Arquivo da tag: Rio de Janeiro

Cinema Amazonense no Festival do Rio com Sérgio Andrade

 
 Filme de Sérgio Andrade passa daqui a pouco: pela primeira vez, um filme do AMAZONAS no Festival do Rio…
Rio Tarumã Films, FiGa Films, VTQuatro Filmes, Vitrine Filmes, Secretaria do Audiovisual – Ministério da Cultura, Secretaria de Estado de Cultura – Governo do Amazonas, Atack, Belágua, Cepeam CONVIDAM para Première Brasil/Sessão de Gala Competição
A FLORESTA DE JONATHAS, um filme de Sérgio Andrade
com Begê Muniz, Francisco Mendes, Ítalo Castro, Viktoria Vinyarska, Alex Lima, Socorro Papoula e Chico Diaz Segunda-feira, 8 de Outubro, 21h45 Cine Odeon Petrobrás – Praça Floriano, 7 – Cinelândia – Rio de Janeiro
Sinopse: Jonathas vive com os pais e o irmão, Juliano, em um sítio na área rural do  Amazonas. A família colhe e vende frutas regionais. Uma barraca de frutas na beira da estrada é o lugar de contato com novos amigos e as novidades do mundo. Juliano é farrista e relaxado enquanto Jonathas é mais centrado  e sensível. Os irmãos conhecem Milly, uma visitante da Ucrânia, e o indígena Kedassere. O grupo decide então passar o fim de semana em um camping. Jonathas resolve ir, mesmo contra a vontade paterna. Seduzido por Milly  e pela Floresta, ele empreende uma jornada de descobertas e fatalidades, onde a emoção será seu único guia.
Assista ao trailler: http://migre.me/b42ox
Imagem inline 1

  • Rio Tarumã Films, FiGa Films, VTQuatro Filmes, Vitrine Filmes, Secretaria do Audiovisual – Ministério da Cultura, Secretaria de Estado de Cultura – Governo do Amazonas, Atack, Belágua, Cepeam
    CONVIDAM para a
    FESTA !!!
    A FLORESTA DE JONATHAS, um filme de Sérgio Andrade com Begê Muniz, Francisco Mendes, Ítalo Castro, Viktoria Vinyarska, Alex Lima, Socorro Papoula e Chico Diaz
    Segunda, 8 de Outubro, 23h30

    ESPíRITO SANTA Rua Almirante Alexandrino, 264 – Santa Teresa https://www.facebook.com/EspiritoSanta

    Trailer do filme “A Floresta de Jonathas” 2012 / cor / 35mm / fic / 98′ Elenco:  BEGÊ MUNIZ FRANCISCO MENDES VIKTORYIA VINYARSKA ÍTALO CASTRO SOCORRO PAPOULA ALEX LIMA JOÃO TAVARES DAVID…
    00:01:53
    Adicionado em 14/09/2012
    595 exibições
    Após a exibição desta noite no Festival do Rio, o filme segue carreira em outros festivais nacionais e internacionais. Até o final do primeiro semestre de 2013, deve ser lançado para o grande público.
    Sobre o impacto que ‘Jonathas’ pode deixar no cinema amazonense, o cineasta Sérgio Andrade afirma ainda ser muito cedo para prever qualquer coisa: “Nós somos tão iniciantes aqui que não cabe nem dizer que o nosso cinema é independente. Para o Amazonas, é um marco. É um filme bem produzido e que já conseguiu chegar a um grande festival. Mas vamos esperar a repercussão”.

Novo filme de Philippe Barcinski abre Première Brasil do Festival do Rio

Festival começa sexta e ENTRE VALES vai concorrer ao Troféu Redentor

Ângelo Antônio é o protagonista em filme com participação especial do uruguaio Daniel Hendler.  

Entre Vales é uma coprodução do Brasil, Uruguai e Alemanha e foi rodado em Paulínia e cooperativas de reciclagem e aterros sanitários de S. Paulo e Rio de Janeiro.  

