Arquivo da tag: Globo Filmes

Wagner Moura de volta em novo filme

A Busca estreia em março e já tem site oficial

 A Busca 1

O filme A Busca, protagonizado por Wagner Moura, ganhou um site oficial incomum. Utilizando uma nova forma de navegação (chamada de parallax), o site apresenta os elementos da identidade visual do cartaz se desconstruindo na navegação de múltiplos backgrounds que parecem se mover, em velocidades diferentes ao conteúdo, numa linguagem não linear de ação e movimento que remete ao conceito do filme. Por ser desenvolvida em HTML5, a navegação diferenciada continuará idêntica em tablets e smartphones, e o conteúdo não será prejudicado em nenhuma dessas plataformas. Esse tipo de experimentação digital é inédito entre os sites de filmes nacionais.

A Busca 2

A Busca já marca presença na internet desde o final do ano passado –  quando participou do Festival do Rio (eleito Melhor Filme pelo Júri Popular) e Mostra São Paulo – contando com redes sociais como o Facebook, o Tumblr e o Youtube. Também será disponibilizado um aplicativo social onde, conectado pelo Facebook, o visitante poderá deixar recados para um amigo no site oficial, integrando um grande mural público de recados.

A Busca 3

O filme é uma produção da O2 Filmes, com coprodução da Globo Filmes, dirigido por Luciano Moura e tem distribuição pela parceria Downtown Filmes, Paris Filmes e RioFilme. Além de Wagner Moura, o elenco conta com Mariana Lima, Brás Moreau Antunes e participação especial de Lima Duarte. A estreia está agendada para 15 de março.
Trailer do filme: http://youtu.be/CX-hyid1ENQ
Site oficial: http://abuscaofilme.com.br

Fan page: http://facebook.com/filmeabusca

Youtube: http://youtube.com/filmeabusca

Tumblr do Pedro: http://pedrogadelha.tumblr.com

De Pernas pro Ar 2 estreia amanhã

Estreia sexta nas principais cidades do país o filmeDe Pernas pro Ar 2,  sendo o primeiro filme a ser exibido via satélite no Brasil.

Ainda inédita no Brasil, a tecnologia é uma tendência do mercado cinematográfico mundial. Na Europa, quase todas as exibições já são via satélite e nos Estados Unidos já ultrapassou a marca de 75% dos circuitos digitalizados. Atualmente, a região que se encontra mais defasada neste processo é exatamente a América Latina.

A Cinecolor do Brasil será a responsável pela distribuição do conteúdo digital via satélite nos cinemas brasileiros. Segundo o diretor, David Trejo, esse sistema vem para substituir as cópias físicas (35mm ou hard drives), pois os filmes irão chegar a todos os cinemas ao mesmo tempo e não será mais necessária a movimentação de mídias físicas.

Dirigido por Roberto Santucci e produzido por Mariza Leão, De Pernas Pro Ar 2 foi rodado no Rio e em Nova York. Nessa sequência, Alice é uma executiva super bem-sucedida, premiada e resolvida sexualmente. Prestes a abrir sua primeira sexshop em Nova York, em sociedade com Marcela (Maria Paula), ela agora tem que lidar com outra questão: conseguir equilibrar o sucesso profissional e a vida pessoal. E, mais uma vez, sua felicidade e o casamento com João (Bruno Garcia) estão em risco.

O roteiro é de Marcelo Saback e Paulo Cursino, que repetem a parceria do primeiro filme. Com coprodução da Paris Filmes, Globo Filmes, Downtown Filmes, RioFilme e Telecine, o longa tem orçamento geral de R$ 6 milhões (o primeiro filme foi de R$ 5,5 milhões).

Xingu, sobre Irmãos Villas-Bôas, será lançado dia 6

Filme teve exibição especial para os índios do PARQUE NACIONAL DO XINGU 

Xingu, lançado no Amazonas Film Festival, ano passado, estreia dia 6

O filme Xingu, que conta a saga dos irmãos Villas Bôas, idealizadores da primeira reserva indígena do Brasil, foi exibido para os índios em sessão especial realizada no Parque Nacional do Xingu, no Centro-Oeste. A exibição foi realizada através de uma gigantesca tela inflável que viajou durante um dia de barco para chegar na aldeia, e contou com a presença de vários índios que atuaram no filme. 

Além dos xinguanos, também estavam presentes na sessão: o diretor Cao Hamburger, os atores João Miguel (Claudio Villas Bôas) e Maria Flor (Dona Marina), Noel Villas Bôas (filho de Orlando), e as produtoras Andrea Barata Ribeiro e Bel Berlinck. 

“Mostrar o filme no Parque do Xingu fechou com chave de ouro a aventura de realizar essa superprodução. E ainda recebemos o aval e a ‘benção’ dos caciques, dos pajés, dos homens e das mulheres de lá, que nos ajudaram a contar essa história“, comentou o diretor Cao Hamburger.  

Xingu recria a luta dos Villas Bôas – Orlando (Felipe Camargo), Cláudio (João Miguel) e Leonardo (Caio Blat) – pela criação do Parque Nacional do Xingu e pela salvação de tribos inteiras. A distribuição no Brasil é da Downtown Filmes, Sony Pictures e RioFilme. A Natura Ekos é a patrocinadora master do projeto.

