Arquivo da tag: filme de Selton Mello

Filmes brasileiros concorrem ao Troféu Golden Maple em Toronto

270 filmes inscritos à mostra competitiva com produções dos últimos dois anos
A mostra competitiva do BRAFFTV – Festival de Cinema Brasileiro em Toronto® chega à sexta edição com 270 filmes inscritos e Curadoria de Hudson Moura – PhD em Cinema pela Universidade de Montreal, pós-doutorado em Cinema Intercultural pela Universidade Simon Fraser – Vancouver, e responsável por ministrar cursos de cinema na Ryerson University e OCAD University em Toronto.
Ao todo, 45 produções serão exibidas. Na competição, 36 filmes produzidos nos últimos dois anos concorrem ao Troféu Golden Maple nas categorias: Melhor Filme, Diretor, Atriz, Ator e Júri Popular para longa, média e curta-metragem de ficção, havendo ainda um troféu para Melhor Documentário.
É este o belo troféu que levam os vencedores do BRAFFTV…
O júri é formado por profissionais do audiovisual canadense, dentre eles, George Ayub, distribuidor de filmes no circuito internacional, e Diana Sanchez, programadora internacional do  TIFF – Toronto International Film Festival para a América Latina, Espanha e Portugal. A disputa é intensa: salas simultâneas exibem os filmes em sessões começando com diferença de uma hora no Carlton Cinema durante os dias 12, 13 e 14 de outubro.
Segundo o Curador, o BRAFFTV apresenta um Brasil que o estrangeiro não conhece e o brasileiro no exterior sente saudade. Desnuda o país com histórias de contrastes entre pobres e ricos, executivos e poetas, movimentos sociais, culturais e artísticos. “Alguns festivais gostam de enfatizar que o Brasil não é só samba, carnaval e futebol. Eu prefiro pensar que o cinema é a melhor forma do estrangeiro conhecer as paixões brasileiras ‘globalizadas’, seja pela força narrativa ou dramática das histórias”, ressalta Hudson Moura.
Para a abertura de gala o filme Xingu, de Cao Hamburger, será exibido dia 11, no Bloor Hot Docs Cinema, e Raul – O Início, o Fim e o Meio, encerra o Festival dia 14, no Carlton Cinema.
O 6ª BRAFFTV apresenta filme para todos os gostos com suas ficções e documentários: de comédia a drama, de biografia a meio ambiente, de rock a samba, de política a futebol. Até crianças, de 4 a 7 anos, terão uma sessão exclusiva.
A 5ª edição do ‘UpTo3’ , dedicada a filmes para novas mídias com até 3 minutos de duração, acontecrá dia 14. Também neste dia, a 2ª edição do Brah-zoo-kah apresenta filmes produzidos por brasileiros que moraram fora do país, e a 1ª  edição do Brasil visto por outros olhos exibe o filme Curitiba é possível, de Jörg Pibal e Paul Romauch.
Já em parceria com a empresa colombiana Ley en Movimiento, as organizadoras realizam em Toronto, a partir do dia 26, a mostra Pink Latino Diversity, cuja filmografia é  voltada à temática da diversidade urbana, sexual e de gênero.
Na área de conhecimento, o BRAFFTV oferece gratuitamente uma Oficina de Documentários para o público leigo, com o objetivo de mostrar a evolução do gênero no Brasil e produzir um filme.
Filme de SELTON MELLO, candidato brasileiro ao Oscar, é um dos concorrentes…
Para comemorar os 25 anos da imigração brasileira em Toronto, o cineasta Toni Venturi apresentará seu filme Under the Table, produzido há 25 anos, quando ele ainda era estudante da Ryerson University no Canadá. Após a exibição, haverá debate aberto ao público interessado em multiculturalidade.
Complementam a agenda do Festival, ações voltadas ao mercado. Dentre elas, workshops, visitas técnicas, networking com profissionais da indústria do audiovisual canadense e apresentação de cinco pilotos de documentários  para Agentes de Mercado (distribuidores, exibidores, compradores).
As organizadoras do festival, Cecília Queiroz – Puente (BR) – e Bárbara de la Fuente – Southern Mirrors (CA) – acreditam que o cinema é um veículo propagador da cultura brasileira, aproximando nações, gerando negócios e despertando a curiosidade do espectador para histórias e destinos surpreendentes. Do Acre, ao Rio Grande do Sul, de Pernambuco ao Mato Grosso, o Brasil está completamente documentado e contado em histórias que merecem ser partilhadas no BRAFFTV.
O premiado longa ‘Rânia’, da cearense Roberta Marques, figura entre os concorrentes…
Enquanto espera o início das sessões, o público canadense pode conhecer um pouco mais do Brasil na II Exposição de Produtos e Serviços Brasileiros, no hall do Carlton Cinema (12 a 14/10).
Slogan do BRAFFTV 2012: Você será fisgado pelo Brasil !
O termo fisgar no Brasil e no Canadá tem o sentido objetivo de pegar, pescar o peixe. Já no sentido figurativo, a interpretação é diferente nos dois países: fisgar no Brasil está relacionado a ficar envolvido em algo inusitado e apaixonante; no Canad,á o termo está associado a ficar viciado por algo. Que seja pelo cinema brasileiro ! Este é o convite do BRAFFTV !
Mostra Competitiva – Longas
Cartas para Angola                                 2011  Documentário 75’          Coraci Ruiz e Julio Matos
Coração do Samba                                  2011  Documentário 72’          Thereza Jessouroun
Corações Sujos                                       2011  Ficção 107’                    Vicente Amorim
Dois Coelhos                                           2011  Ficção 108’                    Afonso Poyart
Estamos Juntos                                      2011  Ficção 95′                      Toni Venturi
Futebol de Várzea                                   2011  Documentário 82´          Marc Dourdin
O Palhaço                                                2011 Ficção 88’                       Selton Mello
Os Últimos Cangaceiros                        2011  Documentário79′            Wolney Oliveira
Paralelo 10                                               2011  Documentário 87’           Silvio Da-Rin
Rânia                                                        2011 Ficção 85′                       Roberta Marques
Reflexões de um Liquidificador            2010  Ficção 80′                       André Klotzel
Rock Brasília – A Era de Ouro                2011  Documentário 111’         Vladimir Carvalho
Sobre Futebol e Barreiras                      2011  Documentário 110′         Arturo Hartmann, Lucas Justiniano, José Menezes, João Carlos Assumpção
Uma Professora Muito Maluquinha      2011   Ficção 88’                      André Alves Pinto e Cesar Rodrigues
Mostra Competitiva – Curtas/Médias
Até a Vista                                              2011 Ficção 20`                        Jorge Furtado
A Dama do Estácio                                2012  Ficção 22`                        Eduardo Ades
A Galinha que Burlou o Sistema          2012 Ficção  15’                        Quico Meirelles
Bud’s Song’s Time                                 2011 Animação 3´47                 Helder Nobrega
Cadê meu Rango?                                 2012 Animação 4’15”                George Munari Damiani
Depois da Queda                                   2011 Ficção 17’                         Bruno Bini
Deus                                                        2011 Ficção 12´                         André Miranda
Elogio da Graça                                     2011 Documentário 25’              Joel Pizzini
Isso Não é o Fim                                    2011 Ficção 15’                         João Gabriel
Lápis de Cor                                           2011 Ficção 16`                         Alice Gomes
Maldito Gergelim                                    2012 Ficção 13′                         Flávio Barone
O Fim do Filme                                       2012 Ficção 15´                         Alison Zago, Richard Dantas
O Gigante                                               2012 Animação 10`30″               Julio Vanzeler, Luis Matta Almeida
O Veneno está na Mesa                        2012 Documentario 50`              Silvio Tendler
Passo Compasso                                  2012 Ficção 7`                            Caroline Fioratti
Piove, il Film di Pio                               2012 Documentário 14’56’’          Thiago Mendonça
Premonição                                           2011 Ficção  13’                           Pedro Abib
Procurando Madalena                          2010 Documentário 18`               Ricardo Salles
Qual Queijo Você Quer?                      2011 Ficção 11`15″                      Cintia Domit Bittar
Tocaia para Tuco Valente                    2011 Ficção   15’                          Evandro Goy
Uma Vida Inteira                                    2011 Ficção 15`                           Ricardo Santini, Bel Ribeiro
Urânio Picuí                                           2011 Documentário 15´               Tiago Melo, Antônio Carrilho