Entre Vales narra a história de Vicente, um economista pai de Caio e marido de Marina, uma dedicada dentista. Ele tem uma vida comum em casa e no trabalho até que uma perda seguida de outra o levam a uma jornada de desapego. Uma história que aborda a fragilidade do homem e sua capacidade de se recriar. 

Ângelo Antônio, Melissa Vettore, Inês Peixoto, Daniel Hendler e Matheus Restiffe formam o elenco do longa, que tem fotografia de Walter Carvalho e estréia prevista para abril de 2013. 

Ambientado em lixões, aterros sanitários e cooperativas de reciclagem, e amparado em extensa pesquisa, Entre Vales percorre o complexo universo do lixo e das perdas, algumas das principais preocupações da contemporaneidade e apresenta, através de uma história envolvente, atual e necessária, uma metáfora do lixo e da reciclagem, numa abordagem artística a partir de camadas humanas, (des)cobrindo as emoções enterradas e escondidas na vida das grandes metrópoles urbanas. 

Melissa Vettore integra o elenco do aguardado ‘Entre Vales’…

Entre Vales é produzido pela Polo de Imagem, Aurora Filmes e Degrau Filmes, com patrocínio do Santander, Sabesp, Petra Energia, Fundo Setorial do Audiovisual / ANCINE, Polo Cinematográfico de Paulínia, Secretaria de Cultura da Cidade de S.Paulo (Fomento) e da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo (Fomento ao Cinema Paulista). O longa-metragem conta ainda com parceiros internacionais: Programa Ibermedia, Hubert Bals Fund (Holanda) e Film und Medien Stiftung NRW.
Philippe Barcinski

Philippe Barcinski recebeu mais de 60 prêmios por seus trabalhos com os curtas A EscadaPalíndromo e A Janela Aberta e com o longa-metragem Não Por Acaso, que tem Rodrigo Santoro e Leonardo Medeiros no elenco. Participou dos principais festivais internacionais, como Cannes, Berlim e Rotterdam, e teve seus trabalhos exibidos em TVs como Sundance Channel, Channel Four e Chanel Plus. Dirigiu ainda programas e séries para TV Globo, MTV, TV Cultura e ARTE.  www.barcinski.com.br 

Ângelo Antônio

Ângelo Antônio é o protagonista de Entre Vales. Nascido em Curvelo, Minas Gerais, o ator estudou no CPT (Centro de Pesquisa Teatral), coordenado pelo diretor Antunes Filho, e formou-se na Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo – EAD/USP. Seu primeiro trabalho no teatro foi na peça Aurora da minha vida, de Naum Alves de Souza. Na televisão estreou na novela Pantanal e fez ainda, entre outros trabalhos, O dono do mundoSuave veneno e Alma gêmea. Sua estreia no cinema foi em Sombras de julho (1996), de Marco Altberg. Em sua filmografia constam Bella Donna (1997), de Fabio Barreto; No Coração dos Deuses, de Geraldo Moraes; O Tronco, de João Batista de Andrade; Dois Filhos de Francisco (2005) e À Beira do Caminho(2011), ambos de Breno SilveiraChico Xavier (2010), de Daniel Filho e Amor? (2011), de João Jardim, entre outros títulos. 

Inês Peixoto também está no novo longa de Barcinski…

Ficha Técnica

Brasil/Uruguai/Alemanha, 2012, 80 min, cor. 

Direção: Philippe Barcinski

Roteiro: Fabiana Werneck Barcinski e Philippe Barcinski    
Empresas produtoras: Polo de Imagem, Aurora Filmes e Degrau Filmes

Empresas coprodutoras: Cordón Films (Uruguai) e Augenschein Filmproduktion (Alemanha)

Produção: Malu Viana Batista, André Montenegro, Rui Pires e Philippe Barcinski

Produção Executiva: André Montenegro e Malu Viana Batista

Coprodutores: Micaela Solé (Uruguai), Luciana Dolabella (Alemanha), Jonas Katzenstein (Alemanha), Maximilian Leo (Alemanha) e Ângelo Antônio.

