Arquivo da tag: produção audiovisual brasileira

É Tudo Verdade: Ainda dá tempo !

Até dia 17 podem ser feitas inscrições de documentários brasileiros para participar do É Tudo Verdade 2013 – 18º Festival Internacional de Documentários. As inscrições são gratuitas.

Fundado e dirigido pelo crítico de cinema Amir Labaki, o mais importante evento dedicado à produção não-ficcional na América do Sul, será realizado entre 4 e 14 de abril, simultaneamente, em São Paulo e no Rio de Janeiro. O circuito de itinerâncias será posteriormente divulgado.

É exigido ineditismo absoluto no país para os longas e médias-metragens documentais candidatos a disputar a mostra competitiva nacional, cujo prêmio, no valor de R$ 110 mil, é a maior premiação para documentários brasileiros, independentemente de compromissos com distribuição em salas ou veiculação televisiva.

Não há exigência de ineditismo para a competição de curtas brasileiros, mas a seleção dará preferência a produções inéditas. O mesmo critério vale para a seleção de títulos nacionais para as mostras informativas do festival (O Estado das Coisas, Foco Latino-Americano). Regulamento e ficha de inscrição no site www.etudoverdade.com.br.

Cinema Brasileiro no Cazaquistão

O Palhaço é um dos filmes da programação da Mostra

Talento e versatilidade de SELTON MELLO serão aplaudidos na Rússia…

Idealizado pela Linhas Produções Culturais, em parceria com a Embaixada do Brasil no Cazaquistão, festival estreia em Almaty e Astana com produções de destaque em 2011 e 2012

Pela primeira vez, a Linhas Produções Culturais, em parceria com a Embaixada do Brasil no Cazaquistão e o Departamento Cultural do Ministério das Relações Exteriores, realiza a Mostra de Cinema Brasileiro no Cazaquistão.

Com patrocínio da Embraer, a mostra acontecerá em duas das principais cidades do país. A partir desta sexta, e até dia 11 de dezembro, a Mostra passa por Almaty, um dos maiores pólos culturais da Ásia. Já entre os dias 10 e 13, o festival chega à capital Astana, destino preferido de muitos jovens empreendedores.

O projeto, que integra esforços da iniciativa privada e do poder público, tem como objetivo disseminar a cultura brasileira, apresentando produções cinematográficas contemporâneas a uma das mais importantes economias emergentes do mundo.

Para o embaixador do Brasil no Cazaquistão, Oswaldo Biato Júnior, a Mostra ganha este ano um novo impulso com a abertura em Almaty. “O Festival simboliza a importância do Brasil para o Cazaquistão, nossos vínculos culturais. A realização em Almaty, um dos maiores centros culturais da Ásia e maior centro financeiro do Cazaquistão, é a demonstração prática de nossa aproximação com o país”, afirma.

A opinião do embaixador é compartilhada por Fernanda Bulhões, diretora da Linhas Produções Culturais. “Há cinco anos organizamos o mesmo projeto na Rússia. O evento é um sucesso e já faz parte do calendário cultural oficial da capital do país. É um prazer poder expandir o festival para levar a um público cada vez maior a qualidade e diversidade do cinema brasileiro. Esperamos repetir o sucesso”.

Em cada uma das localidades, serão exibidos oito filmes. Para a abertura oficial, foi escolhido O Palhaço, de Selton Mello, na corrida por uma vaga ao Oscar 2013 na categoria Melhor Filme Estrangeiro. Além deste, foram selecionados outros grandes lançamentos do cinema nacional em 2011 e 2012: os dramas Amor?, de João Jardim,  Corações Sujos, de Vicente Amorim;  Estamos Juntos, de Toni Venturi; Heleno, de José Henrique Fonseca; Meu País, de André Ristum, e VIPs, de Toniko Melo. Completando a lista, o longa Capitães da Areia, de Cecília Amado, baseado no livro homônimo de Jorge Amado. A película comemora o centenário do escritor baiano, um dos mais festejados representantes da literatura brasileira.

