Arquivo da tag: Rosemberg Cariry

Nossas Américas, Nossos Cinemas: Helena Ignez e Eryk Rocha no Ceará

Encontro Internacional de Audiovisual começa quarta em Sobral

Jovens realizadores latino-americanos e caribenhos se preparam para participar de um encontro internacional de cinema no município de Sobral, a 235 km da capital cearense.

Além das mostras de filmes e oficinas programadas para o I Nossas Américas – Nossos Cinemas: I Encontro de Jovens Realizadores da América Latina e do Caribe, que acontece de 23 a 26 de maio, homenagens, debates e oficinas reunirão profissionais reconhecidos mundialmente. O encontro é gratuito e aberto a todos os interessados.

Helena Ignez: atriz e cineasta em constante atividade, recebe justa homenagem de cineastas latinos e caribenhos…

A atriz e cineasta Helena Ignez, que passou pelo teatro, televisão e se notabilizou no cinema, e Geraldo Sarno, cineasta importante da produção nacional, são alguns dos Homenageados, ao lado da cubana Lazara Herrera, documentarista, produtora cinematográfica e peça fundamental no desenvolvimento do Novo Cinema latino-americano e caribenho, e da realizadora colombiana Marta Rodriguez, documentarista cujos trabalhos cinematográficas abrangem os movimentos agrários, sindicais, estudantis, as comunidades indígenas e as culturas afro-colombianas, convertendo-se em testemunhas vivas da história da Colômbia.

Michel Régnier: trabalho reconhecido em prol do documentário… 

Com dupla nacionalidade, francesa e canadense, outro homenageado é Michel Régnier, que realizou mais de uma centena de filmes documentários em cinquenta países, tratando notadamente da cultura, da educação, do desenvolvimento e dos conflitos sociopolíticos, sempre na perspectiva do respeito à diversidade cultural e do diálogo entre as culturas dos povos. O cineasta Humberto Rios, nascido na Bolívia, mas que adotou a Argentina como seu país de referência e nacionalidade e onde está radicado há várias décadas, completa a lista.

Para Bárbara Cariry, diretora geral do I Nossas Américas – Nossos Cinemas, o reconhecimento a esses realizadores impacta diretamente na nova geração, que constrói a linguagem do cinema mundial: “Resolvemos homenagear a experiência de artistas inspiradores que tanto colaboram para a realização de um cinema latino-americano e caribenho. Essas pessoas espalharam e cultivaram boas sementes, mesmo quando semearam no deserto. Muitas caíram em terrenos férteis e geraram flores e frutos. Chegou nossa vez de arar os campos e fazer a semeadura dos sonhos. Para nós, abrem-se os grandes desafios”.

Outros nomes importantes do cinema latino-americano e caribenho também participarão de debates e atividades paralelas, como Eryk Rocha (Brasil), Rigoberto López (Cuba), Ishtar Yassin (Costa Rica), Ivan Sanginés (Bolívia), Jorge Serrano (Equador), Carmen Rosa Vargas (Peru), Paulo Linhares (Brasil) e Frederico Machado (Brasil).

Lázara Herrera: trabalho pelo desenvolvimento do Novo Cinema latino-americano e caribenho…

Temas diversos estão programados para os debates no Teatro São João: “Panorama do Cinema Caribenho e do seu desenvolvimento como uma das manifestações do Novo Cinema Latino Americano”, “O Cinema dos Povos Originários”, “Um Cinema sem Fronteiras”, “Cinema entre Fronteiras”, “Cinema: Ensino e Pratica”, “Distribuição e Difusão – Cinemas e Transmídia” e “Novos desafios para a gestão governamental”.

OFICINAS

A Oficina de Roteiro Audiovisual será realizada na Escola de Música de Sobral (Avenida Dom José 1126, Centro), comandada pela diretora de curtas-metragens Michelline Helena. Já Sérgio Silveira, diretor de arte para importantes diretores da cinematografia Brasileira, comandará a Oficina de Direção de Arte no ECOA (Travessa Adriano Dias Carvalho, 135 – Centro). Os interessados podem se inscrever gratuitamente na Escola de Música de Sobral.

