Arquivo da tag: III Festival de Cinema da Fronteira – evento também realizado pela Prefeitura

Helena Ignêz e Jean-Claude Bernardet: Homenageados celebraram em Bagé o Cinema de todas as fronteiras…

Filmes de A a Z; Realizadores na mesma vibe; vários Estados representados; Celebridades, cinéfilos e voluntários de prontidão; além das festas mais descontraídas com cantoria e dança – este o tom do Festival mais agregador do país

O centenário Palacete Pedro Osório: Cultura em cenário de Cinema…

A cidade gaúcha começou a respirar CINEMA desde o sábado, 10 de dezembro, data na qual foi aberto o III FESTIVAL DE CINEMA DA FRONTEIRA.

Talvez muito poucos pudessem imaginar que ali se viveria, durante sete dias, um verdadeiro vendaval de Cinema, com filmes, encontros e discussões sobre a Sétima Arte pululando em todos os quadrantes.

Dos mais compenetrados aos mais brincalhões, teve de tudo no III FESTIVAL DE CINEMA DA FRONTEIRA, realizado pela Prefeitura Municipal de Bagé, através de sua Secretaria de Cultura. De 10 a 17 de dezembro, Bagé parou para ver, ver, ouvir, curtir, discutir e aplaudir CINEMA.

A centenária sede da Prefeitura Municipal de Bagé (foto Joyce Miranda Leão)

A produção bajeense surpreendeu e havia quase 30 filmes de curta-metragem em competição, fato merecedor de orgulho pelos cidadãos bajeenses, uma vez que até há pouco não se falava em produções audiovisuais em Bagé.

Cena de O Sabiá, curta de Zeca Brito, rodado totalmente em Bagé…

Para isso, concorreram fortemente as muitas oficinas audiovisuais promovidas pela Prefeitura Municipal, motivada sobretudo pela efeméride dos 200 anos do município do Pampa gáucho, que, aliás, é tão bonito, que deixou meio mundo de visitantes encantados e querendo retornar em 2012.

Assim, o Festival de Cinema da Fronteira – que foi o último do ano no país – serviu como grande território de agregação e CONGRAÇAMENTO entre a multifária teia de profissionais que se envolvem, por aptidão, talento, paixão e/ou vocação, nas lides cinematográficas.

Édson Papo Furado: velha guarda do samba capixaba na tela de Bagé…

Desde um filme de um jovem iniciante, como o cineasta capixaba GUI CASTOR ( o documentário Anjo Preto, contando a história do sambista Édson Papo Furado, lá de Vila Velha), passando pelo emblemátivo OLGA (de Jayme Monjardim) e chegando aos consagrados Whisky e El Baño del Papa, e até ao recém-lançado Antes que o mundo acabe…, o Festival de Cinema da Fronteira revelou-se uma importante, neecessária e singular vitrine para o Cinema dos mais diverosos gostos, olhares, sintonias e formas de expressar a vida através das imagens sonorizadas, ou sons imageticamente pensados.

A Diva HELENA IGNEZ, exemplo único de Mulher, Mãe, Atriz libertária e vanguardista, Diretora consagrada e produtora adiante de seu tempo, conquistou Bagé pela simplicidade, elegância dos gestos, beleza de seu filme Luz nas Trevas e magia contagiante de sua intepretação no clássico O Bandido da Luz Vermelha.

Quem aproveitou para ver Helena Ignêz nos dois filmes, jamais verá cinema do mesmo jeito.

Por outro lado, JEAN-CLAUDE BERNARDET, o exponencial Pensador de Cinema, diante do qual todos nós sabemos muito pouco, reafirmou o que ouvimos falar a respeito dos verdadeiros sábios: eles são tão comumente simples que se parecem com qualquer um de nós. Mas ao lado da invejável simplicidade, simpatia, cordialidade, delicadeza e refinamento dos gestos e das palavras, pulsa uma inteligência vibrante, um comichão de sapiciência e observação precisa que, quando indagado, tem sempre uma resposta convincente, sóbria, judiciosa. Uma lição de vida e de respeito ao Cinema estar e conversar com Bernardet.