Fotografia: Walter Carvalho, abc

Direção de Arte: Marcos Pedroso 

Montagem: Leopoldo Joe Nakata

Distribuição: Imovision

ARGENTINA: Cinema e Literatura em mostra no CCBB carioca

 Antologia Visual da Argentina: Cinema e Literatura reúne série de 15 filmes 
O Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro, em parceria com a Embaixada da Argentina, vai exibir de 28 deste a 2 de setembro, a mostra Antologia Visual da Argentina: Cinema e Literatura, uma série de filmes que apresenta a relação entre filmes argentinos e clássicos da literatura deste País.
 
A mostra destina-se a fornecer uma visão ampla da rica e variada relação entre literatura e cinema argentinos, dividida em três temas: clássicos do cinema argentino, documentários sobre quatro escritores emblemáticos (Borges, Cortazar, Puig e Sábato) e um panorama sobre o cenário atual do cinema contemporâneo.
 
Na seção de clássicos argentinos, destaca-se o filme Rosaura a Las Diez, de Mauro Soficci, considerado pela crítica um dos melhores filmes argentinos de todos os tempos. Soficci ficou conhecido por narrar as histórias apresentando os diversos pontos de vista de cada personagem.
 
 
 
Dentro da retrospectiva histórica, destaca-se ainda o filme No Habra mas Penas Ni Olvidos, adaptação da novela homônima do escritor argentino Osvaldo Soriano. A história propõe um olhar crítico e humorístico da realidade política argentina. Este filme recebeu vários prêmios internacionais, entre eles o Urso de Prata – Prêmio especial do Júri no Festival de Cinema de Berlim em 1984.
A mostra conta também com série de cinco documentários sobre reconhecidos autores argentinos: Borges, Cortazar, Puig e Sábato.
 
 
 
No recorte contemporâneo da mostra, serão exibidos os filmes Ernesto Sábado, Mi Padre e Dormir ao Sol, que ainda não estrearam no Brasil. Haverá também sessões do filme Las Viudas de Los Jueves, um dos filmes recentes com a maior bilheteria do cinema argentino.
 
Outro destaque da mostra é o filme Mentiras Piadosas, de Diego Sabanés, que recebeu Menção Especial do Júri no Festival Cinesul pela “sua excelência na encenação e sua capacidade de diálogo com a tradição narrativa latino-americana”.
 
Clássicos do Cinema Argentino
 
Rosaura a las diez, de Mario Soficci (1958, 100 mim, Livre) – Camilo é um pensionista tímido e pouco atraente envolvido com uma misteriosa mulher chamada Rosaura. Um assassinato perturba esta relação, contado pela ótica de vários personagens. Um dos melhores filmes do cinema argentino, baseado no romance homônimo de Marco Denevi.
 
La cifra impar, de Manuel Antin (1962, 85 min, Livre) – Um filme, baseado em contos de Cortázar, que trata do presente atrelado a um passado latente, alem de traições e morte como pano de fundo.
 
Juan Moreira, Leonardo Favio (1973, 105 min, 14 anos) – Juan Moreira é um bom gaucho trabalhador abusado pelos poderosos, o que levou a transformar-se em um “mau gaucho” despertando ódio e admiração na Argentina do final do Século XIX. Baseado no romance de Eduardo Gutierrez.
 
No habrá más penas ni olvidos, de Hector Oliveira (1984, 80 min, 18 anos) – Na fictícia localidade de Colônia Vela, a luta entre peronistas de esquerda e direita tem imprevistas consequências. Uma deliciosa comedia dramática escrita por Osvaldo Soriano.
 
Ultimos dias de la víctima, de Rodolfo Aristarain (1982, 90 min, 18 anos) – Um assassino cumpre uma nova missão, porém se envolve com a vítima de forma obsessiva. Baseado em romance homônimo de José Pablo Feinmann.
 
 
 
Grande escritor argentino Jorge Luiz Borges é tema de documentário…
 
 
Documentários: Visão do escritor Borges y nosotros, Omar Quiroga (2007, 40 min, Livre) – O documentário indaga, através de diferentes testemunhos, os diversos aspectos da vida do escritor, dentro e fora do âmbito literário.
Cortázar, de Trístan Bauer (1994, 60 min, livre) – Documentário sobre o escritor argentino Julio Cortázar com abundante material de arquivo, protagonizado pelo próprio escritor.
Ernesto Sábato, mi padre, de Mario Sábato (2011, 101 min, Livre) – É um retrato íntimo, comovedor e único do escritor Sábato, realizado por seu filho: o cineasta Mario Sábato.
 
