Arquivo da tag: filmes

Inscrições de filmes para Outros Cinemas

Sexta edição da Mostra audiovisual cearense acontecerá em maio

A Mostra Outros Cinemas está com inscrições abertas para a sua sexta edição. Os interessados devem enviar seus filmes até o próximo dia 22, segundo regulamento e ficha de inscrição presentes no site oficial (www.mostraoutroscinemas.com). Este ano, a Mostra vai acontecer na sala de exibição da CAIXA Cultural Fortaleza de 20 a 25 de maio, objetivando mostrar as diversas experimentações de realizadores brasileiros.

Além da programação não competitiva de curtas, a Mostra também contará com dois longas especiais, a serem definidos, e realizará debates sobre os filmes em exibição.

Podem ser inscritas produções de todo o País, realizadas na bitola 35 mm ou vídeos no sistema NTSC, em qualquer formato de captação, exigindo-se, no ato da inscrição, o encaminhamento da cópia em mídia digital DVD, individual e identificada com o nome do filme e o do seu diretor. Cada participante poderá inscrever até 2 (dois) filmes e/ou vídeos, de acordo com sua duração (curta metragem – até 23 minutos), sobre qualquer tema, e que não tenha participado de edições anteriores da Mostra Outros Cinemas.

Inscrições para a Mostra:

SEREIA FILMES – MOSTRA OUTROS CINEMAS
Rua Costa Barros, 1727 – Bloco A – Sala D – Aldeota
CEP: 60160-281 – Fortaleza – CE

Serviço:
VI Mostra Outros Cinemas (www.mostraoutroscinemas.com)
Data: 20 a 25 de maio de 2014
Local: CAIXA Cultural Fortaleza         Informações: 3244.6944

Festivais de Cinema recebem inscrições

Abertas até 30 de abril as inscrições à 8ª edição do BrasilCine – Festival de Cinema Brasileiro na Escandinávia, a acontecer em outubro e novembro, nas cidades de Estocolmo e Gotemburgo.

Serão aceitos curtas, médias e longas-metragens brasileiros, finalizados e/ou lançados entre 2009 e 2013, nas categorias de ficção, animação, documentário e experimental. Para se inscrever, o candidato deve preencher a ficha de inscrição no site do festival – http://brasilcine.se – e enviá-la impressa, juntamente com duas cópias do filme em DVD multi-região, e CD com imagens de divulgação, em alta resolução, para o endereço que consta no regulamento.

O BrasilCine é uma mostra de produções audiovisuais, de caráter não competitivo, cujo objetivo é divulgar a diversidade da produção cinematográfica independente brasileira, exibindo filmes oriundos de vários pontos do país.

Ainda abertas as inscrições para a 12ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis, que ocorre de 28 de junho a 14 de julho, no Teatro Governador Pedro Ivo Campos, na capital catarinense. Podem participar curtas-metragens nacionais de todos os gêneros e formatos, direcionados ao público infanto-juvenil e inéditos em Santa Catarina.

Todo o processo é online, incluindo o envio de cópias dos filmes. O prazo de inscrições vai até 21 de março e a relação das obras selecionadas será divulgada a partir de 23 de abril.

O Melhor Filme, eleito pelo Júri Oficial, e o Melhor Filme, escolhido pelo público infantil, receberão prêmio aquisição da TV Brasil, no valor de R$ 10 mil cada um. O Fim do Recreio, de Vinicius Mazzon e Nélio Spréa, do Paraná, e Disque Quilombola, de David Reeks, de São Paulo, foram os premiados de 2012.

Além dos curtas nacionais, o festival exibe curtas e longas-metragens internacionais, médias e longas brasileiros nas sessões especiais e de pré-estreias. Na última edição, mais de 120 mil crianças participaram do evento, cujo objetivo é a inclusão social, o fortalecimento e a circulação do cinema infantil brasileiro. Mais: www.mostradecinemainfantil.com.br

Até 8 de abril, prosseguem as inscrições para a 8ª Mostra Audiovisual de Cambuquira, mostra de curtas-metragens que acontecerá entre 10 e 14 de julho, em Cambuquira, cidade localizada no circuito das águas mineiro.

