Arquivo da tag: Malu Mader

Cristina Granato, muito além da foto…

Com três décadas na estrada da arte e da cultura, a jornalista e fotógrafa CRISTINA GRANATO agora integra a equipe editorial do blog Aurora de Cinema…

Foto: Cristina Granato.

A Diva Maria Bethânia em registro de Cristina Granato…

Letícia musical OUTSIDE foto CG

Letícia Spiller no musical OUTSIDE, clicada por Cristina Granato…

Organizar um álbum de fotos é tarefa árdua para qualquer mortal. Agora imaginem selecionar, dentre mais de um milhão de imagens, 360 fotos que contassem a história das três últimas décadas da Música Popular Brasileira. Pois Cristina Granato conseguiu ! E o resultado está no precioso livro Cristina Granato – Um Olhar na Música Popular Brasileira.

Jorge Ben Jor e Ivete Sangalo em click de Cristina Granato…

“Minha relação com a MPB veio antes de surgir a paixão pela fotografia. Aos 4 anos, eu aprendi a tocar violão e pude sentir que a música era um segmento com o qual eu me identificava muito. Mas a retrospectiva em fotos surgiu de uma proposta de trabalho feita pelo Canecão, na comemoração dos seus 40 anos”, conta Cristina.

Cristiana Oliveira entre os irmãos Sandy e Júnior…

“O projeto acabou não acontecendo e a Heloisa Buarque me sugeriu montar o livro. O projeto ganhou forma quando me inscrevi e, entre quatro mil candidatos, ganhei o Edital de Publicação e Documentação da Oi”.

Bastidores de show de Lulu Santos nos anos 80: Caetano, Lulu, Paula Lavigne e Malu Mader… foto Cristina Granato


O livro Um olhar na Música Popular Brasileira, lançado pela Editora Aeroplano, reúne o trabalho de mais de 30 anos de estrada de Cristina Granato, tempo no qual a respeitadíssima profissional acumulou fotos e fez amigos. No livro, estão 350 dessas imagens.

Cristina Granato: lentes poderosas…
Segundo Cristina, o resultado agradou-a tanto que ela pretende fazer outras edições, com foco no Teatro e no Cinema: “Afinal, sempre que encontro um artista dos palcos ou telas, eles me perguntam: – Poxa ! E a minha foto?”, diz Cristina.

PJ Dom e Aderb

Paulo José, Domingos Oliveira e Aderbal Freire-filho: homens de Teatro/Cinema/TV em foto de Cristina Granato…

Mas o grande trunfo das fotos de Cristina Granato é a intimidade de que ela desfruta com os artistas que fotografa, coisa de deixar muito tiete com inveja. O leitor logo se pergunta como ela consegue certas imagens – como, por exemplo, a de Cássia Eller num banheiro do Bar da Keka, na Cobal do Humaitá, ou o selinho entre Erasmo Carlos e Maria Bethânia…
Erasmo e Bethânia em click precioso de Cristina Granato…
“Nesses casos, a questão vai além da técnica.  Sempre tive respeito, generosidade e delicadeza no trato com os artistas e, por isso,  ganhei espaço e liberdade na hora de fotografar. Fora que sou da época em que não existia assessor de imprensa barrando fotógrafo. Sendo assim, acabei estreitando relações com os artistas e pude fazer fotos incríveis. Como a da Cássia, que é uma das minhas preferidas”.

Cristina Granato

Cássia Eller no banheiro da Cobal do Humaitá, Rio…

Gil com a filha Nara e a mulher Flora, grávida do filho Bem, na casa deles de Salvador, em 94… foto Cristina Granato

Detentora de uma obra documental de alta relevância para a história cultural brasileira, as imagens do livro de Cristina Granato –  Um olhar na Música Popular Brasileira -, contam a história da música popular brasileira nos palcos do Rio de Janeiro desde 1978.

Em 30 anos de carreira, Cristina Granato acumulou arquivo de 1.058.500 fotos e escolheu 350 delas para ilustrar o livro Um olhar na Música Popular Brasileira, lançado na semana passada pela Editora Aeroplano

Cristina Granato: paixão pela música rendeu fotos maravilhosas dos Artistas da MPB…

Cristina Granato sempre acompanhou de perto os acontecimentos culturais da capital carioca. Esteve presente em muitos dos momentos mais importantes e marcantes – das intimidades dos camarins aos grandes shows – e conquistou confiança e amizade dos seus fotografados.  Assim, o acervo de Cristina abriga mais de 1.058.500 fotos coloridas e P&B, sendo um acervo valoroso dos que atuam na MPB e um testemunho singular de uma época.

Tim Maia em dia de apresentação no programa do Chacrinha…

Sobre o trabalho de Cristina Granato, vejamos o que dizem alguns renomados pesquisadores musicais:

Lucinha Araújo com o filho poeta Cazuza… by Cristina Granato

“É ainda interessante observar que, em seus primeiros tempos de profissão, a artista abre o campo, fotografa mais de longe, ainda que, mesmo nessa época, já possa ser identificado o DNA de seu olhar amoroso. Com o passar do tempo, a distância diminui. As lentes se aproximam, a intimidade se estabelece. Consolida-se o que poderíamos chamar o estilo Cristina Granato.” Heloisa Buarque de Hollanda

Cristina Granato e Cissa Guimarães em noite de lançamento…

“Cristina – talvez sem querer, ela me assegura que é tudo muito espontâneo e não didático (no que creio piamente) – elaborou um trabalho que consolida uma história, a saga das imagens que fizeram/fazem a MPB nesses últimos trinta anos.” Ricardo Cravo Albin

Caetano pelas lentes de Cristina Granato…

“A máxima de que uma imagem vale mais do que mil palavras nunca foi tão verdadeira. Em três décadas, Cristina Granato tem mostrado isso por meio de seu trabalho. E, além do bom olho para enquadramentos, foco, ângulos e demais requisitos de sua profissão/arte, tem o raro dom de conquistar a confiança de seus alvos e, dessa forma, revelar situações raramente documentadas.” Antônio Carlos Miguel

Cristina Granato saudada pela amiga Cissa Guimarães e Erasmo Carlos…

Cristina Granato saudada por Leila Pinheiro: fotógrafa é uma Querida no meio artístico… quem melhor que ela pra firmar com o blog Aurora de Cinema ?