Cronograma oficial da Mostra

Almaty:

7/12 (sexta-feira): O Palhaço, às 19h;

8/12 (sábado): VIPs, às 18h30;

Estamos Juntos, às 20h30;

9/12 (domingo): Corações Sujos, às 18:30

Heleno, às 20h30

10/12 (segunda-feira): Amor?, às 18h30;

Meu País, às 20h30;

11/12 (terça-feira): Capitães da Areia, às 20h

Astana:

10/12 (segunda-feira): Heleno, às 18h30;

                                 O Palhaço, às 20h30;

11/12 (terça-feira): Capitães da Areia, às 18h30

                                   Estamos Juntos, às 20h30

12/12 (quarta-feira): Corações Sujos, às 18h30

Meu País, 20h30

13/12 (quinta-feira): VIPs, 18h30

              Capitães da Areia, 20h30

Festivais com inscrições abertas

Inscrições à mostra competitiva do IV CineCreed-Mostra de Filmes Digitais, evento gratuito e sem fins lucrativos, a acontecer nos dias 23, 24 e 25 de novembro.

Curtas nacionais produzidos a partir de 2010 com até 20 minutos de duração e inéditos nos eventos do Programa Exibição de Cinema Social podem ser inscritos: www.precisope.com.br

***************

A III Mostra Internacional de Cinema pelos Animais – Mostra Animal 2012 vai acontecer em Curitiba. Cineastas profissionais ou amadores, brasileiros ou estrangeiros, podem inscrever filmes de qualquer duração (longa, média ou curta-metragem) que abordem questões oriundas do relacionamento do ser humano com os animais. Inscrições são gratuitas e devem ser feitas através do site www.mostraanimal.com.br, no link Inscrições, até 20 de setembro.

*************

O Cine MuBE Vitrine Independente, festival que revela e premia novos talentos, prossegue com inscrições até 20 de outubro. A curadoria é do crítico de cinema Christian Petermann e oferece oportunidade para novos talentos apresentarem sua arte e técnica por meio de exibições de curtas e médias-metragens num evento focado no cinema independente.

Seguindo o modelo das edições anteriores, entre 6 e 8 de dezembro, haverá programação especial no MuBE para a exibição dos títulos selecionados. Na sexta, dia 7, serão exibidos os médias-metragens em competição, e no sábado, dia 8, os curtas – ao final das exibições, serão revelados os vencedores e acontecerá a premiação. Interessados podem inscrever-se gratuitamente. www.cinemubevitrine.com.

O festival premiará produções em 11 categorias: melhor curta-metragem pelo júri, melhor curta-metragem pelo público, melhor média-metragem pelo júri, melhor média-metragem pelo público, melhor diretor curta-metragem, melhor diretor média-metragem, melhor atriz, melhor ator, menção especial de curta-metragem pelo júri, melhor roteiro e, como novidade desta edição, melhor produção estrangeira.

Os filmes devem ser encaminhados (em três cópias obrigatórias), de segunda a sexta, das 10h às 19h, para Av. Europa, 218 – São Paulo, aos cuidados de Karen Alcantarilla – karen@mube.art.br.

O Cine MuBE Vitrine Independente é um festival de cinema que preza pela pluralidade, sem tema definido. O júri especializado e o público elegem os favoritos. Os ganhadores são premiados com equipamentos, cursos na área e viagens.

 

***********

Até 15 de setembro, cineastas podem inscrever seus documentários de curta, média e longa-metragem no III CachoeiraDoc – Festival de Documentários de Cachoeira, a acontecer de 4 a 8 de dezembro, no Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), na cidade de Cachoeira.

O Festival busca fomentar a cultura do documentário através da exibição de filmes, oficinas, debates e ciclo de conferências. Interessados devem enviar vídeos produzidos a partir de 2011, em qualquer formato, incluindo vídeos feitos por câmeras em celulares e câmeras digitais, e em película 16 mm e 35 mm. www.cachoeiradoc.com.br

Até quando a realidade é uma mentira ?

A Forma Filmes comunica:

Os jovens diretores Rodrigo Oliveira e Marcelo Luiz de Freitas participarão do 6ºCurta Cabo Frio – Festival de Audiovisual da Costa do Sol (RJ) com o documentário Até quando a realidade é uma verdadeira mentira ?

O festival acontecerá de 1 a 9 de setembro e esta será a primeira exibição do curta em festivais. O documentário incita a discussão sobre o poder que a propaganda, no caso de cerveja, exerce sobre as pessoas.

Até quando a realidade é uma verdadeira mentira ? concorrerá na mostra competitiva de curtas digitais.

Trailer oficial e outros trabalhos de Marcelo Luiz de Freitas e Rodrigo Oliveira, acesse http://formafilmes.wordpress.com http://marceloluizdefreitas.wordpress.com

Mas a FORMA FILMES estará em Cabo Frio com outros 2 trabalhos: Dadashow volume 2, e Doméstico 365 de Marcelo Luiz de Freitas.

