Arquivo da tag: Meu Pedacinho

Bruna Linzmeyer faz da delicadeza o mote de sua Interpretação

Bruna Linzmeyer:  destaque em mais uma interpretação marcante…

A Televisão é um meio de comunicação de escala industrial numa sociedade de mercado e que pode contar com a resposta quase imediata do público. Isso dá uma conotação totalmente diferente ao intérprete que atua na telinha. São outros os melindres do intrincado exercício de sua atuação.

Dessa forma, enquanto as outras artes, decorrentes de tecnologias anteriores como Cinema, Teatro e Livro vão buscar o mercado só depois de prontas, acabadas e intocáveis, a telenovela vai-se fazendo à medida em que consulta esse mesmo mercado.

Na telenovela, arte e mercadologia se fundem, e o ator opera como uma mistura de arte, de criador, mas também como responsável por um produto de comunicação que não pode desconhecer o universo do mercado a que se destina.

Sabemos o quão sutil e complexa é a tarefa do ATOR, em qualquer veículo em que ela se faça. O Ator é um intérprete mas também um Criador. Tanto opera sobre a criação alheia (a do autor) como, ao fazê-lo, irradia uma forma própria de criação. Quando o ator é bom, torna-se co-autor da obra.

Fazemos essa introdução porque acreditamos ser exatamente isso o que podemos constatar com absoluta clareza acompanhando a telenovela Meu Pedacinho de Chão, atração das 18h na tela da TV Globo. Escrita por Benedito Ruy Barbosa com direção geral de Luiz Fernando Carvalho (que conta com vários outros diretores na equipe), a novela tem um elenco que se sobressai pela qualidade admirável. A emoldurar esse trabalho magnífico dos intérpretes, há um belíssimo e notável trabalho de criação artística, encabeçado pelo querido conterrâneo Raimundo Rodriguez, e sobre o qual falaremos mais amiúde em outro post. Tudo o que vemos de plasticamente encantador em Meu Pedacinho, a partir da ambientação cênica com cenários, adereços, objetos de cena, figurinos e maquiagens formando uma composição harmonicamente bela e delicada, é obra deste Artista Espetacular nascido em Santa Quitéria, e apaixonado desde menino pela Cultura Popular.

pedacinho

Ao lado de Raimundo Rodriguez, e tornando suas ideias berço e palco da história de ‘Meu Pedacinho’, há uma equipe dedicada e super competente, tendo entre outros Rubens Libório, Marco Cortez, Myriam Mendes, Renata Luciana e muitos outros. O #BlogAuroradeCinema voltará a esse assunto.

Emiliano Queiroz e Ricardo Blat: talentos que enriquecem ‘Meu Pedacinho’…

Voltando ao elenco de Meu Pedacinho: na novela, há nomes já bem conhecidos e de longa estrada na carreira – como os magníficos Osmar Prado, Antônio Fagundes, Emiliano Queiroz e Ricardo Blat -, assim como quase novatos – Juliana Paes, Rodrigo Lombardi, Johnny Massaro e Bruna Linzmeyer -, e atores que estão praticamente estreando neste ‘Pedacinho’ que conquistou o Brasil com tanta beleza, poesia e ludicidade: Tomás Sampaio, Paula Barbosa, Teuda Bara, Inês Peixoto, Irandhir Santos, Dani Ornellas, Geytsa Garcia, Bruno Fagundes, Cintia Dicker, Kauê Ribeiro de Souza, Gabriel Sater, Letícia Almeida, Rosa Iranzo, Raul Barreto, Alex Brasil, Fernando Sampaio, Evandro Melo, Alice Coelho…

Irandhir Santos e Bruna Linzmeyer: duelo de gigantes em primorosas atuações…

Essa saudável mistura de artistas tarimbados com artistas de alguma estrada na telinha e atores que estão estreando no meio teleaudiovisual é absolutamente um Achado ! O resultado é um belíssimo matelassê de atuações que se somam e, cada uma no seu tom e no seu ritmo, emprestam seus talentos e seus prodígios para abrilhantar uma obra que é já um marco na TeleDramaturgia Brasileira. 

Mas a crônica de hoje é para falar especificamente da atuação desta garota linda e vocacionada que é Bruna Linzmeyer. 

Representar é um ato de comunhão tão intenso e profundo que nos conduz a uma posição de valorização de qualquer ritual no qual a emoção comum ao ser humano possa ser exercida. Se essa emoção é verdadeira e genuína, e se o oficiante (representante/ATOR) consegue buscar na profundidade de si mesmo a melhor maneira de senti-la e expressá-la, o espectador com ela se identifica. Vivendo, ambos, a mesma emoção, podem, a partir da catarse conjunta, purificar-se das tensões, dos medos e dos impulsos menores. Vivenciar juntos emoções é ser solidário, fraternos, irmãos.