Portanto, conviver com Jean-Claude Bernardet e Helena Ignez nestes dias de sol, chuva e leve frio em Bagé foi um presente dos Deuses – do Teatro, do Cinema, da Boa Conversa, do Ser Humano esculpido em argamassa de metal precioso.

Que venham novos, maiores e melhores Cinema da Fronteira.

Como almeja e promete o Prefeito Dudu Colombo, que foi, desde a primeira hora, um entusiasta e incentivador do Festival de Cinema da Fronteira.

Escritora Elvira Nascimento, Helena Ignêz, Aurora M. Leão e artista bajeense Marilu Teixeira…

Saraváaaaaaaaaaaa !!!

Defronte à Catedral: depois do Festival de Cinema, Bagé passa a ser vista como um pólo de produção e difusão no interior gaúcho… (foto Joba Migliorin)

Cinema de todas as fronteiras em Bagé: Festival de Cinema será aberto hoje

O convite é geral, para quem gosta de Cinema ou para os que querem conhecer melhor a Sétima Arte:

O III FESTIVAL DE CINEMA DA FRONTEIRA será aberto hoje, às 18h, no Palacete Pedro Osório, onde o prefeito Dudu Colombo fará uma saudação de boas vindas aos visitantes de outras cidades, outros estados, outros países, e explanará sobre as ações em honra do Bicentenário de Bagé, tendo o festival como ápice das celebrações de cinema no país.

Em seguida, a oficialização do senhor Aristides Kúcera, ex-distribuidor de cinema e atual radialista, como Presidente de Honra do Festival. Seu Aristides foi o primeiro exibidor de cinema de Bagé e, entre tantas coisas bacanas, doou as cadeiras que hoje compõem a platéia do Teatro Santo Antônio, no Centro Histórico Vila de Santa Tereza, lugar onde ocorerrão as sessões das mostras competitivas do Festival de Cinema da Fronteira.

Depois então terá início a apresentação teatral e performática do grupo Falos & Stercus, que vem de Porto Alegre trazendo na bagagem uma carreira coroada por muitos prêmios e aplausos.

Falos & Stercus é um grupo de teatro contemporâneo cuja proposta é a “fertilidade criativa e o exercício da sensibilidade humana“.

Na sequencia, no belo e frondoso Bosque do Palacete Pedro Osório, apresentação da banda Viajantes do Éden, enquanto no Cine Sete será exibido o primeiro dos filmes da Mostra de Longas-Metragens, o clássico Anahy de las Misiones, de Sérgio Silva (co-produção Brasil-Argentina) – clássico do cinema gaúcho com uma atuação magnânima de Aracy Esteves.

No domingo, tem mais. E começa de manhã com uma atividade incomum e interessante. Quem conta é a professora Sandra Camerini Vieira, do Instituto Federal Sul rio-grandense:

” O Festival de Cinema da Fronteira já pode ser entendido como um dos grandes eventos culturais do Rio Grande do Sul !

Este ano, o festival apresenta uma diversificada e incrível programação. Eu estarei participando nas ações paralelas do festival. No domingo, 12, às 10 h, eu, Elaine Bastianello e Luiza Neitzke, convidamos para uma visita guiada ao cemitério de Bagé. O nome da atividade é “Um passeio à Perpetuidad”…

O passeio tem a intenção de mostrar, a partir de um olhar para o rico passado histórico da cidade, sua beleza material vista pelas belas esculturas tumulares; ao mesmo tempo, ele pode servir como auto-falante de uma cidade na qual a ARTE pulsa em suas veias !

Parabéns Bagé! Parabéns Zeca Brito! Parabéns à Curadoria!