O trailer oficial do filme está em: http://www.youtube.com/watch?v=OQwTWLwKLIM

PRODUÇÃO | O2 FILMES 

A O2 Filmes, considerada uma das mais criativas e importantes produtoras brasileiras no mercado mundial, realiza projetos independentes e em parceria com grandes estúdios internacionais e emissoras de televisão. Criada em 1991 pelos sócios Fernando Meirelles, Paulo Morelli e Andrea Barata Ribeiro, a empresa já realizou cerca de 9 mil peças publicitárias e conquistou diversos prêmios, como Cannes Lions, Clio Awards, e é a maior vencedora do Prêmio Profissionais do Ano, promovido pela Rede Globo. Para o cinema, produziu nove curtas e dezesseis longas, entre eles o premiado Cidade de Deus (2002) – citado recentemente pelo site IMDB como um dos cinco melhores filmes da década – e o consagrado “Ensaio Sobre a Cegueira” (2008), ambos dirigidos por Fernando Meirelles. Em 2009, apresentou “À Deriva”, exibido no Festival de Cannes, e filmou “VIPs”, longa de Toniko Melo que foi lançado comercialmente em março de 2011. Para a TV, realizou séries para a Rede Globo – a mais recente foi “Som & Fúria”, uma adaptação da série canadense “Slings and Arrows” – e “Filhos do Carnaval”, para HBO, dirigida por Cao Hamburger, que teve duas temporadas. 

Felipe Camargo e Maria Flor em ritual com os indígenas…

COPRODUÇÃO | GLOBO FILMES  

Desde 1998, quando foi criada, a Globo Filmes produziu e/ou coproduziu mais de 110 filmes, levando para as salas de exibição mais de 130 milhões de pessoas. Com a missão de contribuir para o fortalecimento da indústria audiovisual nacional, apostando em obras de qualidade e valorizando a cultura brasileira, participou dos dez maiores sucessos de bilheteria da retomada. Tropa de Elite 2 lidera a lista com público de mais de 11 milhões de espectadores. O filme bateu recorde de bilheteria e foi o mais visto na história do cinema brasileiro. Em seguida, Se Eu Fosse Você 2, que conquistou mais de 6 milhões de pessoas. O longa-metragem 2 Filhos de Francisco alcançou um público de 5 milhões, pouco mais que Carandiru e Nosso Lar, produções que chegaram à casa dos 4 milhões. Outros sucessos como Se Eu Fosse Você, De Pernas pro Ar, Chico Xavier, Cidade de Deus – com quatro indicações ao Oscar – e Lisbela e o Prisioneiro atingiram mais de 3 milhões de espectadores cada um. 

A Globo Filmes também objetiva promover a sinergia entre o cinema e a televisão, sempre atenta ao reconhecido padrão Globo de qualidade. Sua filmografia contempla vários gêneros, como comédias, infantis, romances, dramas e aventuras. Suas atividades se baseiam nas parcerias com produtores independentes e distribuidores nacionais e internacionais, numa associação de excelência para levar ao público o que há de melhor no cinema brasileiro. 

DISTRIBUIÇÃO | DOWNTOWN FILMES  

Downtown Filmes é uma distribuidora dedicada exclusivamente ao lançamento de filmes brasileiros.

Fundada em 2006, sua estratégia de atuação é distribuir o melhor do cinema nacional, em parceria com os principais produtores e diretores brasileiros. 

Isso garantiu à Downtown Filmes, a partir de 2008, a distribuição de grandes sucessos de bilheteria, como Meu Nome Não é Johnny,  Divã e  Chico Xavier.

Xingu vai entrar no circuito com boa distribuição e críticas favoráveis…

Em 2011, foi responsável pela distribuição dos dois maiores sucessos do ano: as comédias De Pernas Pro Ar e Cilada.com,  que juntos venderam mais de 6.6 milhões de ingressos. Outro lançamento importante foi o documentário Lixo Extraordinário, indicado ao Oscar® de melhor documentário em 2011.

A empresa é dirigida por Bruno Wainer, que tem no seu currículo a distribuição de alguns dos maiores sucessos do cinema brasileiro, entre os quais se destacam Olga, Os Normais, Central do Brasil  e Cidade de Deus. 

DISTRIBUIÇÃO | SONY PICTURES 

A Columbia TriStar Pictures é um dos estúdios mais tradicionais de Hollywood e uma das empresas de maior atuação no mercado cinematográfico que, desde 1989 pertence à Sony Pictures Entertainment Company, uma subsidiária da gigante japonesa Sony Electronics. 

Com presença marcante no mercado nacional,  a Columbia TriStar Filmes do Brasil distribuiu  e/ou coproduziu 22 dos 25 filmes nacionais lançados na década de 90, momento da retomada. Desde então, a Columbia tem investido em inúmeras produções, dos mais diferentes gêneros e apostando em novos talentos, dentre os quais Eu Tu Eles, Deus é Brasileiro, Casa de Areia, Carandiru, Cazuza – O Tempo Não Pára e 2 Filhos de Francisco. 

Equipe no lançamento do filme Xingu no Amazonas Film Festival, novembro de 2011: público e crítica aplaudiram

DISTRIBUIÇÃO | RIOFILME  

O objetivo central da RioFilme é consolidar o Rio de Janeiro como o principal centro de audiovisual da América Latina. Sua atuação é avaliada anualmente pela Prefeitura com base em Acordo de Resultados firmado em 2009 e renovado em 2011, que estabelece um conjunto de seis metas de desempenho. 

A RioFilme realiza investimentos reembolsáveis, nos quais adquire uma participação nas receitas futuras dos projetos, e não-reembolsáveis, em que não há resultado financeiro para a empresa. Os projetos a serem investidos são selecionados em função do potencial de retorno, que pode ser financeiro, social e/ou cultural. 

O Rio de Janeiro é atualmente a capital brasileira que mais investe em audiovisual. De 2009 a 2011 a Prefeitura investiu, por meio da RioFilme e da Lei Municipal de Incentivo à Cultura, cerca de R$ 60 milhões em 170 projetos de filmes, festivais, prêmios e difusão. Em 2012 a RioFilme investirá mais R$ 25 milhões. 