Doméstico 365 concorrerá na mostra competitiva de curtas realizados com câmera fotográfica/celular.

Dadashow volume 2 concorre junto ao Doc Até quando a realidade é uma verdadeira mentira ? na mostra competitiva de curtas digitais.

Curta Santos divulga selecionados em festa na sexta

Como acontece anualmente, os curtas selecionados para a próxima edição do Festival CURTA SANTOS serão divulgados em badalada festa na cidade do litoral paulista, na próxima sexta.

A organização do festival vai receber público, realizadores e imprensa no Espaço Cultural Tremendão, localizado na Rua Brás Cubas, nº 404, Vila Mathias, em Santos. A entrada é franca.

No ano em que completa uma década, as mostras competitivas dobraram, passando de 4 para 8, a saber, Olhar Brasilis, Videoclipe Brasilis, Novos Olhares, Mostra Curta Santos F.C., e Mostra Minuto são as nacionais. As mostras direcionadas aos realizadores do litoral de São Paulo são a Olhar Caiçara, Videoclipe Caiçara e Curta Escola.

A Mostra Olhar Brasilis e a Mostra Videoclipe Brasilis são de livre temática. A Mostra Curta Santos F.C. e Mostra Minuto, são, por sua vez, comemorativas e voltadas ao Santos Futebol Clube: a primeira para produções com duração de até 10 minutos, e a segunda é para o torcedor que quer expressar a paixão pelo time em até 60 segundos (um minuto).

Já a Mostra Novos Olhares, ainda nacional, aceita somente produções realizadas por meio de captação digital (câmeras amadoras, celulares, tablets e semelhantes – em alta ou baixa resolução), com duração máxima de 5 minutos.

As regionais são a Mostra Olhar Caiçara e Mostra Videoclipe Caiçara. Elas são voltadas a realizadores de todo o litoral de São Paulo. E com o intuito de encontrar novos talentos no audiovisual, estreia a Mostra Curta Escola, destinada a produções de até 10 minutos, realizadas por alunos do Ensino Fundamental de escolas da região. Para todos, nesta categoria, a temática é livre.

Ao menos três grandes novidades marcam esta edição do Festival. Duas delas estão relacionadas diretamente ao nome. O Festival Santista de Curtas Metragens virou Festival de Cinema de Santos. Isso em razão das mostras especiais de longas-metragens, as quais devem levar à região produções inéditas de diretores e produtores consagrados nacionalmente. E a terceira é a já citada anteriormente, o dobro de mostras competitivas.

Júnior Brassalotti e Ricardo Vasconcellos à frente do CURTA SANTOS…

“O Curta Santos cresceu e partir de agora temos que atender às necessidades do audiovisual brasileiro, sem, é claro, deixar de lado a nossa tradição”, ressalta o diretor geral do evento, Ricardo Vasconcellos. “Sempre teremos as nossas mostras competitivas de curtas-metragens. É a nossa marca registrada. Realizadores de todo o Brasil esperam o período de inscrições para participar”, explica. Na cúpula do Festival também estão Júnior Brassalotti, diretor de produção, e Tássia Albino, diretora de mostras.

Sempre alinhado ao contexto caiçara, típico do litoral, este ano o Festival presta homenagem aos 100 anos do Santos Futebol Clube. Segundo Ricardo, a intenção é fazer uma união de festas entre áreas que sempre foram convergentes, o futebol e o cinema.

O 10º Curta Santos – Festival de Cinema de Santos será realizado em setembro e terá sete dias de programação totalmente gratuita. Saiba mais: www.curtasantos.com.br

Art Déco será em julho e inscrições prosseguem abertas

 

Quarta edição será de 2 a 21 de julho em Sampa 

 
O Festival tem caráter internacional e atua como veículo para difusão e premiação da produção audiovisual de ficção e documental no formato de curta-metragem. Objetiva exibir trabalhos de cineastas pouco divulgados. Promover encontros, debates, intercâmbio entre produtores, atores e espectadores, criando um ambiente propício ao entrosamento cultural.

Regulamento:
1 – O Festival aceita a inscrição de curtas em animação, ficção ou documentário com duração máxima de 23 minutos. Não há restrição quanto à data de produção. Os filmes deverão ser classificados numa das categorias criadas pelo Festival ArtDeco de Cinema, durante a inscrição.