Cristina Granato festejada por artistas: agora, com o blog Aurora de Cinema, uma parceria imageticamente afetiva…

Sérgio Fonta e o Vestido de Noiva de Nelson Rodrigues no PEN Clube

Êxito da palestra de SÉRGIO FONTA sobre exponencial Dramaturgo faz PEN Clube promover nova conferência…

Foi tão próspera a palestra proferida pelo ator, jornalista, escritor e pesquisador SÉRGIO FONTA sobre a obra-prima do dramaturgo pernambucano NELSON RODRIGUES – VESTIDO DE NOIVA – que haverá uma nova oportunidade para conferir este momento de luz sobre página tão relevante da Dramaturgia Brasileira.

O PEN Clube do Brasil e a Academia Brasileira de Arte convidam para a conferência Vestido de Noiva: Nelson Rodrigues em três ângulos de História, em comemoração ao centenário de nascimento do importante escritor, jornalista e dramaturgo brasileiro.

conferencista Sérgio Fonta

dia 15 de outubro, segunda-feira

das 17h30 às 20h, na sede social do PEN Clube

Sérgio Fonta: estudioso da obra de Nélson Rodrigues, integra o PEN Clube e tem palestra agendada sobre a obra imortal do festejado dramaturgo pernambucano…

ONDE: Praia do Flamengo, 172 /11º andar.

Após a Conferência será servido o tradicional lanche.

Atenciosas saudações, Cláudio Aguiar

(Presidente do PEN Clube do Brasil)

Luciana Braga e Malu Mader numa das montagens da obra mais conhecida de Nélson Rodrigues, o clássico Vestido de Noiva

Visite o portal do PEN CLUBE: http://www.penclubedobrasil.org.br

SAIBA MAIS sobre NÉLSON RODRIGUES:

“Ele será sempre um grande autor”, afirma Bárbara Heliodora, que atribui a Nelson Rodrigues a subida aos palcos dos diálogos que reproduzem a língua falada pelas plateias. “Nelson era um repórter extraordinário, e foi muito influenciado pela experiência como jornalista”, diz. “Tinha um ouvido tão maravilhoso que conseguiu captar o brasileiro falando. Nós aprendíamos na escola que poderíamos falar errado, mas deveríamos escrever corretamente. Os autores escreviam certo, esquecidos de que aquilo era para ser falado.” Só depois de Vestido de Noiva os atores começaram a falar o português das ruas. A descoberta do diálogo em brasileiro fez de Nelson Rodrigues, segundo o crítico Sábato Magaldi, “um autor seminal, que fecundou a nossa dramaturgia”.

* Do blog do jornalista Augusto Nuneshttp://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/tag/nelson-rodrigues/

** Confira vídeo com o escritor NELSON RODRIGUES: http://www.youtube.com/watch?v=TlOBVe6yE80

Beleza de MALU MADER começa na alimentação

Da dieta junk-food às refeições equilibradas, atriz diz que marido é responsável pela transformação

Foto: Emmanuelle Bernard
Malu Mader conta como deixou de ser Junk food para aderir ao cardápio mais saudável

O cardápio da atriz Malu Mader já foi formado, quase que de forma exclusiva, por arroz, feijão, bife e batata – durante a semana – e muita guloseima e fast-food aos sábados e domingos. 

Foto: Márcio de Souza/TV Globo

Malu Mader conta como transformou a sua dieta

“Tenho um histórico de péssima alimentação familiar. Junto com meus pais e irmãos, eram sempre refeições pesadas, muita comida, aquele exagero”, afirmou a estrela global.

“Eu passei por uma transformação mesmo. E olha que foi antes da maternidade”, relembra.

Se foi com a família Mader que Malu aprendeu a comer pesado, o encontro com o marido Tony Belloto nos anos 90 – músico dos Titãs – trouxe as refeições equilibradas.

“O Tony sempre cozinhou bem, nada de faisão ou comida requintada, ele gosta de fazer os pratos mais simples, sabe? Além disso, ele é um adepto dos ingredientes saudáveis e me apresentou a eles”, revelou a atriz durante entrevista coletiva para o lançamento de uma campanha sobre a importância do café da manhã.

Aos poucos, as carnes vermelhas consumidas diariamente por Malu deram espaço para o peixe e o frango, ficando reservadas só para ocasiões especiais. Os refrigerantes também deixaram de ser regra para virarem exceções e o junk food saiu da rotina diária.

“Mas longe de mim fazer  dietas extremas. Eu sou glutona, tenho um prazer em comer, apreciar sabores e texturas. Agora primo pelo equilíbrio. Passei a não fazer restrições a frutas e verduras, foi uma mudança radical mesmo.”

Com a chegada do primeiro filho, em 1995, Malu Mader viu nas roupas e nos ponteiros da balança que o corpo – que até então sempre havia sido magrelo – podia ganhar formas mais arredondadas.

“Foi a primeira vez (após a maternidade) que precisei procurar uma nutricionista”, conta a atriz. 

Foto: Divulgação
 
As escolhas nutritivas ficaram ainda mais frequentes na dieta de Malu. E, segundo atriz, o Tony é o melhor exemplo de que quando os hábitos saudáveis são adotados desde cedo os resultados permanecem por longo prazo.

“Ele nunca teve problema com o peso. Já eu, vira e mexe, estou lá na academia e tendo que correr atrás do prejuízo.”