Eryk Rocha: cineasta na ponte América Latina-Caribe… 

O ENCONTRO

O I Nossas Américas – Nossos Cinemas: I Encontro de Jovens Realizadores da América Latina e Caribe tem patrocínio do Ministério da Cultura / Secretaria do Audiovisual; Secretaria de Cultura do Estado do Ceará, e da Prefeitura Municipal de Sobral. A realização é da Secretaria da Cultura e Turismo de Sobral, Sereia Filmes e Instituto Internacional de Intercambio e Cooperação Artístico e Cultural (INTERARTE). Os apoiadores são a Universidade do Vale do Acaraú (UVA), o Conselho Nacional de Cineclubes – CNC, o Encontro de Documentaristas do Século XXI (DOCLAT SEC XXI) e outras instituições internacionais ligadas ao audiovisual.

 A colombiana Marta Rodriguez também estará em Sobral…

 Serviço:

I Nossas Américas – Nossos Cinemas

(I Encontro de Jovens Realizadores da América Latina e Caribe)

Local: Teatro São João – Sobral (CE)

Período: 23 a 26 de maio

Informações: (85) 3224.6944

Fan Page: http://www.facebook.com/NossasAmericasNossosCinemas

Blog oficial: http://nossasamericasnossoscinemas.blogspot.com.br/

Bárbara Cariry: dos sets de criança ao Encontro de Cineastas Latinos e Caribenhos no Ceará

Filha do cineasta Rosemberg Cariry e da produtora e atriz Teta Maia, e irmã do premiado cineasta Petrus Cariry, ela cresceu entre rolos de filmes, estúdios de gravação, salas de montagens, sets de filmagens, livros, realização de eventos, e encontros com artistas de várias vertentes, numa intensa ponte entre o cariri cearense e a capital conhecida como Loura Desposada do Sol.

Desde pequena, seu olhar atento, o interesse pelas histórias da Arte, a convivência permanente e visivelmente encantada com a trajetória dos pais, deixavam antever que ela também traçaria seu caminho no rumo da Sétima Arte.

E assim foi: ela começou escrevendo roteiros ao lado do pai e do irmão, ingressou na fotografia e realizou uma bela exposição em espaço cultural de Fortaleza, representou filmes de Petrus Cariry em alguns festivais (nos quais dividimos quarto algumas vezes), até chegar a hora de ingressar na Universidade, e a opção foi o que o berço lhe indicava: o Cinema.

Hoje, BÁRBARA CARIRY está prestes a tornar-se Bacharel em Audiovisual, depois de assinar diversos curtas-metragens, assumir a produção do premiado longa Mãe e Filha, criar e realizar a Mostra Outros Cinemas, e idealizar o Encontro Nossas Américas – Nossos Cinemas, que vai acontecer na cidade de Sobral, de 23 a 26 próximos.

Confira aqui a ENTREVISTA EXCLUSIVA de Bárbara Cariry ao Aurora de Cinema e saiba um pouco melhor sobre esta jovem que ainda vai fazer muito mais pelo Cinema, a partir do Ceará.

Com você, as palavras, as ideias, a trajetória, o pensamento, os planos, a determinação e um pouco das emoções de BÁRBARA CARIRY:

Bárbara Cariry: ‘contaminada’ pelo cinema, agora espalha cinema pelas Américas…

AC – Como é ser filha de um cineasta?

BC – Descobri o cinema de forma muito natural por conta de meus pais que são pessoas envolvidas com cinema. Desde pequeninha, freqüento os sets de filmagens e cheguei a participar de alguns filmes ainda na infância. Sempre vi muitos filmes em casa e li livros sobre cinema.

AC – Esse parentesco com Rosemberg e Petrus, um cineasta também já muito premiado, atrapalha ou ajuda ? As cobranças são muitas ?

BC – Eu trabalho com pessoas de que gosto muito, pessoas que admiro e acredito no trabalho. Vou produzindo minhas mostras de cinemas e meus curtas sem maiores preocupações com cobranças. Meu compromisso é comigo mesmo e com a qualidade do meu trabalho. Estou terminando o Curso de Cinema e Novas Mídias da Unifor e penso em fazer mestrado na área.

AC –  Você começou como roteirista, depois foi pra fotografia, produção e também tem seus próprios filmes. Fale um pouco sobre sua trajetória e em que função você gosta mais de estar.

