Arquivo da tag: movimento de cinema em Araxá

Primeira PANORÂMICARAXÁ: Imagens do Araxá Cine Festival …

AURORA DE CINEMA direto do Araxá Cine Festival

De 10 a 16 de setembro, a adorável cidade mineira de Araxá – terra da lendária Dona Beja e das festejadas Termas de Araxá – transformou-se na CAPITAL DO CINEMA BRASILEIRO…

Veja em algumas fotos um pouco do que aconteceu no Festival :

Tauá Grande Hotel & Termas: sede do I Araxá Cine Festival… foto AML

Entrada principal do Cine Teatro Tiradentes, onde ocorreram as principais exibições…

Casa cheia todas as noites para ver CINEMA BRASILEIRO

Música tornou as noites mais bonitas, recepcionando com harmonia os convidados e participantes do I Araxá Cine Festival

O ator e escritor Germano Pereira foi o apresentador oficial de toda noite…

Débora Torres, idealizadora e Coordenadora-Geral, faz a saudação inaugural…

Jeremias Moreira, Ricardo Pinto e Silva, e Mallu Moraes: integrantes do júri se apresentam…

Produtora Simone Magalhães e diretor Helvécio Ratton apresentam o documentário O Mineiro e o Queijo, filme que abriu o I Araxá Cine Festival

Ao lado da produtora executiva Débora Torres; da atriz Patrícia Naves; e de seu padrinho Timotheo, Alberto Araújo fala sobre Vazio Coração

No coquetel inaugural, Germano Pereira, Jui Huang, e equipe do filme Vazio Coração: Patrícia Naves, Débora Torres, Alberto Araújo e Murilo Rosa…

* Fotos de Alex Silva

Em coletiva, autoridades fazem balanço do 1º Araxá Cine Festival e anunciam filme sobre “Dona Beja”

Saldo do Festival idealizado pela cineasta e produtora Débora Torres é auspicioso e araxaenses estão empolgados

Coletiva de imprensa realizada ontem (26 de setembro) em Araxá reuniu autoridades e jornalistas no Museu Dona Beja: a cineasta Débora Torres; a secretária municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Parcerias, Alda Sandra Barbosa Marques; a diretora da Escola de Música Elias Porfírio de Azevedo e presidente da Fundação Cultural Calmon Barreto, Débora Arantes Afonso Francisco; e a diretora do Museu Dona Beja, Nádia Maria Pereira Feres. Na coletiva, foi  feito um balanço do 1º Araxá Cine Festival e anunciadas as novidades para a segunda edição, grifada para o próximo ano. Também foi anunciado o projeto cinematográfico a ser filmado em Araxá: “Beja”-o filme sobre a história real de Dona Beja.

Museu Dona Beja, onde aconteceu a Coletiva sobre o Araxá Cine Festival…

Sobre o 1º Araxá Cine Festival, a produtora executiva e idealizadora do festival, Débora Torres disse que todos os objetivos foram alcançados: “Realizamos o festival este ano no segundo semestre para que pudéssemos implantá-lo. Sabíamos das dificuldades, quanto à captação do valor total. Mas precisávamos implantar o festival, a fim de que tivéssemos um produto concreto para buscarmos patrocínios e um apoio maior para o próximo ano. Conseguimos realizá-lo com louvor”, declarou a cineasta.

Oficinas e workshops do Araxá Cine Festival estiveram sempre lotadas…

O Araxá Cine Festival reuniu em todas as suas diversas atividades cerca de oito mil pessoas, e Débora Torres fez questão de destacar a participação da população nas oficinas e workshops: “Todas as pessoas que aqui estiveram ficaram encantadas. Os artistas também adoraram participar e conhecer Araxá. Alguns já conheciam a cidade e o Grande Hotel e adoraram rever tudo de novo.  Adoraram participar do festival, amaram a cidade…o teatro novo. O festival causou um forte impacto nacional, revertendo numa imagem muito positiva para Araxá”, disse a cineasta, concluindo: “Implantamos e agora entramos no calendário dos festivais brasileiros de cinema. O objetivo do Festival é fomentar o turismo na cidade. O I ARAXÁ CINE FESTIVAL  nasceu como um evento de prestígio nacional e bastante respeitado”.