2 – A Inscrição pode ser feita pelo link:
http://exotiquefilmes.com.br/online_rg_53.html

3 – Nenhum filme será discriminado ou favorecido em função dos recursos investidos na sua produção. Todos os tipos de conteúdo e técnicas utilizadas na produção serão preservadas e estarão livres de censura.

4 – Os filmes deverão ser enviados na língua original. No caso do idioma original não ser o português, deverão constar legendas no filme, para fins de seleção, num dos idiomas a seguir: português, espanhol, ou inglês.

5 – Para fins de seleção, o produtor poderá fazer um upload do filme no sites Vimeo/Youtube ou similares, ou poderá ser enviado por correio, uma cópia DVD. Despesas de envio do correio correrão por conta dos remetentes.

6 – Se selecinado, o filme deverá ser enviado por correio em DVD. Prazos serão informados em data oportuna.

7 – O endereço para remessa por correio é:

4º F E S T I V A L A r t D e c o d e C I N E M A
Rua da Consolação, 2825/141
01416-001 – São Paulo – SP – Brasil

 
8 – Caso haja necessidade de um formato diferente do DVD para fins de exibição, será feito um contato com o produtor, em data oportuna.

9 – A premiação se dará de acordo com as especificações de cada categoria. Não há nehuma premiação em dinheiro ou benefícios.

10 – Os troféus serão entregues durante a cerimônia de encerramento. No caso de ausência de um representante do filme premiado, o troféu não será mais entregue e no lugar será enviado, posteriormente, um certificado do prêmio por email.

11 – O festival não cobre nenhum gasto com viagens (transporte, hospedagem e etc) para as equipes dos filmes concorrentes ou qualquer outro envolvido.

12 – Não há taxa de inscrição e cada diretor ou produtor pode inscrever quantos filmes desejar.

13 – As cópias em DVD dos trabalhos exibidos farão parte do acervo do Cineclube Art Déco de Cinema e estão automaticamente autorizadas a serem exibidas na programação do cineclube.

14 – O prazo para inscrição de filmes é 23 de Abril. No caso de postagem de DVDs, esta é também a data limite para a expedição junto ao correio.

15 – A participação no 4º Festival Art Déco de Cinema implica na aceitação de todas as essas regras.

 
Os cobiçados troféus, divididos em diversas categorias…

Categorias:

1) MEDC – Mostra Expressão & Diversidade no Cinema
Destinada a produções de baixíssimo orçamento; produções independentes, sem benefício de leis de incentivo ou editais públicos; filmes experimentais. Qualquer formato de captação, exceto película. Concorrem nas categorias Melhor Filme M.E.D.C, Melhor Direção, Melhor Roteiro, Melhor Ator, Melhor Atriz, Melhor Fotografia, Melhor Montagem, Melhor Trilha Sonora, Melhor Direção de Arte, Voto Popular de Melhor Filme, Melhor Ator VP e Melhor Atriz VP.

2) Mostra Art Déco Digital
Destinada a produções com orçamento superior a R$ 8000,00, beneficiadas ou não por alguma lei de incentivo ou edital público e captadas em Digital. Concorrem nas categorias Melhor Filme Digital, Melhor Direção, Melhor Roteiro, Melhor Ator, Melhor Atriz, Melhor Fotografia, Melhor Montagem, Melhor Trilha Sonora, Melhor Direção de Arte, Voto Popular de Melhor Filme, Melhor Ator VP e Melhor Atriz VP.

3) Mostra Art Déco Película
Destinada a produções captadas em película, beneficiadas ou não por alguma lei de incentivo ou edital público. Concorrem nas categorias Melhor Filme Película, Melhor Direção, Melhor Roteiro, Melhor Ator, Melhor Atriz, Melhor Fotografia, Melhor Montagem, Melhor Trilha Sonora, Melhor Direção de Arte, Voto Popular de Melhor Filme, Melhor Ator VP e Melhor Atriz VP.

4) Documentário
Concorrem na categoria Melhor Filme Documentário e Melhor Documentário Voto Popular.

5) MDS – Mostra Diversidade Sexual
Destinada a produções de temática LGBT. Concorrem nas categorias Melhor Filme LGBT, Melhor Direção, Melhor Roteiro, Melhor Ator, Melhor Atriz, Melhor Fotografia, Melhor Montagem, Melhor Trilha Sonora, Melhor Direção de Arte, Voto Popular de Melhor Filme, Melhor Ator VP e Melhor Atriz VP.