Pessoas, do dia 10 a 17 de dezembro, todos os caminhos encontram-se na Fronteira”           *  Sandra Camerini Vieira        

Cemitério da Santa Casa, considerado um dos mais ricos do país na arte cemiterial…

Programação completa: www.cinemadafronteira.com.br

Bagé vai encerrar com chave de ouro ano do CINEMA no Brasil

Mobilização na cidade gaúcha já é intensa… 

III Festival de Cinema da Fronteira começa sábado e causa burburinho… 

Helena Ignêz e Jean-Claude Bernadet serão os homenageados 

FestIN Lisboa em destaque


O III Festival Cinema da Fronteira será aberto neste sábado, às 18h, no centenário Palacete Pedro Osório (sede da Secretaria Municipal de Cultura), quando o Prefeito Dudu Colombo fará uma saudação de boas vindas a todos os participantes. Em seguida, o senhor Aristides Kúcera será oficializado Presidente de Honra do Festival. 

Aristides, antigo exibidor bajeense, chegou a ter 40 salas de cinema, e doou as cadeiras que hoje são a platéia do Teatro Santo Antônio, do Centro Histórico de Santa Tereza, patrimônio histórico da cidade e local onde ocorrerá grande parte das exibições. 

O Festival de Cinema da Fronteira terá duas mostras competitivas – Bagé 200 anos e Mostra Binacional – e três mostras não competitivas: Yayá Vernieri – RBS TV, FestIN Bagé – Mostra da Lusofonia, e Mostra de Longas-Metragens. A curadoria do Festival é assinada pela jornalista e realizadora Aurora Miranda Leão.

 

Helena Ignêz: ícone do cinema mais libertário, receberá justa Homenagem…

Os homenageados desta edição são o ensaísta, pesquisador e crítico Jean-Claude Bernadet, e a atriz e diretora Helena Ignêz. O festival faz parte das comemorações dos 200 anos da cidade de Bagé, e é uma realização da Prefeitura Municipal através da Secretaria de Cultura com produção da Primeiro Corte Produções.


Anahy de las Misiones tem Dira Paes e Aracy Esteves no elenco…


Do total de inscritos, foram selecionados 30 curtas-metragens brasileiros, de todas as regiões do país que enviaram trabalhos. Do Uruguai, serão exibidos 10 curtas, 6 longas e um média-metragem, perfazendo uma extensa e diversificada grade de exibição, onde todos os gêneros terão vez, como Ficção, Documentário, Animação, VideoArte e Experimental, com curtas do Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Goiás, Pernambuco, Paraíba, Ceará, Maranhão, totalizando nove estados de quatro regiões brasileiras. Nessa grade, filmes premiados como ANAHY DE LAS MISIONES, do cineasta SÉRGIO SILVA  (co-produção Brasil-Argentina), que abre a programação da Mostra de Longas-Metragens; HOUVE UMA VEZ DOIS VERÕES, de JORGE FURTADO; EL BAÑO DEL PAPA (UR), de CÉSAR CHARLONE e ENRIQUE FERNANDÉZ (que teve locações em Bagé), e WHISKY (UR), de JUAN PABLO REBELLA e PABLO STOLL, citando apenas alguns.  Cabe ressaltar: toda a programação é GRATUITA.

Filme uruguaio dos mais premiados, Whisky é um dos destaques… 

O júri do festival já tem confirmados nomes como o do jornalista Gilberto Perin (coordenador do Núcleo de Especiais da RBS TV), o do ator Sirmar Antunes, o da jornalista e realizadora Adriana Niemeyer, e o da professora Mirela Ribeiro Meira (Coordenadora do Núcleo Transdisciplinar de Estudos Estéticos, da Especialização em Educação, da Universidade de Pelotas). 