Em 19 anos de atuação, a RioFilme tem desempenhado papel fundamental no processo de crescimento do cinema brasileiro empreendido a partir dos anos 90. Ao longo deste período investiu no desenvolvimento, na produção e no lançamento de cerca de 250 longas-metragens, e na produção de mais de 100 curtas.

Revitalizada em 2009, recebeu mais recursos e mudou o seu perfil. Passou a priorizar o investimento em filmes capazes de combinar valor comercial e artístico, procurando recuperar (e reinvestir) os recursos aportados. Assim, a capacidade de investimento da empresa foi ampliada e os resultados tornaram-se mais expressivos.  

PATROCÍNIO DA NATURA 

O filme Xingu faz parte da cesta de iniciativas apoiadas pela Natura por resgatar uma parte da história brasileira e suas tradições. “Para nós faz todo sentido patrocinarmos o filme com a submarca Natura Ekos, pois a linha, ao longo de seus 11 anos, busca preservar e difundir o patrimônio ambiental e cultura brasileiro valorizando, por meio dos produtos, as riquezas da nossa terra e a tradição da nossa gente”, destaca Karen Cavalcanti, gerente de marketing institucional da Natura.

Caio Blat no lançamento do filme Xingu no Parque Nacional do centro-oeste…

FICHA TÉCNICA  

Direção: Cao Hamburger
Produção: Fernando Meirelles, Andrea Barata Ribeiro, Bel Berlinck
Roteiro: Elena Soarez, Cao Hamburger, Anna Muylaert
Direção de Fotografia: Adriano Goldman, ABC
Direção de Arte: Cassio Amarante
Produção de Elenco: Patricia Faria, Cecília Homem de Mello
Produção de Elenco Indígena: Francisco Accioly
Montagem: Gustavo Giani
Música: Beto Villares
Supervisão de Pós Produção: Hugo Gurgel
Desenho de Som e Mixagem: Alessandro Laroca, Eduardo Virmond Lima, Armando Torres Jr.
Som Direto: Paulo Ricardo Nunes
Figurino: Verônica Julian
Caracterização: Anna Van Steen
Diretor de Produção: Marcelo Torres
Diretora Assistente: Márcia Faria
Produtora Executiva: Bel Berlinck, Andrea Barata Ribeiro
Empresa Produtora: O2 Filmes
Co-produção: Globo Filmes
Distribuição: Downtown Filmes, Sony Pictures e RioFilme
Patrocínio: Natura, Fiat, Eletrobras, NET, BNDES, Ambev, Grupo Newcomm e Sabesp.

Apoio: BBDTVM e Copag. 

Caio Blat em mais um personagem marcante…

ELENCO 

João Miguel (Claudio Villas Bôas)

Felipe Camargo (Orlando Villas Bôas)

Caio Blat (Leonardo Villas Bôas)

Maiarim Kaiabi (Prepori)

Awakari Tumã Kaiabi (Pionim)

Adana Kambeba (Kaiulu)

Tapaié Waurá (Izaquiri)

Totomai Yawalapiti (Guerreiro Kalapalo)

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL 

Maria Flor (Marina) | Augusto Madeira (Noel Nutels) | Fabio Lago (Bamburra)

Brasil e França vão estrear coprodução na TV

Em euros, dólares ou reais ? Dividir a conta do audiovisual com colegas estrangeiros é um caminho a ser explorado por produtores brasileiros.

O fenômeno, que no cinema já rendeu filmes como “À Deriva” e “Ensaio Sobre a Cegueira”, atinge também a TV. O RioContentMarket, evento internacional que reúne profissionais do setor, terminou sexta com apresentação de vistosas coproduções e um acordo entre as associações de produtores independentes de TV no Brasil e no Reino Unido.

Brasil e França se uniram para Rouge Brésil, ou Vermelho Brasil, um longa-metragem que também vai virar minissérie de cinco capítulos, a ser exibida na Rede Globo e numa emissora francesa.

A parceria é trinacional: do lado de cá, Conspiração Filmes, Globo Filmes e Riofilme; a produtora francesa Pampa Films e o diretor canadense Sylvain Archambaut também aportam no projeto.

Com o respeitável orçamento de nove milhões de euros, Vermelho Brasil narra justamente um conflito entre dois países agora parceiros. A trama retoma 1555, quando uma expedição francesa comandada por Nicolas de Villegagnon tentou tomar o Brasil de Portugal, com uma invasão fracassada na baía de Guanabara (Rio de Janeiro).

Como base, os produtores usaram o romance histórico homônimo. Em 2001, o livro rendeu o Goncourt (importante prêmio literário da França) ao escritor Jean-Christophe Ruffin –adido cultural do Consulado Geral da França em Recife de 1989 a 1990.

A produção está em marcha desde o começo do século. As filmagens aconteceram em setembro, e a previsão é estrear em 2013, nos dois continentes.

     
Cena da coprodução "Vermelho Brasil"
Cena da coprodução “Vermelho Brasil”

Sócio da Conspiração, Ricardo Rangel disse ter bancado “o preço do pioneirismo”, fazendo malabarismo para conciliar os acordos bilaterais que o Brasil mantém com França e Canadá.

Ele define Vermelho Brasil como o maior projeto de TV do país, fora algumas superproduções da Rede Globo.

Fabiano Gullane, da Gullane Filmes, também se aliou à França em seu novo projeto: “Amazônia – Planeta Verde”. Ele anunciou o projeto, rodado em 3D e só com personagens animais, ao lado de Stéphane Millière, da produtora francesa Gédéon.

O longa é contado pela perspectiva de um macaco prego, único sobrevivente de um acidente aéreo na Amazônia.

PARA INGLÊS VER

A ABPITB (Associação Brasileira de Produtoras Independentes de TV), que organiza o RioContentMarket, selou no terceiro dia do evento um protocolo de cooperação e coprodução com o Pact, seu equivalente no Reino Unido.

