Arquivo da tag: international film festival

Filmes brasileiros concorrem ao Troféu Golden Maple em Toronto

270 filmes inscritos à mostra competitiva com produções dos últimos dois anos
A mostra competitiva do BRAFFTV – Festival de Cinema Brasileiro em Toronto® chega à sexta edição com 270 filmes inscritos e Curadoria de Hudson Moura – PhD em Cinema pela Universidade de Montreal, pós-doutorado em Cinema Intercultural pela Universidade Simon Fraser – Vancouver, e responsável por ministrar cursos de cinema na Ryerson University e OCAD University em Toronto.
Ao todo, 45 produções serão exibidas. Na competição, 36 filmes produzidos nos últimos dois anos concorrem ao Troféu Golden Maple nas categorias: Melhor Filme, Diretor, Atriz, Ator e Júri Popular para longa, média e curta-metragem de ficção, havendo ainda um troféu para Melhor Documentário.
É este o belo troféu que levam os vencedores do BRAFFTV…
O júri é formado por profissionais do audiovisual canadense, dentre eles, George Ayub, distribuidor de filmes no circuito internacional, e Diana Sanchez, programadora internacional do  TIFF – Toronto International Film Festival para a América Latina, Espanha e Portugal. A disputa é intensa: salas simultâneas exibem os filmes em sessões começando com diferença de uma hora no Carlton Cinema durante os dias 12, 13 e 14 de outubro.
Segundo o Curador, o BRAFFTV apresenta um Brasil que o estrangeiro não conhece e o brasileiro no exterior sente saudade. Desnuda o país com histórias de contrastes entre pobres e ricos, executivos e poetas, movimentos sociais, culturais e artísticos. “Alguns festivais gostam de enfatizar que o Brasil não é só samba, carnaval e futebol. Eu prefiro pensar que o cinema é a melhor forma do estrangeiro conhecer as paixões brasileiras ‘globalizadas’, seja pela força narrativa ou dramática das histórias”, ressalta Hudson Moura.
Para a abertura de gala o filme Xingu, de Cao Hamburger, será exibido dia 11, no Bloor Hot Docs Cinema, e Raul – O Início, o Fim e o Meio, encerra o Festival dia 14, no Carlton Cinema.
O 6ª BRAFFTV apresenta filme para todos os gostos com suas ficções e documentários: de comédia a drama, de biografia a meio ambiente, de rock a samba, de política a futebol. Até crianças, de 4 a 7 anos, terão uma sessão exclusiva.
A 5ª edição do ‘UpTo3’ , dedicada a filmes para novas mídias com até 3 minutos de duração, acontecrá dia 14. Também neste dia, a 2ª edição do Brah-zoo-kah apresenta filmes produzidos por brasileiros que moraram fora do país, e a 1ª  edição do Brasil visto por outros olhos exibe o filme Curitiba é possível, de Jörg Pibal e Paul Romauch.
Já em parceria com a empresa colombiana Ley en Movimiento, as organizadoras realizam em Toronto, a partir do dia 26, a mostra Pink Latino Diversity, cuja filmografia é  voltada à temática da diversidade urbana, sexual e de gênero.
Na área de conhecimento, o BRAFFTV oferece gratuitamente uma Oficina de Documentários para o público leigo, com o objetivo de mostrar a evolução do gênero no Brasil e produzir um filme.
Filme de SELTON MELLO, candidato brasileiro ao Oscar, é um dos concorrentes…
Para comemorar os 25 anos da imigração brasileira em Toronto, o cineasta Toni Venturi apresentará seu filme Under the Table, produzido há 25 anos, quando ele ainda era estudante da Ryerson University no Canadá. Após a exibição, haverá debate aberto ao público interessado em multiculturalidade.
Complementam a agenda do Festival, ações voltadas ao mercado. Dentre elas, workshops, visitas técnicas, networking com profissionais da indústria do audiovisual canadense e apresentação de cinco pilotos de documentários  para Agentes de Mercado (distribuidores, exibidores, compradores).
As organizadoras do festival, Cecília Queiroz – Puente (BR) – e Bárbara de la Fuente – Southern Mirrors (CA) – acreditam que o cinema é um veículo propagador da cultura brasileira, aproximando nações, gerando negócios e despertando a curiosidade do espectador para histórias e destinos surpreendentes. Do Acre, ao Rio Grande do Sul, de Pernambuco ao Mato Grosso, o Brasil está completamente documentado e contado em histórias que merecem ser partilhadas no BRAFFTV.
O premiado longa ‘Rânia’, da cearense Roberta Marques, figura entre os concorrentes…
Enquanto espera o início das sessões, o público canadense pode conhecer um pouco mais do Brasil na II Exposição de Produtos e Serviços Brasileiros, no hall do Carlton Cinema (12 a 14/10).