Os realizadores interessados em participar da seleção da MOSCA 8 devem inscrever seus filmes pelo site www.mostramosca.com.br.

Podem ser inscritos filmes de ficção, documentário, animação, vídeo experimental, infantil e vídeo coletivo com duração máxima de 30 minutos.

O caráter competitivo da MOSCA 8 se dará através do Júri Popular. Os espectadores poderão votar nos curtas ao final de cada sessão e eleger o 1º, 2º e 3º “Melhor Curta da MOSCA 8 – Júri Popular”.

Os curtas premiados pelo público receberão prêmios em serviços de empresas parceiras da mostra como CiaRio – Centro de Infraestrutura Audiovisual, Black House FX, Origami Cultural e Audiovisual, Contorno Áudio e Vídeo e CTAV – Centro Técnico Audiovisual (Secretaria do Audiovisual / Ministério da Cultura).

SESC Catanduva convida para lançamento de Cinema em Foco

Livro do jornalista FELIPE BRIDA é uma viagem por grandes filmes

Lanç Brida

Livro de FELIPE BRIDA é obrigatório para cinéfilos e estudantes de Cinema…

Inscrições para Festival em Chicago

Inscrições ao Festival Internacional de Cinema Latino vão até dia 21
A 29ª edição do Festival Internacional de Cinema Latino de Chicago, nos Estados Unidos, objetiva reunir filmes da América Latina, Espanha e Portugal para difundir a cultura latina no país. A produção é do Centro Cultural Internacional de Cultura Latina de Chicago e o festival vai acontecer de 13 a 27 de abril de 2013.
Todos os filmes em português devem apresentar legendas em inglês. Serão aceitos curtas e longas-metragens. Para realizar sua inscrição, é necessário preencher o formulário, enviá-lo on-line ou juntamente com o DVD, e pagar uma taxa de 50 dólares. Os proponentes das produções aceitas serão notificados por e-mail até 8 de fevereiro.

Cachoeira quer ver Documentários…

Até 15 de setembro, cineastas podem inscrever seus documentários de curta, média e longa-metragem no III CachoeiraDoc – Festival de Documentários de Cachoeira, que acontecerá de 4 a 8 de dezembro, no Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), na cidade de Cachoeira.

O Festival busca fomentar a cultura do documentário através da exibição de filmes, oficinas, debates e ciclo de conferências. Os interessados devem enviar vídeos produzidos a partir de 2011, em qualquer formato, incluindo vídeos feitos por câmeras em celulares e câmeras digitais, e em película 16 mm e 35 mm.

O Festival vai acontecer na cidade histórica de Cachoeira, onde foi lançado em 2010. Nas duas edições anteriores, cerca de 4.500 pessoas assistiram a um total de 85 filmes documentários (73 nacionais). Na Mostra Competitiva Nacional, ao todo, foram inscritos 356 filmes de todas as regiões do país. Entre os 43 selecionados, 13 eram médias ou longas-metragem, e 30eram  curtas.

Mais: www.cachoeiradoc.com.br

Inscrições CLOSE: Cinema pela Diversidade Sexual

O CLOSEFestival Nacional de Cinema da Diversidade Sexual é uma co-realização do SOMOS – Comunicação, Saúde e Sexualidade – com a Avante Filmes.

Este ano, o CLOSE está organizado de modo independente e rizomático, buscando fomentar a circulação e difusão  de produções audiovisuais, nacionais e internacionais,  compreendendo a potência das redes enquanto meios de  ação e articulação social.

A estrutura do festival consistirá, durante seis dias, em exibições de filmes em  espaços culturais e espaços alternativos, organizados em três mostras principais: Mostra Competitiva, com o melhor dos filmes curtas-metragens selecionados,  que disputarão premiações em 10 categorias; Mostra Paralela, não competitiva, com filmes selecionados pela Curadoria; e  Mostra Informativa, com uma seleção de filmes convidados – curta,  média ou longa-metragem – de conteúdo artístico, histórico ou social,  nacionais e estrangeiros; além de mostras especiais.