Brasil e Reino Unido ainda não possuem acordo bilateral. Na área televisiva, os produtores nacionais só têm canais diplomáticos com Alemanha e Canadá.

Para brasileiros, a aliança é uma chance de absorver lições do mercado britânico. Em 2003, os produtores de lá foram beneficiados com uma lei que exigia cota mínima de 25% de programação independente nos canais abertos.

Entre os indies do Brasil, há expectativa para impulso semelhante na produção. Por aqui, é a TV paga que serve de trampolim: em abril, entra em vigor uma lei que estabelece cotas de produções brasileiras independentes nos canais fechados.

Para o diretor-executivo da Pact, John McVay, os dois parceiros vivem em tempos frutíferos para seu mercado audiovisual. “Parece uma combinação perfeita.”

Produtoras do país europeu ainda não são páreas para uma Endemol, a holandesa responsável por Big Brother, mas tentam se consolidar como exportadoras de formatos. Um reality show deve chegar em breve ao país, no programa de Luciano Huck, na Globo: Ruim de Roda, em que os piores motoristas testemunham seus carros serem destruídos por um monstro robótico gigante.

O Homem do Futuro…

PRIMEIRO TEASER DE O HOMEM DO FUTURO

 

A Conspiração Filmes e a Paramount Pictures divulgaram o primeiro teaser do longa-metragem O Homem do Futuro, de Claudio Torres, que estreia a 2 de setembro.

Estrelado por Wagner Moura e Alinne Moraes, O Homem do Futuro é uma comédia romântica sobre amor e escolhas. A trama é regada a rock and roll e temperos de ficção científica. Também estão no elenco Maria Luiza Mendonça, Gabriel Braga Nunes e Fernando Ceylão. 

Link para fazer download do teaser: http://www.sendspace.com/file/v2p0d9

 SINOPSE

Zero é um cientista brilhante e solitário que acredita ser infeliz porque 20 anos atrás foi humilhado pelo grande amor da sua vida. Ao tentar criar uma forma revolucionária de energia, volta acidentalmente ao passado e se vê diante da chance de encontrar a si mesmo (20 anos mais jovem) e “corrigir“ os erros de sua própria vida.

Tentar manipular os caminhos do tempo é mais difícil e confuso do que possa parecer.  

Beleza e sensualidade de ALINNE MORAES deve levar muita gente aos cinemas

FICHA TÉCNICA 

ESCRITO E DIRIGIDO POR | Claudio Torres

PRODUZIDO POR | Claudio Torres | Tatiana Quintela

PRODUÇÃO EXECUTIVA | Eliana Soarez | Pedro Buarque de Hollanda

DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA | Ricardo Della Rosa, ABC

DIREÇÃO DE ARTE | Yurika Yamasaki

FIGURINO | Marcelo Pies

MAQUIAGEM | Martin Macias Trujillo

MONTAGEM | Sergio Mekler

SUPERVISOR DE EFEITOS | Claudio Peralta

MÚSICA ORIGINAL | Luca Raele | Maurício Tagliari

SOM DIRETO | Jorge Saldanha

SUPERVISÃO DE SOM | Miriam Biderman, ABC

MIXAGEM | Rodrigo Noronha

PRODUTORA DELEGADA | Valéria Amorim

SUPERVISORA DE PÓS-PRODUÇÃO | Mônica Siqueira

COORDENADORA DE PRODUÇÃO | Jenifer Marques

COORDENADORA PRODUÇÃO EXECUTIVA | Mirela Girardi

DIRETORA ASSISTENTE | Isabel Valiante

COLORISTA | Sergio Pasqualino

ASSISTENTE DE MONTAGEM | Mariana T. Becker

PRODUÇÃO DE ELENCO | Cibele Santa Cruz

PRODUÇÃO| Conspiração Filmes

COPRODUÇÃO | Globo Filmes | Lereby Produções

400contra1 para a Imprensa

 
Destiny International, PlayArte Pictures e Globo Filmes convidam  para cabine  

  

 

As cabines acontecerão segunda, 26, nos seguintes locais: 

São Paulo: Cine Bristol às 10 horas. 

Rio de Janeiro: Cinemark Botafogo Praia Shopping às10h15. 

Brasília: Pier 21 às 10h15.    Curitiba: Cinemark Park Shopping Barigui às 10h15. 

  Porto Alegre: GNC Cinemas, Praia de Belas Shopping, 10h15. 

      Salvador: Multiplex Iguatemi, às 21h

 O filme tem estréia nacional dia 6 de agosto.

   A duração é de 98 minutos.

www.400contra1.com.br e www.playarte.com.br/newsletter/hot400x1

Show Encerra Mostra Infantil de Floripa

 

ADAPTAÇÃO DE FERNANDO SABINO, SELECIONADA NO 3º PITCHING, VAI À SUÉCIA; CURTAS DA BA, RS, RJ e SP FATURAM PRÊMIOS DA CRÍTICA E DO PÚBLICO

Cerca de 24 mil pessoas acompanharam em Florianópolis e mais dez localidades a edição 2010 do evento, encerrado com sessão dupla do show Pequeno Cidadão, encabeçado por Arnaldo Antunes

 

O projeto de longa mineiro O Menino no Espelho é o escolhido para representar o Brasil no Fórum de Financiamento do BUFF Festival, na Suécia, como vencedor do 3º Pitching realizado na 9ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis, encerrada neste domingo, dia 4 de julho. 

Público e júri elegeram os melhores filmes da Mostra Competitiva, numa disputa que envolveu 73 curtas-metragens de 14 estados. As categorias de Melhor Ficção e Melhor Animação foram definidas por uma comissão formada por profissionais de Cinema e Educação. O Melhor Filme foi escolhido pelo júri popular e o Prêmio Especial, por um grupo de crianças especialmente convidadas.

