Arquivo da tag: Janete Clair

Dias Gomes recebe justa Homenagem na ABL

Dramaturgo dos mais importantes, criador de peças e telenovelas inesquecíveis, o baiano DIAS GOMES faria 90 anos neste 19 de outubro

O Convite que este AURORA DE CINEMA recebe vem de Serginho Fonta – escritor, ator, dramaturgo e grande pesquisador da história do Teatro -, e também de Denise Emmer – escritora, compositora, cantora e poetisa carioca, filha do ilustre homenageado e da saudosa escritora Janete Clair.

Dias Gomes, que faleceu prematuramente num acidente de carro em maio de 1999, aos 76 anos, motivado por imperícia do condutor do táxi em que trafegava, faria 90 anos amanhã, mesma data em que o Poeta VINÍCIUS DE MORAES faria 99…

Dias Gomes, sempre inovador: nas novelas, temas que estavam na ordem do dia…

A Associação Brasileira de Imprensa e DeniseEmmer Dias Gomes Gerhardt convidam para a homenagem aos 90 anos de Dias Gomes

Depoimentos ao vivo de atores e escritores

Apresentação da Camerata Dias Gomes 

Mestre de Cerimônia Sérgio Fonta 

Denise Emmer e Sérgio Fonta à frente da oportuna Homenagem a DIAS GOMES…

Sexta, 19 de outubro, 18h

Rua Araújo Porto Alegre, 71/9º andar

Edifício Herbert Moses / ABI  Auditório Oscar Guanabarino

tel: 2282-1292

Entrada Franca

Denise Emmer no colo da mãe Janete Clair, tendo ao lado o pai, o dramaturgo Dias Gomes…

UM POUCO MAIS SOBRE DIAS GOMES, Imortal do TEATRO BRASILEIRO

“Inconformista”. Esse é o adjetivo que o baiano Alfredo de Freitas Dias Gomes (1922-1999), autor de “O Pagador de Promessas”, “O Bem-Amado” e “Roque Santeiro” -peças que viraram novelas- usava com orgulho para falar de sua obra e de si.

“Meu teatro, como tudo que escrevo, é inconformista. Quando você se conforma, não há por que escrever mais. Se você está de acordo com tudo, não há razão para ocupar o tempo de ninguém.”

A declaração dada ao programa “Roda Viva”, em 1995, é uma das que estão no livro “Dias Gomes”, uma compilação de depoimentos organizada por suas filhas Luana e Mayra Dias Gomes, que será lançada na próxima sexta (19/10), quando o dramaturgo completaria 90 anos.

Mayra, Dias Gomes e Luana: as filhas mais novas do autor…

“Montar este livro foi uma maneira que eu e minha irmã encontramos de conhecê-lo melhor”, diz Mayra, filha de Dias com sua segunda mulher, a atriz Bernadeth Lyzio; ela tinha 11 anos (sua irmã Luana, 8) quando o pai morreu, em um acidente numa corrida de táxi em São Paulo.

Segundo Mayra, o autor deixou caixas lotadas de reportagens e textos, incluindo trabalhos inéditos “que provavelmente virão à tona nos próximos anos”.

Paulo Gracindo, Emiliano Queiroz e Lima Duarte protagonizaram a emblemática novela de Dias Gomes, “O Bem Amado”, marco da teledramaturgia…

Criador de uma série de personagens que perduram no imaginário popular com seus trejeitos e bordões -Sinhozinho Malta e Viúva Porcina (de “Roque Santeiro”), Odorico Paraguaçu (de “O Bem-Amado”), Tucão (de “Bandeira 2”) etc.-, Dias, pai da telenovela genuinamente brasileira, era primordialmente um homem de teatro.

Começou a escrever aos 15 anos e foi encenado pela primeira vez aos 19, quando Procópio Ferreira montou “Pé-de-Cabra” (1942), que foi sua primeira obra censurada. Socialista até o fim da vida, filiado ao Partido Comunista, imprimiu à sua produção um tom de crítica política e sátira social que lhe renderia fama e perseguição.

Dias Gomes é autor da obra que deu origem ao filme de Anselmo Duarte ganhador da Palma de Ouro em Cannes, O Pagador de Promessas

Com a decretação do AI-5 em 1968, “ficou impossível exercer qualquer atividade cultural neste país”, o que o levou à TV. “Lá era o único local em que poderia trabalhar para sobreviver”, disse em entrevista presente no livro de suas filhas.

Com sua entrada na Globo, em 1969, colegas comunistas acusaram-no de estar se vendendo. “Houve um certo patrulhamento, mas não de pessoas que eu respeitasse”, disse no “Roda Viva”.

Dias considerou que teve liberdade para criar: “Sempre escrevi sem intervenção nenhuma. Quer dizer, eu podia ser um som dissonante dentro da Globo, como era ‘O Bem-Amado’, que passava alguma crítica ao regime.”

Usou o espaço que teve para revolucionar a teledramaturgia, impondo a temática brasileira e o “realismo crítico” às novelas, quase todas adaptações de suas peças.