AGENDA

·         20/09 – Pré-BRAFFTV com exibição gratuita do clássico Marvada Carne (Biblioteca Pública Palmerston);
·         3/10 – Festa de lançamento do 6º BRAFFTV (Lula Lounge);
·         3/10 e 12/10 – Oficina de Documentário (Universidade de Toronto);
·         11/10 – Abertura do BRAFFTV com o filme Xingu (Bloor Hot Docs Cinema);
·        11/10 – Debate 25 anos de Brasil no Canadá  com a presença do cineasta Toni Venturi exibindo seu filme Under the table
·        11 a 14/10 – Sessão Brah-zoo-kah: Filmes produzidos por brasileiros que moram fora do País (Carlton Cinema);
·        12 a 14/10 – Exposição de produtos brasileiros no hall do Cinema (Carlton Cinema);
·         12 a 14/10 – Mostra Competitiva BRAFFTV – Documentário, ficção e animação em curta, média e longa metragem (Carlton Cinema);
·         14/10 – Encerramento do BRAFFTV com o filme Raul – O Início, o Fim e o Meio (Carlton Cinema);
·         14/10 – Cerimônia de premiação do BRAFFTV (Carlton Cinema);
.         14/10 – Sessão Brazil visto por outros olhos (Carlton Cinema);
·        14/10 – 5ª Mostra Competitiva UpTo3’ – filmes para novas mídias com duração de até 3 minutos (Carlton Cinema);
.          26 a 28/10 – Pink Latino Diversity (Carlton Cinema)

