Arquivo da tag: Leandra Leal

Vestido de Noiva, ainda e sempre… Nelson Rodrigues e o Teatro

Peça mais conhecida de Nelson Rodrigues ganha análise do escritor SÉRGIO FONTA

Leandra Leal brilhou na versão Vestido de Noiva de Gabriel Villela, em 2009

A conferência de SÉRGIO FONTA está marcada para o próximo dia 21 de agosto, terça-feira, a partir das 16h, com entrada franca.

Julinha Lemmertz ao lado do escritor Sérgio Fonta, autor de ótima biografia do ator Rubens Corrêa…

A Academia Luso-Brasileira de Letras, através de seu Presidente Francisco dos Santos Amaral Neto convida para Conferência com o ator/diretor e escritor SÉRGIO FONTA – que comanda o programa TRIBO DO TEATRO, toda sexta, às 12:30h, na rádio Roquette Pinto -, que vai comentar a obra de um dos Dramaturgos Brasileiros mais importantes de todos os tempos, o pernambucano NELSON RODRIGUES.

Nelson Rodrigues, um dos dramaturgos mais festejados do país…

A atual montagem de Vestido de Noiva pelo grupo Os Satyros: em cartaz até domingo no Teatro Cacilda Becker (SP). Direção Rodolfo García Vázquez e Helena Ignez como Madame Clecy.

Marília Pera: Madame Clecy na versão cinematográfica de Vestido de Noiva

A obra a ser destrinchada por Sérgio Fonta é a mais popular de Nelson, a emblemática Vestido de Noiva, que ganha sucessivas montagens em todas as partes do país, já tendo também chegado ao cinema e à tela da TV Globo.

Tônia Carrero e Suzana Vieira na versão de Vestido de Noiva para a TV Globo – Programa APLAUSO, 1979…

Considerada marco inicial do moderno teatro brasileiro, encenada pela primeira vez em 1943 com direção do polonês Ziembinski, Vestido de Noiva causa polêmica desde sua primeira montagem. Segundo o professor e crítico Sábato Magaldi, grande estudioso de Teatro, esta faz parte de uma série de peças psicológicas do dramaturgo, com uma linguagem forte que transporta para o palco a profunda angústia presente nos textos do autor, capaz de chocar e emocionar o público há gerações pelo modo cru e abrupto de retratar a realidade velada da classe média carioca.

Uma das montagens de Vestido de Noiva em 1965…

A trama acontece através de ações simultâneas, as quais vão-se desenhando em três planos – realidade, alucinação e memória.

Versão dos Sátyros: Ivam Cabral, Helena Ignez e Cléo De Páris (foto: André Stéfano)

VESTIDO DE NOIVA é a peça que deu início ao processo de modernização do teatro brasileiro

Essa era a segunda peça escrita por Nelson. O autor trabalhava como jornalista, profissão que herdara do pai, e procurava, naquele período, uma fonte de sustento complementar. Seu primeiro trabalho para os palcos, A Mulher sem Pecado, tinha como pretensão conseguir o sucesso obtido por outras produções da época, como A Família Lero-Lero, comédia do cearense Raimundo Magalhães Júnior.

O grupo Os Comediantes na revolucionária versão de Vestido de Noiva, 1943

De acordo com os estudiosos, embora a peça de Nelson fosse obra de valor artístico muito superior a de Magalhães Júnior, ao estrear, em 1942, não obteve a simpatia do público e resultou em fracasso de bilheteria. Um ano depois, Vestido de Noiva iria revolucionar o teatro brasileiro através da lendária montagem sob a direção do polonês Zbigniew Marian Ziembinski, que chegara ao Brasil cerca de dois anos antes. E aqui, pela primeira vez, foi então usado o hoje muito conhecido Método de encenação do russo Stanislavski, através do qual é o próprio ator quem empresta aos personagens suas emoções pessoais para então criar uma outra persona através de sua própria vivência, suas experiências, sua memória afetiva.

Ziembinski deu nova forma ao texto de Nelson. Seu rigor na encenação  com a exigência de ensaios constantes, e a transmissão de novas diretrizes em termos de interpretação elevou a concepção brasileira de teatro a novos níveis.

Yoná Magalhães como Alaíde na versão de Vestido de Noiva, em 1965…

A representação de VESTIDO DE NOIVA, conforme a divisão em 3 planos, desenvolve-se em três atos, cuja relação não é exatamente cronológica, a não ser no plano da realidade, o qual acompanha a degradação do estado de saúde de Alaíde e a aniquilação consequente dos outros dois planos.