 Os vencedores foram Doido Lelé, de Ceci Alves (ficção, BA, 2009, 17′), como Melhor Filme pelo júri popular, e Bolota e Chumbrega: Um guarda-chuva muito especial, de Frederico Pinto (animação, RS, 2009, 11′), no Prêmio Especial conferido pelo júri da Sessão Escola.

 
Doido Lelé, de Ceci Alves (BA): Melhor Filme pelo júri popular

O júri oficial conferiu o prêmio de Melhor Ficção a O coração às vezes para de bater, de Maria Camargo (ficção, RJ, 2009, vídeo, 14′) e o de Melhor Animação a Zica e os camaleões, de Ari Nicolosi Mota (animação, SP, 2009, 11′).  

Decidiu ainda dar Menção Honrosa a O melhor lugar (ficção, SP, 2009, 12′), de Jefferson Paulino e Nildo Ferreira, “pela sensibilidade com que aborda um tema delicado e dos mais importantes para a defesa da criança brasileira”. 

Os quatro vencedores das categorias principais são contemplados com um prêmio-aquisição da TV Brasil, no valor de R$ 5 mil cada, e incorporados à programação da emissora pública federal. 

A 9ª Mostra de Cinema Infantil foi vista por cerca de 24 mil pessoas, na capital catarinense e em outras dez localidades da Grande Florianópolis. O anúncio dos vencedores antecedeu o show Pequeno Cidadão, marco do encerramento desta nona edição, com duas sessões lotadas no Teatro Álvaro de Carvalho, na tarde deste domingo, 4 de julho.


Show Pequeno Cidadão no encerramento da Mostra (Foto Cleide de Oliveira)

O projeto de “música psicodélica para crianças” encabeçado por Arnaldo Antunes (ex-Titãs), Taciana Barros (ex-Gang 90), Edgard Scandurra (ex-Ira!) e Antonio Pinto (filho do cartunista Ziraldo e autor de trilhas de filmes como Cidade de Deus e Central do Brasil) foi visto pela primeira vez em Florianópolis, poucas semanas antes do lançamento do DVD com animações de 14 estúdios diferentes –dentre elas a de Tchau chupeta, assinada pela O2 (de Fernando Meirelles), que pode ser vista na TV Bloguinho (www.youtube.com/tvbloguinho). 


Fonte literária
 

O vencedor do 3º Pitching, O Menino no espelho, é baseado no livro homônimo do escritor Fernando Sabino (reeditado mais de 70 vezes desde o seu lançamento, em 1982) e reflete uma das tendências da edição deste ano do mecanismo de seleção pública de projetos, em que metade dos seis candidatos eram adaptações de obras literárias. 

Com direção de Guilherme Fiúza Zenha e produção de André Carreira, da produtora mineira Camisa Listrada, O Menino no espelho foi selecionado para importantes encontros de coprodução e laboratórios de roteiro no Brasil e no exterior, como o Encontro de Coprodução do Festival de Mannheim-Heidelberg (Alemanha), Produire au Sud, Novo Cine (Encontro de Cinema Brasileiro na Espanha) e Laboratório Sesc de Roteiros Infanto-juvenis. 

Além disso, recebeu a ajuda do Programa Ibermedia na categoria desenvolvimento e o prêmio de Melhor Argumento no Concurso da Globo Filmes no Cine Ceará em 2009, o que resultou no compromisso de um apoio em mídia na TV Globo para o seu lançamento. 

Os outros cinco concorrentes à chance de apresentarem-se no fórum de financiamento sueco em busca de coprodução internacional foram As aventuras do avião vermelho (RS), A oitava princesa (SP), Corda bamba (RJ), O segredo do violinista (SP) e Teca e Tuti: Uma noite na biblioteca (SP). 

Em estágio avançado de produção, o longa gaúcho de animação As aventuras do avião vermelho foi convidado pela organização do BUFF Festival para participar das rodadas de negócios do evento, em busca de parceiros para distribuição internacional. 

Os jurados do 3º Pitching avaliaram os candidatos no domingo, dia 27, em apresentação pública no Majestic Palace Hotel. A defesa dos projetos envolveu explanações sobre personagens, enredo, linguagem, estrutura narrativa, abordagem estética, parcerias já firmadas, além do estágio de desenvolvimento do projeto. 

Mikael Svensson, do BUFF Film Festival, da Suécia, ressaltou o profissionalismo e a qualidade dos projetos apresentados. “Se forem desenvolvidos e financiados de maneira apropriada, penso que todos têm potencial de alcançar projeção fora do mercado brasileiro”, diz. Para ele, O Menino no espelho tem trama universal e “reflete e fantasia de qualquer criança, em qualquer lugar do mundo”. 


Balanço final

A 9ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis recebeu um número recorde de estudantes nas 16 exibições da Sessão Escola. Pela primeira vez, o evento começou com todas as vagas para os alunos das redes pública e privada já reservadas. Com entrada franca e transporte gratuito para escolas públicas, as sessões voltadas a estudantes no Teatro Governador Pedro Ivo e na Mostra Itinerante somaram 22.571 espectadores –99%, crianças. 

A diretora da Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis, Luiza Lins, considera o resultado excepcional, tendo-se em vista a dispersão de atenção e o impacto dos jogos diurnos da seleção brasileira na Copa do Mundo. “A corrida de diretores e professoes pela Sessão Escola ilustra muito bem a demanda reprimida de interesse das pessoas pelo filme nacional, que raramente ocupa as salas de cinema do circuito comercial ou a programação da televisão aberta”, constata Luiza Lins. 