Slogan do BRAFFTV 2012: Você será fisgado pelo Brasil !
O termo fisgar no Brasil e no Canadá tem o sentido objetivo de pegar, pescar o peixe. Já no sentido figurativo, a interpretação é diferente nos dois países: fisgar no Brasil está relacionado a ficar envolvido em algo inusitado e apaixonante; no Canad,á o termo está associado a ficar viciado por algo. Que seja pelo cinema brasileiro ! Este é o convite do BRAFFTV !
Mostra Competitiva – Longas
Cartas para Angola                                 2011  Documentário 75’          Coraci Ruiz e Julio Matos
Coração do Samba                                  2011  Documentário 72’          Thereza Jessouroun
Corações Sujos                                       2011  Ficção 107’                    Vicente Amorim
Dois Coelhos                                           2011  Ficção 108’                    Afonso Poyart
Estamos Juntos                                      2011  Ficção 95′                      Toni Venturi
Futebol de Várzea                                   2011  Documentário 82´          Marc Dourdin
O Palhaço                                                2011 Ficção 88’                       Selton Mello
Os Últimos Cangaceiros                        2011  Documentário79′            Wolney Oliveira
Paralelo 10                                               2011  Documentário 87’           Silvio Da-Rin
Rânia                                                        2011 Ficção 85′                       Roberta Marques
Reflexões de um Liquidificador            2010  Ficção 80′                       André Klotzel
Rock Brasília – A Era de Ouro                2011  Documentário 111’         Vladimir Carvalho
Sobre Futebol e Barreiras                      2011  Documentário 110′         Arturo Hartmann, Lucas Justiniano, José Menezes, João Carlos Assumpção
Uma Professora Muito Maluquinha      2011   Ficção 88’                      André Alves Pinto e Cesar Rodrigues
Mostra Competitiva – Curtas/Médias
Até a Vista                                              2011 Ficção 20`                        Jorge Furtado
A Dama do Estácio                                2012  Ficção 22`                        Eduardo Ades
A Galinha que Burlou o Sistema          2012 Ficção  15’                        Quico Meirelles
Bud’s Song’s Time                                 2011 Animação 3´47                 Helder Nobrega
Cadê meu Rango?                                 2012 Animação 4’15”                George Munari Damiani
Depois da Queda                                   2011 Ficção 17’                         Bruno Bini
Deus                                                        2011 Ficção 12´                         André Miranda
Elogio da Graça                                     2011 Documentário 25’              Joel Pizzini
Isso Não é o Fim                                    2011 Ficção 15’                         João Gabriel
Lápis de Cor                                           2011 Ficção 16`                         Alice Gomes
Maldito Gergelim                                    2012 Ficção 13′                         Flávio Barone
O Fim do Filme                                       2012 Ficção 15´                         Alison Zago, Richard Dantas
O Gigante                                               2012 Animação 10`30″               Julio Vanzeler, Luis Matta Almeida
O Veneno está na Mesa                        2012 Documentario 50`              Silvio Tendler
Passo Compasso                                  2012 Ficção 7`                            Caroline Fioratti
Piove, il Film di Pio                               2012 Documentário 14’56’’          Thiago Mendonça
Premonição                                           2011 Ficção  13’                           Pedro Abib
Procurando Madalena                          2010 Documentário 18`               Ricardo Salles
Qual Queijo Você Quer?                      2011 Ficção 11`15″                      Cintia Domit Bittar
Tocaia para Tuco Valente                    2011 Ficção   15’                          Evandro Goy
Uma Vida Inteira                                    2011 Ficção 15`                           Ricardo Santini, Bel Ribeiro
Urânio Picuí                                           2011 Documentário 15´               Tiago Melo, Antônio Carrilho