6) MMC – Mostra Micro-Curtas
Destinada a produções de até 3 minutos de duração. Concorrem nas categorias Melhor Filme MMC, Melhor Direção, Melhor Roteiro, Voto Popular de Melhor Filme, Melhor Ator VP e Melhor Atriz VP.

7) Animação
Destinada a produções em animação. Concorrem nas categorias Melhor Filme Animação, Voto Popular de Melhor Filme.

Atenção, caso não haja número suficiente de filmes inscritos para fechar uma categoria, aqueles já inscritos concorrerão entre si ao prêmio de Melhor Obra.

 

Mais informações através dos emails:
festivalartdeco@gmail.com
info@exotiquefilmes.com.br

Curtas e Médias Metragens Brasileiros: Um registro digno do melhor Aplauso !

Antônio Leão lança mais um Dicionário, fundamental para quem entende a importância e necessidade de preservar a produção audiovisual brasileira

A nova edição, mais um grande lançamento do IBAC

Recebi hoje mais um livro de Antônio Leão da Silva Neto. Trata-se do Dicionário de Filmes Brasileiros – Curta e Média Metragem -, com um apanhado geral de produções audiovisuais, realizadas nesses formatos. O autor já havia lançado vários outros títulos, sempre privilegiando a historiografia do cinema brasileiro.

O Dicionário é um auspicioso lançamento com a chancela do IBAC – Instituto Brasileiro de Arte e Cultura, e está em minhas mãos por conta da gentil iniciativa da artista Angela Oskar, um dos pilares da respeitável instituição, sediada em São Paulo.

O céu no andar de baixo, a bela e criativa animação de Leonardo Cata Preta

No Dicionário de Antônio Leão está quase tudo que já foi produzido no país em termos de curtas e médias-metragens. Trata-se de uma segunda edição, revista e ampliada: são 1.273 páginas constando de 21. 686 filmes catalogados, de 1 a 60 minutos, com a novidade de incluir a produção digital, como bem ressalva a produtora Raquel Hallak (leia-se Universo Produção), em seu texto de apresentação.

E diz mais: “Não importam os embates sociopolíticos, as determinações discursivas, as representações nos meios midiátios, o contexto das configurações sociais e das inovações tecnológicas – a preservação audiovisual merece atenção e prioridade de governo”.

Aos pés, premiado curta de Zeca Brito, ambientado em Porto Alegre…

Traduzindo para o leigo na seara da produção audiovisual, Raquel Hallak e sua irmã Fernanda criaram e dirigem a Universo Produção e são responsáveis pela realização de 3 gandes painéis da produção audiovisual do país: a Mostra Tiradentes, a CineOP (Ouro Preto) e a Cine BH( Belo Horizonte). Daí porque  Raquel entende tão bem a importâmcia desta obra de Antônio Leão.

É lugar comum porque é a mais pura verdade: o Dicionário de Filmes Brasileiros, de Antônio Leão (este de Curtas e Médias, e também o de Longas Metragens) é obra indispensável a qualquer interessado em cinema brasileiro. Como diz o crítico e ensaísta Alfredo Sternheim, este dicionário “é um passo extremamente significativo para a difusão e registro deste campo da Sétima Arte”.

O novo Dicionário de Antônio Leão é mesmo impressionante – ainda não tenho os outros (Dicionários de Filmes Brasileiros – Longas Metragens; Dicionário de Astros e Estrelas do Cinema Brasileiro; e Dicionário de Fotógrafos do Cinema Brasileiro), por isso limito-me a falar sobre este.

A cantora Áurea Martins: bela voz evidenciada no premiado Áurea, de Zeca Ferreira…

Trata-se do nono título lançado pelo autor, que faz generosos agradecimentos e algumas explicações – como os critérios que nortearam a inclusão dos filmes -, reveladoras de humildade, amor ao tema, e consciência de possíveis (e naturais) omissões.

Foi com enorme alegria que constatei a inclusão de alguns trabalhos digitais assinados por mim, e uma porção de trabalhos de inúmeros e talentosos amigos, aos quais o cinema me deu a enorme alegria de conhecer.

Bailarino e o bonde, com bela trilha de Mica Farina, um dos muitos premiados registrados para a posteridade.