Também inaugurou a novela em cores com “O Bem-Amado” (1973), que está sendo relançada em caixa de dez DVDs (R$ 165, Globo Marcas); introduziu ainda o realismo fantástico na TV, com “Saramandaia” (1976), que vai ser refeita pela Globo como sua próxima novela das 23h.

Juca de Oliveira viveu ‘Zelão das Asas”, outro personagem marcante da obra de DIAS GOMES…

Seu aniversário, na próxima sexta, será comemorado em evento na Associação Brasileira de Imprensa, no Rio, organizado por uma de suas filhas com a novelista Janete Clair (1925-1983), a violoncelista Denise Emmer:

“Estou bolando a homenagem há mais de um ano. Acho que meu pai está bastante esquecido, principalmente como homem de teatro.”

Para ela, se seu pai estivesse vivo, “estaria à tarde assistindo ao mensalão na TV”. Inconformista, encontraria material farto no julgamento. “E faria uma paródia da situação política atual, com bastante imaginação.”

DIAS GOMES ORGANIZAÇÃO Luana Dias Gomes e Mayra Dias Gomes EDITORA Azougue QUANTO R$ 29,90 (208 págs.)

* Com informações de MARCO AURÉLIO CANÔNICO

Insensato Coração: Bom Elenco,Trama Convincente e Temas Relevantes Abordados com Competência

Diálogos convincentes. grandes interpretações e trama incisiva fazem de INSENSATO CORAÇÃO uma das mais importantes novelas da década

O capítulo de ontem. por exemplo, dia em que o banqueiro Cortez é preso quando vai deixar o país, e o bandido LEO é completamente desmascarado, foi SENSACIONALLLLL !

GILBERTO BRAGA e RICARDO LINHARES estão fazendo uma novela contundente, importante, NECESSÁRIA, e a competente direção do núcleo de DENNIS CARVALHO só contribui para alavancar ainda mais a trama, um retrato acerbo e bem fundamentado sobre o tipo de país e sociedade em que vivemos.

Sobretudo ontem com as cenas fortes da perseguição ao milionário bandido e ao malvado Leo – pontificando a música Que País é Este ? -, a novela esnobou aptidão e capacidade de expor problemas sérios.

Gabriel Braga Nunes ganhou presente de Gilberto Braga e responde com competência esmerada. Autor é o melhor desde Janete Clair,  com quem diz ter aprendido tudo

Difícil assisti-la e não identificar imediatamente problemas sérios vividos recentemente no país, bem como facilmente identifica-se ações e atitudes semelhantes entre diversos personagens e cenas da vida cotidiana.

Com atores dando show de interpretação, e diálogos escritos com competência e senso de oportunidade, INSENSATO CORAÇÃO consegue mobilizar a atenção e logo ganha a adesão até do mais incauto espectador, tal a potência de suas denúncias e a sensibilidade emocional com a qual os personagens foram construídos – pelos autores e seus respectivos atores.

Paola Oliveira e Maria Clara Gueiros são primas na trama das 21h

Sem esquecer de falar na forma relevante e adequada com a qual diversos temas pulsantes são abordados na novela, com invejável propriedade – sendo ademais a força das imagens uma garantia de que as polêmicas colocadas ecoam fundo no inconsciente de quem as assiste: a questão da homofobia, dos rumos que as relações afetivas estão tomando nos dias que correm, da chamada ‘esperteza’ como varal para a falta de escrúspulos, da preponderância inadequada que o dinheiro vem tomando ante às relações sociais.

Déborah Secco e Leo Miggiorin: personagens do lado leve, empatia popular

LEO MIGGIORIN, magnânimo; Antônio Fagundes, sempre ótimo em qualquer papel; Herson Capri e Gabriel Braga Nunes, maiorais; Petrônio Gontijo e Cássio Gabus Mendes, ótimos; Ana Lúcia Torre e Nathália Thimberg, esplêndidas; Maria Clara Gueiros, Glória Pires, Rosi Campos e Deborah Secco, irretocáveis; Camila Pitanga, Paola Oliveira, Ricardo Tozzi e Eriberto Leão pontuando com beleza, talento e versatilidade momentos cruciais… esses e muitos outros são um auxílio luxuoso para os criadores de INSENSATO CORAÇÃO, a quem aplaudimos com louvor. 

NOTA DEZ !

Nathália do Valle, Déborah Secco e Herson Capri: elenco fundamental para condução da trma

Déborah Secco e Leonardo Miggiorin, que vem arrasando numa interpretação convincente e na medida certa. Sempre uma alegria vê-lo em cena !

Maria Clara Gueiros responde por algumas das melhores cenas… Supimpa !

Camila Pitanga, Lázaro Ramos e Petrônio Gontijo: momentos marcantes

Fagundes, Gabriel e Natália: família cheia de problemas

Glória Pires e Gabriel Braga Nunes: atores destacam-se na trama de Gilberto Braga