Para fazer jus às mudanças radicais na alimentação, Malu Mader conta que passou a jogar tênis todos os dias e também abandonou o cigarro.

“Tive uma recaída no ano passado, mas agora, ainda bem, já posso dizer que não fumo mais.”

* Informações do iG São Paulo

ARUANDA: João Pessoa, Capital do Cinema

Confira a PROGRAMAÇÃO OFICIAL do VI Festival ARUANDA

De 6 a 10 de dez, às 9h00 e às 15h30 (duas sessões). Exibição de A Casa Verde, de Paulo Nascimento.

De 13 a 18 de dez, às 9h00 e às 15h30 (duas sessões). Exibição do Projeto Curta Criança, do Ministério da Cultura (MinC)

SEXTA-FEIRA, dia 10        

09h00/10h30 – SESSÃO ARUANDINHA: Exibição Longa-Metragem: A Casa Verde, de Paulo Nascimento (Sala Cine Digital/Espaço Cultural)

08h30/14h00 – Seminário Interdisciplinar: Campos emergentes e intercruzados: cinema, ciberespaço, games e hqs.

Local: Sala Cabo Branco (Hotel Tambaú)

Curadoria: Profa. Dra. Nadja Carvalho (UFPB)

20h00 – Solenidade de abertura: Homenagem aos 50 anos de “Aruanda” e ao Centenário de Nascimento de João Córdula

Local: Salão Sérgio Bernardes do Hotel Tambaú

20h30 – Exibição do Longa-Metragem Uma Noite em 67, com apresentação do diretor Renato Terra e Ricardo Calil.

 SÁBADO, dia 11       

16h00 – SESSÃO VERSPERTINA – Exibição do longa-metragem: Contratempo, de Malu Mader.

17h00 – Abertura Oficial Mostra Competitiva Curtas Digitais

19h30 – Solenidade de Homenagem aos atores JOSÉ DUMONT e ZEZITA MATOS – Troféu Aruanda CONJUNTO DA OBRA

20h00 – Exibição do Curta-Metragem: Azul, de Eric Laurence (PE)

20h30 – Exibição do Longa-Metragem: O Sol do Meio Dia (SP)       

 DOMINGO, dia 12

 07H00 – 4ª EXPEDIÇÃO À ROLIÚDE NORDESTINA – CABACEIRAS-PB

15h00 – SESSÃO VESPERTINA: Exibição do Curta-Metragem:  Antomarchi, de Alex Santos, com presença do elenco.

15h45 –  Exibição do Longa-Metragem: O Sonho de Inacin, de Eliezer Filho (PB), com presença do elenco.

17H00 – MOSTRA COMPETITIVA CURTAS DIGITAIS

20h00 – Solenidade Homenagem: BRÁULIO TAVARES/Troféu Antonio Barreto Neto pela Contribuição à Crítica Cinematográfica Paraibana

20h40 – Exibição de Longa-Metragem: Godard, Truffaut e a Nouvelle Vague, produção francesa de Emmanuel Laurent, uma homenagem do Fest-Aruanda aos 50 anos do movimento.

Documentário de estréia de MALU MADER na direção, “Contratempo”, será exibido

 SEGUNDA-FEIRA, dia 13

09h00 – SESSÃO ARUANDINHA: Exibição: Curta Criança (Sala Cine Digital/Espaço Cultural)

09h30 – Seminário Nacional: Diálogos Aruanda I – Nouvelle Vague, 50 Anos.

14h00 – Reunião da Comissão Executiva da Associação Brasileira de Preservação Audiovisual (ABPA), no Hotel Imperial.

15h30 – SESSÃO VESPERTINA – Exibição DOC-TV Brasil: Jesus no Mundo Maravilha, de Newton Cannito

15h30 – SESSÃO ARUANDINHA: Curta Criança (Sala Cine Digital/Espaço Cultural)

17h00 – Mostra Competitiva Curtas Digitais

19h30 – Lançamento DVD BNB Nomes do Nordeste – Walter Carvalho, com apresentação de Ricardo Pinto, gerente do Centro Cultural Banco do Nordeste do Brasil (CCBNB/Sousa-PB)

20h30 – Estréia do Curta-Metragem: O Contador de Filmes, de Elinaldo Rodrigues (PB)

20h45 – Exibição de Curta-Metragem: Eu não quero voltar sozinho, de Daniel Ribeiro (SP)

21h00 – Exibição: Longa-Metragem: Dzi Croquetes, de Tatiana Issa e Raphael Alvarez, uma produção Canal Brasil

TERÇA-FEIRA, dia 14

O9h00 – SESSÃO ARUANDINHA: Exibição: Curta Criança (Sala Cine Digital/Espaço Cultural)

09h30 – Seminário Nacional: DIÁLOGOS ARUANDA II – 50 Anos de “Aruanda”

14h00 – Reunião da Comissão Executiva da Associação Brasileira de Preservação Audiovisual (ABPA), no Hotel Imperial.

15h30 – SESSÃO ARUANDINHA: Exibição: Curta Criança (Sala Cine Digital/Espaço Cultural)

15h30 – SESSÃO VESPERTINA: Exibição do Longa-Metragem: Abaixando a Máquina, de Guillermo Planel.

17h00 – Mostra Competitiva Curtas Digitais

18h00 _ Sessão Aruandinha no Centro Interativo de Circo (CIC) _ Inauguração do Cineclube Sávio Rolim – Conjunto dos Bancários       

19H30– Exibição Curta-Metragem (estréia): Doce de Coco, de Allan Deberton (CE)

20h00 – Solenidade de Homenagem ao diretor JOSÉ JOFFILY (Troféu Aruanda pelo Conjunto da Obra) e posse na Academia Paraibana de Cinema.