A versão dirigida por Gabriel Villela em 2009 com Leandra Leal, Marcello Antony e Vera Zimmermann…

 A palestra de SÉRGIO FONTA intitula-se VESTIDO DE NOIVA: NELSON RODRIGUES EM TRÊS ÂNGULOS DE HISTÓRIA e acontece na próxima terça, com ENTRADA FRANCA.

SERVIÇO

Luciana Braga e Malu Mader em uma das versões de Vestido de Noiva

Conferência VESTIDO DE NOIVA: NELSON RODRIGUES EM TRÊS ÂNGULOS DE HISTÓRIA

Com o escritor SÉRGIO FONTA

ONDE:  Academia Luso-Brasileira de Letras
(Confederação das Academias de Letras do Brasil)

Endereço: rua Teixeira de Freitas, 5 / 3º andar, Lapa , RJ
perto da Estação Metrô/Cinelândia (saída Passeio)

Horário: 16h

ENTRADA FRANCA

Marcello Antony como Pedro e Leandra Leal como Alaíde em montagem dirigida por Gabriel Villela…

Bom ritmo, temática e boas atuações tornam CHEIAS DE CHARME envolvente

Começou muito bem a nova novela das 19h, CHEIAS DE CHARME

Escrita por Filipe Miguez e Izabel de Oliveira, a trama foca no show bizz, evidenciando a música brega. E também aposta na história das empregadas domésticas, que são as Marias da trama: Maria da Penha, Maria do Rosário e Maria Aparecida.

Um programa de rádio chamado Bom Dia, Dona Maria interliga a vida particular dessas e de outras Marias. Comandado pelo radialista ‘Rangel Soares’, o programa deve ser um dos pontos-chaves do núcleo suburbano, e por certo deverá responder por vários momentos de descontração, causando a necessária descarga do pesado dia-a-dia da grande maioria, sendo de fácil assimilação pelos tantas centenas que ainda fazem do rádio o veículo de maior comunicação popular, e instantânea, do país. Logo, a inserção de um programa de rádio popular no universo da trama é um gol logo na estreia de Cheias de Charme.

Taís, Leandra e Isabelle são as Marias de Cheias de Charme

A direção de Carlos Araújo revelou-se competente reunindo ótimos atores, e exibindo bons movimentos de câmera e alguns ótimos enquadramentos. A Direção de Núcleo é da festejada Denise Saraceni, garantia de mais um acerto.

Cláudia Abreu, atriz de envergadura, revelada desde a estreia na inesquecível Que Rei Sou Eu ? já chegou arrasando, com momentos de graça e inegável eficácia interpretativa, exibindo sua mágica fotogenia. Fácil antever que fará da exagerada e performática Chayenne mais um grande marco de sua carreira.

Taís Araújo é atriz de muito talento e carisma. Aproveita a chance e mostrou que sua Penha veio pra ficar na galeria de personagens que marcam pela força de sua história pessoal, e determinação de mulher destemida, ‘sem papas na língua’…

Leandra Leal é outra beleza já bem conhecida do público, que reconhece e aprova sua vocação e versatilidade. Sua Maria une inocência, graça, sinceridade e encontra na atriz uma intérprete com capacidade de sobra pra dar conta do recado.

Isabelle Drummond é a outra Maria, atriz revelada pelo carisma de sua “Emília”, e que terá mais uma grande chance em Cheias de Charme.

No lado masculino, Ricardo Tozzi evidenciou o ‘banho’ de interpretação que vem por aí. Seu cantor popular (?) Fabian enfatiza a competência e carisma do ator, que foi um dos pontos altos da novela Insensato Coração (!) com seu hilário Douglas, que chegou a criar até uma espécie de bordão, quando chamava, ‘ofendido’, por sua “Bibi” (Maria Clara Gueiros)… Sensacional ! Deram a Tozzi mais uma chance de brilhar, e o ator vai corresponder porque tem charme, comunica bem, é bonito e atua com incrível espontaneidade.

Segundo os autores, Filipe Miguez e Izabel Oliveira, a intenção é homenagear as mulheres batalhadoras de todas as classes sociais:  “Poucas vezes empregadas domésticas foram protagonistas em novelas, mesmo sendo a maior categoria profissional feminina no país”, explica Miguez em entrevista ao site da novela. “Elas inspiram personagens riquíssimos, convivem com famílias que não são as suas, ajudam a criar filhos que não são os seus, criam laços afetivos com seus patrões, passam a fazer parte de uma casa como um membro daquela família, sem pertencer a ela”, completa Izabel sobre a escolha do tema.

Claudia Abreu e Ricardo Tozzi: dupla abafou no primeiro capítulo e deve ‘arrasar’ na nova novela global das 19h… Um luxo como dois cantores cheios de fãs !