BC – Assim, como Petrus, passei por todas as fases de realização de um filme, desde a assistência de direção, passando pela montagem, até a produção. Cinema é um longo aprendizado e um diretor tem que conhecer todos os processos. Eu gosto muito de produzir e quero continuar produzindo e dirigindo meus curtas. Numa boa, sem pressas.

 Nas filmagens de Lua Cambará, filme do pai, Rosemberg Cariry…

AC – Você criou uma Mostra que vem acontecendo anualmente, a Outros Cinemas, e que é um painel muito diversificado da produção audiovisual brasileira. Como essa idéia surgiu e que retornos a Mostra tem lhe dado ?

BC – A idéia de fazer a Mostra Outros Cinemas começou dentro da Universidade que estou cursando, a UNIFOR, como um espaço para exibição e debate de cinemas esteticamente mais ousados. Depois a mostra foi crescendo e adquirindo maior significado. Queremos fazer da V Mostra Outros Cinemas, que acontece neste ano de 2012, um acontecimento bem amplo com a participação de importantes nomes do cinema brasileiro mais experimental.

AC – Agora, você surge com esta idéia bonita e ampla do Encontro Nossas Américas. Como foi o ‘estalo’ pro surgimento desta nova produção ?

BC – Não houve um “estalo”. Nossas Américas – Nossos Cinemas resulta de um longo processo. Surgiu em um encontro de documentaristas latino americanos, no Rio de Janeiro. Durante anos esta idéia circulou sem que ninguém pensasse ou ousasse realizá-la. Em contato com a organização de documentaristas da América Latina, propus realizar o evento de forma independente, no Ceará. Eles apoiaram a idéia. O sonho agora está se tornando realidade. O que nos falta em recursos financeiros sobra em boa vontade e paixão. Estou muito contente em realizar este encontro histórico entre os jovens da América Latina e do Caribe. A idéia é de um evento itinerante. O segundo encontro de jovens realizadores da América latina e do Caribe, por exemplo, acontecerá na Argentina e assim, a cada ano, em um país diferente. 

Filmagens de Corisco & Dadá: com o pai Rosemberg, o fotógrafo Roberto Yuri, o cineasta Ronaldo Nunes, e o ator Joca Andrade.

AC – Qual é o verdadeiro mote do Encontro ?

BC – Difundir o audiovisual Latino Americano e Caribenho nos nossos países e pensar novas políticas para intercâmbio e para uma troca solidária entre os jovens através das suas associações. Pensamos também em redes independentes de exibição de conteúdo audiovisual através da internet. 

AC – Como se deu a escolha de Sobral para sede do Encontro ?

BC – Sobral tem a Escola de Artes e Ofício e é ainda um importante centro econômico e cultural, inclusive com uma produção audiovisual emergente. Havia também a preocupação com a descentralização. Sobral tem ótimos espaços culturais e tem o Teatro São João, onde acontecerá o encontro, que é lindo, além de ser um importante patrimônio cultural do nosso Estado.

Bárbara Cariry: caminhando a favor do vento, sem lenço mas de câmara na mão…

AC – Por que Helena Ignez como a grande mulher representando nossa Cinematografia ?

BC – Do Brasil, escolhemos Helena e Geraldo Sarno para serem os homenageados pelos importantes trabalhos realizados pelos dois. Heleza Ignez representa a liberdade e a ousadia da mulher. Geraldo Sarno tem uma imensa contribuição no cinema e no pensamento crítico cinematográfico do Brasil. São dois nomes muito importantes. 

AC – Quais seus próximos projetos ?

BC – A Mostra Outros Cinemas, em 2012, completa cinco anos. Queremos fazer uma mostra maior, com a presença de mais realizadores e filmes, promovendo debates e seminário sobre o novo cinema que se realiza no Brasil. Além disso, tenho me organizado para filmar, ainda este ano, um curta-metragem chamado “Os Cabelos de Letícia” .

Bárbara Cariry produzindo, realizando, exibindo: Cinema 24 horas…

Caio Soh, Petrus Cariry, Arthur Leite, Marília Medina e outros vencedores do Troféu Maracanaú

MARACANÃS de Cinema, muito sol e banho de mar dão o tom do Festival cearense, que cresce a cada ano…
 
A segunda edição do Festival de Cinema Digital e Novas Mídias – FestCine Maracanaú -, que aconteceu de 4 a 9 de outubro no município industrial cearense, reservou boas surpresas para o Rio de Janeiro.