Débora Torres, Alda Sandra e Débora Arantes: resultado do Festival superou as expectativas…

A secretária municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Parcerias, Alda Sandra Barbosa Marques, disse estar realizada com o 1º Araxá Cine Festival: “O festival foi muito satisfatório. A gente viu o retorno das pessoas, a satisfação dos artistas e cineastas que estiveram em Araxá. Isso tudo é muito gratificante… Como conseguimos realizar o primeiro, fica mais fácil realizar os próximos. Porque agora é realidade, antes era só uma idéia, um projeto. Realizamos bem dentro do que tínhamos e a visibilidade dada à Araxá foi grandiosa.”

A diretora da Escola de Música Elias Porfírio de Azevedo e presidente da Fundação Cultural Calmon Barreto, Débora Arantes Afonso Francisco, também destacou pontos positivos: “As expectativas foram superadas em todas as áreas. Encerrar o Festival no Teatro Municipal foi maravilhoso, grandioso. A participação dos grupos musicais enriqueceu muito o festival, todos os alunos e professores ficaram muito motivados. O festival é mais uma iniciativa na área cultural importantíssima para a cidade. Temos de avançar em todas as áreas e essa é uma área inovadora para Araxá. Foi gratificante detectar a quantidade de artistas que nós temos”.

Débora Torres, Helvécio Ratton e Odair Fialho na bela noite de abertura do Araxá Cine Festival…

A segunda edição do Festival está prevista para o início de junho, no intuito de distanciá-lo das datas de outros grandes festivais e aproveitar a agenda dos cineastas e artistas. O 2º Araxá Cine Festival terá mais dias de programação e será realizado totalmente no Teatro Municipal de Araxá, com projeção digital e não mais em 35mm, como na edição de estreia. A programação continuará com  reexibições de filmes nas praças, o “Festivalzinho” para as crianças, workshops e oficinas, objetivando capacitar tecnicamente os profissionais locais e leigos interessados no fazer cinematográfico, além das mostras competitivas de curtas-metragens araxaenses, mineiros e longas-metragens nacionais.

As apresentações musicais deram um tom todo especial ao Araxá Cine…

Dentre as novidades elencadas para a segunda edição do Araxá Cine Festival, estão mostras paralelas com grandes cineastas brasileiros como Zózimo Bulbul, dono da Afro Carioca de Cinema,  e João Batista de Andrade com a Mostra Ciclo da ditadura militar X Abertura democrática, além de uma mostra de filmes internacionais dos países de Língua Portuguesa com curadoria do Embaixador Lauro Moreira, que também fará apresentações musicais com o grupo Solo Brasil.  A pedido de vários cineastas regionais interessados em participar do festival, foi criada uma mostra competitiva de filmes da região. Além disso, haverá a premiação de júri popular para todas as categorias.

 “BEJA-o filme”

Na coletiva de imprensa, também foi anunciado o novo projeto cinematográfico da cineasta Débora Torres: o filme “Beja”, com roteiro e direção assinados por ela.  A produção contará a história de uma das mais ilustres figuras da cidade: Dona Beja, papel que caberá a atriz Thaís Pacholek, conhecida por sua participação no Programa Sílvio Santos” (Jogo dos Pontinhos) e novelas como “Amor e Revolução” (SBT), “Vende-se um véu de noiva” (SBT), “Amigas e Rivais” (SBT), e, mais recentemente, em “Balacobaco” (TV Record), além de contar com a participação de grande elenco global, num total de 52 atores conhecidos nacionalmente.

A bela Thaís Pacholek será Dona Beja no cinema…

O roteiro será desenvolvido pela cineasta junto com a jornalista, produtora, pesquisadora, escritora e roteirista Lúcia Abreu, que tem mais de 25 trabalhos na Rede Globo e foi a pesquisadora de texto da autora Glória Perez durante seis anos. O roteiro de “Dona Beja” será realizado seguindo pesquisas históricas, tendo como pano de fundo o cenário político, social e econômico da época e contará também com a colaboração de diversos especialistas e historiadores nacionais e araxaenses, como a escritora Neli Alves de Ávila, autora do livro “Segredos de Beja” e da radionovela “Dona Beja”, e a escritora Lourdes Zema, do livro “As águas de Araxá”, e que também vai lançar um livro sobre Dona Beja, até o final do ano. Para quem não se lembra, Lourdes Zema foi consultora da novela Dona Beja, exibida na extinta TV Manchete.