20h30 – Exibição Longa-Metragem: Olhos Azuis, com apresentação do diretor José Joffily (RJ)

 QUARTA-FEIRA, dia 15

Cineasta CACÁ DIEGUES é um dos Homenageados

09h00 – SESSÃO ARUANDINHA: Exibição: Curta Criança (Sala Cine Digital/Espaço Cultural)

09h30 – Seminário Nacional: Diálogos Aruanda III – Crítica Cinematográfica: História, Impasses e Desafios na Contemporaneidade

15H00 – SESSÃO VERSPERTINA – Exibição do Longa-Metragem 5 Vezes Favela (1962)

15h30 – SESSÃO ARUANDINHA: Exibição Longa-Metragem: Curta Criança (Sala Cine Digital/Espaço Cultural)

17H00 – COLETIVA DE IMPRENSA (HOTEL TAMBAÚ): cineasta CARLOS DIEGUES e produtora ANA RENATA MAGALHÃES.

19h30 – Solenidade de Premiação

20h30 – Solenidade de Homenagem ao cineasta CARLOS DIEGUES (Troféu Aruanda pelo Conjunto da Obra, a ser entregue por LINDUARTE NORONHA).

21h00 – Exibição do Longa 5 Vezes Favela, Agora por nós mesmos, com apresentação dos produtores Carlos Diegues e Renata Almeida Magalhães.

 MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS DIGITAIS

 

  1º NOITE – MOSTRA COMPETITIVA   UF   
1 FELIZ DESANIVERSÁRIO (FIC) 12:00 RJ  
2 RECICLANDO FORMAS (EXP) 05:00  PB  
3 SEMEADOR URBANO (FIC) 07:52  MG  
4 1.21 (EXP) 10:43  PE  
5 UMA ESTRELA NO QUINTAL (ANI) 07:00  SP  
6 A DISTRAÇÃO DE IVAN (FIC) 15:00  RJ  
7 O RETORNO DE SATURNO (ANI) 12:15 RS   
8 BODE MOVIE (FIC) 11:47  PB   
9 QUANDO AS CORES SOMEM (ANI) 15:00 SP   
10 EU NÃO SEI ANDAR DE BICICLETA (FIC) 15:00  PR  
11 MADE IN TAIWAN (FIC) 06:00  PB   
         
          

                                                                         

  2º DIA – MOSTRA COMPETITIVA   UF   
1 É MUITA AREIA PRO MEU CAMINHÃOZINHO (DOC) 14:36  SP  
2 LOS MINUTOS, LAS HORAS (FIC) 11:00  CE  
3 SER HUMANO (ANI) 10:00  BH  
4 OSCAR 07-02 (DOC) 09:00  CE  
5 VELA AO CRUCIFICADO (FIC) 13:00  MA  
6 RETRATOS (DOC) 15:00  PE  
7 O OCASO E A BORBOLETA (ANI) 04:04 PR   
8 SENHORAS (FIC) 10:30  DF  
9 À MINHA AMIGA, UM BREVE RELATO SOBRE NÓS (DOC) 10:29  PB   
10 3.33 (FIC) 12:00  SP  
11 O SOM DO TEMPO 10:00 CE  
         
          

 

  3ª NOITE – MOSTRA COMPETITIVA   UF   
1 O TEMPO DAS COISAS (FIC) 15:00 PR  
2 1.21 (EXP) 10:43 PE  
3 CHEIROSA (FIC) 05:00 MG  
4 SINTONIZE-SE (EXP) 01:00 PB  
5 RUA MÃO ÚNICA (FIC) 12:00 SP  
6 NEM DIA, NEM NOITE (EXP) 09:40 SP  
7 FEIJÃO COM ARROZ (FIC) 08:30  DF  
8 FAMILIA VIDAL (DOC) 15:00  PB   
9 UM PAR (FIC) 08:00  SP  
10 MENINO ARTÍFICE (DOC) 15:00  PB  
11 UM PAR A OUTRO (FIC) 12:00  SP  
12 FEIJÃO COM ARROZ (FIC) 08:30  DF  
13 LAPIDAR O BRUTO (DOC) 15:00  SP  
14 DIREITA (FIC) 05:00    PB  
          

                                                                         

 

  4ª NOITE – MOSTRA COMPETITIVA   UF   
1 ENSAIO DE CINEMA 15:00 RJ   
2 O DIVINO, REPENTE (DOC) 06:20  SP  
3 SÚBITO (EXP) 05:40 PE   
4 OPERAÇÃO MAMÃE (FIC) 15:00  RJ  
5 IOLOVITCH, O AZUL DE BRASÍLIA (DOC) 03:45  DF  
6 RELATIVAMENTE INCONSCIENTE (EXP) 05:19 SP   
7 NEGO FUGIDIO 16:00  BA  
8 ÚLTIMO RETRATO (DOC) 10:00  RJ  
9 O CICLO (ANIM) 09:00  PR  
10 AVIÁRIO (FIC) 14:45  SP  
11 BOKEH (EXP) 05:00 PE   
12 DESASSOSSEGO (FIC) 14:38  PB  
13 CONTRACORRENTE (DOC) 15:00    PB  
14 BAILARINO E O BONDE (ANIM) 10:20  SP  
          

                                                                          

ATIVIDADES PARALELAS:

 SEMINÁRIO NACIONAL

 DIA 13

09h30 – SALA MANAÍRA

DIÁLOGOS ARUANDA I – Nouvelle Vague, 50 anos

Painelista: Alfredo Manevy (Secretário-Executivo do Ministério da Cultura do Brasil)

Debatedores: Luiz Zanin (Jornal O Estado de São Paulo), Bráulio Tavares (jornalista e escritor) e Alex Santos (cineasta)

Moderadora: Maria do Rosário Caetano (Revista de Cinema)

14h00 – Reunião da Comissão Executiva da Associação Brasileira de Preservação Audiovisual (ABPA), no Hotel Imperial.