“A alta qualidade dos curtas-metragens exibidos em competição, o nível de maturidade dos projetos submetidos ao pitching, o estreitamento da relação com a literatura e das parcerias com a televisão, o aumento da interlocução internacional e a sensibilidade crescente do poder público para a importância de políticas culturais voltadas para a criança permitem visualizar um horizonte bastante animador no médio prazo”, conclui a diretora da 9ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis.

 

NÚMEROS DA MOSTRA

 

> 22.571 espectadores dos filmes

> 12.346 crianças nas sessões da Mostra Itinerante

>   1.625 espectadores nos finais de semana

>   6.250 estudantes de escolas públicas

>   2.350 alunos de escolas particulares

>      350 pessoas nas oficinas, debates e bate-papos

>   1.200 minutos de filmes projetados em 14 dias

>        29 sessões de cinema no Pedro Ivo, sendo 16 gratuitas

>        10 localidades da Grande Florianópolos receberam sessões

> 23.018 saquinhos de pipoca oferecidos gratuitamente

>     960 kg de milho de pipoca consumidos

 

INFORMAÇÕES ADICIONAIS:
imprensa@mostradecinemainfantil.com.br

XINGU: NOVA PRODUÇÃO O2 FILMES

SAGA DOS IRMÃOS VILLAS BÔAS VIRA FILME, COM DIREÇÃO DE CAO HAMBURGER

As filmagens de Xingu, nova produção da O2 Filmes, dirigido por Cao Hamburger, começam dia 20. Os atores João Miguel, Felipe Camargo e Caio Blat estão confirmados nos papéis principais dos irmãos Villas Bôas. O filme conta a saga dos irmãos Villas Bôas, idealizadores da reserva do Parque do Xingu, primeira terra indígena homologada pelo governo federal, em 1961, e será rodado em Palmas, em Tocantins, e no Parque.

Os internautas vão poder acompanhar as novidades do filme Xingu através de seu blog, no site da produtora O2, no endereço http://www.o2filmes.com.br. O blog vai trazer histórias dos bastidores, fotos e vídeos sobre as filmagens. O primeiro vídeo entrará no ar na quinta-feira, dia 1 de julho, no lançamento do blog. O diretor Cao Hamburger também fez um texto para a estreia do blog.

O ator João Miguel, que ganhou reconhecimento por seu trabalho em Estômago, interpretará Claudio; Felipe Camargo foi escalado para o papel de Orlando; Caio Blat faz o irmão mais novo, Leonardo. “Escolher atores para interpretar irmãos é sempre difícil. Já havia passado por essa experiência em Filhos do Carnaval [série da HBO]. Tem de haver não só a identificação do ator com o personagem, mas também, entre eles, deve existir uma unidade, uma química, que torne verossímil a relação consangüínea. A escolha de Caio, Felipe e João Miguel, nesse sentido, foi muito feliz”, comemora Cao.

O elenco secundário foi escolhido por Hamburger durante o período de desenvolvimento do projeto. Participam cerca de 250 índios, selecionados no próprio Parque do Xingu.  

Cena do belo O Ano em que meus pais saíram de férias, trabalho anterior de Cao Hamburguer, filme merecidamente premiado em vários festivais

Em O Ano em que meus pais saíram de férias (2006), o diretor falava de assuntos próximos a sua realidade, ambientados em São Paulo, sua cidade natal. “Ambos os filmes falam da relação entre os seres humanos, mas as filmagens de Xingu me trazem desafios diferentes, por sua grandiosidade épica”, diz Hamburger. “Ao mesmo tempo que é um registro de uma época, vejo Xingu como um filme contemporâneo, sintonizado com as questões ambientais e de sustentabilidade”.  

A história chegou até a produtora O2 Filmes através de Noel Villas Bôas, filho de Orlando. “Me  convidaram para dirigir e de cara, me apaixonei pelo projeto. O filme fala de temas profundos, sobre o ser humano e a civilização. Esses irmãos foram movidos por uma paixão: a defesa da cultura e do patrimônio dos povos indígenas. Conseguiram criar o maior parque indígena, que faz 50 anos em 2011”, conta Cao.

“A idéia é fazer um filme sobre heróis brasileiros, que tenha ação mas que também emocione o público. E a vida dos irmãos Villas Bôas está cheia de aventura e emoção”, completa a produtora Andrea Barata Ribeiro.                                                          

Assinam o roteiro Cao Hamburger e Elena Soares, com colaboração inicial de Ana Muylaert. Foram necessários quatro anos até o roteiro final. Durante os dois primeiros anos, coordenados pela antropóloga Maíra Buhler, foram feitas pesquisa histórica e entrevistas com pessoas que conviveram com os irmãos.

A equipe principal inclui a roteirista Elena Soares (Casa de AreiaEu Tu Eles); o diretor de fotografia Adriano Goldman (Cidade dos Homes), o diretor de arte Cássio Amarante (O Ano que Meus Pais Saíram de FériasAbril Despedaçado). O figurino é assinado por Veronica Julian e a maquiagem é de Anna Van Steen. A produção é de Fernando Meirelles, Andrea Barata Ribeiro e Bel Berlink, com co-produção da GloboFilmes.

Felipe Camargo volta à telona no novo longa de Cao Hamburguer

 O2 FILMES:

A O2 Filmes, considerada uma das mais criativas e importantes produtoras brasileiras no mercado mundial, realiza projetos independentes e em parceria com grandes estúdios internacionais e emissoras de televisão. Criada em 1991 pelos sócios Fernando Meirelles, Paulo Morelli e Andrea Barata Ribeiro a empresa já realizou cerca de 9 mil peças publicitárias e conquistou diversos prêmios, como Cannes Lions, Clio Awards, e é a maior vencedora do Prêmio Profissionais do Ano, promovido pela Rede Globo. Para o cinema, produziu nove curtas e nove longas-metragens, entre eles o premiado Cidade de Deus (2002) – citado recentemente pelo site IMDB como um dos cinco melhores filmes da década – e o consagrado Ensaio Sobre a Cegueira (2008), ambos dirigidos por Fernando Meirelles.