Outros trunfos de CHEIAS DE CHARME:

O antropólogo HERMANO VIANNA (que é tão bom no que faz como seu querido mano HERBERT na guitarra) assina a Consultoria Musical. Sinal de que a trilha será um dos pontos altos da novela.

RICARDO LINHARES, o autor que assinou com Gilberto Braga (craque da teledramaturgia) tantas novelas marcantes, assina a supervisão de texto.

A abertura leve, bonita, ágil condiz com a música eletrizante de Gaby Amarantos (cantora paranese considerada a Beyonce do Pará, e tida como a ‘rainha do tecnobrega’). Tem tudo para estourar entre o público.

Quem quiser ouvir a música, é só acessar http://www.midiatotal.net/2012/03/tema-de-abertura-da-novela-cheias-de.html 

Portanto, CHEIAS DE CHARME estreou muito bem, e, se continuar nesse pique, deve fazer bom público, tendo ademais a responsabilidade de assumir a vaga de uma novela que foi poética, engraçada, inteligente, sensível e boa demais no horário, que foi Aquele Beijo, de Miguel Falabella e Cininha de Paula.

Chayenne e Fabian: prato cheio pra Cláudia Abreu e Ricardo Tozzi…

Claudia Abreu assume breguice e vai cantar…

Atriz surge no palco da festa da Globo ao lado de Gaby Amarantos e arrasa de cantora brega

 Claudia Abreu em nova novela: atriz comemora personagem de cantora brega…

Ela estava com dois meses de licença-maternidade quando a produção da Rede Globo ligou. “Queremos você para a próxima novela das sete. E mais, como uma cantora brega!”, relembrou rindo a atriz Claudia Abreu, após se apresentar ao lado de Gaby Amarantos, a Beyoncé do Pará, durante a festa da nova programação da emissora, em São Paulo, nessa segunda-feira (5). Claudia em breve volta à telinha como Chayene, na trama Cheias de Charme.

Esbanjando charme e sensualidade, Claudia Abreu está feliz com volta às novelas…

Mãe de outras três crianças, Maria, Felipa e José Joaquim, Claudia havia acabado de dar à luz Pedro Henrique, seu quarto filho com o marido, o cineasta José Henrique da Fonseca. “Na verdade eu ainda estou de licença, mas já estou trabalhando, A minha profissão é muito divertida”, disse

Para compor sua personagem, Claudia precisou provar que sabe cantar de verdade. “Eu fiz teste e gostaram. E Chayene não é um papel que surge sempre, não poderia recusar”. Na história, ela tentará atrapalhar a carreira das “três marias” Leandra Leal, Taís Araújo e Isabelle Drummond.

Além de cantar ao lado de Gaby, Claudia Abreu também já gravou cenas ao lado do cantor Michel Teló. 

personagem de cantora que deverá conquistar público e crítica…

* Informações Thayana Nunes, iG Gente

PASSIONE Vem Aí…

Mariana Ximenes grava na Toscana a próxima novela, Passione…

Fotos de Márcio de Souza / Divulgação / TV Globo

As regiões da Toscana e Roma foram os cenários escolhidos para as gravações Passione na Itália, que duraram um mês. 

Mais de 40 pessoas, entre figurinistas, cenógrafo, diretores, produtores e atores, viajaram para a Itália, entre eles Tony Ramos (Totó), Mariana Ximenes (Clara), Reynaldo Gianecchini (Fred), e Bruno Gagliasso (Berilo).

Lá, os atores sofreram com o frio, principalmente em Firenze. Não dava, por exemplo, para eles ficarem de bobeira no set. Eles tinham que ser retirados enquanto havia alguma troca de luz ou posição de câmera. 

Em San Quirico, o Sol saiu e a neve foi sumindo em alguns pontos. A equipe vibrou ao gravar cenas de  Tony num campo verde, já com as flores dando o sinal da primavera. Quando a locação era mais movimentada, como Fontana Di Trevi, uma rua mais conhecida ou uma estação de trem, a equipe era cercada por turistas brasileiros, que acompanhavam as gravações.

 A estréia de Passione, de Sílvio de Abreu, está prevista para 17 de maio, entrando no horário da novela Viver a Vida…

No elenco da nova novela também estão Fernanda Montenegro, Emiliano QueirozCauã Reymond, Marcelo Anthony, Aracy Balabanian, Leandra Leal, Marcelo Médici e Gabriela Duarte.

Mauro Mendonça fará uma especialíssima participação, apenas no primeiro capítulo, no qual morrerá e, a partir daí, toda a trama se desenvolverá.