E assim está a grade da Mostra Binacional:

 
DIA 11 –
 
A INVASÃO DO ALEGRETE, de Diego Müller (RS), 21’30″ – FICÇÃO
UCRONIAS, de LUCÍA CABRERA (UR), 8’22” – VIDEOARTE
CÉU, INFERNO E OUTRAS PARTES DO CORPO, de Rodrigo John (RS) 7’33″ – ANIMAÇÃO
ESTEROS DE FARAPOS E ISLAS DEL RIO URUGUAY (UR), 20′ – DOC AMBIENTAL
KINOPOÉTICAS KATARI KAMINA, de Pedro Dantas (SP), 15′ -DOC
O SILÊNCIO DO TEMPO, de Andrea Cohim (PE),  9′ – FICÇÃO
SETE VOLTAS, de Rogério Nunes (SP), 20′ – DOC
PERFORMUSICA, de Daniela Gronrróz, Nancy Marizcurrena e Roberto Martínez (UR), 22’9″- VIDEOARTE

DIA 12 –
 
A FÁBULA DA CORRUPÇÃO, de Lisandro Santos (RS), 8’15″ -ANIMAÇÃO
APENAS UM, de Leo Tabosa (PE), 7’58” – FICÇÃO

O OGRO, de Márcio Júnior e Márcia Deretti (GO), 8′ – ANIMAÇÃO
TRAJETO, de Leonardo Wittmann (RS), 14′ – FICÇÃO
TRAVESSIA, de Kennel Rógis (PB), 14′ – DOC

MARCOVALDO, de Cíntia Langie e Rafael Andreazza (RS), 14′ – FICÇÃO
O BRASIL DE PERO VAZ CAMINHA, de Bruno Laet (RJ), 17’40″ – DOC
LA REINA DE LA ENCANDILADA – EL POSTRE DEL DOMINGO (UR),17’37” – FICÇÃO
 
DIA 13

EL AMANECER DEL BARRIO, de Emiliano Mazza de Luca (UR), 14’42” – DOC
ABATE, de Lucas Sá (MA), 14’10″ – FICÇÃO
BRECHA, de Júlia Araújo e Nathália D’Emery (PE), 6′ -ANIMAÇÃO
ANTONINHA, de Laércio Ferreira Filho (PB), 19’49″ – FICÇÃO
CABO POLONIO (UR), 17′ – DOC AMBIENTAL
MANTEGNA, de Meloo Viana (PR), 10′ – EXPERIMENTAL
PRONTA ENTREGA, de André Miguéis (RJ), 11’21″ – FICÇÃO
MATO ALTO – PEDRA POR PEDRA, de Arthur Leite (CE), 15′ -DOC
 
DIA 14 –

LA FLOR, de Roberto Martinez (UR), 4’44” – VIDEOARTE
HUMEDALES DEL SANTA LUCÍA (UR), 13’21” – DOC AMBIENTAL

ASFIXIA, de Fábio Aguiar (SP), 14’50″ – FICÇÃO
YOU BITCH DIE !!!, de Lucas Sá (MA), 3′ – FICÇÃO
VALLE DEL LUNAREJO (UR), 16′ – DOC AMBIENTAL
As FOLHAS, de Deleon Souto (PB), 15′ – FICÇÃO
O CÉU NO ANDAR DE BAIXO, de Leonardo Cata Preta (MG), 15′ – ANIMAÇÃO
POLIAMOR, de José Agripino (SP), 15′ – DOC
DOCE DE COCO, de Allan Deberton (CE), 15′ – FICÇÃO

DIA  15 –

QUANDO A CASA CRESCE E CRIA LIMO, de Amanda Copstein e Filipe Matzembacher (RS),  14’26″  – FICÇÃO
CERRO VERDE E ISLAS DE LA CORONILLA (UR), 15’30” – DOC AMBIENTAL
O CÃO, de Abel Roland e Emiliano Cunha (RS), 9’39″ – FICÇÃO
UM CONTO à DERIVA, de Germano Oliveira (RS), 15′ – FICÇÃO
UMA, de Alexandre Barcellos (ES), 14’51″ – DOC
BILIU – O MAIOR CARREGO DO BRASIL, de Lau Barbosa (PB), 15′ – DOC
CORNETEIRO NÃO SE MATA, de Pablo Müller (RS) 19′ – FICÇÃO

LA LÍNEA IMAGINARIA, de Gonzalo Rodriguez (UR) – 27’ – DOC 

Ingra Liberato (com Rômulo Hussen no Amazonas Film Festival) vem abrilhantar o Cinema da Fronteira..

