Arquivo da tag: rubens ewald

Uma Estrela para RUBENS EWALD FILHO na Calçada da Fama

Mais respeitado e conhecido Crítico de Cinema do país, Rubens Ewald Filho recebeu merecida Homenagem em Santos, sua cidade natal…

Rub e a estrela calçada

Rubens Ewald Filho: agora,para sempre no coração de Santos…

Rubens em Santos

Foi um fim de tarde super concorrido: à entrada do Cine Roxy, em Santos, muitos conterrâneos, amigos, apreciadores de Cinema e fãs do crítico, disputavam um espaço para ver de perto a ‘primeira apresentação’ da Estrela de RUBENS EWALD FILHO no tradicional cinema do litoral paulista.

Rubens cumprimentado

Imagem comum: crítico de Cinema RUBENS EWALD FILHO tornou-se tão querido quanto um Artista de TV ou Cinema…

Estrela do Rubens

RUBENS EWALD FILHO recebeu a Décima Estrela da Calçada.

Os atores santistas Ney Latorraca, Sérgio Mamberti e Nuno Leal Maia são alguns dos nomes que já tinham suas “Estrelas” na calçada do Cine Roxy.

Rubens estrela pano

Expectativa: Estrela estava coberta para ser inaugurada pelo próprio Homenageado…

O empresário Toninho Campos, dono do ROXY, comentava, sem esconder sua satifaçaõ por aquele momento histórico:

“Talvez Rubens Ewald Filho seja o principal nome ligado ao cinema da cidade de Santos. Ele é o cara mais conhecido da cidade de Santos e um dos mais conhecidos do Brasil no mundo. Nada mais significativo do que isso”.

Rubens e Toninho Campos
Toninho Campos e Rubens Ewald Filho na Calçada do Roxy: Santos em festa !

O Homenageado, valendo-se de sua conhecida simplicidade e simpatia, não se cansou de receber cumprimentos, dar aujtógrafos e posar para fotos, sem faltar que Rubens Ewald Filho ajoelhou-se para agradecer a homenagem:

Rubens e a calçada

“Se fosse em Hollywood, eu não sei se seria a mesma emoção. É muito bom você ser recebido na sua terra natal. Eu tenho vindo pouco, mas as  lembranças são muitas”, declarou um emocionado  Rubens Ewald Filho.

Rubens ganha mimo

Os conterrâneos prestigiaram Rubens Ewald Filho participando do histórico momento e houve até quem levasse presente para o querido crítico santista…

RUBENS lembrou sua primeira experiência com o cinema: “O primeiro cinema que eu fui ficava na Praça da Independência e chamava-se Cine Atlântico. Era uma matinê baby, às 10h de domingo. Eu ainda me lembro do teto, que eram nuvens azuis, e ele tinha uma visão perfeita, embora fosse um cinema mais simples. Era uma época mais simples, mas foi a época e o momento que me fez me apaixonar pelo cinema”.

Rubens dá entrev
Rubens fala

Depois da super merecida Homenagem, o crítico foi para a sala de cinema
conversar com o público sobre o que ele chama de ‘trabalho’. O tema do bate-papo foi a pré-estreia do filme O lado bom da vida, que tinha oito
premiações ao Oscar.

“Trata-se de uma comédia romântica diferente de todas. Lidando com uma doença mental, mas com muito bom humor. O diretor tem um filho com doença mental, que não deixa ele exprimir sentimentos. É uma forma de autismo. Ele está no filme, o filme foi feito para ele, e ele procurou o filme como a forma de se comunicar com o filho”, disse Rubens, o mais importante crítico brasileiro na cobertura da premiação do cinema americano.

Rubens feliz

Sem esconder sua alegria, Rubens Ewald Filho recebeu a Homenagem de Número DEZ do Cine Roxy…

Rubens no hall

Você pode acompanhar um pouco do que aconteceu na inauguração da Estrela RUBENS EWALD FILHO na Calçada da Fama de Santos aqui:

http://globotv.globo.com/tv-tribuna/jornal-tribuna-1a-edicao/v/rubens-ewald-filho-recebe-estrela-com-nome-na-calcada-da-fama-de-cinema-de-santos/2380803/

Estrela do Rubens

* E sobre a Estrela de Rubens Ewald Filho na Calçada da Fama do Cine Roxy, em Santos, reproduzimos comentário do jornalista André Barcinski, que assina um Blog na Folha on line:

“Que coisa rara alguém que escreve sobre filmes ser homenageado. E nada mais justo que seja Rubens, que além de ser o crítico mais conhecido do país, é cidadão santista e aprendeu a gostar de cinema nas salas da cidade.

Desde que comecei a me interessar por cinema, Rubens Ewald Filho é uma presença inescapável. Seja comentando a cerimônia do Oscar ou lançando seus guias de filmes, ele sempre esteve lá.

E olha que eu raramente concordo com as opiniões dele. Acho que temos gosto diferente para filmes. Mas isso não me impede de ler suas críticas sempre e de, por várias vezes, ter reavaliado um filme depois de ler um texto dele.