AGENDA

·         20/09 – Pré-BRAFFTV com exibição gratuita do clássico Marvada Carne (Biblioteca Pública Palmerston);
·         3/10 – Festa de lançamento do 6º BRAFFTV (Lula Lounge);
·         3/10 e 12/10 – Oficina de Documentário (Universidade de Toronto);
·         11/10 – Abertura do BRAFFTV com o filme Xingu (Bloor Hot Docs Cinema);
·        11/10 – Debate 25 anos de Brasil no Canadá  com a presença do cineasta Toni Venturi exibindo seu filme Under the table
·        11 a 14/10 – Sessão Brah-zoo-kah: Filmes produzidos por brasileiros que moram fora do País (Carlton Cinema);
·        12 a 14/10 – Exposição de produtos brasileiros no hall do Cinema (Carlton Cinema);
·         12 a 14/10 – Mostra Competitiva BRAFFTV – Documentário, ficção e animação em curta, média e longa metragem (Carlton Cinema);
·         14/10 – Encerramento do BRAFFTV com o filme Raul – O Início, o Fim e o Meio (Carlton Cinema);
·         14/10 – Cerimônia de premiação do BRAFFTV (Carlton Cinema);
.         14/10 – Sessão Brazil visto por outros olhos (Carlton Cinema);
·        14/10 – 5ª Mostra Competitiva UpTo3’ – filmes para novas mídias com duração de até 3 minutos (Carlton Cinema);
.          26 a 28/10 – Pink Latino Diversity (Carlton Cinema)

BRAFFTV – Linha do tempo

Prêmio Golden Maple
·1500 filmes inscritos em 6 anos
·210 filmes exibidos em 5 anos
Público
· 11.800 espectadores em 5 anos
Perfil
Canadenses: 52%
Brasileiros: 35%
Outras: 13%
Principais filmes exibidos:
·  Boca, Budapeste, Divã, Estômago, Fábrica, Fabricando Tom Zé, Loki – Arnaldo Baptista, Lula – o Filho do Brasil, Meu Nome não é Johnny, Não por acaso, Querô, Rosa Morena, Simonal – Ninguém sabe o duro que dei, Tempos de Paz;
Apoio
O BRAFFTV faz parte do Fórum dos Festivais e conta com apoio do Consulado Geral do Brasil em Toronto, Mellohawk Logistics, Brasil Remmitance, DBOR Design, Brazuca – Brazilians United in Canada. O apoio de mídia é da Maxpress, OiToronto, Jornal da Gente, Nossa TV Canada, Etc & Tal, Brasileiros no Canadá, Wave e Jornal Centro em Foco. Os prêmios serão oferecidos pelo CiaRio e pelo artista plástico Beto Jardim. O apoio institucional é de Raindance Canada, Canal Brasil, Ponto & Letra, Martha Rangel,  A Docuvixem Film.

Os Selecionados do BIFF, que acontece em julho

Durante dez dias, Brasília vai receber alguns dos mais comentados filmes do circuito cinematográfico internacional. O BIFF – Brasilia International Film Festival realiza sua primeira edição, entre 13 e 22 de julho, oferecendo Mostra Competitiva com 12 títulos e importantes mostras paralelas.

Anna Karina vai estar presente e ganha mostra especial…

A cidade irá acolher diretores de países como Macedônia, Albânia, Chile, EUA, Emirados Árabes e Inglaterra, e ainda contar com a presença da atriz e cantora Anna Karina, a mais emblemática do cinema francês da década de 1960, protagonista de diversos filmes da Nouvelle Vague, que fará o show de abertura na Sala Villa-Lobos do Teatro Nacional.

O I BIFF irá acontecer no Teatro Nacional Cláudio Santoro – Salas Villa-Lobos e Alberto Nepomuceno – e nas quatro salas do circuito do Cine Cultura Liberty Mall. Terá Mostra Competitiva, com prêmios de US$ 10 mil por categoria, a Retrospectiva Anna Karina (com a exibição de seis títulos protagonizados pela musa de diretores como Jean-Luc Godard) e mostras como Cara Latina, Panorama África, Independente Americano e Panorama Europa, que exibirão produções inéditas no circuito comercial brasileiro.

Cara Latina será especialmente dedicada à produção de mulheres, dando relevo à presença feminina na política dos países da América Latina. Panorama África  objetiva aumentar o contato com a produção audiovisual do continente africano. Panorama Europa oferece oportunidade de entrada do novo cinema europeu no mercado cinematográfico brasileiro. E Independente Americano pretende dar visibilidade a realizadores que têm renovado a linguagem, com uma grande diversidade de expressão audiovisual.