BRAFFTV – Linha do tempo

Prêmio Golden Maple
·1500 filmes inscritos em 6 anos
·210 filmes exibidos em 5 anos
Público
· 11.800 espectadores em 5 anos
Perfil
Canadenses: 52%
Brasileiros: 35%
Outras: 13%
Principais filmes exibidos:
·  Boca, Budapeste, Divã, Estômago, Fábrica, Fabricando Tom Zé, Loki – Arnaldo Baptista, Lula – o Filho do Brasil, Meu Nome não é Johnny, Não por acaso, Querô, Rosa Morena, Simonal – Ninguém sabe o duro que dei, Tempos de Paz;
Apoio
O BRAFFTV faz parte do Fórum dos Festivais e conta com apoio do Consulado Geral do Brasil em Toronto, Mellohawk Logistics, Brasil Remmitance, DBOR Design, Brazuca – Brazilians United in Canada. O apoio de mídia é da Maxpress, OiToronto, Jornal da Gente, Nossa TV Canada, Etc & Tal, Brasileiros no Canadá, Wave e Jornal Centro em Foco. Os prêmios serão oferecidos pelo CiaRio e pelo artista plástico Beto Jardim. O apoio institucional é de Raindance Canada, Canal Brasil, Ponto & Letra, Martha Rangel,  A Docuvixem Film.

O PALHAÇO abre amanhã Mostra Internacional de BH

O Palhaço une talento de Selton como Ator e Diretor

Selton Mello tem 38 anos. Mas, se funcionário padrão fosse, já poderia pedir a aposentadoria por tempo de serviço. “Tenho 30 anos de carreira”, contabiliza, sorrindo.

“Nisso, sou meio parecido com os palhaços, que crescem no picadeiro, que se sucedem de geração em geração”, diz o ator. “Comecei a ser ator muito pequeno… Era mágico. Adorava ver aquelas câmeras, aquela gente…”

Não é preciso ser psicanalista para perceber que, por trás do nariz vermelho de Benjamin, protagonista de O Palhaço, esconde-se a face íntima de Selton, aquela que a maquiagem disfarça.

O filme, que será exibido pela primeira vez no Festival de Paulínia, em julho, mergulha no universo circense em busca de uma resposta: o que significa, na essência, ser um artista?

  Guilherme Maia/Divulgação  
O ator Selton Mello em cena de "O Palhaço" (2011), dirigido por ele próprio
O ator Selton Mello em cena de “O Palhaço” (2011), dirigido por ele próprio

DUAS FACES

Em seu segundo longa como diretor, Selton parece ter unido as duas versões de sua carreira: a cômica e a densa.

É como se, depois de uma década, os personagens de “O Auto da Compadecida” e “Lavoura Arcaica” se reencontrassem, amalgamados.

“Não pensei nisso, mas o circo tem uma mistura de sentimentos, é melancólico, mas divertido…”, reflete.

“O filme fala sobre identidade, e este é um momento feliz para mim”, diz. “O filme tem essa calma, essa delicadeza. O personagem está em crise, mas o filme homenageia o lado bendito da vida.”

Nesse sentido, O Palhaço é o oposto de Feliz Natal, sua estreia na direção. Hoje, Selton define o primeiro filme como um grito. “Era como se eu quisesse dizer: ‘Também sou isto aqui!’ Foi o início de uma nova fase.”

Essa novidade contempla, cada vez mais, a direção. Além dos dois longas, Selton dirigiu um episódio da série “A Mulher Invisível” e o talk-show “Tarja Preta”.

Seu desejo com O Palhaço, “comédia lírica” que estreia em outubro, é fazer algo popular e profundo.

“Não me conformo que, para fazer sucesso, um filme tenha que abrir mão de camadas mais sensíveis.”

NA ESTRADA

Antes de construir seu picadeiro, Selton pegou a estrada atrás de circos e histórias. O primeiro palhaço que conheceu, em 2009, foi Biribinha, de Maceió. O que deu nome ao personagem do filme foi Benjamin de Oliveira (1870-1954), ex-escravo que fugiu para seguir um circo.

Antes de tomar para si o papel, ofereceu-o a Wagner Moura e Rodrigo Santoro. Os dois tinham problemas de agenda. E os dois perguntaram: “Por que você não faz?”.

Selton achou boa a ideia e chamou, para ser seu pai, também palhaço, Paulo José. “Pra mim, era uma alegria ver o Paulo, o Macunaíma [do filme de Joaquim Pedro de Andrade], ali comigo.”

Como em Feliz Natal, ele se esmerou no elenco. Estão em cena, por exemplo, Teuda Bara, do Grupo Galpão, e o cantor Moacyr Franco.

Selton se prepara, agora, para colocar no mundo seu palhaço. “É um momento novo o de falar sobre o filme. Mas vai ser bom fazer isso. Vou ter muito prazer em apresentar o meu palhaço.”

* Texto de ANA PAULA SOUSA