 
Grande ícone mundial, o argentino Che Guevara também está na tela…
Los libros y la noche, Trístan Bauer (2011, 78 min, Livre) – Uma aproximação do universo de Borges através da recriação de alguma de suas obras magistrais, e a cinematografia de vários aspectos de seus brilhantes pensamentos e sua própria vida.
Puig, paisajes de voces, de Silvia Hopenhayn e Marcello Laccarino (1998, 52 min, livre) – Retratos íntimos de Manuel Puig, autor de O beijo da mulher aranha, com as vozes de seus vizinhos de seu povoado natal.
 
Cinema Contemporâneo
La mirada invisible, de Diego Lerman (2010, 97 min, 16 anos) – Em Buenos Aires, durante os dias prévios à guerra das Malvinas, vemos o ponto de vista de uma professora que persegue um aluno desobediente e pouco a pouco faz disso um hábito obscuramente excitante. Baseado no romance Ciencias Morales de Martin Kohan.
Las viudas de los jueves, de Marcelo Piñero (2009, 122 min, 16 anos) – Num condomínio fechado e aparentemente perfeito, três cadáveres aparecem flutuando na piscina. Certezas começam a desmoronar-se, desmentindo a crença de que a prosperidade é eterna e de que a abundância equivale à felicidade. Baseado no romance homônimo de Claudia Piñeiro.
Dormir al sol, Alejandro Chomsky (2011, 84 min, 14 anos) – Um relojoeiro e sua mulher internada num Instituto Psiquiátrico. O real se confunde com o imaginário, o sonho com a vigília e a loucura com a lucidez até culminar com um desconcertante final. Baseado no romance homônimo de Adolfo Bioy Casares.
 
Paulo Autran e Gael Garcia Bernal em cena de O Passado, de Hector Babenco…
El pasado, de Hector Babenco (2007, 114 min, 14 anos) – Logo após uma separação, um homem terá erráticas tentativas para recompor sua vida sentimental. Cada uma das mulheres que aparecerão em seu caminho será forçada a distanciar-se dele. Baseado no romance homônimo de Alan Pauls.
Mentiras piadosas, de Diego Sabanés (2008, 100 min, 14 anos) – Um irmão desaparece em Paris. Seus irmãos o reinventam. É a história de uma casa que vai sendo desmantelada para sustentar um sonho. É, de algum modo, uma história de fantasmas. Baseado em contos de Cortázar.
 
Rio de Janeiro 28.08 a 02.09      
 
28/08 – terça
15h Los Libros y la Noche (el universo de Jorge Luis Borges)  Direção de Tristán Bauer (78 min)  LIVRE
17h Rosaura a las diez    Direção: Mario Soficci (100 min)   LIVRE
19h La mirada invisible  Direção: Diego Lerman  (97 min) 16 anos
21h Mentiras piadosas    Direção: Diego Sabanés  (100 min) 13 anos
29/08 – quarta
15h Cortázar   Direção:Tristán Bauer  (60 min)    LIVRE
17h La cifra impar     Direção: Manuel Antin  (85 min)   LIVRE
19h El pasado  Direção: Héctor Babenco   (114 min)  13 anos
21h Las viudas de los jueves  Direção: Marcelo Piñeiro  (122 min) 16 anos
30/08 – quinta
15h Ernesto Sábato, mi padre Direção: Mario Sábato (101 min)    LIVRE         
17h Juan Moreira  Direção: Leonardo Favio  (105 min)            14 anos
19h Mentiras piadosas    Direção: Diego Sabanés  (100 min) 13 anos
21h El pasado  Direção: Héctor Babenco   (114 min)  13 anos
31/08 – sexta
15h Dormir al sol  Direção: Alejandro Chomsky  (84 min)    13 anos           
17h No Habra mas penas ni Olvidos   Direção : Héctor Olivera (80 min) 18 anos
19h Las viudas de los jueves  Direção: Marcelo Piñeiro  (122 min) 16 anos
01/09 – sábado
16h Puig, paisajes de voces    Direçao: Silvia Hopenhayn e Marcello Iaccarino (52 min) LIVRE
17h Ultimos dias de la víctima     Direção: Rodolfo Aristarain (90 min)     18 anos
19h Dormir al sol       Direção: Alejandro Chomsky  (84 min)    13 anos           
21h Las viudas de los jueves  Direção: Marcelo Piñeiro  (122 min) 16 anos
02/09 – domingo
16h Borges y nosotros Direção: Omar Quiroga   (40 min.)   LIVRE   
17h Rosaura a las diez    Direção: Mario Soficci (100 min)   LIVRE
19h La mirada invisible  Direção: Diego Lerman  (97 min) 16 anos
21h Puig, paisajes de voces Direçao: Silvia Hopenhayn e Marcello Iaccarino (52 min) LIVRE