As inscrições prosseguem até dia 31 pelo site http://www.somos.org.br/close2012

O CLOSE 2012 vai acontecer de 16 a 21 de outubro, em Porto Alegre/RS.

ComuniCurtas: Selecionados serão divulgados semana que vem

 André da Costa Pinto, idealizador e coordenador-geral, avisa: semana que vem, serão divulgados os filmes concorrentes desta edição e serão abertas as inscrições para palestras e oficinas.
 
O AURORA DE CINEMA vai participar do Festival e integrar a cobertura diária de Imprensa do COMUNICURTAS para informar seus muitos leitores.

Rodrigo Santoro concorre a prêmio internacional

Rodrigo Santoro prossegue com ótima receptividade ao seu talento. A carreira profissional do ator segue seu ritmo de adesão internacional.

RODRIGO SANTORO concorre ao prêmio de Melhor Ator no Alma Awards  por sua atuação no filme O que esperar quando você está esperando. A premiação, que acontecerá em setembro, homenageia artistas latinos nos Estados Unidos.

No longa, Rodrigo Santoro interpreta o marido de Jennifer Lopez. O ator brasileiro concorre com Diego Boneta, por “Rock of ages”, Benicio Del Toro, por “Savages”, Andy Garcia, por “Greater Glory”, e Martin Sheen, por “The Way”.

Ao lado de Jennifer Lopez, Rodrigo Santoro está em novo longa estrangeiro…

O filme O que esperar quando se está esperando chega aos cinemas brasileiros em agosto. 

Cinema lota Theatro São João e Helena Ignez é aplaudida

AURORA DE CINEMA direto do I ENCONTRO NOSSAS AMÉRICAS, NOSSOS CINEMAS

O Encontro foi aberto numa manhã de chuva em Sobral, Theatro São João (1875) lotado, palavras descontraídas de boas vindas da Diretora, Bárbara Cariry (que estava muito elegante num longa de delicada estampa) , do Prefeito Clodoveu Arruda, e de uma realizadora do Equador, que falou ‘em nome dos povos originários’ e foi muito aplaudida.

Em seguida, o produtor argentino Tito Amejeiras coordenou a mesa de abertura, formada por vários cineastas do Caribe, da Guatemala e de Cuba. Na platéia, muitos jovens realizadores, produtores, organizadores de Festivais, os cineastas Rosemberg Cariry (pai de Bárbara, que fez a fala mais bonita do Encontro), e Geraldo Sarno, o cineclubista Claudino de Jesus (presidente da Federação Internacional de Cineclubes), diversos jornalistas de vários Estados, e ainda a Homenageada da noite, a atriz e cineasta Helena Ignez.

Você, amigo leitor, que me alegra e orgulha com sua visita cotidiana, vai me perdoar, mas este post só estará completo mais tarde, ou amanhã. Quando as imagens do que acontece em Sobral estarão aqui pra você conferir.

Tudo vai depender do andamento dos trabalhos em Sobral (e do bom fluxo da internet), pois as atividades são muitas e intensas, há representantes de mais de 15 países reunidos por aqui, a troca de experiências e convívios tem sido bem proveitosa, e se avolumam as ideias para a redação da Carta de Sobral – documento que será finalizado, lido e divulgado publicamente no último dia do I ENCONTRO NOSSAS AMÉRICAS, NOSSOS CINEMAS.

A Escola de Música é um bom equipamento cultural  do Estado, que abriga a sede das Mesas Temáticas de trabalho do Encontro, e é lá, no epicentro da sonoridade, onde o Cinema domina os corações e as conversas durante o dia. Porque há ainda oficinas sendo ministradas, de graça, para a população: Roteiro e Direção de Arte estão na pauta, e os professores são Michelline Helena e Sérgio Silveira.

