Arquivo da tag: filmes e programação do Comunicurtas

Alguns detalhes ‘tão pequenos’ e fundamentais do ComuniCurtas

O Festival que concentra os maiores holofotes do Cinema Brasileiro hoje está no Nordeste, mais precisamente em Campina Grande, onde desde segunda é intensa a movimentação por causa da Sétima Arte.

Para quem não pode acompanhar de perto, e para você que também está nestas acolhedoras terras paraibanas, aqui vão uns DETALHES que fazem toda a diferença:

* A vibração e profissionalismo de ANDRÉ DA COSTA PINTO, o jovem idealizador e grande dínamo da agitação cultural que movimenta Campina Grande desde os 17 dele, quando ingressou nas lides do Jornalismo e do Teatro, e acabou ancorando no Cinema, pra felicidade da Sétima Arte;

André da Costa Pinto, que vai exibir amanhã seu longa Tudo que Deus Criou

A presença de tantas pessoas do cenário audiovisual brasileiro, das mais diferentes partes do país, integrando as diversas comissões julgadoras das mostras competitivas;

A qualidade, diversidade e quantidade de filmes produzidos em Campina Grande, graças ao apoio constante e fundamental da UEPB;

O nível das produções exibidas e o encantamento dos realizadores de outros Estados com a noite de Campina e a programação, conferida de perto por um público atento e interessado;

A indormida atenção e carinhoso cuidado de toda a equipe de produção com os muitos realizadores e convidados, tendo Ana Célia Gomes e Carol Torquato Ledo à frente da galera;

A atuação silenciosa e eficiente de Emanuel Dias, Waldírio Castro, Felipe Lavorato, Fabíola Rodrigues, Lizie Brunet, Ira de Guadalupe, Amanda Janine, e todos os muitos outros que, nos bastidores, permitem que o festival seja o sucesso que é – perdão aqueles cujos nomes me escapam agora: vocês são muitos e nem sempre estão no palco, a memória vê mas o corrre-corre apaga;

A presença ‘cariocamente internacional’ de Shirley Miami, que alegrou a noite da terça com um modelito reluzente by Saara;

A ausência mais sentida: a da atriz Arly Arnaud, figurinha adorada e sempre animada em todas as edições do festival, mas que não pôde estar aqu ieste ano por conta de compromissos com sua companhia teatral;

Bruno Oliveira, artista e amigo querido, apresentou sua ”Shirley Miami” aos conterrâneos e convidados, e foi muito aplaudido…

A presença delicada, benfazeja e sempre iluminante da gaúcha Liege Nardi;

Moema Vilar e Aurora M. Leão defendem Cine São José, ComuniCurtas 2011

As falas comovidas e comoventes de Moema Vilar e Carlos Moska, que levaram emoção ao palco do SESC e contagiaram a plateia;

Thaíse Carvalho e Tayra Sódi: sintonia com o público que lota todas as sessões…

A atuação incrivelmente contundente de Thaíse Carvalho, bela jornalista, em curta cheio de mistérios… ela que, ao lado da sapeca e lindinha Tayra Sódi apresenta todos os anos o ComuniCurtas – as duas são um ponto alto do Festival realizado pela UEPB;

A abertura das exposições INTERIORES – DIVERSIDADES, com fotos de Walter Antunes e conceitos de Fábio Takahashi, de São José do Rio Preto (SP); FETICHES, do fotógrafo, cineasta e produtor Wagner Pina; e a Paralelo Utópico, do jovem design Belarmino Neto, que consegue assinar criações artísticas a partir do casamento desenho x imagem virtual, revelando clara influência do Surrealismo e da Arte Escura, criando um panorama imagético quase psicodélico e instigante.

Visitante confere expô de Belarmino Neto (foto Walter Antunes) no Sesc…

Quem é de Campina Grande e da Paraíba, e está ausente do ComuniCurtas, está perdendo muito. Os que são de outros Estados, sabem que perdem muito, e podem acompanhar notícias aqui pelo Aurora de Cinema.