‘Olho Cru’ marca estreia de Leandro Firmino da Hora na direção de cinema

Um olhar atento e vivo sobre o submundo de uma grande favela horizontal carioca. A temática do curta-metragem Olho Cru é o ponto de partida para um “passeio” pela Cidade  de Deus, na zona oeste do Rio de Janeiro.

Dirigido pelo roteirista Emílio Dante e pelo ator Leandro Firmino da Hora – um dos protagonistas do filme Cidade de Deus – o curta foi todo rodado em 48 horas, na comunidade pacificada, e conta com a atuação de moradores escolhidos pelos próprios autores. Ao todo, foram escaladas 15 pessoas para o elenco, além da equipe técnica, que reuniu cerca de 20 integrantes.

 

Embora a filmagem tenha sido feita em 2010, só ano passado Leandro Firmino e Emílio Dante se deram conta de que o vasto material daria um curta-metragem. E partiram pra adaptação do roteiro original, de autoria do publicitário mineiro Bruno Mendes.

– Fizemos uma pós-produção de seis meses para compensar os errinhos da produção – afirmou Dante.

Sem qualquer patrocínio, o filme já conta com críticas positivas de profissionais do meio cinematográfico. Os diretores nutrem a expectativa de que a produção seja escolhida para exibição no Festival do Rio. O filme será projetado pela primeira vez na Cidade de Deus, e terá a performance do DJ Wladimir Gasper.

Leandro Firmino da Hora e Aurora Miranda Leão: unidos pelo Cinema

O barato do filme é justamente o fato de não ter atores profissionais. Todo o elenco conhece os tipos que aparecem no curta – afirma Leandro Firmino.

A trama gira em torno do roubo de uma mochila. Morador da Cidade de Deus há mais de 40 anos, Ronaldo de Paula teve atuação elogiada.

Foi a primeira vez em que atuei e estou adorando os elogios. Fico emocionado por podermos filmar na Cidade de Deus agora, que está pacificada – afirmou.

Equipe OLHO CRU, de Emílio Dante e Leandro Firmino da Hora: Cidade de Deus na tela…

Semana dos Realizadores recebe inscrições

                     

Fundada em 2009, e depois de realizar duas edições com sucesso e respostas entusiasmadas tanto de público quanto de cineastas por três anos consecutivos, tudo certo para a realização da IV SEMANA DOS REALIZADORES, mostra que exibirá filmes brasileiros – longas, médias e curtas -,  em sua maioria inéditos no Rio (e muitas vezes no Brasil).

A Semana acontecerá no Espaço Itaú de Cinema de Botafogo, no Rio de Janeiro, entre 22 e 29 de novembro próximos. Para tanto, a organização está recebendo inscrições de filmes de longa-metragem, lançados em 2011. Cineastas que tenham filmes com duração a partir de 65 minutos devem inscrever seus filmes no site do festival – www.semanadosrealizadores.com.br

Imagem de Praça Walt Disney, curta que abriu a Semana em 2011…

Demais instruções estão no regulamento, no mesmo site. As inscrições são aceitas até 24 de agosto.

