Arquivo da tag: IV Festival Internacional de Cinema de Fronteira

Reta final de inscrições ao FESTin LISBOA

Inscrições para a Festa do Cinema Português prosseguem até dia 31

FESTin2013

Decorrem até 31 de dezembro as inscrições de filmes oriundos de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste para a 4ª edição do FESTin – Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa, nas categorias de curtas e longas-metragens.

Os filmes concorrentes deverão ser exclusivamente de expressão portuguesa e ter sido finalizados entre janeiro de 2011 e dezembro de 2012, com duração mínima de setenta (70) minutos, no caso dos longas-metragens, e duração máxima de 25 minutos para os curtas-metragens.

A 4ª edição do FESTin aconteverá de 3 a 10 de abril de 2013, no Cinema São Jorge, em Lisboa. Nesta próxima edição, o FESTin dará destaque ao cinema angolano, depois de ter homenageado Moçambique (2010), Portugal (2011) e  Brasil (2012).

Para além das duas sessões de competição (longas e curtas-metragens), o festival volta a integrar a Mostra de Cinema Brasileiro, e a Mostra de Inclusão Social, além de homenagens, retrospectivas, oficinas e mesas redondas.

Procurando alcançar um público cada vez mais alargado, o FESTin já realizou itinerâncias em Coimbra, Aveiro e Seia – em parceria com o festival Eco-Seia. Pelo segundo ano consecutivo, entre os passados dias 20 e 25 de novembro, o FESTin apresentou uma mostra de cinema lusófono no Festival Internacional de Cinema da Fronteira, na cidade de Bagé (RS), tendo contado este ano com a chancela oficial do Ano de Portugal no Brasil.

O FESTin é produzido pela Padrão Actual, em coprodução com a Fundação Luso-brasileira, a EGEAC e o Cinema São Jorge. Surgiu em 2010, por iniciativa das jornalistas brasileiras Léa Teixeira e Adriana Niemeyer, e do médico português Victor Serra, com o intuito de celebrar a cultura lusófona através do cinema, num ambiente de partilha, intercâmbio e inclusão social, proporcionando o acesso do público a filmes que dificilmente chegam aos circuitos comerciais.

Delícias do Bistrô: Um lugar obrigatório em Bagé

AURORA DE CINEMA direto do Festival de Cinema da Fronteira

É um bangalô cheio de charme. Situado na praça dos Esportes, uma das mais frequentadas de Bagé – a bela cidade gaúcha conhecida como Rainha da Fronteira, por sua proximidade ao Uruguai -, o belo tom de verde de sua fachada é o que primeiro chama atenção.

Ali fica o conhecido Bistrô Yara Coronel, um lugar dominado pela elegância de sua anfitriã, o charme de seus múltiplos e coloridos espaços, a boa música, a beleza de sua ambientação e, sobretudo, pela excelência de sua culinária e o atendimento convidativo.

Bistrô Yara Coronel, um recanto especial em Bagé, coisa de Primeiro Mundo…

Yara Coronel é uma Artista ! Por muitos anos, lecionou Arte para crianças e jovens de Bagé. O tempo encarregou-se de aprimorar sua alma de fazedora de sonhos e artesã de belezas, e ela foi ‘ensinar arte’ através da deliciosa gastronomia do Bistrô e de sua veia singular de criadora de espaços lúdicos cheios de bossa e charme. Resultado: o Bistrô Yara Coronel é uma festa para os olhos e um regalo para o paladar.

Yara Coronel, figura festejada em Bagé, uma Artista que cultiva Artistas…

Cenários convidativos fazem do Bistrô Yara Coronel um lugar especial…

Ir ou estar em Bagé e não conhecer o Bistrô de Yara Coronel é o mesmo que ir ao Rio de Janeiro e não conhecer o Corcovado ou a Lagoa Rodrigo de Freitas. Ou como diria o Skank,

“É como mergulhar no rio
E não se molhar
É como não morrer de frio
No gelo polar
É ter o estômago vazio e
Não almoçar …”

Por conta da realização do IV Festival Internacional de Cinema da Fronteira, no qual assino com muita honra a Curadoria – obrigada, Zeca Brito e Sapiran pela distinção do convite -, tenho jantado no Bistrô todas as noites. E quanto mais vou ali, mais me impressiono com a qualidade indubitável e irretocável do restaurante. Não à toa, o Bistrô está sempre lotado. E chegando mais gente…

No BISTRÔ YARA CORONEL tudo é um convite a estar, voltar, virar frequentador assíduo. Os pratos são diversos – da massa ao bacalhau, passando pelo frango, o saborosíssimo peixe, até o salmão e outras iguarias finas. Aliás, no Bistrô Yara Coronel, é possível até pedir um prato ‘no escuro’, sem olhar o cardápio. Porque todos os pratos do Bistrô foram criados pela mesma sensibilidade gastronômica e são feitos com as mesmas mãos de fada das artistas do sabor, Raquel e Lu.