Ressalte-se: escrevo este texto quase de sopetão. Recebi o livro ontem à noite, e o folheei rapidamente, mas fiquei tão bem motivada pela pujança da obra que resolvi logo dividir com você, leitor amigo, e com estudantes, estudiosos e interessados em cinema de modo geral, o quanto vale a pena procurar adquirir um exemplar. E o melhor de tudo: você só vai pagar o frete – o IBAC disponibiliza a obra gratuitamente. Pode parecer incrível – e é – mas é pura verdade.

Dos restos e das solidões: curta de Petrus Cairiry rodou o Brasil inteiro…

Estão lá, sobretudo, os filmes que tiveram destaque na mídia e no circuito de festivais. Claro. Foi sobretudo através deste material que o autor empreendeu sua pesquisa, assaz extensa e contundente. E há também um instigante prefácio do jornalista e cineasta Francisco César Filho com uma relevante historiografia da trajetória do curta-metragem.

Antonieta Noronha e Joca Andrade no cearense Doce Amargo Infinito

Do que consegui anotar em tão breve tempo: as páginas do Dicionário, trazem filmes dos queridos Cavi Borges, André da Costa Pinto, Leonardo Cata Preta, Zeca Brito, Gui Castor, Zeca Ferreira, Lucas Sá. Marão, Rosária, Carlos Segundo, José Agripino, Lisandro Santos, André Miguéis, Petrus Cariry, Alan Ribeiro, Roberval Duarte, Bárbara Cariry, Felipe Matzembacher, Fábio Novello, e até filmes das queridas Alice Gonzaga (!!!) e Maria Letícia, Mariley Carneiro, Cássio Araújo (o belo e premiado Doce Amargo Infinito, no qual tive a honra de contracenar, mais uma vez, com a querida Antonieta Noronha). E também o curta Maysa, que Jayme Monjardim fez sobre sua mãe em 1979; o Mar de Rosas, que Rwanito Oscar fez em 2010, na esquecida Pedreiras, no interior do Maranhão; e até o Maia, que Orlando Lemos, Gui Castor e eu fizemos no inesquecível Caparaó (ES), da saudosa Mostra de Vídeos Ambientais (MoVA) em 2006. Sem esquecer de Mato Alto- pedra por pedra, primeira direção de Arthur Leite, premiado documentário cearense, realizado em 2011.

Mato Alto, filmado em Quixeré e lançado ano passado, mostra o quanto o Dicionário de Antônio Leão é atualizado…

Descobri, por exemplo, que existem quatro curtas chamados Aurora… e outros tantos, com nomes iguais – 3 chamados Retratos, outros três chamados Reverso. Imediatamente, pensei no quanto o Dicionário será útil também para que se diversifique os títulos dos filmes – isso ajuda para quem vai empreender um trabalho de pesquisa e também para que não se confundam obras que nada tem a ver umas com as outras.

Como observadora atenta e ‘acompanhadora’ muitíssimo interessada no cinema feito no Brasil, senti falta de alguns títulos, o que em nada desmerece o valor do livro de Antônio Leão. Ao invés de citar esses filmes, vou me comprometer com o autor a enviar os títulos que sei existirem e que não constam desta edição. Outras virão por certo. E é uma alegria ter certeza que a pesquisa e interesse de Antônio Leão sobre o assunto não se esgotam aqui.

O goiano Julie Agosto Setembro, embora de 2011, também já está lá…

Assim, como afirma Raquel Hallak, “Restaurar o valor da memória e da imaginação, facilitar o acesso à cultura e ao conhecimento, unir as linguagens educação e cinema, investir na pesquisa e na preservação de acervos, diversificar leituras do mundo e constituir diálogos são ferramentas que possibilitam um encontro e invenção de si mesmo”.

É muito auspicioso para quem atua na área – em qualquer de suas frentes (realizando, atuando, comentando, informando, produzindo) ter o Dicionário em mão. Dá uma evidente sensação de que o que fazemos vale a pena e não será tão facilmente esquecido.

Ingra Liberato, uma das atrizes mais presentes nos festivais, está em Resta Um, produção Aurora de Cinema, gravado em Goiânia…

Portanto, meus PARABÉNS e minha gratidão ao IBAC e a Antônio Leão pela publicação de obra tão relevante e necessária. E à amiga Ângela Oskar, um agradecimento especial por, em tão breve tempo, ter-me feito desfrutar deste colosso histórico e cultural que é o Dicionário de Filmes Brasileiros – Curta e Média Metragem.

* Para saber mais sobre o IBAC, acesse www.ibacbr.com.br