Vale ressaltar também a acolhida super profissional da equipe de produção, onde há esmero no cuidado com participantes e convidados, e não posso deixar de ressaltar o sorriso sempre benfazejo e a atenção cuidadosa pra que tudo transcorra da melhor forma que atende pelo nome de Teta Maia, querida atriz e produtora, mãe da jovem Bárbara Cariry, que sonhou todo este evento e reuniu condições para realizá-lo.

A noite prosseguiu no Theatro São João e foi de emoção e beleza, oportunidade na qual Helena Ignez recebeu significativa placa de Homenagem, acompanhada de belo buquê de rosas e flores coloridas num bonito arranjo.

Por feliz coincidência, era a noite de aniversário da geminiana Helena Ignez e ela desceu do palco ao som dos PARABÉNS PRA VOCÊ ! de toda uma encantada plateia.

As fotos foram muitas e ficaram ótimas.

Mas ficam pro próximo post.

LG sobre ORSON WELLES : O crepúsculo de um gênio

O crítico L.G. de Miranda Leão escreve sobre os derradeiros dias da vida produtiva do cineasta ORSON WELLES…

Os anos 70 e 80 marcam a derradeira atuação de Orson Welles como roteirista, diretor e, às vezes, ator. Começam com “The Deep” ou “Dead Reckoning”, de 1970, baseada na novela “Dead Calm”, de Charles Williams, com Jeanne Moreau e Laurence Harvey. As filmagens aconteceram fora dos estúdios, na Dalmácia e Iugoslávia. Restrita aos cineclubes, a película não foi exibida comercialmente.

Em 1972, Orson Welles fez o roteiro de “O Outro Lado do Vento” (The Other Side Of the Wind) e dirigiu o filme, com o veterano John Huston no papel principal. As filmagens foram iniciadas em Los Angeles, mas não chegaram a ser concluídas. O drama gira em torno de dois veteranos de guerra. Eles estão a caminho de serem condecorados em Washington, quando um deles desaparece… Um “thriller” sombrio, tipo filme “noir” dos anos do pós-guerra. Uma pena não ter sido exibido comercialmente.

Em 1973, Welles escreveu também o roteiro e dirigiu “Verdades e Mentiras” (F for Fake) (“Verités et Mensonges”, título francês), uma produção França-Irã e Alemanha Ocidental, com Oja Kodar, Elmyr de Hory e Laurence Harvey. Um ensaio magnífico sobre as fraudes, truques e mentiras no mundo da arte. Numa estação de trem, Welles chega a pronunciar palestra sobre o tema, ilustrando-a com imagens pertinentes. Apesar do entusiasmo de alguns críticos presentes, “Welles parece agora mais um charlatão e menos um cineasta magistral”, opinião registrada no “Halliwell´s Film Guide”. “Ubi Veritas?”

Homenagens

Em 1976, com a presença de Ingrid Bergman, Frank Sinatra, Joseph Cotten, Janet Leigh, Laurence Harvey e mais 1,2 mil convidados, Welles recebeu o grande prêmio do “American Film Institute” por sua valiosa contribuição ao cinema. Anteriormente, essa distinção fora outorgada ao diretor John Ford e ao ator James Cagney. Em 1982, em reunião solene, Orson Welles foi condecorado com o grau de comendador da Legião de Honra, a mais alta distinção do governo francês. Como declarou o presidente François Mitterand, Welles era “um dos que conseguiram expressar, por meio da arte, o que existe de mais profundo na alma humana”, aqui entendido o termo como a parte incorpórea, inteligente ou sensível do ser humano; o pensamento, a mente, como se referia o saudoso cineasta Maurício Gomes Leite, sempre quando a palavra “alma” aparecia num texto ou num discurso … Os agradecimentos feitos por Welles foram bastante aplaudidos.

Em 1983, Welles recebeu o prêmio “George Méliès” por sua valiosa contribuição à evolução da linguagem cinematográfica, ao mesmo tempo um homenagem póstuma ao pioneiro incontestável da 7ª Arte, com seu poético e inventivo “Le Voyage dans la Lune”.