Noite de abertura do Comunicurtas, que vem cheio de atrações, e revelando novo talento campinense

Saí de Fortaleza no comecin da manhã de domingo e antes das sete o avião tocava rumo a Salvador, pra de lá então, depois de algumas horas, fazer a rota até Campina Grande.

A chegada na cidade paraibana foi supimpa ! Desembarquei no começo da tarde e tive no voo a companhia do diretor Ives Albuquerque aplacando meu medo de avião… Alegria avistar, ainda de longe, quando aguardava minhas malas apontarem na esteira, o rosto de meu amado convidante.

Ira de Guadalupe, André da Costa Pinto e Cíntia de Oliveira: gente que faz o Comunicurtas…

Anfitrião de primeira, André da Costa Pinto estava no aeroporto, como sempre, cercado por gente de sua adorável equipe como as queridas Cintia de Oliveira e Fabíola Rodrigues. No hotel, o reencontro com minha queridamiga Aninha – cineasta Ana Célia Gomes -, e mais tarde com outra parceira do Bem, Carol Torquato Ledo, e com o querido fotógrafo Wagner Pina. 

Campina Grande conta visíveis progressos e está ainda mais bonita à noite. No cardápio, deliciosas massas do “Spoleto”, e vem muito mais coisa boa por aí. O fotógrafo Walter Antunes e a cantora Luama Socio já estão por aqui. Os demais convidados chegam logo mais. A semana de CINEMA na cidade paraibana promete bastante auê e alegrias multicoloridas. Desde já, PARABÉNS à UEPB e a este aguerrido CineastArtista, André da Costa Pinto, um eterno e, cada vez mais, Queridooooo !

André da Costa Pinto: um dínamo que o Teatro deu ao Cinema… Queridooooo !
De presente deste menino cineasta inquieto-talentoso-indormido e eletrificante ANDRÉ DA COSTA PINTO – apaixonante desde a primeira vista -, ganhei uma mochila ultra hiper chic fashion… fui às nuvens rapidinho. Logo eu, que amo bolsas, inda mais da cor telha. Pasmem !
Foi isso mesmo que ganhei de André: uma estilosa mochila na minha cor predileta, criação de um jovem, talento, ousado e criativíssimo artista visual e estilista de acessórios, por nome Belarmino.
* Para os que sabem de André da Costa Pinto, é fácil supor ter sido ele quem descobriu e agora revela o promissor artista que acabo de conhecer, com satisfação, em Campina Grande. O nome dele é Belarmino.
Ana Célia Gomes e André da Costa Pinto: amizade longa e parceria profícua…
É preciso carregar alma de Artista e ter sensibilidade de ourives para descobrir,  em breves momentos e poucas linhas, o cerne da artisticidade que irrompe em pequenos gestos e decisivas posturas diante do cotidiano.  André tem este perfil, por isso traz sempre consigo esses condões de luz que contagiam e prospectam novas panorâmicas criativas.
É tão charmoso e bonito este Belarmino, tão afetuoso,  singelo e, criador de maravilhas com coisas impensadas, que resolvi chamá-lo Belê. Ele é a própria imagem da beleza, da originalidade, da fecundidade fashionista a expandir-se por várias plataformas, as quais vai imaginando e concretizando em finas iguarias, a serem  reveladas ao público do COMUNICURTAS em exposição que será aberta terça, na segunda noite do concorrido festival.

É de Belarmino (BELÊ) a incrível mochila que já faz parte das relíquias de meu guarda-acessórios. Em breve, postarei fotos aqui pra você, leitor amigo, conferir.

Imagine de que material é feita a mochila….

De um material que todo mundo acredita servir apenas para embalar o cimento que serve de invólucro a tantas construções.

Em breve, falo mais sobre as incríveis criações de Belarmino por aqui e mostro fotos pra você, leitor amigo, pra quem este Aurora de Cinema é dedicado.