Arquivo da tag: festival Guarnicê

Inscrições Abertas ao GUARNICÊ

O 34º Festival Guarnicê de Cinema será realizado de 29 de agosto a 2 de setembro na cidade de São Luís do Maranhão.

Promovido pela Universidade Federal do Maranhão, por meio do Departamento de Assuntos Culturais da Pró-Reitoria de Extensão, com apoio de organizações públicas e empresas, o 34º Festival Guarnicê já está com inscrições abertas no site www.cultura.ufma.br.

O Festival é um grande painel de difusão e fomento ao Cinema Brasileiro, favorecendo o intercâmbio entre países ibero-americanos e de língua portuguesa. 

Constituído de mostras competitivas e não competitivas, o 34º Festival Guarnicê de Cinema aceitará filmes na bitola 35mm e vídeos realizados no sistema NTSC, em qualquer formato de captação. As mostras não-competitivas serão realizadas em sistema de itinerância e constituídas de vídeos e filmes em curta, média e longa metragem, convidados os que não se enquadrem nos critérios da competição.

A edição do festival este ano manterá os concursos Guarnicê de Filmes Longa Metragem; Guarnicê de Filmes Média e Curta Metragem; Guarnicê de Vídeos; Troféu Guarnicê para Tele-Reportagem, exclusivo às emissoras de televisão do Maranhão; Troféu Guarnicê para Comercial, destinado apenas às agências e produtoras de vídeos maranhenses e ainda os Troféus Guarnicê para Vídeo 1 Minuto e Videoclipe.

Poderão participar cineastas e videastas brasileiros, ibero-americanos e de países da língua portuguesa. Cada participante poderá inscrever até dois filmes e/ou vídeos, de longa, curta e média metragem.

Vale lembrar: a duração para Curta Metragem é de até 15 minutos, Média Metragem (16 a 59 minutos) e Longa Metragem (70 a 130 minutos). O festival tem tema livre. Não serão aceitos, de nenhuma forma, trabalhos que já competiram nas edições anteriores do Guarnicê.

O responsável pela inscrição deverá permitir a doação de uma cópia da sua obra audiovisua,l em mídia digital no formato DVD, por meio do preenchimento da Ratificação de Permissão à UFMA para incorporação ao acervo do Departamento de Assuntos Culturais. Para todos os trabalhos (filmes e vídeos), o responsável pela inscrição deverá enviar Declaração à coordenação do Festival informando que dispensa cobrança oriunda de direito autoral por parte do ECAD (Lei 9.610/98). Essa declaração deve ser assinada pelo autor da Trilha Sonora e o diretor da obra audiovisual.

A inscrição do trabalho deverá constar de: a) Preenchimento da ficha de inscrição, tendo em anexo fotos, releases, currículo em CD-ROM (extensão JPEG ou TIFF) para imagens com 300 dpi e para textos em Word para divulgação. Cada trabalho deve ser gravado em DVD, individual e identificado com nome, endereço, telefone e e-mail e Declaração dos Direitos autorais e Ratificação de Permissão.

Os trabalhos inscritos e seus anexos deverão ser entregues ou enviados por postagem à: UFMA/PROEX/DAC – FESTIVAL GUARNICÊ DE CINEMA. Rua Grande, 782 – Centro. CEP: 65020-250. São Luís/MA. Informações: 98 3231 2887 (Coordenação) – 3232 3901 (Secretaria) e 3221 0756 (Informática). Por email: dac.audiovisual@ufma.br, até as 18h na coordenação do Festival e até as 23h59 de 10 de junho/2011 pela internet.

Saiba mais: http://www.cultura.ufma.br.

Olhar de João Encanta…

O curta-metragem OLHAR DE JOÃO, com direção da jornalista goiana Mariley Carneiro, é um documentário de pouco mais de 20 minutos que vem colecionando prêmios em festivais pelo país e já tem agenda internacional.  

