Arquivo da tag: novela de João Emanuel Carneiro

Avenida Brasil: Porque Amamos Carminha

Intérprete e personagem entrelaçaram-se no gosto popular criando um emaranhado de emoções e cumplicidade que responde por grande parte do êxito da trama de João Emanuel Carneiro

Carminha no auge: rica, linda e vivendo das graças do marido Tufão…

O que mais surpreendeu em AVENIDA BRASIL não foi o mega ibope do último capítulo – coisa de louco, tchê ! -, nem a forma como o autor se inspirou em escritores famosos, nem a trilha, nem o encantamento com o subúrbio traduzido no Divino.

Carminha: milionária encantadora e má do subúrbio…

Tudo isso já houve antes, e continuará acontecendo. E sobre o montão de coisas que se somam para o êxito desta novela que hoje é uma latejante saudade, falaremos adiante.

Adriana Esteves e Marcello Novaes: atores foram destaque com atuações soberbas…

Mas o que mais nos chama a atenção – depois de ler, reler e encontrar nos mais diferentes espaços informativos comentários sobre a novela -, é uma sensação de “Queremos Carminha !” que ainda está no ar.

Esta sensação é o que vai por baixo das afirmações, e corre no íntimo, de todos quanto agora comentam o final da novela – todos viram a mobilização nacional gerada pela exibição do último capítulo da trama, praticamente parando São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre  –  é o que aflora quando se afirma coisas do tipo “Carminha podia ter reagido”, ou “Pensei que Carminha estava mentindo”, ou ainda “Achei que Carminha ia dar a volta por cima”, ou, mais agudo ainda, “Queria que Carminha tivesse terminado rica, numa mansão na zona sul”, ou “Queria Carminha milionária enganando um novo Tufão”…

Carminha e Tufão: casal mobilizou as atenções do “Divino”…

A marcante cena em que Nina corta e pinta os cabelos de ‘Carminha’…

Isso tudo é a tradução mais latente e recôndita de que o envolvimento com a Carminha de ADRIANA ESTEVES tomou tal proporção que o público desejava não só não ver a vilã ficar pobre e sem glamour, como gostaria de ver novamente a atriz – que ele aprendeu a amar e ver bela, mesmo com todas as maldades de Carminha – esbanjando charme e eloquência de vencedora.

Este público queria rever/reencontrar sua Carminha-Adriana de novo linda, loura, esbanjando elegância, destratando os pobres,  enganando o marido, tripudiando com as funcionárias, fazendo exigências mis, zombando dos suburbanos e dizendo – sem papas na língua e com a maior desfaçatez – as insanidades que dizia. Porque a Carminha Vencedora, Bonita e Altiva era também o alter ego da enorme classe C, ou de quantos se sentiram inferiorizados tantas vezes, e que, naqueles momentos de altivez sórdida da vilã, se sentiam vingados ou de alma lavada através dos ótimso diálogos da trama.

E aqui entra, intenso e avasssalador, o potencial artístico de ADRIANA ESTEVES, a quem a imensa maioria da platéia queria ver novamente brilhando e tendo as rédeas da história nas mãos.

SENSACIONALLLLLLLL !

E isso só é possível de ser alcançado, em se tratando de personagem Antagonista, quando se tem uma intérprete do quilate de ADRIANA ESTEVES, cuja maestria, charme e competência a faz uma Atriz do mais alto refinamento interpretativo.

O que esta magnânima ATRIZ Adriana Esteves conseguiu através desta personagem criada por João Emanuel Carneiro é algo ainda a ser estudado por especialistas da área, e quem sabe mereça muito mais ainda a análise de quem atua na área da Psicologia.

Pois o que Adriana Esteves alcançou através de Carminha foi muito mais do que o apoio da audiência, a vibração da plateia, a emoção do telespectador, o entusiasmo dos colegas, a vibração da crítica, o encantamento do autor, ou o misto de adesão x revolta total de todo o público de Avenida Brasil.

Adriana Esteves e sua irretocável CARMINHA conseguiram foi mexer no imaginário coletivo e fustigar a emoção de quantos puderam ver – e vibrar – com a estupenda interpretação desta Atriz para uma personagem capaz das maiores vilanias e atrocidades.