Em 2009, apresentou À Deriva, exibido no Festival de Cannes, e filmou “VIPs”, longa de Toniko Mello com lançamento previsto para fevereiro de 2011. Para a TV, realizou séries para a Rede Globo – a mais recente foi Som & Fúria, uma adaptação da série canadense Slings and Arrows – e Filhos do Carnaval, para HBO, dirigida por Cao Hamburger, que teve duas temporadas.

ELENCO:

João Miguel

Felipe Camargo

Caio Blat

FICHA TÉCNICA:

Direção: Cao Hamburger

Produção: Fernando Meirelles, Andrea Barata Ribeiro, Bel Berlinck

Roteiro: Elena Soares e Cao Hamburger

Elenco:  João Miguel, Felipe Camargo e Caio Blat

Direção de fotografia: Adriano Goldman

Direção de Arte: Cassio Amarante

Figurino: Veronica Julian

Maquiagem:  Anna Van Steen

Assessoria de Imprensa:

Primeiro Plano – Anna Luiza Muller

Resultados do CURTAMAZÔNIA

 

Porto Velho respirou Cinema de 25 a 29 de maio com a exibição gratuita de filmes de 19 estados participando e prestigiando com 174 trabalhos inscritos.

Esses dados contabilizam resultado positivo para Rondônia, mostrando o quanto hoje o estado vive outro momento, o ciclo da esperança e dos sonhos.

Pensando nesse sentido, é que estamos buscando investimentos fora do Estado, para podermos propiciar e realizar atividades culturais, através do Cinema, e estamos contribuindo para a difusão do Cinema Nacional, propiciando também maior visibilidade aos realizadores alternativos e independentes de cinema e vídeo. Podemos afirmar também que o mais novo empreendimento cultural de Rondônia começa com força total, contribuindo e fazendo parte da história de Rondônia e do Brasil, diz Carlos Levy, coordenador e idealizador do CurtAmazônia.

 PREMIAÇÕES ESPECIAIS: 

1) O  PRÊMIO  SINJOR/RO – JÚRI DA CRÍTICA VAI PARA: “AVE MARIA OU MÃE DOS SERTANEJOS”, direção Camilo Cavalcante, de Pernambuco 

2) O  PRÊMIO “AMAZONSAT “-  JÚRI POPULAR VAI PARA: “DOIDO LELÊ”, direção de CECI ALVES, DA BAHIA.

3) O PRÊMIO ABD RONDÔNIA DO  JÚRI TÉCNICO: MELHOR TRILHA MUSICAL VAI PARA: “VESTÍGIOS DO TEMPO”, DO DIRETOR DO FILME RONALDO ADRIANO, E O PRODUTOR DA TRILHA MUSICAL DE EDUARDO OLIVEIRA (KADU) MATO GROSSO.

4) O PRÊMIO ABD NACIONAL DO  JÚRI TÉCNICO: MELHOR MONTAGEM VAI PARA: O FILME “PORNOGRAPHICO”, DOS DIRETORES HAROLDO BORGES E PAULA GOMES,  CUJO MONTADOR DO FILME  É HAROLDO BORGES DA BAHIA.

5) O PRÊMIO “TV RONDÔNIA” DO JÚRI TÉCNICO: MELHOR DIREÇÃO DE ARTE VAI PARA:  O FILME DOSSIÊ RÊ BORDOSA, DO DIRETOR DE ARTES DANIEL BRUSON, DE SÃO PAULO.

 

6) O PRÊMIO FECOMÉRCIO – “MELHOR PRODUÇÃO AMAZÔNICA” VAI PARA: “AOS TRANCOS E BARRANCOS”, DE NEY RICARDO DO ACRE E  “E O QUE NOIS RAMÚ CÚME?, DE DANIEL LUIZ BATISTA, DO AMAZONAS.

 

7) O PRÊMIO GOVERNO DE RONDÔNIA – “PRÊMIO INCENTIVO” VAI PARA: “UM OLHAR SOBRE O PROGRESSO”, DIREÇÃO DE MARIVALDO LAGO, NOVA MAMORÉ/RO.

PREMIAÇÃO DA MOSTRA COMPETITIVA:

A) MELHOR DOCUMENTÁRIO: “NÚMERO ZERO”, DIREÇÃO CLÁUDIA NUNES, DO ESTADO DE GOIÁS.

B) MELHOR ANIMAÇÃO: “DOSSIÊ RÊ BORDOSA”, DIREÇÃO CÉSAR CABRAL, DO ESTADO DE SÃO PAULO.

C) MELHOR FILME AMBIENTAL: “OLHAR DE JOÃO”, DIREÇÃO MARILEY CARNEIRO, DO ESTADO DE GOIÁS

 

D) MELHOR FICÇÃO: “BREVE PASSEIO”, DIREÇÃO RAFAEL JARDIM, DO ESTADO DA BAHIA.

E) MELHOR EXPERIMENTAL : “1:21”, DIREÇÃO ADRIANA CÂMARA, DO ESTADO DE PERNAMBUCO

F) MELHOR FILME INSTITUCIONAL: “DIAS DE CAIÇARA”, DIREÇÃO LUIZ SCARABEL JUNIOR, DO ESTADO DE SÃO PAULO.

G) PARA MELHOR DIREÇÃO: CÂNDIDO ALBERTO DA FONSECA, DE MATO GROSSO SUL, COM O FILME:  “BETO LIMA – O INTÉRPRETE DAS FLORES”.