 

Fotográfo João Caetano, tema do DOC, com Mariley Carneiro e Jaubas Alencar, diretor de Desenvolvimento do Banco do Nordeste do Brasil no Maranhão        Foto Lauro Vasconcellos

A Sinopse do curta diz: Pensar como a natureza pensa. Mas como é pensar como a natureza pensa, se a gente não percebe a natureza e a despreza?” Ela grita, agoniza, pede socorro, mas quem vê ? O documentário Olhar de João mostra a forma singular com que o fotógrafo João Caetano, vê as faces e formas ocultas em pedras, troncos, flores e frutos. Um alerta através da fotografia. 

Sobre o filme, o cineasta Andreson Carvalho diz: 

 

Assisti ao filme e quero parabenizá-los. Ele merece não só os prêmios recebidos no Guarnicê, como muitos outros. Tudo no filme se encaixa perfeitamente. Como o próprio João disse, a música contribuiu bastante na construção do filme.

Eu, particularmente, gostei de dois momentos: quando o João relata ter-se visto pela primeira vez numa fotografia e quando ele aponta e mostra os contornos das imagens percebidas por ele.Quando o filme termina, fica aquele gostinho de quero mais. Essa, na minha opinião, é a prova de um trabalho muito bem realizado.

 

O fotógrafo João Caetano, Markinho Itapary, Andreson Carvalho e Mariley Carneiro

 

Andreson Carvalho ajudando Mariley a carregar seus “Guarnicês”… foto Aurora Miranda Leão

Para conferir o trailler, acesse

http://festivalguarnice.blogspot.com/2010/06/clicks-fotos-lauro-vasconcelos.html

Vivas ao GUARNICÊ !!!

Atendendo a pedido da jornalista maranhense Izabel Almeida, traçei algumas considerações sobre o tradicional Festival Guarnicê de Cinema, aberto ontem à noite:

 
Acompanho o GUARNICÊ desde 2003 e de lá pra cá, venho notando melhoras e crescimento significativo no festival – aumento no número de inscrições, participação crescente de realizadores e adesão do público, diversificação da programação com mais mostras e itinerâncias, tendo inclusive gerado dois frutos importantes: o festival de Vídeo de Bolso e o Curta Lençóis. Costumo dizer, carinhosamente: o Guarnicê é o Festival MAIS FESTEIRO DO BRASIL !

O Guarnicê foi minha porta de entrada para o Maranhão. Conhecer São Luís foi uma experiência especial e modificadora na minha vida. Achei linda a cidade e a maneira como as pessoas aprovam, aplaudem e curtem sua própria Cultura.

O Centro Histórico de São Luís é uma jóia preciosa e o coordenador do festival por mais de 3 décadas, Euclides Moreira Neto (que se tornou meu amigo querido), sempre fez questão de prestigiar as maravilhas peculiares à São Luís, ofertando o rico acervo cultural maranhense aos visitantes de outros estados, possibilitando uma interação prazerosa e frutífera entre todos os convidados e realizadores, das várias regiões brasileiras, tendo o Centro Histórico como grande ponto de referência e difusão da cultura maranhense. O novo coordenador do festival, que assumiu o leme ano passado, professor Alberto Dantas, chegou com disposição e tem tentado, com determinação e empenho pessoal, levar adiante a honrosa tradição do festival, marco na história do audiovisual brasileiro. 

 

Alice Gonzaga, Aurora Miranda Leão e Euclides Moreira Neto no hall do Grand São Luís Hotel em 2008

            Através do GUARNICÊ conheci a beleza ímpar do Bumba-meu-Boi e do Cacuriá e a energia contagiante do Tambor de Crioula. Tornei-me, desde então, uma adepta de primeira hora do Boi e do Tambor, e, orgulhosamente, possa dizer ter sido muitas vezes chamada de “coureira” – grito de guerra entoado pelas mulheres que praticam a gostosa dança ao som dos tambores esquentados e calorosos, típicos da sonoridade da terra de Arthur Azevedo.

