Arquivo da tag: Mallu Moraes

Como e Por Que Alice Sumiu ?

Pirenópolis, bucólico município goiano onde nasceu a idéia de O Sumiço de Alice…

O Sumiço de Alice é o novo curta-metragem da jornalista Aurora Miranda Leão. Rodado em Anápolis, durante o I Festival de Cinema de Anápolis, realizado no município goiano de 12 a 18 de abril passados, o curta é um trabalho experimental que nasceu de uma visita à bucólica região de Pirenópolis, berço de tantos filmes brasileiros (como “Simeão, o boêmio”, primeiro filme dirigido pelo pioneiro goiano João Bennio; O Tronco, de João Batista de Andrade; O Leão do Norte, de Carlos Del Pino; e o curta Borralho, do maranhense Arturo Sabóia de Almada).

Gravado em formato digital, com imagens captadas em mini DV, O Sumiço de Alice é mais uma produção Aurora de Cinema, a ser finalizada em parceria com a Cabeça de Cuia Filmes (da videasta cearense Lília Moema).

turma reunida 2

Elenco do curta ‘O Sumiço de Alice’, rodado no eixo Anápolis-Pirenópolis

O processo de produção resume-se a 3 dias de gravações no circuito Pirenópolis-Teatro Municipal-Estância Park de Anápolis, mas, apesar do pouco tempo, o curta conta com elenco estelar, onde despontam o talento vibrante de Zezeh Barbosa, a criatividade singular dos goianos Deborah Torres e Guido Campos, a expressividade da atriz Dila Guerra, a criatividade do escritor Miguel Jorge, a descontração de Walter Webb, Alice Gonzaga e Mallu Moraes, a seriedade na estréia de Selva Aretuza e Manaíra Carneiro, além da inteligente participação dos jornalistas Cid Nader e Felipe Brida.

Aurora anota idéias para incluir no roteiro de O Sumiço de Alice

Eduardo Cardoso, Dila Guerra, Bianca Menti e Aurora: em busca de Alice…

Um belo plano-seqüência gravado em Pirenópolis responde pela abertura de O Sumiço de Alice. O filme vai-se desenvolvendo e, ao longo de seus 15 minutos, uma sucessão de imagens e depoimentos insólitos vão mapeando a intrincada história do inopinado e misterioso sumiço de Alice.

Alice Gonzaga, Mulher Patrimônio do Cinema, que inspirou o curta O Sumiço de Alice

Até o final, paira no ar a pergunta que não quer calar: como e porquê Alice sumiu ?

FICHA TÉCNICA

Roteiro e Direção: Aurora Miranda Leão

Produção: Aurora Leão e Ângela Torres

Assistente de produção: Itamar Borges e Mallu Moraes

Direção de Platô: Laura Pires

Edição: Aurora M. Leão e Lília Moema

Still: Ed Cafezeira e Laura Pires

Dila Guerra, Laura Carneiro, Mallu Moraes, Aurora Miranda Leão e Zezeh Barbosa: descontração imperou nas gravações de O Sumiço de Alice

Encontro feliz em Anápolis: Aurora Miranda Leão, Walter Webb e Débora Torres

Elenco: 

                   ALICE GONZAGA

                    ZEZEH BARBOSA

                    DÉBORA TORRES

                    WALTER WEBB

                    MIGUEL JORGE

                    SELVA ARETUZA, gentilmente cedida por Danton e Selton Mello

                    GUIDO CAMPOS

                    DILA GUERRA

                   MALLU MORAES

                   JOÃO BATISTA DE ANDRADE

                    MANAÍRA CARNEIRO

                    CID NADER

                    FELIPE BRIDA

                     SERINA RARUÁ

                    ITAMAR BORGES

                    LAURA PIRES

                    ED CAJAZEIRA

Zezeh Barbosa e Guido Campos curtindo a noite anapolina: brinde ao Cinema !

Cinema na Tela de Anápolis

É assim o belo cenário que nos alcança a visão no entorno de Anápolis, município goiano onde acontece a primeria edição do Festival Anápolis de Cinema.

Hóspedes da enorme e aconchegante Estância Park, cineastas, jovens realizadores, atores e atrizes, e jornalistas, contribuindo para a implantação de mais um festival para promover o Cinema Brasileiro.

Desde a chegada ao aeroporto de Goiânia, onde fomos recepcionados com carinho e atenção pela gentil equipe de Débora Torres – composta por sua mana Ângela Torres, Serina Raruá, e os jovens Pedro Pinheiro, Tatiana e Jéssica -, estar em Anápolis tem sido um misto de descanso, curtição, muito aprendizado de cinema (embarcando nas prodigiosas memórias de Walter Webb e Alice Gonzaga), e um diversificado intercâmbio de idéias de todos os matizes.

