – RJ

Filme do cearense Clébio Viriato na programação

* Para saber mais, http://jericinemadigital.com.br/v2/programacao-2/

Cinema e Música em JERI

I FESTIVAL JERICOACOARA – CINEMA DIGITAL
EVENTO PROMOVIDO PELO CLAN DO CINEMA E ANHAMUM PRODUÇÕES AUDIOVISUAIS LTDA.
DE 9 A 13 DE JUNHO.
OFICINAS
SEMINÁRIO
EXIBIÇÃO DE FILMES
PROGRAMAÇÃO COMPLETA:www.jericinemadigital.com.br

  

DIAS 11 E 12 TAMBÉM ACONTECE NA PRAIA DE JERICOACOARA O III JERI ECO CULTURAL
EVENTO PROMOVIDO PELA FREE LANCER PRODUÇÕES E 77 EVENTOS

DIA 11/06 – Desfile de moda das lojas locais com apresentação da coleção desenvolvida pelas crocheteiras locais E Show com Bandas locais.
DIA 12/06
– Show com a Banda de Fortaleza Batucada Elétrica de Hoto Júnior e  Show inédito com Falcão          (O RAPPA) e a Banda Loucomotivos.

SEMPRE A PARTIR DAS 22H