A capacidade impressionante e invejável de ADRIANA ESTEVES de criar expressões faciais diversas para ‘Carminha’, numa mesma cena, ecoou fundo na emoção do telespectador e criou uma empatia só explicável pelas leis do sentimento…

Num próximo post, mais sobre AVENIDA BRASIL.

TODOS OS APLAUSOS para Adriana Esteves, Atriz cujo nome se inscreve na galeria das Grandes Damas da TeleDramaturgia…

O autor e as atrizes Isis Valverde, ADRIANA ESTEVES e Débora Falabella…

Cena antológica consagra pico de audiência à Avenida Brasil

Carminha (Adriana Esteves) ficará nas mãos de Nina (Débora Falabella)

Desde sexta, quando a personagem de Adriana Esteves descobre que Nina (vivisa por Débora Falabella) é a mesma Rita, que ele odiava desde pequenina e de quem pensava ter-se livrado através de umas e outras que ela aprontou pra cima da adversária, a novela AVENIDA BRASIL (TV Globo, 21h) vem dominando ainda mais a atençã odo público e da imprensa. O capitulo de sábado, em que Carminha passa um ‘chega pra lá’ quase defintivo em Nina, teve a magistral cena do quase enterro de Nina/Rita. A cena é, indubitavelmente, das mais criativas, bem realizadas e dramaturgicamente brilhante. APLAUSOS para João Emanuel Carneiro, sua trupe de colabores (do texto à realização na telinha), e ao seu magnânimo elenco.

Mas hoje, quando sabia-se que Nina voltaria a encontrar Carminha, o público respondeu em peso ao ‘chamado’ da trama e a novela teve seu maior índice de audiência, ultrapassando os 44 pontos – até então, ainda não alcançado.

Números divulgados pelo Ibope dão conta de que AVENIDA BRASIL reinou  absoluta na noite, alcançando 44,5 pontos. A segunda colocação ficou com o SBT, 6 pontos, seguida de 5 pela Record. Até então, o índice mais alto da novela era o de 43 pontos.

A expressiva (e merecida) audiência deve-se a essa torcida que vem ganhando contornos bem nítidos entre o público: a audiência quer ver a vitória de Nina e sabe que, até isso acontecer, ainda irá se surpreender muito.

Cauã Reymond esteve no programa do Faustão domingo e afirmou que a novela agora tem ‘cenas secretas’ sendo gravadas. Ou seja, para algumas cenas, o sigilo é total, e só entra no estúdio os atores cujos personagens estejam envolvidos.

A TV Globo quer evitar – em muito boa hora – que comecem a vazar notícias de próximas cenas, e o destrinchar de acontecimentos seja revelado, coisa que, quando acontece, causa muigta chateação em quem assiste à novela com emoção de telespectador fiel, e quer acompanhar o desenrolar da trama via tevê. Do contrário, melhor seria ler fotonovelas, já que a telenovela – assim como os filmes, mas sobretudo o gênero obra aberta televisiva, foi criado para se assistir via telinha, e não ficar conhecendo a trama via revistas, sites, ou comentários de colegas.

Você que não viu, mas quer checar a grande cena que foi ao ar hoje, cesse o site da Globo – www.globo.com – e confira. Amanhã, a cena continua, e haja competência.

A chegada de Carminha em casa, sozinha, crente que lá vai encontrar os empregados Lúcio e Janaína… e a personagem vai adentrando a casa, tudo no escuro, e, de repente, apenas um facho de luz acende e ela vê a ‘desaparecida’ Nina sorridente, e ainda ameaçando-a, e quando Nina diz pra ela acender a luz, Carminha acende e tem a surpresa inesperada… francamente, foi um show de Dramaturgia e Realização. Uma cena antológica, já nos arquivos das melhores cenas de telenovelas do país.

Resumindo: AVENIDA BRASIL está Sensacionallllllll !!!

Diálogos primorosos, suspense a todo vapor e show de ADRIANA ESTEVES

Vivendo a malvada Carminha, Atriz exacerba no direito de brilhar

Foi assim o capítulo de AVENIDA BRASIL deste sábado. João Emanuel Carneiro, o autor, e seus colaboradores – que turma supimpa ! – vem tecendo uma trama que mais parece uma rica renda de filé, produzida pelas soberbas rendeiras do Nordeste.

