Arquivo da tag: o som no cinema

Porque Som e Cinema São Inseparáveis…

Com curadoria de Hernani Heffner e Ruy Gardnier, a quarta edição do Festival CineMúsica – Festival de Cinema e Música de Conservatória aconteceu início de setembro na pacata cidade da bela região dos lagos do Rio de Janeiro. Há anos queria conhecer a Cidade da Seresta e não podia deixar de estar no CineMúsica justo no ano em que Alice Gonzaga – Primeira Dama do Cinema Brasileiro – seria homenageada.

Aurora Miranda Leão e Alice Gonzaga no Cine Centímetro (foto Bebel Assaf)

Conservatória é poeticamente sonora e agradável. Estar ali nos dias iniciais de setembro foi muito bom. Tanto a cidade como o Festival fizeram a viagem fazer sentido e plantaram saudades.

Considerada a Cidade da Seresta, Conservatória, no interior do Estado do Rio de Janeiro, abriga o Cine Centimetro – cinema de rua e, réplica do extinto Cine Metro da Tijuca, tradicional bairro da capital carioca -, sede do Festival, que nesta edição, homenageia a MPB no cinema.

A extensa e bem qualificada programação foi aberta na Praça da Matriz com a exibição do documentário Onde a Coruja Dorme, Márcia Derraik e Simplício Neto, cujo foco é o sambista Bezerra da Silva, numa iniciativa de resgate das canções feitas pela gente simples dos morros cariocas.

Em Conservatória, as flores brotam com a mesma constância das músicas…

A Praça da Matriz foi ainda o local de exibição de títulos como “Programa Casé – O Que a Gente Não Inventa Não Existe”, de Estevão Ciavatta, e “Zé Ramalho – O Herdeiro do Avohai”, de Elinaldo Rodrigues. Mas a praça da Matriz é também o lugar onde a gastronomia conservatoriana e o artesanato da região do café se mostram com bastante fartura e todas as noites a praça estava lotada, sobretudo porque antes das sessões de cinema, o festival promoveu diversas apresentações artísticas, nas quais a música foi o grande Maestro.

No comando de tudo, a aguerrida Cleide Salgado, sempre atenta a tudo, disposição invejável e garra bastante para levar adiante festival tão importante quanto necessário, ao qual a prefeitura de Conservatória precisa dar um tratamento à altura do que o festival acarreta para a cidade.

 Troféu CineMúsica para Alice Gonzaga, bastante aplaudida com a justa Homenagem

Com todas as sessões gratuitas, a programação do Festival CineMúsica teve ainda o lançamento de Não se Pode Viver sem Amor, de Jorge Duran, e O Sol de Meio Dia, da diretora paulista Eliane Caffé.

Aguarde um novo post sobre o Festival CineMúsica, evento que segue para sua quinta edição como um dos mais profícuos e relevantes para o duo Som & Cinema, o ponto G da Sétima Arte.

Inscrições ao CineMúsica

O encontro mágico entre cinema e música já virou tradição: acontece sempre em setembro na cidade de Conservatória.

Este ano, a quarta edição acontecerá de 3 a 6 de setembro, numa promoção da Casa de Cultura da cidade.  Público, convidados, produtores e realizadores poderão conferir cirandas em concertos sinfônicos, cênicos e cortejos. O festival funciona simultaneamente com três pontos de exibição: O Cine Sesc (Serviço Social do Comércio), na Praça da Matriz; O Cine Tela Brasil, no Largo da Rodoviária; e o Cine Centímetro.

Além de quatro dias de muito cinema e música, existe a opção do Sabor CineMúsica, evento gastronômico constante da estrutura do festival. Segundo a diretora  Cleide Salgado, o CineMúsica é o único festival de cinema do país dedicado ao universo do som e com associação da música ao cinema. Um festival sui generis e com a presença do Cine Centímetro, um patrimônio comprometido com a memória do cinema.

A simbologia nostálgica do festival combina bem com Conservatória, a cidade das serestas: ali, celebram-se os saudosos cinemas de rua – representados pelo Cine Centímetro, réplica perfeita do saudoso Metro Tijuca, com mobiliário autêntico, que homenageia o cinema e é um importante espaço do CineMúsica, acolhendo pré-estréias, sessões especiais e debates.

 
 

 Em 2007, o evento celebrou o Choro. Ano seguinte foi a vez de movimentar Conservatória embalado em Samba e Carnaval, quando foi encenado o musical Sassaricando – E o Rio Inventou as Marchinhas, contando ainda com a animação da Escola de Samba Beija-Flor de Nilópolis, na cerimônia de encerramento.

As inscrições para a edição deste ano estão abertas até dia 15.