É Débora Torres quem conta: “Desde que estive em Araxá pela primeira vez, senti vontade de fazer um filme sobre a história de Dona Beja, uma biografia mesmo. Uma ficção baseada em fatos reais. Acho que devemos isto à Dona Beja, porque muitos acontecimentos em sua vida foram deturpados ou viraram lenda. A partir do momento em que conseguimos rodar “Vazio Coração” e implantamos o Araxá Cine Festival, eu e a secretária Alda Sandra começamos a falar a respeito de eu dirigir um filme sobre Dona Beja. Vou escrever o roteiro em parceria com a Lúcia Abreu, da TV Globo. Teremos alguns colaboradores no roteiro, como a Lourdes Zema e Néli Ávila, de Araxá”.

Débora Torres: depois do filme Vazio Coração e do Araxá Cine Festival, aguerrida produtora e cineasta parte para filme sobre Dona Beja

Sobre o contexto do filme, Débora Torres adianta: “Queremos retratar a Dona Beja em um contexto histórico. Como é um épico, o roteiro será desenvolvido em cima de pesquisas históricas e de obras literárias que retratem o panorama político mineiro no século XIX. O filme enfocará uma nova visão sobre Beja, não apenas àquela da bela cortesã, mas da mulher forte, corajosa e ousada, engajada politicamente, que influenciou a política mineira”.

Thaís Pacholek: atriz vai emprestar beleza para interpretar a lendária Dona Beja…

Segundo Débora, a fase atual do projeto é de pesquisa profunda e detalhada, que ditará os caminhos do roteiro (que deve estar pronto até o final do ano) e posteriormente a captação dos recursos, paralela à escolha das locações e seleção de todo o elenco. A cineasta pretende contar com nomes como Lima Duarte, Tuca Andrada, Zezé Motta, Nelson Xavier, Angelo Antônio, Luigi Baricelli, entre outros: “Para mim, o importante neste trabalho é mostrar  o olhar feminino sobre a história de Dona Beja. Não me interessa explorar apenas a sensualidade do personagem ou o seu poder de sedução, mas principalmente retratar a mulher corajosa e determinada, que inspirava e influenciava a sociedade da época”, destaca a cineasta. Que tem em seu curriculum curtas metragens premiados e longas documentários.

Na coletiva desta semana em Araxá: cinema une mulheres poderosas que querem evidenciar história e belezas do município mineiro…

No encontro, a escritora Neli Alves de Ávila também fez uma breve explanação sobre a história de Dona Beja, destacando a importância do projeto para a cidade: “Quero agradecer a oportunidade de falar de Beja. Isso não é comum em Araxá, infelizmente. Pela importância e pela grandiosidade do nome de Beja em Araxá, no Brasil e no mundo; ela é muito pouco valorizada em Araxá. Em 2003, escrevi a radionovela “Dona Beja” e fazia 20 anos que ninguém escrevia uma obra sobre Beja. A história de Beja não é somente a história de Beja, é a história dos índios Arachás, de Minas Gerais… A Beja é a mulher de hoje em dia, extremamente sedutora, extremamente inteligente, tanto no meio político, quanto no meio social. A história de Beja é um legado e deve ser contada sim”, destacou a escritora.

Já a diretora do Museu Dona Beja, Nádia Maria Pereira Feres, finalizou o encontro destacando: “Essa é uma oportunidade única e especial de colocarmos o nome de Beja para fora, para o mundo. É importantíssimo para alavancar o turismo e divulgar a história de Araxá. Temos uma população que gosta de história, ama a cultura e agora chegou a hora de abraçarmos este projeto. Queremos preservar a cultura araxaense”.

O Grande Hotel de Araxá e os mistérios de ‘Dona Beja’: matérias de Cinema…

“Estamos indo numa curva ascendente. Começamos com o filme “Vazio Coração”, depois o festival de cinema e agora o filme “Beja”. Os cineastas araxaenses estão bastante motivados com a criação de um polo de produção na cidade. No filme BEJA, aproveitaremos muito a mão de obra local com grandes participações no elenco de apoio e figuração. Nomes como Odair Fialho, Pedro Elói, Orquestra de Violeiros de Araxá, Paulinho Tôrres e Gabi Luthay já tem participação confirmada no longa-metragem”, disse Débora Torres.

A previsão de início das filmagens de “Beja” é o segundo semestre de 2013.