Contatos com a organização do festival podem ser feitos pelo email semana@semanadosrealizadores.com.br

Elza Soares, Beirute e Chico Anysio nas letras de Miguel Jorge

O escritor, poeta, roteirista e homem de todas as Letras, MIGUEL JORGE, amigo de quem tenho sempre saudades, escreve e conta-me o que anda fazendo, apesar das dificuldades que a turma trabalhadora da área cultural vem enfrentando, e parece que cada dia mais, no mesmo passo em que aumentam os casos escabrosos de corrupção no país.

Pois olhe que, apesar de todos os senões, o danado de meu querido e irrequieto Miguel Jorge vem fazendo uma porção de coisas, ou melhor, vem criando uma série de ilhas culturais incríveis, como ele me conta via e-m. Vejam só:

Oi Aurora, também com muitas saudades de você, dos nossos encontros, dos nossos filmes relâmpagos, somente você pode fazer tais coisas.

….. Mas, em todo caso, vou fazer, em setembro, talvez no dia 20, no Shopping Bougainville, o lançamento do meu romance Minha Querida Beirute, e no dia 18 de outubro, no mesmo Bougainville, faço a estréia do meu musical Elza Soares: Você Sabe Sambar, com grande elenco, cantoras e músicos. Terminei de escrever, a pedido do humorista Juquinha: Chyco Anizio: Sou, espetáculo em homenagem ao gênio do humor – o Juquinha pretende fazer a estréia no Rio de Janeiro, no próximo ano,  é o que posso fazer neste momento, grande abraço.

Miguel Jorge
 
 

MIGUEL JORGE é uma criatura tão ímpar, um criador de tanta capacidade, competência, sensibilidade e inquieta capacidade criativa, que costuma afinar-se muito rápido com qualquer ideia onde ele sinta vicejar possibilidades artísticas.

Foi por isso que ele se dispôs prontamente a participar de dois curtas-metragens AURORA DE CINEMA, rodados em Goiânia e em Anápolis, em 2010 e 2011.

Assim, eu tenho a honra de contar com a participação sempre incisiva, libertária e fluentemente criativa deste Poeta MIGUEL JORGE nos curtas RESTA UM e O SUMIÇO DE ALICE, roteiro e direção da jornalista Aurora Miranda Leão que redige estas linhas.

 
 
Miguel Jorge e grande turma na sexta edição do FestCine Goiânia, novembro de 2010…
 

O RESTA UM, que nasceu de uma ideia repentina que tive na segunda noite do Festival de Goiânia, em 2010, quando tentávamos encontrar um lugar pra papear e tomar um vinho – eu, INGRA LIBERATO, o ator Samuel Reginatto e o cineasta Júlio Lélis, ganhou imediata adesão de MIGUEL JORGE, tão logo lhe contei como seria o roteiro. O escritor na mesma hora pensou em adereços e cenários para compor a trama. E, na última noite do festival (porque não houve tempo hábil antes disso), ainda nos deu um depoimento incrível, coroando de beleza e sensibilidade o nosso RESTA UM.

 
 

Já no curta O SUMIÇO DE ALICE, a participação de MIGUEL JORGE foi ainda mais espontânea e inusitada. Eu estava há dias rodando em Anápolis um curta que nasceu de nosso passeio a Pirenópolis… e todos que foram ao passeio toparam dar ‘depOiMentos’ para a história na qual todos estão à procura de uma Alice…

 Atriz Zezeh Barbosa tem participação afetiva em O Sumiço de Alice
 
Pois não é que na última noite da primeira edição do Festival de Cinema de Anápolis, encontro MIGUEL JORGE no Teatro Municipal – onde haveria a solenidade de encerramento e uma Homenagem ao escritor –  e ele então me pergunta que filme estou ‘inventando’ no momento.
 
Pois foi só eu dizer da ALICE  que todos estavam procurando e MIGUEL JORGE imediatamente pediu pra dar seu depoimento também. E assim foi.
 