O belo troféu conferido pelo Fest Cine Maracanaú, que circula do Rio Grande do Sul ao interior do Ceará …
 
Um dos marcos do festival foi a realização do workshop Animação 3D e Efeitos Especiais, a cargo dos diretores norte-americanos da DreamWorks (referência mundial em animação), Kris Krishbaum e Bill Tessier – cujo trabalho está em filmes como  Harry Porter, Shreck, Kung Fu Panda, Princípe do Egito, e muitos outros.


 Nathália Dill, Luana Lobo, Caio Soh e Jayme Matarazzo distribuíram simpatia…

Na lista de vencedores, o cearense Petrus Cariry – ausente por estar no Festival do Rio com o filme (quem recebeu o prêmio foi o pai dele, cineasta Rosemberg Cariry) levou dois troféus por Mãe e Filha, enquanto os cariocas Caio Sóh (diretor do longa Teus Olhos Meus, vencedor de 5 troféus) e Marília Medina (atriz do curta Sildenafil, de Clóvis Mello) voltaram pra casa com o belo Troféu Maracanaú – que representa a ave típica do lugar, de forma estilizada – e ainda com a pele bronzeada pelo generoso banho no mar da praia de Porto das Dunas.

Walter Webb curtiu a mil os “paparicos” de Marília Medina e adorou o festival…
 
Aliás, quem também esteve ali foram os jovens atores Nathália Dill e Jayme Matarazzo. Recém-saídos do mega sucesso da novela Cordel Encantado, os dois foram tietados demais e não deixaram de aproveitar a segunda-feira curtindo o mar da lendária praia de Canoa Quebrada.


 Cláudio Jaborandy, um dos Homenageados desta edição, recebe abraço caloroso da jornalista Aurora Miranda Leão…

O FestCine Maracanaú é realizado pela Abraham Filmes Digitais, do cineasta cearense Afonso Celso, e já tem assegurada sua terceira edição, que deverá acontecer em junho de 2012.


II FestCine Maracanaú reafirma aprovação do evento pela comunidade…

Projeto Cearense Lança Videoteca com Audiodescrição

 

O projeto intitulado DVD ACESSÍVEL – Audiovisual e acessibilidade: produção e divulgação de DVDs para cegos e surdos, cujo objetivo é iniciar a construção de uma videoteca de filmes nacionais acessível ao público com deficiência sensorial, entregará nesta sexta (23), à sociedade brasileira, DVDs com recursos de acessibilidade para pessoas com deficiência sensorial, uma iniciativa pioneira no Brasil.

 

Iniciado em 2009, o Projeto DVD Acessível é de autoria da Prof.ª Dr.ª Vera Lúcia Santiago Araújo da Universidade Estadual do Ceará e tem patrocínio do Banco do Nordeste e do PROCAD/CAPES.

A solenidade de entrega acontecerá às 19h no Centro Cultural Oboé, localizado à Rua Maria Tomásia, 531, Aldeota, em Fortaleza, quando serão entregues os longas-metragens Corisco & Dadá, de Rosemberg Cariry, e O Grão, de Petrus Cariry, e os curtas-metragens Adorável Rosa, de Aurora Miranda Leão, Águas de Romanza, de Gláucia Soares e Patrícia Baía, Capistrano no Quilo, de Firmino Holanda, e Reisado Miudim, de Petrus Cariry, totalmente acessíveis às pessoas com deficiência sensorial.Os DVDs possuem Título em Braille, Audiodescrição, Menus com Audionavegação, Janela na Língua Brasileira de Sinais e Legendagem para Surdos e Ensurdecidos;

O projeto conta ainda com apoio do Governo do Estado do Ceará, da CAPES, da FUNCAP, do CNPq, do Centro Cultural Oboé e da Maquilar. A tradução audiovisual foi executada pelo Grupo LEAD da UECE.

A entrada é franca.

Mais informações, falar com Klístenes Braga ou Bruna Alves Leão através dos telefones: (85) 8636.7200 ou 8657.9021. 

 
Adorável Rosa, um dos títulos da videoteca, é um documentário sobre a atriz ROSAMARIA MURTINHO com direção da jornalista Aurora Miranda Leão