H) PARA MELHOR ATOR O VENCEDOR é FERNANDO NEVES, da Bahia, pelo filme PORNOGRAPHICOS, DIREÇÃO HAROLDO BORGES E PAULA GOMES.

I) PARA MELHOR ATRIZ – A VENCEDORA É: PAULA BRAUN, DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, COM O FILME: “MARIDOS, AMANTES E PISANTES”, Direção Ângelo Defanti.

J) MELHOR ROTEIRO: “NINHO DOS PEQUENOS”, DIREÇÃO ULISSES COSTA, DO RIO GRANDE DO SUL. 

K) PARA MELHOR FOTOGRAFIA – VENCEDOR É O FILME: AVE MARIA OU MÃE DOS SERTANEJOS, de CAMILO CAVALCANTE (PE) – DIRETOR de FOTOGRAFIA: BETO MARTINS.

L) O PRÊMIO SGC-REDE TV RONDÔNIA E DIÁRIO DA AMAZÔNIA – PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI: “GALO PRETO. O MENESTREL DO COCO”. DIREÇÃO WILSON FREIRE, DE PERNAMBUCO. 

M) E A MENÇÃO HONROSA “ELETROSUL” VAI PARA: “OS ANJOS DO MEIO DA PRAÇA”,  DE ALÊ CAMARGO E CAMILA CARROSSINE, DE SÃO PAULO. 

N) O GRANDE VENCEDOR DO 1º FESTIVAL DE CINEMA CURTAMAZÔNIA ESCOLHIDO POR UM JÚRI EQUILIBRADISSIMO, MELHOR FILME PRÊMIO BNDES: “AVE MARIA OU MÃE DOS SERTANEJOS”, DO DIRETOR CAMILO CAVALCANTE, DO ESTADO DE PERNAMBUCO, LEVA O TROFÉU TRÊS CAIXAS D´ÁGUA, SIMBOLO DE PORTO VELHO, QUE REPRESENTA O 1º FESTIVAL DE CINEMA CURTAMAZÔNIA. 

Recadinho de Carlos Levy:

O Festival CurtAmazônia é feito por pessoas que acreditam na força do Cinema, entidades privadas e públicas, empresas e empresários, imprensa regional e nacional que apostam na diversidade cultural do país, e sem eles não seria possível transformar este sonho em realidade. Estes são os nossos patrocinadores, apoiadores e realizadores oficiais. Se você não estiver aqui, esperamos no próximo ano venha prestigiar e participar diretamente deste novo empreendimento cultural em Rondônia. 

O BNDES APRESENTOU O FESTIVAL DE CINEMA CURTAMAZÔNIA 

Patrocinadores  Culturais: 

– Eletrobrás – Eletrosul / Governo Federal 

– Fundo Nacional de Cultura/Secretaria do Audiovisual/Ministério da Cultura 

Apoiadores Culturais: 

– CTAV/Sav/Ministério da Cultura /Governo Federal

 – Secel /Governo de Rondônia 

– Fecomércio/RO – SESC, SENAC 

– Maporé 

– SISTEMA GURGAZC: REDE TV RONDÔNIA E DIÁRIO DA AMAZÔNIA 

– TV RONDÔNIA E O AMAZONSAT DA REDE AMAZÔNICA DE TELEVISÃO – ANTÔNIO CAMPANARI, NONATO NEVES, PABLO MEDINA E EQUIPE. 

– TV ALLAMANDA, SBT. 

– FOLHA DE RONDÔNIA 

– O ESTADÃO DO NORTE

 Apoios Institucionais:

 – ABD/RO – Luiz Brito/Presidente 

– ABD Nacional – Solange Lima/Presidente 

– Iphan/RO/Governo Federal 

– Senadora Fátima Cleide 

– Vereador Jaime Gazola 

– AQUI  Publicidade 

– Sinjor/RO 

– Site O Observador 

– Jornal Eletrônico Rondoniaovivo/Paulo Andreoli e Marcos Souza e Equipe. 

Aurora de Cinema.Wordpress.com 

Páginas do Cinema da Globo Filmes 

Apoio da Mídia:

 COLUNA DO ZECATRACA, GENTE DE OPINIÃO, COLUNA ALAN ALEX, BLOG DO SERGIO RAMOS, BLOG 24 QUADROS, PROGRAMA CLOSE, PROGRAMA VIVA PORTO VELHO, JORNAL ONORTÃO, NORTFEST, PORTALRONDÔNIA, TUDORONDÔNIA, RONDONOTICIAS, ÚLTIMA HORA, E A IMPRENSA RONDONIENSE E NACIONAL.

 Realização: 

Associação CurtAmazônia 

FONTE: ASSESSORIA

CHICO XAVIER: Bilheteria Vitoriosa

A cinebiografia do médium mineiro, conhecido como um dos maiores divulgadores do Espiritismo no Brasil, foi vista por mais de 1,3 milhões de pessoas em dez dias de exibição. O filme dirigido por Daniel Filho bateu o recorde do cinema nacional, com a comédia do mesmo cineasta, Se Eu Fosse Você 2. Os dois longas têm produção da Globo Filmes. ” Batemos nosso próprio recorde”, diz Carlos Eduardo Rodrigues, diretor-executivo da empresa.

A estréia de Chico Xavier coincidiu com a data de comemoração do centenário de seu nascimento, 2 de abril. Chico Xavier nasceu em Pedro Leopoldo, mas viveu grande parte de sua vida em Uberaba. As primeiras exibições do filme foram realizadas nessas cidades mineiras.

A história do médium na tela é contada por meio de três atores que interpretam Chico Xavier em diferentes fases de sua vida: Nelson Xavier, Ângelo Antônio e Matheus Costa. Com orçamento de R$ 12 milhões, o filme se baseia no livro As Vidas de Chico Xavier, do jornalista Marcel Souto Maior, publicado em 2003.