Desde o início, a história é forte, os ganchos se sucedem com extrema maestria – daí o autor ser chamado na Tv Globo de ‘Capitão Gancho’; cenário/figurinos/direção de arte são sublimes; direção/fotografia/edição são um espetáculo à parte; a narrativa tem picos de excelência constante através de diálogos extremamente bem construídos; e o elenco é soberbo.

Mas, neste sábado quase findo, é preciso fazer um registroespecial sobre a riqueza de textos da personagem Carminha. E ADRIANA ESTEVES, mais uma vez, roubou a cena, ratificando sua competêmncia exacerbada e a feliz escolha de seu nome para viver a personagem principal.


           A Carmem Lúcia, personagem de grande envergadura e cheia de labirintos emocionais, ou Carminha como é popularmente chamada, foi um prato cheio dado por João Emanuel Carneiro para uma grande Atriz. E nós, público telespectador, que costumávamos ver Adriana Esteves apenas em papéis cômicos, ou sofridos, ou sóbrios, ficamos positivamente surpresos com a revelação do estupendo TALENTO e Capacidade Interpretativa desta Atriz magistral que é Adriana Esteves. É de lavar a alma vê-la em cena, num papel em telenovela – gênero ainda tão menosprezado por parte da crítica e do público.

Que profundezas abissais tem  composição que Adriana deu à sua Carminha, que sutilezas sensórias consegue passar num arcabouço sensório admirável só capaz ao ator que faz do seu ofício um espaço sagrado para promover a reflexão, o encantamento, a adesão ou rejeição do público.


No caso específico de Avenida Brasil, a personagem Carminha é um ser humano abjeto, deplorável, horrendo. Mas é com tal maestria que Adriana Esteves vive essa mulher pútrida, entregando-se à sua criação com o mais profundo de sua alma e a verdade inteira de seu ser entregue a ujm persomnagem que lhe vai nas vísceras, quje é impossível não ficar completamente abismado ante tamanha dedicação ao ofício, tamanha competência, e tão vocacionada entrega ao ofício.

Se pouco falamos neste post em Débora Falabella é que desta Atriz, Magnífica em qualquer papel, nós muito já conhecemos e aplaudimos, seja no teatro, no cinema ou na telinha – nos três veículos, Débora Falabella tem sempre uma atuação esplendorosa. Não é diferente com a Rita/Nina que a atriz defende em Avenida Brasil – mas este talento exacerbado nós já conhecíamos.

Deborah Falabella em duelo de gigantes com Adriana Esteves…

Porém, o de ADRIANA ESTEVES não tinha as mesmas luzes. Embora a atriz tenha ganho em 98 quatro importantes prêmios por sua atuação como a provocante ‘Sandrinha” de Torre de Babel (Sílvio de Abreu), em geral sempre fez mais comédia e personagens sofridas; algumas vilãs não tiveram o mesmo impacto desta Carminha – além de malvada, tem rasgos de sagacidade que tornam a personagem jocosa e ‘malandra’, eainda não tive a chance de vê-la no teatro. No cinema, preciso revê-la, embora saiba que já fez algumas peças e esteve em 4 longas (estreou na telona em 95 no filme “As Meninas”, baseado no romance homônimo de Lygia Fagundes Telles).

Como Olímpia na comédia Trair e Coçar, filme baseado em famosa peça de Marcos Caruso…

Por esse pequeno histórico da atuação de Adriana, é que vê-la ‘roubando’ todas as cenas de AVENIDA BRASIL e sendo a grande motriz da trama principal, é que nos causa intensa e fervorosa alegria vê-la em cena, esta ATRIZ que um dia algum incauto disse que não era lá essas coisas…

No filme As Meninas (1995), de Emiliano Ribeiro, Adriana Esteves ao lado de Drica Moraes e Claudia Liz…

Ao lado de Murilo Benício, Adriana Esteves esbanja charme e competência em Avenida Brasil

 Esperamos que a reciclagem ‘tão famosa hoje em dia’ – como disse muito  bem a ‘genial Carminha’ hoje – já tenha chegado para este precipitado, desatento, desavisado, confuso, e/ou preconceituoso analista (?) de telenovelas.


Para Adriana Esteves e toda a equipe que faz AVENIDA BRASIL, o mais efusivo PARABÉNS deste AURORA DE CINEMA !