Não foram raras as vezes em que cheguei a Fortaleza com os pés “premiados” por enormes calos, adquiridos nas maviosas danças do Tambor. É tanta minha sintonia com os ritmos maranhenses que cheguei até a realizar um curta chamado SANTALEGRIA, uma declaração apaixonada de apreço e respeito pela cultura popular do estado que faz fronteira com meu berço natal. 

              

Pura diversão a quadrilha que celebrou o encerramento do Guarnicê 2007

 Desde que conheci São Luís, estar na capital maranhense durante os festejos juninos tornou-se saudável “obrigação”. É uma alegria imensa presenciar e participar deste que é o São João mais eclético e intenso do Brasil. Aliás, é no Maranhão onde o Nordeste pulsa mais forte em mim e sinto-me em casa quando avisto os primeiros sinais do Centro Histórico de São Luís.

 

O GUARNICÊ é um festival tradicional e de suma importância para a cultura audiovisual do país. Quando comecei a freqüentá-lo, comecei a perceber sua grandeza e espaço privilegiado no cenário artístico do país. Constatei não tratar-se apenas de um festival de cinema mas um enorme congraçamento de várias formas artísticas, no qual a dança, a música, os folguedos populares, o cinema, a gastronomia – e mais recentemente, as novas mídias – interagem formando um multifário mosaico a pulsar em  cores, ritmos, sons, sabores, alegrias.

 

Leona Cavalli, Aurora, Fafy Siqueira e Teca Pereira na edição 2998

É fácil perceber também, para quem atua há cerca de 10 anos na cobertura jornalística de vários eventos culturais: o Guarnicê é um festival que mobiliza as atenções de criadores – entre diretores, roteiristas, fotógrafos, atores, técnicos – de todo o país, o que é evidenciado pelo número sempre muito grande de inscrições, chegadas de vários cantos do país.

 

Lucélia Santos, homenageada da noite de encerramento (edição 2008), e Veiga Júnior, sempre uma força na organização

É sempre significativo o número de inscrições de filmes cearenses, e há sempre um número considerável de produções do Ceará concorrendo aos troféus do Guarnicê.Lembro muito bem quando em 2006 a colega realizadora Michelline Helena, roteirista profícua, de atuação marcante no Ceará, ganhou vários prêmios com seu curta Marilza e a Lata de Leite Condensado… Aliás, uma das coisas que sempre me chamou a atenção no festival, foi o interesse toda vez demonstrado por realizadores de todo o país em participar do festival.

 

O querido amigo ALLAN RIBEIRO, premiadíssimo no festival de 2007 do Guarnicê… aliás, ganhar prêmios é uma constante na trajetória de Allan. Saravá !!!

Quanto à edição deste ano, que prevê mudanças como a escolha do Centro de Convenções para as exibições, e que recebe aporte financeiro especial – tendo inclusive a Petrobrás como marca única a “Apresentar” o Festival -, acredito possa trazer um diferencial capaz de ressignificar valores, estratégias e ações, visando a uma amplitude na abrangência do festival, dotando-o de maior visibilidade junto à cadeia produtiva da cultura, e demarcando sua realização como de extrema relevância para o fomento e incremento da produção audiovisual, sobretudo do Nordeste.

 

Euclides Moreira Neto, hoje presidente da Fundação Municipal de Cultura, Rosamaria Murtinho (homenageada 2006) e Aurora Miranda Leão

    Meus votos sinceros e incentivo indormido para que o Guarnicê se reafirme EVENTO DE SUMA ACUIDADE para a Cultura do Nordeste, abraçando cada vez mais as manifestações populares típicas e tradicionais da região como valores do Patrimônio Imaterial Brasileiro, e reverbere, nos quatro cantos do país, como espaço irradiador, multicultural, abrangente e necessário para a produção, exibição, formação e discussão sobre o lugar permanente de destaque no qual queremos ver o CINEMA BRASILEIRO incluído, sempre mais.