O III Festival de Cinema da Fronteira será encerrado no sábado, 17 de dezembro, com solenidade agendada para às 21h no Museu Dom Diogo de Souza, ocasião em que serão conhecidos os vencedores das mostras competitivas e serão entregues os troféus aos vencedores. Os Mestres de Cerimônia serão os atores Ingra Liberato e Leonardo Machado.

Em Bagé, CINEMA contamina como gripe …

HELENA IGNẼZ e JEAN CLAUDE são os Homenageados…

Uma
Sessão Bandida para enfatizar importância crucial do clássico de Rogério Sganzerla, O Bandido da Luz Vermelha…

Helena Ignêz, ícone do Cinema Brasileiro mais autoral, reverenciada no mundo inteiro, aporta em Bagé para o Festival de Cinema da Fronteira…



Aurora, Ingra liberato e Arly Arnaud: cinema no cardápio…

A premiada atriz Arly Arnaud, a notória jornalista e realizadora Adriana Niemeyer, o jornalista Gilberto Perin (RBS), o ator gaúcho Sirmar Antunes e mais uma porção de gente super bacana nas comissões julgadoras…

Ingra Liberato durante passeio pelo rio Negro (AM) – foto Aurora de Cinema

A sempre linda e hiper querida INGRA LIBERATO e o ator LEONARDO MACHADO como MESTRES DE CERIMÔNIA da solenidade de encerramento…

O movimento em BAGÉ é crescente: o cinema está na boca do povo e a toda hora chegam novos e melhores apoios ao festival.

Leonardo Machado, ator de Teatro e Cinema, já chegou à telinha com sucesso… ele também estará em Bagé… Viva !

ESTAMOS INOCULANDO O VÍRUS DO AMOR AO CINEMA NOS QUATRO CANTOS DE BAGÉ ! E para isso, há u menorme contingente atuando conosco para tornar o FESTIVAL DE CINEMA DA FRONTEIRA a pedra de toque dos eventos culturais na adorável cidade do Pampa gáucho…

 Bagé, TRI Legal, sediará o último festival de cinema do ano…

SOMOS O ÚLTIMO FESTIVAL DO ANO e queremos transformar o FESTIVAL DE CINEMA DA FRONTEIRA num grande momento de CONGRAÇAMENTO DO CINEMA, já que vamos fechar o ano de festivais.

O belo edifício que abriga a Secretaria de Cultura, o centenário Palacete Pedro Osório…

Porque o CINEMA DA FRONTEIRA SERÁ UM GRANDE TERRITÓRIO ONDE TODOS OS CINEMAS SÃO BEM-VINDOS, TODOS SÃO IMPORTANTES E NECESSÁRIOS, TODOS CONTRIBUEM PARA TORNAR A ATIVIDADE MAIS FORTE, MAIS PULSANTE E MAIS INTROJETADA NO CORAÇÃO DE CADA UM deste imenso e amado país.

O belo Palacete que abriga a Prefeitura, visita obrigatória em Bagé, que tem em Dudu Colombo um entusiasta do Festival de Cinema da Fronteira. (foto Joyce M. Leão)

HOJE, por exemplo, recebemos apoios voluntários no IFSul – Instituto Federal Sul Rio-Grandense; do pessoal responsável pelo Meio Ambiente, e do grupo SAIS – Serviço de Apoio Integral à Sexualidade, os quais se dispuseram a implementar ações preventivas em vários pontos onde o Cinema será evidenciado.


Em Bagé, prédios centenários compõem uma ambiência ideal para a Sétima Arte…

Por tudo isso, e por sabermos da lotação nos hotéis e pousadas da cidade já chegando a 80%, enfatizamos a relevância e necessidade da participação maciça dos bajeenses, de todos os gaúchos e de amantes do Cinema.

Salve o III FESTIVAL DE CINEMA DA FRONTEIRA !

VIVA TODAS AS FORMAS DE VIVENCIAR O MUNDO ATRAVÉS DA SÉTIMA ARTE !

Viva o Cinema Brasileiro ! SALVE, BAGÉ !!!