Procuramos um lugarzinho no entorno do Teatro de Anápolis, e, tão logo liguei a câmera, MIGUEL JORGE começou a dizer uma poesia versando sobre Alice, criada de sopetão, naquele exato momento em que ouviu eu falar na história do ‘inesperado sumiço de Alice’.
 
E eu fiquei então, mais uma vez, positivamente ‘espantada’ com a capacidade criativa do escritor e Poeta Miguel Jorge, que mostrou, naquele momento, ser também um craque no improviso e no ‘manuseio’ das palavras.
 
Pra grande honra e enorme alegria deste AURORA DE CINEMA, o escritorMIGUEL JORGE está no curta-metragem O SUMIÇO DE ALICE – ao lado de ALICE GONZAGA, DÉBORA TORRES, GUIDO CAMPOS, ZEZEH BARBOSA, MALLU MORAES, DILA GUERRA, SELVA ARETUZA, MANAÍRA CARNEIRO, FELIPE BRIDA, CID NADER, JOÃO BATISTA DE ANDRADE – com tanta propriedade que parece dizer um texto decorado há tempos.
 

Por essas e outras é que este aurORA DE CINEMA repete: 

“É MELHOR SER ALEGRE QUE SER TRISTE, A ALEGRIA É A MELHOR COISA QUE EXISTE “… 

Pode haver alegria maior e mais festiva do que ter Amigos do quilate de MIGUEL JORGE ?

* Quem quiser conferir O SUMIÇO DE ALICE, pode acessar

http://www.youtube.com/watch?v=L2cjkEsehQA e http://www.youtube.com/watch?v=bNdlPDmvHSY

DJIN Sganzerla prossegue temporada de O Belo Indiferente

 
Hoje é sábado, dia de Teatro.
 
PORQUE HOJE É SÁBADO, é dia de ver DJIN SGANZERLA no TEATRO.
 
VAMOS AO TEATRO, porque O BELO é INDIFERENTE.
 
Vamos ao Teatro e vamos conferir DJIN SGANZERLA, a bela nada indiferente, em direção dupla comandada pela mãe, a querida e festejada atriz HELENA IGNEZ, e o ator e artista visual, ANDRÉ GURREIRO LOPES.
 
HOJE TEM DJIN SGANZERLA retornando ao palco do Teatro dos Satyros, em São Paulo, às 21h, com a aplaudida montagem de O Belo Indiferente, premiada ano passado pela excelência de sua montagem, que teve fundamental apoio do SESC de São Paulo. 
 
 
 
O espetáculo faz agora a sua terceira temporada por conta do mega sucesso que foi a primeira, ainda no ano passado. Por conta disso, DJIN ficou em cartaz também em janeiro, e agora volta na terceira temporada da peça, um clássico de Jean Cocteau. Um espetáculo de alta qualidade, conforme você pode conferir na crítica Aurora de Cinema: https://auroradecinema.wordpress.com/criticas-teatro-cinema-e-musica/djin-sganzerla-em-atuacao-primorosa/
 
 
 
A novidade boa é que, em agosto, O BELO INDIFERENTE fará temporada de 6 semanas no Rio de Janeiro.
 
Portanto, hoje é noite de Teatro com DJIN SGANZERLA e O BELO INDIFERENTE !
 
 
VAMOS AO TEATRO e VAMOS CONVIDAR OS AMIGOS !
 
 
TEATRO É BOM PARA QUEM FAZ e PARA QUEM ASSISTE !

Curta Cinema: inscrições até dia 27

As inscrições de curtas brasileiros no Curta Cinema 2012 – Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro para a competição nacional e panorama carioca se encerram dia 27 de julho. As inscrições internacionais já estão encerradas.

Os filmes devem ser inscritos pelo site www.shortfilmdepot.com. Este ano, os filmes também podem ser enviados a partir de link eletrônico protegido (como Vimeo e similares), não sendo obrigatório o envio de cópias físicas para a validação das inscrições.

Além da projeção de filmes, o Festival desenvolve uma série de atividades paralelas como palestras, workshops, oficinas e debates. São atividades de caráter informativo e educativo, voltadas tanto para profissionais da área quanto para a formação do público, incentivando a reflexão, o aprendizado e o intercâmbio de ideias.