14:00 OFICINA TVs Públicas e a produção das TVs Universitárias, com Pedro Ortiz (TV USP)

DIA 14

09h30 – SALA MANAÍRA

Painel Nacional: DIÁLOGOS ARUANDA II – 50 Anos de “Aruanda”

Painelistas: Marília Franco (ECA-USP), Wills Leal (Academia Paraibana de Cinema), João de Lima Gomes (UFPB) e Linduarte Noronha (diretor de “Aruanda”)

Debatedores: Regina Behar (UFPB), Carlos Dowling (cineasta) e Pedro Nunes (UFPB) e Paulo Cunha (UFPE)

Moderadora: Maria do Rosário Caetano

14h00 – Reunião da Comissão Executiva da Associação Brasileira de Preservação Audiovisual (ABPA), no Hotel Imperial.

14:00 OFICINA TVs Públicas e a produção das TVs Universitárias, com Pedro Ortiz

DIA 15

09h30 – SALA MANAÍRA

PAINEL NACIONAL:  DIÁLOGOS ARUANDA III – Crítica Cinematográfica: História,  impasses e desafios contemporâneos

Painelistas: Luiz Zanin (jornal O Estado de São Paulo), Fernando Trevas (UFPB), João Batista de Brito (UFPB) e Rolf de Luna Fonseca (crítico e escritor/SP)

Debatedor: Sílvio Osias (Jornal A União), Renato Felix (jornal Correio da Paraíba) da Paraíba),  Carlos Dowling (cineasta) e Jãmarri Nogueira (crítico/jornal Correio da Paraíba)

Moderador: Lúcio Vilar  

14h00 – Sala Cabo Branco: Fórum Permanente do Audiovisual Paraibano

SEMINÁRIO INTERDISCIPLINAR

TEMÁTICA: Campos emergentes e intercruzados: cinema, ciberespaço, games e HQs

DIA 10, 08h30

1º PAINEL: A usabilidade no youtube

Moderadora: Nadja Carvalho (UFPB)

Painelista: Thiago Marinho (Mestrado de Comunicação-UFPB)

2º PAINEL: Enquadramentos de exploração em gamescapes

Painelista: Daniel Abath (Mestrado de Comunicação-UFPB)

3º PAINEL: Façade  e a convergência entre games e narrativas.

Painelista: Rennan Ribeiro (Arte e Mídia-UFCG)

4º PAINEL: Visão e espaço na fotografia 360º online

Painelista: Mainara Nóbrega (Arte e Mídia-UFCG)

Moderadora: dos painéis: Nadja Carvalho (UFPB)

DIA 10, 14h00

5º PAINEL: Narrativa do documentário um lugar ao sol

Bárbara Duarte (Mestra em Sociologia-UFPE)

6º PAINEL: Reinvenção da estética da fome: uma análise do “Baixio das bestas”

Painelista: Antônio Fabrício Evangelista (Cineasta e Jornalista-UFT)

7º PAINEL: Relações entre as narrativas do cinema e das HQs

Painelista: André Pereira (Mestrando em Sociologia-UFPE)

PROJETO ARUANDANDO CCBNB Cultural – Sousa-PB

Exibição dos curtas premiados no 6º Fest-Aruanda, janeiro de 2011

 OFICINAS

Animação

Ítalo Cajueiro (14h00/Sala Mestrado/111)

Roteiro para cinema (14h00/Sala Mestrado/111)

Di Moreti

Som para cinema e vídeo (08h00/Sala 111 – CCTA)

Débora Opolski

 

Mais Coleção APLAUSO

 

 

Lançamento conjunto das obras será nesta quinta (28 de outubro), a partir das 19 horas, no Shopping Frei Caneca, e contará com a presença de artistas biografados e autores. Entre as novas publicações estão as biografias de Ítalo Rossi, Laura Cardoso, Tonico Pereira, Jece Valadão, Miguel Magno e Antonio Bivar, as críticas de cinema por Inácio Araújo e os roteiros dos filmes “É proibido fumar” e “Antes que o mundo acabe”.

 

Uma grande festa da cultura vai agitar o Shopping Frei Caneca nesta quinta-feira, dia 28 de outubro, como parte da programação da 34ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Atores, atrizes, cineastas, dramaturgos e diretores de tevê estão entre os biografados dos novos títulos da Coleção Aplauso, pela Imprensa Oficial do Estado de São Paulo. Também integram a seleção roteiros de filmes e peças de teatro e livros sobre dança e televisão. O evento acontecerá a partir das 19 horas, no 4º andar do shopping, em São Paulo – Rua Frei Caneca, 569.

Ítalo Rossi, Tonico Pereira, Laura Cardoso, Jece Valadão, Paulo Hesse, Antônio Petrin e Miguel Magno figuram entre os novos biografados da coleção.Também têm sua vida contada em livro os cineastas Ozualdo Candeias, Jeremias Pereira e Ana Carolina. Há, ainda, textos de peças do dramaturgo Rodolfo Garcia Vasquez e críticas de teatro de Jefferson Del Rios; os roteiros dos filmes “Jogo Subterrâneo” e “Feliz Ano Velho” e a história da TV Excelsior.

“A seleção deste ano está bastante interessante. Além da história de artistas consagrados, como Ítalo Rossi – por incrível que pareça, ele nunca teve sua biografia publicada em livro anteriormente –, Tonico Pereira e Jece Valadão, também publicamos biografias de cineastas como Jeremias Moreira e Ana Carolina e a de um ícone da dança, Luis Arrieta. Sem contar as críticas de Jefferson Del Rios e Inácio Araújo. E um livro que faz justiça às grandes vedetes do nosso teatro”, afirma Hubert Alquéres, presidente da Imprensa Oficial.