Há pratos cujos nomes já dão pro freguês ‘sentir o drama’ : como o Arraso e o Pecado -, além de exemplares de filé que enchem os olhos e regalam o paladar… o que é aquele Salmão Crocante com molho de manga e castanhas ? Benza Deus !

O único senão do Bistrô Yara Coronel é que você não quer sair de lá, pretende voltar sempre, e adeus dieta !

Cândida, Aurora, Martinha e Bete: noites incríveis no Bistrô Yara Coronel, um lugar especial e obrigatório em Bagé…

Um beijo muito carinhoso e agradecido à Diva Yara Coronel, e à sua fabulosa equipe de assistentes, que nos recebem com atenção, delicadeza e simpatia todas as noites – Martinha, Bete, Cândida, Marley, e ainda Rosane Coutinho (Marketing), Lu e Raquel… e parabéns à equipe de organização do IV Festival de Cinema da Fronteira, que nos concedeu este adorável presente de poder estar todas as noites neste lugar mágico, nostalgicamente plástico, belo e singular que é o BISTRÔ YARA CORONEL.

O exótico ambiente de onde saem as preciosas delícias do Bistrô Yara Coronel…

Tudo no Bistrô é um convite ao sorriso e ao brilho do olhar…

Rosane Coutinho e Aurora Miranda Leão curtindo a noite do Bistrô da Yara…

Júnior Rodrigues e Marquinho Silva: gente de cinema no Bistrô Yara Coronel…

Aurora de Cinema em click Rosane Coutinho, simpatia do Bistrô…

Um dos espaços mais bonitos, a apaixonante Sala Azul, um luxo para o olhar…

Jornada de Cinema no Festival da Fronteira

O IV Festival Internacional de Cinema de Fronteira convida para a I  Jornada de Estudos de Cinema da Universidade Federal do Pampa (Unipampa), abrindo espaço para a participação e a  troca de experiências acadêmicas.

A Jornada vai acontecer dia 22 de novembro e constará de apresentações orais em forma de comunicação ou  relatos de experiência, e uma mesa-redonda, resultando em publicação.

A inscrição é feita mediante submissão (até 5 de novembro) e aceite de resumos, conforme o regulamento, o qual pode ser solicitado  através do e-mail  jornadacinema@gmail.com.

A abertura da Jornada se dará com a mesa-redonda História e Crítica do Cinema Brasileiro Hoje, contando com a participação do renomado teórico Jean-Claude Bernardet (USP), e da jornalista Ivonete  Pinto (UFPEL). A mesa será mediada pelo professor Tiago Lopes, da UniSinos.

Enquanto isso, prosseguem abertas às inscrições para a mostra de curtas-metragens: até dia 31 pelo site: www.festivaldafronteira.com

Quem faz a Jornada de Estudos de Cinema da Unipampa 

Jean-Claude volta a Bagé para conversar e destrinchar questões da Sétima Arte…

  • Jean-Claude Bernardet:  Jornalista, escritor, roteirista, ator, professor de Cinema, está nesta área há mais de 40  anos. Um dos principais críticos do país, é autor de vários  livros sobre cinema e de três romances. Coautor do roteiro do clássico O caso dos irmãos Naves, do cineasta Luís Sérgio Person, e Um céu de estrelas, de Tata Amaral. Produziu, em parceria com o escritor Fernando Bonassi, o roteiro de Através da janela, também da cineasta Tata Amaral. Como ator, está em alguns filmes, a exemplo de Filmefobia, de Kiko  Goifman.

A gaúcha Ivonete Pinto estará na Jornada de Cinema de Bagé

  • Ivonete Pinto: Jornalista, Doutora em Cinema pela ECA/USP, com tese sobre Abbas  Kiarostami, orientada pelo professor Jean-Claude Bernardet. Atua como  crítica de cinema, co-editora da revista Teorema, e docente do curso de Cinema e Animação da Universidade Federal de  Pelotas, e do curso de Especialização em Cinema  da Unisinos. Preside a ACCIRS (Associação de Críticos de Cinema  do RS) e é vice-presidente da ABRACCINE. Escreveu os livros “A Mediocridade” (Ed.Sulina), “Descobrindo o  Irã” (Ed. Artes e Ofícios) e “Samovar nos Trópicos” (Ed. Artes e  Ofícios).

Tiago Ricciardi Correa Lopes – Professor dos cursos de graduação em Desenvolvimento de Jogos  Digitais, Comunicação Digital, Publicidade e Realização Audiovisual na  Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), é graduado em  Publicidade pela ESPM, e Mestre em Ciências da Comunicação pela  UNISINOS.   Coordena, desde 2009, o Grupo de  Estudos em Narrativas Interativas, vinculado ao curso de Jogos Digitais  da Unisinos, onde desenvolve projetos relacionados ao uso de  técnicas de Role Playing Games (RPGs) para a construção de universos  ficcionais narrativos, e também no desenvolvimento de jogos que fazem uso de tecnologias móveis, como celulares e navegadores GPS.