As mostras serão acompanhadas de debates importantes, como o que trará a Brasília o norte-americano Andrew Houchens, coordenador de projetos especiais da IFP – Independent Filmmaker Project, notável fundação de apoio à realização de filmes independentes nos Estados Unidos. A programação ainda terá palestras e encontros com realizadores. 

FILMES DA MOSTRA COMPETITIVA

UNA NOCHE – USA/CUBA/INGLATERRA, 2012, 90 min
Direção: Lucy Mulloy
Com: Dariel Arrechaga, Anailín de la Rúa de la Torre, Javier Núñez Florián
PREMIADO NO FESTIVAL DE BERLIM EM 2012 E PRÊMIOS DE MELHOR DIREÇÃO, ATOR E CINEMATOGRAFIA NO TRIBECA FILM FESTIVAL.

A MULHER QUE ESCOVOU SUAS LÁGRIMAS – The Woman who brushed off her tears – MACEDONIA/BELGICA/ALEMANHA/ESLOVÊNIA, 2012, 103 min
Direção: Teona Miteveska
Com: Victoria Abril, Labina Mitevska, Jean Marie Galey

HABIBI – EMIRADOS ÁRABES/PALESTINA/HOLANDA/USA, 2011, 78 min
Direção : Susan Youssef
Com: Kais Nashif, Sami Said, Yosef Abu Wardeh, Najwa Mubarki, Maisa Abd Elhadi, Firas Nour
Primeira ficção filmada em Gaza em 15 anos. Uma história de amor proibido. .
PRÊMIO DE MELHOR FILME, MELHOR ATRIZ E MELHOR EDIÇÃO NO FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA DE DUBAI E O CÂMERA NOVO, DO FESTIVAL CINEMA NOVO DE BRUGGE.

THE LONELIEST PLANET – USA/ALEMANHA, 2011, 113 min
Direção: Julia Loktev
Com: Gael Garcia Bernal, Hani Furstenberg, Bidzina Gujabidze
GRANDE PRÊMIO DO JURI DO AFI FEST, DE LOS ANGELES, GOLDEN TULIP DO FESTIVAL DE ISTAMBUL E O GOLDEN LADY DO LAS PALMAS DE GRAN CANARIA INTERNATIONAL FILM FESTIVAL.

BEL AMI – O SEDUTOR – BEL AMI – FRANÇA/CALIFORNIA, 2012, 102 min
Direção: Declan Donnelan e Nick Ormerod
Com Robert Pattinson, Uma Thurman, Kristin Scott Thomas, Christina Ricci
Bel Ami é um filme de 2012, estrelado por Robert Pattinson e Uma Thurman, com roteiro baseado em livro homônimo, escrito por Guy de Maupassant em 1885. 

ANISTIA – Amnesty – ALBÂNIA/GRÉCIA, 2011, 83 min
Direção: Bujar Alimani
PRÊMIO NO BERLINALE FORUM 2011 E PRÊMIO ESPECIAL DO JURI – FIPRESCI AWARD.

AUSÊNCIA – Without – USA, 2012, 87 min
Direção: Mark Jackson
Com: Joslyn Jensen, Ron Carrier
Numa remota e arborizada ilha do Pacífico, uma jovem mulher tornar-se cuidadora de um homem em estado vegetativo. 
VENCEDOR DO FILM INDEPENDENT SPIRIT AWARDS 2012, PRÊMIO DE MELHOR DIRETOR NO FESTIVAL THESSALONIKI E MELHOR ATRIZ EM MAR DEL PLATA.

REPORTED MISSING – ALEMANHA, 2012, 86 min
Direção: Jan Speckenbach
Com: André M. Hennicke, Luzie Ahrens, Sylvana Krappatsch, Jenny Schily
Martha, uma adolescente de 14 anos, desaparece de um dia para o outro. GRANDE PRÊMIO NEW TALENT COPENHAGEN INTERNATIONAL FILM FESTIVAL.

AVALON – SUÉCIA, 2012, 76 min
Direção: Axel Petersén
Com: Johannes Brost, Peter Carlberg, Léonore Ekstrand
Os anos 80 não acabaram para Janne. VENCEDOR DO FIPRESCI PRIZE FOR BEST FIRST FEATURE IN TORONTO. 