Confira os lançamentos deste ano

Série Especial

•  As Grandes Vedetes do Brasil (Neyde Veneziano)
  •  Dicionário de Astros e Estrelas do Cinema Brasileiro (Antonio Leão da Silva Neto)
  •  Italo Rossi – isto é tudo (Antônio Gilberto)
  •  Marcos Flaksman – universos paralelos (Wagner de Assis)

Série Perfil

•  Analy Alvarez – de corpo e alma (Nicolau Radamés Creti)
  •  Antônio Petrin – ser ator (Orlando Margarido)
  •  Aurora Duarte – faca de ponta (Aurora Duarte)
  •  Bivar – o explorador de sensações peregrinas (Maria Lucia Dahl)
  •  Carmem Verônica – o riso com glamour (Cláudio Fragata)
  •  Dionísio e Flora – uma vida na arte (Dionísio Jacob) 
  •  Ednei Giovenazzi – dono da sua emoção (Tania Carvalho) 
  •  Haydée Bittencourt – o esplendor do teatro (Gabriel Federicci) 
  •  Jece Valadão – também somos irmãos (Apoenan Rodrigues)
  •  Laura Cardoso – contadora de histórias (Julia Laks) 
  •  Marlene França – do sertão da Bahia ao clã Matarazzo (Maria Do Rosário Caetano)
  •  Miguel Magno – o pregador de peças (Andréa Bassitt)
  •  Muitas Vidas – vida e carreira de Norma Blum (Norma Blum)
  •  Paulo Hesse – a vida fez de mim um livro e eu não sei ler (Eliana Pace)
  •  Tania Alves – Tania Maria Bonita Alves (Fernando Cardoso) 
  •  Tonico Pereira – um ator improvável, uma autobiografia não autorizada (Eliana Bueno-Ribeiro)

Série Cinema

•  Ana Carolina Teixeira Soares – cineasta brasileira (Evaldo Morcazel)
  •  Candeias – pedras e sonhos do Cineboca (Moura Reis)
  •  Cinema de Boca em Boca – escritos sobre cinema (Juliano Tosi)
  •  Jeremias Moreira – o cinema como ofício (Celso Sabadin)
  •  Radiografia de Um Filme – São Paulo Sociedade Anônima (Ninho Moraes)
  •  Roberto Gervitz – Brincando de Deus (Evaldo Mocarzel)

Roteiros:
•  Antes que o Mundo Acabe (Ana Luiza Azevedo)
•  É proibido fumar (Anna Muylaert)
•  Feliz Ano Velho (Roberto Gervitz)
•  Jogo Subterrâneo (Roberto Gervitz)
•  Leila Diniz (Luiz Carlos Lacerda)

Série Teatro

• A Carroça do Sonho e os Saltimbancos – memória da carroça de ouro (Roberto Nogueira)
  •  Antônio Bivar – as três primeiras peças
  •  Em busca de um teatro musical carioca (Eduardo Rieche & Gustavo Gasparani)
  •  Isto é besteirol – o teatro de Vicente Pereira (Luiz Francisco Wasilewski)
  •  Jefferson Del Rios – críticas teatrais
  •  O Teatro de Marici Salomão (Marici Salomão)
  •  Pequeno poema infinito (Antonio Gilberto e José Mauro Brant)
  •  Rodolfo Garcia Vázquez: quatro textos e um roteiro (Rodolfo Garcia Vázquez)

Série TV

•  Gloria in Excelsior (Álvaro de Moya);  

Série Dança

•  Luis Arrieta – poeta do movimento (Roberto Pereira)

Sobre a Coleção

Criada em 2004, a Coleção Aplauso registra a trajetória dos principais nomes da dramaturgia nacional. Escritores com experiência em jornalismo cultural fazem entrevistas, há pesquisas de documentos e imagens e os resultados geralmente ultrapassam os simples registros biográficos, revelando facetas que caracterizam o artista e seu ofício dentro de um contexto histórico. Há ainda o ineditismo da publicação de roteiros originais de filmes que de alguma forma marcam a nossa história

Aplauso na Internet

Desde os primeiros lançamentos, em 2004, até os mais recentes, cerca de 200 livros da Coleção Aplauso podem ser acessados gratuitamente pela Internet. Com roteiros, peças, histórias de emissoras de tevê e biografias de artistas, cineastas e dramaturgos, os títulos estão disponíveis para download em pdf e txt. Basta acessar o site www.imprensaoficial.com.br/colecaoaplauso.

 

Imprensa Oficial

Lançamento de novos títulos
da Coleção Aplauso

Data: quinta-feira 28 de outubro
Local: Shopping Frei Caneca, 4º andar
Horário: 19 horas.
Endereço: Rua Frei Caneca, 569

 

MALU MADER ilustra capa de ROTEIRO do filme FELIZ ANO VELHO

lAURA CARDOSO ganha biografia

Site Twitter Blog Flickr E-mail

 

Site Twitter Blog Flickr E-mail

Malu Mader Indica Filmes de Mulheres

Atriz destaca crescimento das mulheres no cinema e aponta filmes prediletos

Foto: George Magaraia

Após sua elogiada estreia como diretora, no documentário Contratempo, Malu Mader pensa em repetir a dose, mas não sabe ainda quando. A atriz prestigiou a premier do filme Somewhere, da americana Sofia Coppola, sexta (1/10), no Cine Odeon, centro do Rio, e destacou o crescimento das mulheres na direção de um filme. “As meninas estão arrasando e não tem para ninguém”, brincou a atriz. 

A pedido do iG, Malu fez seu “top 5” dos cinco melhores filmes, dirigido por mulheres.

1. “A Culpa é do Fidel” (2006), da francesa Julie Gravas. No começo dos anos 1970, menina de nove anos encara algumas mudanças em sua vida quando seus pais viram ativistas políticos.

“É um filme político, mas gracioso. Questiona essa divisão entre a esquerda e direita, que está tão fora da moda”.