No mesmo ano, Welles também fez jus ao Prêmio “Luchino Visconti” por sua contribuição inestimável “à evolução da linguagem cinematográfica” e pelo seu legado de realizações imorredouras, como bem afirmou em entrevista o grande Stanley Kubrick, admirador de Welles desde “Cidadão Kane”. Em 10 de outubro de 1985, aos 70 anos, Welles saiu de cena solitariamente com a fama de “gênio maldito do cinema”… O editor Martin Claret foi incisivo: “O mundo amanheceu mais pobre. Orson Welles havia morrido”.

Welles e Bazin

Uma das coisas mais louváveis de Welles foi seu reconhecimento pessoal das teorias de André Bazin, nas quais o grande teórico francês privilegiava não só a “mise-en-scène” (a encenação), mas também a verdadeira continuidade em detrimento da montagem, bem assim a profundidade de foco e o “plan-séquence” (ou sequence shot) evitando centenas de cortes, às vezes até mais de mil durante um projeção. Soube-se disso não porque tivéssemos estado em Paris em busca de filigranas, mas porque, quando lá esteve, nosso saudoso Walter Hugo Khoury conversou sobre o assunto com alguns redatores dos “Cahiers” e deles ouviu que Welles já havia concordado com a visão percuciente de Bazin, segundo a qual é preciso privilegiar no cinema de hoje a encenação e a continuidade e deixar o excesso de cortes da montagem para quem quiser continuar com ela.

O crítico André Bazin em conversa com o cineasta François Truffaut…

François Truffaut também opinou sobre a questão. “A montagem pode destruir a realidade apreendida pela câmara, impondo-lhe ritmos que são os seus. Deve-se ter em conta, antes, a natureza das coisas, o sentido existente nas coisas e que o registro fixo aprisiona” afirmou, em entrevista à imprensa francesa, em setembro de 1960.

Em poucas linhas, o grande mestre do cinema sintetizou o sentido mais profundo da arte do cinema. Ei-lo: “Um filme não é realmente bom senão quando a câmara é um olho na cabeça do poeta. Tudo quanto é vivo num filme deriva da capacidade que a câmara tem de ver. Ela não vê naturalmente em lugar do artista, vê com ele. A câmara é, nesses momentos, muito mais que um aparelho registrador: é uma via por onde chegam as mensagens de um outro mundo, o mundo dos sonhos, o mundo do inconsciente, um mundo que não é nosso e que nos introduz no seio do grande segredo”.

 LG. de Miranda Leão é jornalista com mais de 50 anos de atividade ininterrupta como Crítico de Cinema, autor dos livros “Analisando Cinema” (Coleção APLAUSO – Imprensa Oficial de São Paulo) e “Ensaios de Cinema” (Edições BNB – Cultura da Gente).

Dono de extensa filmografia, Welles também foi ator e deixou obra sempre revisitada…

SAIBA MAIS

Filmografia:

1934 – Hearts of age (curta)
1938 – Too much Johnson (curta)
1941 – Cidadão Kane
1942 – Soberba
1942 – Jornada do pavor
1946 – O estranho
1948 – A Dama de Shanghai
1948 – Reinado de sangue
1949 – Memórias de um mágico
1952 – Othello
1955 – Grilhões do passado
1955 – Moby Dick rehearsed (TV)
1956 – Orson Welles and people (TV)
1958 – A Marca da Maldade
1958 – The Fountain of youth (TV)
1958 – Portrait of Gina (TV)
1960 – David e Golia
1962 – No exit
1962 – O Processo
1965 – Campanadas a medianoche
1968 – História imortal
1968 – Vienna
1969 – The Merchant of Venice (TV)
1970 – The Deep
1971 – London
1972 – The Other side of the wind
1975 – Vérités et mensonges
1984 – The Spirit of C. Lindbergh
1992 – Don Quixote
1993 – It´s All True

ORSON WELLES: divisor de águas na história da Sétima Arte…