 

Esta primeira edição do Festival de Cinema de Anápolis começa marcada pelo impacto da quantia em prêmios: são R$ 130 mil reais, a serem divididos entre longas convidados e curtas feitos pelos próprios cidadãos de Anápolis, uma cifra bem polpuda dentre tantos festivais realizados no país, o que por si só já torna o festival bastante atraente para os concorrentes.

                        Atriz Eliane Lage, cineasta Walter Webb e homenageada Alice Gonzaga

 Jornalista e crítico de Cinema dos mais requisitados do país, RUBENS EWALD FILHO assina a curadoria da Mostra Adhemar Gonzaga de Longas Metragens

 Atriz carioca Dila Guerra e diretora Manaíra Carneiro: CINCO VEZES FAVELA

Murilo Rosa esteve em Anápolis por conta de ORQUESTRA DE MENINOS e recebeu afeto de Aurora Miranda Leão, Alice Gonzaga e Débora Torres

Ed Cafezeira, Neuza Borges, Laura Pires, Felipe Brida, Malu Moraes, Walter Webb, Alice Gonzaga, Manaíra Carneiro e Selva Aretuza (foto Aurora MLeão)

Débora Torres coordena debate após exibição de FELIZ NATAL, de Selton Mello, um dos fortes concorrentes do Festival de Anápolis

Laura Pires autografa biografia do saudoso Roberto Pires, cineasta baiano, em noite repleta de amigos e público

Dila Guerra, Manaíra Carneiro, Itamar Borges, Mallu Moraes, Felipe Brida, Aurora Miranda Leão e Alice Gonzaga (fotos de Edvaldo Cafezeira)

* Aguardem novos posts sobre a primeira edição do Festival de Cinema Brasileiro de Anápolis

GUARNICÊ de CINEMA

 

 A 33a edição do Festival GUARNICÊ de Cinema aconteceu num clima de muio bate-papo, troca de informações, debate de idéias, alegria, camaradagem e muitas festas, como sói acontecer na terra da Tiquira, do Guaraná JESUS, do buriti, do Tambor de Crioula, do Cacuriá, do arroz de cuxá e do Bumba-meu-Boi…

É lá, na adorável capital maranhense, onde acontece anualmente, em junho, o Festival GUARNICÊ de Cinema, promovido pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), um dos mais antigos do país e, sem dúvida, O MAIS FESTEIRO do BRASIL !

O Festival foi aberto na noite de terça, 22, no Centro de Convenções de São Luís, no bairro Cohafuma, inaugurando uma nova etapa do evento cinematográfico. Tendo o professor e músico Alberto Dantas como coordenador-geral, o festival contou com diversas mostras competitivas (realizadas também em outros cenários, como o Centro Cultural Odylo Costa Filho e o Domingos Vieira Filho, ambos no Centro Histórico de São Luís), oficinas, palestras, seminários e debates.

Cena de O Homem Mau Dorme Bem, filme de Geraldo Moraes, produzido por Mallu Moraes

Na noite de abertura, foi exibido o longa O Homem Mau Dorme Bem, do cineasta Geraldo Moraes (DF), e a produtora do filme (atriz Mallu Moraes) lá estava, acompanhada dos atores Simone Illiescu e Alex Ferro.

Mallu Moraes também foi uma das ministrantes de oficinas (Interpretação para Cinema), ao lado do compositor Beto Strada (Engenharia de Som) e Anderson Carvalho (Desenho Sonoro e edição de som). A atriz Françoise Forton fez palestra sobre Interpretação para Cinema e TV.

As homenagens deste ano foram para Regina Luna e Fátima Frota, ex-funcionárias da UFMA e servidoras da Fundação Sousândrade (que apóia a realização do festival), e pro produtor/consultor de projetos, Antônio Leal (idealizador do recém-criado CineFOOT).

Da área jornalística, cobrindo o festival, estavam Bernadete Duarte (a “pimentinha” do Canal Brasil), Carolina Bressane e Celso Sabadin (ambos de Sampa, editores do Planeta Tela). Nas comissões julgadoras, Amanda Mansur, Beto Strada, Jorge Salomão e João Paulo Furtado, para citar apenas alguns.

O GUARNICÊ foi encerrado na noite de 26 de junho com a exibição do longa-metragem “As Melhores Coisas do Mundo”, dirigido por Lais Bodanski.

Confira abaixo alguns takes da saudosa 33a edição do Festival GUARNICÊ de Cinema…

 

Andreson Carvalho, Simone Illiescu e Aurora Miranda Leão curtindo histórias de alegrias durante o 33o Festival GUARNICÊ de Cinema

 

Partilhando da alegria dos festejos juninos de São Luís, no incrementado arráiá da praça Maria Aragão

  

Produtora Amanda Mansur, compositor Beto Strada, realizador Andreson Carvalho e jornalista Aurora Miranda Leão já quase deixando São Luís… Até 2011 !