2. “As melhores coisas do mundo” (2010), de Laís Bodanzky. Mano é um jovem da classe média, cujos pais estão se separando. Seus medos, angústias e ansiedades, típicos da adolescência, são compartilhados entre os amigos da escola onde estuda.

“É um filme leve, inteligente e atual. Ideal para se ver com os filhos”

3. “Proibido Fumar” (2009), de Anna Muylaert. Baby é uma professora de violão que para conquistar o amor, terá que abrir mão de seu mais antigo companheiro: o cigarro.

“Glória Pires se supera nesse filme e Paulo Miklos, além de ser um ótimo músico, arrasa no filme. Além disso, o roteiro é maravilhoso e o final surpreendente”.

4. “Brilho de uma paixão” (2009), da francesa Jane Campion. Drama passado em 1819 e que descreve o romance entre o poeta John Keats e a jovem Fanny Brawne, violentamente interrompido após três anos quando Keats morre prematuramente aos 25 anos de idade.

“Como toda mulher, adoro um filme de amor. Mas esse não é aqueles água com açúcar, meloso”. 

5. “Encontros e desencontros” (2003), de Sofia Coppola. Ator amargurado grava comercial de uísque no Japão e faz amizade com uma recém-casada que acompanha o marido em viagem de negócios.

“Direção incrível, atores maravilhosos e o final perfeito”

* Luisa Girão, iG Rio de Janeiro

MALU MADER dá de DEZ !

Ao lado de Lilian Pacce, Malu Mader foi a grande atração do desfile da estilista Cris Barros em São Paulo

A própósito da querida MALU, a atriz criticou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que recemente apareceu em um vídeo veiculado no Youtube falando que essa modalidade é “esporte da burguesia”

“O Lula falou besteira sobre o esporte. O (tenista) Guga é nada afetado ou burguês, veio da classe média e é o nosso herói do tênis”, defende a atriz. 

E é com a raquete em punho que Malu mantém sua boa forma: “Jogo todos os dias, só quando chove é que não dá porque a quadra é aberta.” 

AgNews

Malu Mader, sempre bela e sorridente

Malu Mader:”Minha Relação com a Moda é Superficial”

Às vésperas de mais um aniversário, Malu Mader, a Suzana da novela Ti-Ti-Ti, revela que, depois de delicada cirurgia na cabeça em 2005, se preocupa com questões mais graves do que um simples pé de galinha

Como Suzana, editora de revista de moda em Ti Ti Ti

O DIA — Você fez ‘Ti-Ti-Ti’ em 1985. Qual é a emoção de estar nesta nova versão?
Malu Mader — É uma grande alegria. Gostava muito do Cassiano Gabus Mendes. Fiquei toda feliz quando fui convidada para fazer ‘Ti-Ti-Ti’ porque adorava o Luiz Gustavo. Também comecei uma parceria legal com o Cássio Gabus naquela novela.

– Ao mesmo tempo em que ‘Ti-Ti-Ti’ estreia, a Globo já pensa no elenco da próxima novela de Gilberto Braga para o horário das oito. Você não foi convidada? Tem vontade de trabalhar com ele novamente?

— Sempre tenho vontade de trabalhar com o Gilberto, pois ele é um ótimo autor. Não pintou convite para a próxima novela dele ou talvez esse tenha pintado primeiro. Gilberto não tem nenhum contrato assinado comigo, não é um casamento. Temos uma amizade que extrapola o profissional e nos falamos de vez em quando.

— Em ‘Ti-Ti-Ti’, sua personagem é editora de uma revista de moda. Qual é o seu envolvimento com esse universo?
— Não sou muito ligada a moda, minha relação é muito superficial. Profissionalmente, muitos atores desfilam, é mais uma possibilidade de trabalho. Eu sempre descarto porque fico bastante tímida. Sempre tive pavor. Não gosto nem de opinar sobre moda porque só uso tênis e calça jeans. Quem é desse universo deve achar que me visto sem personalidade. A verdade é que gosto de chegar antes da roupa.

— Sua última novela foi ‘Eterna Magia’, em 2007. Por que ficou todo esse tempo longe da TV?
— Não sei explicar exatamente. Não houve um motivo especial. Estava esperando um convite que me empolgasse. Tenho preferência por bons papéis e não por horário. O bom é estar envolvido em um ambiente legal. Às vezes, você pega um excelente papel numa novela que não vai tão bem e começa a ser contagiado. Um bom clima nos bastidores segura qualquer ibope. Faço 44 anos em setembro e já aconteceu de tudo um pouco. Bom papel em novela que não está indo bem, galera legal com ibope péssimo, todo mundo malhando no jornal e você feliz porque vai encontrar uma turma legal…

— Às vésperas de completar 44 anos, você lida tranquilamente com o envelhecimento?
— Não penso muito sobre envelhecer. Sou a filha caçula, meus irmãos eram mais velhos e eu já tinha questões filosóficas sobre envelhecer e morrer desde cedo. Também já tive muitos problemas de saúde e essas questões mais graves são mais importantes para mim do que um ligeiro pé de galinha.

— Já fez ou faria plástica?
— Nunca fiz, o que não quer dizer que eu nunca farei. Sou como toda mulher. Um belo dia você acorda e pensa que quer fazer.

— Em 2005, você passou por uma delicada cirurgia na cabeça para a retirada de um cisto. O que mudou na sua vida depois disso?
— Sempre muda alguma coisa. Fiquei um pouco mais quieta, no meu canto. É natural ficar meio triste logo depois. Tem gente que gosta de dividir isso com os outros, eu não gosto muito. Foi bem na época em que estava fazendo o documentário ‘Contratempo’. Depois atuei em ‘Eterna Magia’, talvez tenha feito numa fase em que não estava totalmente recuperada. Por outro lado, fiquei animada para voltar, o trabalho é bom para te trazer de volta. Não trabalhar muito tempo é meio esquisito para mim, que faço isso desde os 16 anos.