Bruna Linzmeyer: a ‘Bonequinha de Louça’ da primeira novela naif do Brasil…

Portanto, não importa se o meio é profundo, superficial, comédia, tragédia, teatro, cinema, fotonovela ou televisão. SEMPRE QUE A EMOÇÃO FOR GENUÍNA e APAREÇA REPRESENTADA COM FIDELIDADE, ADVIRÁ ESSA FORMA PROFUNDA E CURIOSA DE SOLIDARIEDADE & CATARSE, a mais alta possível entre seres humanos: a COMUNHÃO, conteúdo oculto da Comunicação – como tão bem nos ensinou o cronista Artur da Távola em seus estudos sobre a Televisão e o trabalho do ATOR.

No caso específico da atriz Bruna Linzmeyer e sua delicada interpretação da ‘Professora Juliana’, fica patente que a atriz conseguiu essa perfeita comunhão com o público. Este aderiu completamente à sua composição (com sutilezas expressivas, gestuais e afetivas) e embarca cotidianamente na sua viagem interpretativa, aderindo, comovido, às muitas nuances de que Bruna dotou a personagem. E depois que o público adere à criação de um ator, ele pode fazer o que quiser com seu personagem: torna-se seu Maestro e o público o segue, fiel e encantado.

Com a ‘Perfessora Juliana” isso é claro e acontece desde o primeiro capítulo. Bruna Linzmeyer com sua beleza diáfana e seu talento em fase de crescimento e lapidação, constrói com absoluta delicadeza e inspirada capacidade as tessituras de que é feita a querida professorinha de Santa Fé. E podemos mesmo afirmar, sem medo de incorrer em erro, que é a DELICADEZA o traço mais marcante, poderoso e decisivo na criação de Bruna.

Bruna

“A delicadeza não deve ser uma forma de se defender do mundo mas sim de enfrentá-lo, a mais tenaz e poderosa forma !” É isto o que nos diz, constantemente, a Professora Juliana criada pela atriz Bruna Linzmeyer, sendo esse um dado que emerge da alma da atriz e inunda a personagem de verdade e beleza. Porque a Delicadeza que faz de Juliana a adorável professorinha de Santa Fé é um traço latente da personalidade de Bruna, que se lhe escapa ao compor os personagens, o que só os enriquece e enche de humanidade porque fruto de um desenho emotivo peculiar ao arsenal sensório de sua intérprete.

Bruna Linzmeyer e Johnny Massaro: aplausos para talentos que começam a despontar…

Sendo o ator um solista, que inventa sobre temas já compostos, sua ‘invenção’ pode ser tão renovadora e criativa que, mesmo valendo-se de elementos já criados, o ator de envergadura o dispõe de forma própria, única e original, sem a menor traição ao autor, ao contrário, estendendo a invenção deste, ampliando-a. Por isso, o grande intérprete é um Criador !

Bruna Linzmeyer pertence a essa categoria de grandes Criadores. Daí porque estamos a lhe dedicar esta crônica. Pertence também a uma categoria de pessoas cuja chegada gera um instante de silêncio e não de festa. Ela consegue transmitir, num ar sutilmente introvertido, um ser assustado e encantado, capaz de alcançar os vastos mundo dos introvertidos, os que se vão revelando aos poucos, mesclando tristezas e cansaços com alegrias ternas e caladas, de uma profundidade comovente e ternura acolhedora. O riso é luminoso e súbito, capaz de a tudo transformar quando chega e revela o esconderijo. O estilo de Bruna Linzmeyer de representar permite ao espectador a entrada no interior da personagem porque a relação primordial da atriz com seus personagens é de Transparência. Através das sutilezas com que constrói a tessitura emotiva de seus personagens, Bruna convida o público a mergulhar no universo daquela ‘vida de invenção’ , tornando-o claro, acessível, irmão. Ela é a regente: a personagem aparece “Através”. Como se Bruna nos apresentasse ao novo ser, iluminando-o e tornando seu universo interessante a nós, que acompanhamos sua atuação, com um alto poder de persuasão pela originalidade e potente carga de sentimentos introjetados, repleta de matizes.

Como a ‘Linda’ de Amor à Vida, Bruna Linzmeyer cativou o público…

Bruna Linzmeyer põe à disposição do público instâncias dramáticas através das quais vai sendo por ele descoberta. E assim a atriz consegue altas doses de adesão ao universo que desenha com inteligência, sensibilidade, perspicácia e muita delicadeza. Celebra com o espectador um secreto e poderoso pacto de cumplicidade.  Foi assim com a ‘Leila’ da novela Insensato Coração, de Gilberto Braga, em 2011, sua estreia no gênero (antes, fizera a série “Afinal, o que querem as mulheres”), na qual ela era uma jovem cheia de conflitos e apaixonada por moda. Assim o foi também com a personagem autista ‘Linda’ da novela Amor à Vida, de Walcyr Carrasco, e assim o é agora com a querida Professora Juliana. Poderoso exercício de refinamento da sensibilidade e empatia que só os Intérpretes de grande envergadura são capazes.  

BRUNA LINZMEYER é Atriz para muitos outros e ainda mais profundos e intensos mergulhos interpretativos. Ainda bem que escolheu ser Atriz: é uma vocacionada para a profissão e a ela se dedica, coroando a carreira de méritos.

O carinhoso #AplausoBlogAuroradeCinema para BRUNA LINZMEYER !