O ANO DO TIGRE – CHILE, 2011, 82 min
Direção: Sebástian Lelio
Com: Luis Dubó, Sergio Hernández
O devastador terremoto do Chile, de 27 de fevereiro de 2011, inadvertidamente converte Manuel de prisioneiro em fugitivo. PRÊMIO DO JURI DO FESTIVAL DE LOCARNO 2011

HOJE – Tey – FRANÇA/SENEGAL, 2012, 86 min
Direção: Alain Gomis
Com: Saül Williams, Aïsa Maïga, Djolof M’bengue, Anisia Uzeyman
Hoje é o último dia de sua vida. Ele sabe que isso é verdade mesmo que ele seja forte e saudável.

KAWBOY – HOLANDA, 2012, 81 min
Direção: Boudewijn Koole
Com: Rick Lens, Loek Peters, Susan Radder, Ricky Koole
MELHOR FILME DA MOSTRA GENERATION, DE BERLIM, 2012; PRIX DE LA VILLE DE SAINT-QUENTIN NO CINEJEUNE, APRIL 2012, E ‘UNICEF AWARD’ NO BAFICI, BUENOS AIRES INTERNATIONAL FILM FESTIVAL, APRIL 2012.

HOMENAGEM À ANNA KARINA 

A mostra Retrospectiva Anna Karina irá exibir seis títulos dentre os mais importantes da carreira da estrela. A dinamarquesa Hanne Karin Bayer virou Anna Karina por sugestão da célebre estilista francesa Coco Chanel. Na época, era recém-chegada de Copenhagen, de onde fugira ainda adolescente, pedindo carona na estrada, por conta de conflitos com os pais. Ao conhecer Coco, quando era modelo da revista “Elle”, ela lhe previu um grande futuro. O prognóstico estava certo, mas não foi como modelo que Anna Karina alcançaria a fama.

Além de se tornar a grande musa de Jean-Luc Godard, foi – apesar de Jeanne Moreau, Jean Seberg e Brigitte Bardot – a atriz mais luminosa e emblemática do cinema francês dos anos 60.

Foi vendo Anna Karina num comercial de sabonete que Godard se interessou por ela. Ficaram casados durante sete anos, fizeram sete longas-metragens e o único episódio realmente memorável de “A Mais Velha Profissão do Mundo”. Uma parceria fecunda que rendeu obras-primas como “Viver a Vida”, “Pierrot, le Fou” e “Alphaville”, além dos adoráveis “Uma Mulher é uma Mulher”, “O Pequeno Soldado”, “Band à Part” e “Made in USA”. Foi, sem dúvida, a melhor e mais inspirada fase da obra godardiana. Poucas dobradinhas atriz-diretor deram origem a tantos e grandes filmes.

Também foi a melhor fase da extensa filmografia de Anna Karina, que, por sinal, trabalhou com outros grandes diretores – como Luchino Visconti (“O Estrangeiro”), Jacques Rivette (“A Religiosa”), George Cukor (“Justine”), Valério Zurlini (“Mulheres no Front”), Rainer Werner Fassbinder (“Roleta Chinesa”). E, claro, Serge Gainsbourg, que a dirigiu no musical “Anna” e a elegeu como uma das intérpretes favoritas de suas lânguidas canções, ao lado da mulher Jane Birkin e Brigitte Bardot.

Antes de atuar e de ser modelo, Anna Karina já gostava de cantar. Seus dotes vocais foram bem aproveitados por Godard em “Uma Mulher é Uma Mulher”, uma homenagem aos musicais hollywoodianos, e no cultuado “Pierrot, le Fou”. Na pouco vista comédia musical “Anna”, em papel feito sob medida para a cantriz, interpretou repertório de Gainsbourg. A partir deste milênio, a música passou a ocupar espaço em sua vida profissional. Foi a partir do ano 2000 que lançou seus três únicos álbuns solo: “Une Histoire d´Amour”, “Chansons de Films” e “Vilain Petit Canard”.

Brasília terá julho de tela internacional de Cinema

Brasília será inserida no circuito dos grandes festivais internacionais com a realização do I BIFF – Brasília International Film Festival (Festival Internacional de Cinema de Brasília), a acontecer de 13 a 22 de julho.

O Festival irá exibir uma seleção de filmes escolhidos entre o melhor da produção disponível nos festivais de Sundance (EUA), Berlim (Alemanha), Cannes (França), San Sebatian (Espanha) e Veneza (Itália). Serão 12 longas-metragens inscritos na mostra competitiva, e outros 42 títulos exibidos em mostras paralelas de grande relevância, como uma retrospectiva do trabalho da atriz Anna Karina, a musa da Nouvelle Vague, que irá a Brasília especialmente para o evento.