Mais informações: http://curtacinema.com.br.

Inscrições de filmes e vídeos ao RECINE

Abertas até 31 de julho as inscrições para a Mostra Competitiva de filmes do 11º REcine – Festival Internacional de Cinema de Arquivo. O objetivo da mostra é incentivar o reaproveitamento de imagens de arquivo em novas produções audiovisuais, além de divulgar e premiar os melhores trabalhos.

O festival recebe inscrições de filmes e vídeos de curta, média e longa-metragem de temática livre, que tenham em seu conteúdo, no mínimo, 40% de imagens de arquivo. O regulamento e a ficha de inscrição da mostra estão no site do REcine – www.recine.com.br – e no portal do Arquivo Nacional – www.arquivonacional.gov.br. A partir do dia 20 de setembro, serão divulgados nos sites os filmes selecionados para concorrer nas diversas categorias. Na noite de encerramento do REcine (9 de novembro) serão anunciados os vencedores.

Já a oficina de vídeo, que é gratuita, oferece 30 vagas para quem quer aprender na prática como produzir vídeos utilizando imagens de acervos audiovisuais de domínio público. Sob a orientação da cineasta Beth Formaggini, uma das mais conceituadas documentaristas da atualidade, pesquisadora e produtora audiovisual, os alunos realizarão vídeos para concorrer na Mostra Competitiva do REcine, em categoria especial.

A oficina acontece de 10 a 21 de setembro, de segunda a sexta, das 10 às 18 horas, no Arquivo Nacional (Praça da República, 173, Centro, Rio de Janeiro – RJ). As inscrições podem ser feitas no site www.recine.com.br , e no portal do Arquivo Nacional – www.arquivonacional.gov.br. Os nomes dos candidatos selecionados serão divulgados a partir de 13 de agosto.

O REcine 2012 acontece de 5 a 9 de novembro, na sede do Arquivo Nacional do Rio de Janeiro, com entrada franca. O festival vai prestar uma homenagem aos grandes nomes do humor no cinema mundial, exibindo na Mostra Informativa de filmes, obras-primas e raridades de diretores e atores de diferentes países, da comédia-pastelão à sátira política. Gênero cinematográfico de maior sucesso junto ao público, a comédia contribuiu decisivamente para o desenvolvimento e popularização do cinema.

Prédio do Arquivo Nacional, que sedia o RECine, na capital carioca…

Além da exibição de filmes, o REcine promove palestras e mesas de debates sobre o tema do ano, cinema de arquivo e preservação de acervos audiovisuais, com cineastas e profissionais de destaque na área de conservação e pesquisa de imagens em movimento.

O festival também homenageia personalidades da cultura brasileira e lança a nona edição da Revista REcine, com artigos sobre a arte do humor no cinema, ilustrados com fotos do acervo iconográfico do Arquivo Nacional.

Você precisa ver Luz nas Trevas, um filme de Helena Ignez…

Sessões de Luz nas Trevas esta semana, 18 a 24 de maio

Luz nas Trevas em São Paulo:
– Espaço Itaú de Cinema –Frei Caneca
Sessões às 14h, 18h e 22h
– CineSesc
Sessões às 14h, 16h
– Cinemark – Metrô Santa Cruz
Sessão às 14h05 (somente terças e quintas)

Luz nas Trevas no Rio de Janeiro:
– Cinemark – Downtown
Sessão às 19h40 (somente terças e quintas)
– Espaço Itaú de Cinema – Praia de Botafogo  
Sessões às 17h40, 22h

Luz nas Trevas em Brasília:
– Espaço Itaú de Cinema – Brasília
Sessão às 21h30h

Luz nas Trevas em Porto Alegre:

– Cinemark – Bourbon Ipiranga
Sessão às 22h (somente terça e quinta)

Visite o site: http://luznastrevasofilme.com.br/

Fan page: http://www.facebook.com/find-friends/#!/luznastrevas

Trailer: http://www.youtube.com/watch?feature=player_profilepage&v=JSWmVUNtTyY