Com o parceiro de tantas décadas, o músico Tony Bellotto

— Seus filhos, João e Antônio, já são dois adolescentes. Eles demonstram vontade de seguir seus passos ou a carreira do pai (o músico Tony Bellotto)?
— Eles tocam, demonstram algum talento para atuação, mas não falo nada. Não fico dizendo para eles irem fazer teste ou para uma gravadora. Deixo rolar. Vejo eles tocando com o pai e fico louca porque não tenho talento nessa área e amo música mais que tudo nessa vida. Me sinto uma analfabeta perto deles em relação a muita coisa, mas adoro ser mãe de adolescentes.

* GABRIELA GERMANO, jornal O Dia

Ti-Ti-Ti Começa Muito Bem

Zé Paulo Cardeal/Divulgação

Alexandre Borges e Murilo Benício são os caras certos na hora certa nos papéis certos

A música da abertura está lá, a mesma, agora com Rita Lee, mais bossa e menos adrenalina juvenil. O enredo central é de 1985, de Cassiano Gabus Mendes. As tesouras e agulhas da abertura lá estão, 25 anos depois. Outros acordes remetem aos idos em que Jacques Leclair era Reginaldo Faria e Victor Valentim, Luiz Gustavo. Ainda assim, a novela que Maria Adelaide Amaral trouxe à tona na faixa das 19h da Globo dá pinta mais original que muito folhetim dito inédito.

Não vale dizer que novela é tudo igual. A dramaturgia de Cassiano merece montagens e remontagens à vontade. Ao preservar parte do figurino dos anos 80, digo, a abertura, a trilha e o fio condutor, a nova Ti-ti-ti afaga os saudosistas e estende a mão aos menores de 30. Se uma peça de teatro, com texto repetido pelos mesmos atores por meses, produz um espetáculo diferente a cada dia, que reforma não opera uma mudança inteira no elenco, 25 anos depois ? Bingo, é outra novela.

Betty Gofman e Malu Mader: amigas e companheiras de elenco em Ti Ti Ti

Isis Valverde: mocinha sofredora no horário das 19h

Davi Lucas: jovem ator, revelado em seriado com Luís Fernando Guimarães, já disse que veio muito bem no primeiro capítulo. Saravá !

Cristina Padiglione – O Estado de S. Paulo

* N.R: Quem viu, quer acompanhar: primeiros capítulso da novela Ti Ti Ti já deram bom sinal de que a novela vem pra marcar mais um belo momento na história da telenovela brasileira.

Elenco afinado, cenários e figurinos ótimos, idem a direção de arte e a trilha sonora está bárbara ! Destaque para a escalação feliz de MALU Mader, Christiane Torloni, Giulia Gam, Mauro Mendonça, André Arteche, Leopoldo Pacheco, Murilo Benício e Alexandre Borges, que deverá ser O Cara do Ano na telinha: sua primeira entrada na novela já foi arrasando ! Seu Jacques LeClair está pra lá de engraçado, inteligente, sutil… e emoldurado por uma família que promete boas gargalhadas na trama, escrita com maestria por Maria Adelaide Amaral, não fosse ela uma de nossas melhores Dramaturgas.

Claudia Raia  e Alexandre Borges: elegância dela é marcante e atuação dele, supimpa !, vai render pano pra manga

DRICA MORAES em casa…

A atriz DRICA MORAES, querida do público e da crítica por seu grande talento e simpatia naturais, recebeu alta e está em casa. A atriz fora internada no início de fevereiro por causa de uma leucemia mas reagiu bem ao tratamanto e está de volta ao lar, pra alegria de tantos quanto gostamos tanto dela.

DRICA é a única artista numa família de sete irmãos: Alessandra, Pedro, Diogo, Bruno, Eduardo e Gabriel. Começou a atuar aos treze anos no teatro Tablado, com a peça Tribobó City.

A estréia na TV foi em 86 na Globo, no episódio O sequestro de Lauro Corona do Teletema, escrito por Ricardo Linhares e dirigido por Carlos Magalhães. Apesar de pequeno, o papel chamou a atenção do diretor Roberto Talma, responsável pelo seriado, que a convidou para fazer Top Model, de Walter Negrão, em 1989. No entanto, só teve destaque na mídia a partir de 1995, como Renata, a garota do casal Unibanco, ao lado do ator João Camargo. Foram mais de trinta campanhas em cinco anos.

Em 1996, atuou no remake de Xica da Silva, na Manchete, assinado por Walcyr Carrasco, com Taís Araújo fazendo sua estréia. Drica interpretou a antagonista da trama, Violante Cabral, um dos papéis mais importantes de sua carreira. Com o mesmo autor ainda faria sucessos como O Cravo e a Rosa, Chocolate com Pimenta e Alma Gêmea.

Em 1998, fez a primeira protagonista em novelas, Madalena, em Era Uma Vez. Protagonizou ainda a série Garotas do Programa em 2001, e em 2004, ao lado de nomes como Selton Mello, Andrea Beltrão, Marisa Orth e Pedro Paulo Rangel, protagonizou a série Os Aspones.

Em 2006, fez breve participação na novela Pé na Jaca, substituindo Malu Mader.

Em 2008, mostrou sua versatilidade ao dar vida à sofredora Vânia de Queridos Amigos e participou do filme Os Normais 2 – A Noite Mais Maluca.

É uma das fundadoras da Cia. dos Atores, companhia teatral de grande sucesso, cuja sede fica no Rio. É uma atriz competente e de versatilidade, indo do drama à comédia com a mesma qualidade.

O mais recente trabalho na tevê foi no seriado DECAMERÃO – A Comédia do Sexo, onde atuava ao lado de Daniel Oliveira, Déborah Secco e Matheus Nachtergaele