O I BIFF ocupará as quatro salas do Cine Cultura Liberty Mall e ainda o Museu Nacional da República. A direção geral é de Nilson Rodrigues e Anna Karina de Carvalho.

A iniciativa de criação do BIFF responde a um anseio do público de Brasília, habitualmente frequentador das salas de cinema de arte. A capital brasileira já conta com um festival internacional de teatro (o Cena Contemporânea), de música (FIB – Festival Internacional de Inverno de Brasília), de dança (Festival Internacional Nova Dança). Agora, ganha também seu festival internacional de cinema, que promete levar ao Distrito Federal títulos produzidos em todos os continentes, a nova produção independente brasileira, mostras retrospectivas, convidados internacionais e nacionais, entre diretores e atores que participarão dos debates sobre os filmes e seminários.

A programação inclui ainda sessões especiais gratuitas para crianças e jovens da rede pública de ensino do DF e oficinas de capacitação, com foco nos jovens iniciantes na área audiovisual.

Convidada especial desta primeira edição, a dinamarquesa Hanne Karin Bayer virou Anna Karina por sugestão da célebre estilista francesa Coco Chanel. Na época, estava recém-chegada de Copenhagen, de onde fugira ainda adolescente, pedindo carona na estrada, por conta de conflitos com os pais. Ao conhecer Coco, quando era modelo da revista “Elle”, ela lhe previu um grande futuro. O prognóstico estava certo, mas não foi como modelo que Anna Karina alcançaria a fama.

Atriz Anna Karina, musa do cinema francês, estará em Brasília

Além de se tornar a grande musa de Jean-Luc Godard, foi (apesar de Jeanne Moreau, Jean Seberg e Brigitte Bardot) a atriz mais luminosa e emblemática do cinema francês dos anos 60.

Foi vendo Anna Karina num comercial de sabonete que Godard se interessou por ela. Ficaram casados durante sete anos, fizeram sete longas-metragens e o único episódio realmente memorável de “A Mais Velha Profissão do Mundo”. Uma parceria fecunda que rendeu obras-primas como “Viver a Vida”, “Pierrot, le Fou” e “Alphaville”, além dos adoráveis “Uma Mulher é uma Mulher”, “O Pequeno Soldado”, “Band à Part” e “Made in USA”. Foi, sem dúvida, a melhor e mais inspirada fase da obra godardiana.

Também foi a melhor fase da extensa filmografia de Anna Karina, que, por sinal, trabalhou com outros grandes diretores – como Luchino Visconti (“O Estrangeiro”), Jacques Rivette (“A Religiosa”), George Cukor (“Justine”), Valério Zurlini (“Mulheres no Front”), Rainer Werner Fassbinder (“Roleta Chinesa”). E, claro, Serge Gainsbourg, que a dirigiu no musical “Anna” e a elegeu como uma das intérpretes favoritas de suas lânguidas canções, ao lado de Jane Birkin e Brigitte Bardot.

Antes de atuar e de ser modelo, os dotes vocais de Anna Karina foram bem aproveitados por Godard em Uma Mulher é uma Mulher, homenagem aos musicais hollywoodianos, e no cultuado Pierrot, le Fou. Na pouco vista comédia musical “Anna”, em papel feito sob medida para a cantriz, interpretou repertório de Gainsbourg. A partir deste milênio, a música passou a ocupar espaço em sua vida profissional. Foi a partir do ano 2000 que lançou seus três únicos álbuns solo: “Une Histoire d´Amour”, “Chansons de Films” e “Vilain Petit Canard”. 

PROGRAMAÇÃO

MOSTRA COMPETITIVA – 12 longas-metragens, com premiação de melhor filme, melhor diretor, melhor roteiro original, melhor ator e melhor atriz.

MOSTRA INFANTIL DE FILMES DE ANIMAÇÃO – 6 filmes (curadoria de Luciana Druzina)

O NOVO CINEMA EUROPEU – 6 filmes –  Filmes da nova geração de cineastas europeus

PANORAMA ÁFRICA – 6 filmes – O cinema africano contemporâneo

INDEPENDENTES AMERICANOS – 6 filmes – Os novos filmes independentes dos EUA

RETROSPECTIVA ANNA KARINA – 6 filmes

SUBTERRÂNEOS – 6 Filmes experimentais

CARA LATINA – 6 filmes latinos (Curadoria Priscila Miranda) 

Mais informações: www.biffestival.com.