 
 
Rubens Ewald Filho, Aurora Miranda Leão e Paulo Betti em noite de lançamento literário na edição 2007 do Guarnicê. Foto Lauro Vasconcelos.

GUARNICÊ Começa TERÇA

A foto que anuncia o Blog é nossa Homenagem à calorosa festa do Bumba meu Boi do Maranhão, que esta semana vai estar a todo vapor na capital maranhense…

… onde na terça terá o Centro de Convenções acolhendo a 33a edição do Festival GUARNICÊ de CINEMA, o mais festeiro do Brasil !

A convite do professor Alberto Dantas, coordenador do festival, e do Departamento de Arte e Cultura da UFMA – promotora do evento – estamos afivelando as malas para curtir mais uma edição do Guarnicê, que vai do dia 22 ao dia 26.

A caminho de São Luís também o querido amigo e poeta Jorge Salomão e a incansável e doce Bernadete Duarte. Viva !

 

Bernadete, Jorge Salomão e Aurora: trio União pelo Cinema

 

A beleza e a energia contagiante das festas populares maranhenses… onde o São João é muito MAIS !

Selecionados do Guarnicê

         A Universidade Federal do Maranhão, por meio do Departamento de Assuntos Culturais, divulga filmes e vídeos selecionados para as msotras competitivas da 33a edição do Festival Guarnicê de Cinema, a acontecer de 22 a 26 de junho, no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana, no Cohafuma, em São Luís. Competirão 23 vídeos dos estados de São Paulo, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Goiás, Ceará e Pernambuco.

            O Guarnicê é uma promoção da UFMA, por meio dos departamentos de Assuntos Culturais (Proex), Artes (CCH) e Comunicação Social (CCSo). A realização é da Fundação Sousândrade, com co-patrocínio do Banco do Nordeste do Brasil (BNB). O Festival tem apoio cultural do Governo do Maranhão (Secretárias de Turismo e Cultura); Prefeitura de São Luís (Sec. de Turismo e Fundação Municipal de Cultura).

Também apóiam o 33º Guarnicê as empresas Produsan Cine & Vídeo, Estúdios Mega Rio de Janeiro, Megacolor, Wizard Idiomas e Universidade FM.

Os 23 vídeos selecionados: A Pensão dos Caranguejos, de Marcelo Presotto (SP); A pedra que o estilingue lança, de Ana Cristina Murta (ES);  Canoa Caiçara, de Luiz Bargmann Netto (SP); Tratado de Liligrafia, de Frederico Pinto (RS); Damas, de Marton Olympio e Michelangelo Moura (RJ).

Também concorrem: Libertas, de Jackson Abacatu (MG); Darluz, de Leandro Goddinho (SP); Imagine uma menina com cabelos de Brasil…, de Alexandre Bersot (RJ); Olhar de João, de Mariley Carneiro (GO); Enciclopédia, de Bruno G. Barreto (RS); Céu Limpo, de Marcley de Aquino e Duarte Dias (CE); Os anjos do meio da praça, de Alê Camargo e Camila Carrosine (SP); O Jumento santo e a cidade que se acabou antes de começar, de Leonardo Domingues e William Paiva (PE);

Também na disputa, os vídeos Tereza, de Cor na primeira pessoa, de Amaro Filho e Marcilio Brandão (PE); Ao meu pai com carinho, de Fausto Noro (SP) e mais os seguintes vídeos maranhenses: Na Costa da Minha Mão, de Andréa Barros (MA); Caos, de Ricardo Balata (MA); Mar de Rosas, de Rwanyto Oscar (MA); O Destruidor de Ilhas, de Denis Carlos (MA); Ruídos do Tempo, de André Garros e Gabriel Carvalho (MA); Aquarela Periférica, de Nayra Albuquerque (MA); Quilombo – Terra de Preto, de Lu Martins (MA) e São Raimundo Nonato dos Mulundus – O Santo Vaqueiro, de Vicente Barbosa Simão Junior (MA).