Recentemente, participei de uma entrevista com Rubens para o programa de TV de Zé do Caixão, que vai ao ar em maio, e fiquei muito surpreso com sua história de vida.

Sem estragar a surpresa, mas ele disse que teve uma infância muito infeliz e que usava o cinema como válvula de escape para seus sonhos. Foi muito bonito vê-lo falando sobre como o cinema mudou sua vida.

Desde pequeno, Rubens passou a anotar e comentar todos os filmes que viu. Hoje, a lista tem mais de 32 mil títulos. E é bem capaz de ele lembrar todos. Nunca conheci ninguém com uma memória igual”.

Rubens e eu GYN 2010

Aurora de Cinema: editora deste BLOG, a jornalista Aurora Miranda Leão é fã de carteirinha do grande crítico RUBENS EWALD FILHO…

Contagem regressiva para o Araxá Cine Festival

Araxá, a 367 km da capital mineira, vai sediar seu primeiro festival de cinema, a partir do próximo dia 10 de setembro. O 1º Araxá Cine Festival foi criado pela cineasta e produtora executiva Débora Torres, autora intelectual e dona do festival, e conta com Curadoria de Rubens Ewald Filho na “Mostra Competitiva de Longas-Metragens Brasileiros de Ficção” e na “Mostra Curta Araxá” e Guigo Pádua na “Mostra Curta Minas”.

O festival, cujo proponente este ano é a Associação de Música de Araxá, acontecerá no Tauá Grande Hotel de Araxá, com uma extensa programação de sete dias contando exibições de filmes totalmente gratuitas. O festival oferece premiação total de R$ 130 mil, distribuída por várias categorias, sendo que a maior dessas será para os curtas araxenses, cujo vencedor receberá R$ 40.000,00 (quarenta mil reais), destinados à produção de um novo curta, na categoria ficção, para abrir a segunda edição do festival, em 2013.

A programação do 1º Araxá Cine Festival consiste em mostras competitivas cinematográficas, nas seguintes categorias: longas-metragens brasileiros de ficção convidados,curtas-metragens mineiros convidados,ecurtas-metragens araxaenses selecionados, além do “Festivalzinho” para as crianças da rede municipal e estadual de ensino, palestras, debates, lançamentos de livros, oficinas e workshops de audiovisual. O festival é realizado através da Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet – Ministério da Cultura) com apoio total do Governo Municipal, através da Secretaria Municipal de Turismo – Sra Alda Sandra – e com patrocínio da CBMM e da CEMIG. Todas as atividades programadas terão acesso gratuito, com apresentações musicais na abertura de cada sessão (sob a coordenação artística da Sra. Débora Arantes, responsável pela  seleção dos grupos musicais que farão as aberturas de cada noite), promovendo um salutar intercâmbio interregional entre profissionais, público e amantes da arte cinematográfica e musical.

David Cardoso, Carlos Alberto Riccelli e Rubens Ewald Filho: vem aí um reencontro de cinema em Araxá…

MOSTRAS COMPETITIVAS

A solenidade de abertura do festival está marcada para às 19h do dia 10, com a exibição do curta-metragem “Maria Fumaça, Chuva e Cinema”, de David Cardoso, ator que será homenageado na noite de abertura; e do documentário “O Mineiro e o Queijo”, de Helvécio Ratton – cineasta que também será homenageado pelo conjunto da obra.

A programação  do I ARAXÁ CINE FESTIVAL segue com a exibição dos filmes “O Contador de Histórias” (de Luiz Villaça, 11 de setembro), “O Palhaço” (de Selton Mello, 12 de setembro), “Não se preocupe, nada vai dar certo!” (de Hugo Carvana, 13 de setembro), “Olhos Azuis” (de José Joffily, 14 de setembro) e “Onde está a felicidade?” (de Carlos Alberto Riccelli, 15 de setembro), todos selecionados pelo curador Rubens Ewald Filho e participantes da Mostra Competitiva de Longas-Metragens Brasileiros de Ficção.

Na Mostra Curta Minas, foram convidados pelo curador Guigo Pádua, os curtas-metragens mineiros: “Fui!!!” (de Guilherme Fiúza, 11 de setembro), “O Céu no Andar de Baixo” (de Leonardo Cata Preta, 12 de setembro), “Trecho” (de Clarissa Campolina e Helvécio Marins Jr., 13 de setembro), “O Maior Espetáculo da Terra” (de Marcos Pimentel, 14 de setembro) e “Raízes e Asas” (de Luis Felipe Pimenta, 15 de setembro).  A programação diária se completa com a “Mostra Curta Araxá” com curtas-metragens araxaenses inscritos e selecionados por Rubens Ewald Filho, a serem divulgados em breve.

Também faz parte do 1º Araxá Cine Festival, o “Festivalzinho” voltado para as crianças da rede municipal e estadual de ensino. Para elas, será exibido o filme “Pequenas Histórias”, de Helvécio Ratton, em dois horários, às 8h e às 14h.

JÚRI OFICIAL

As mostras competitivas serão julgadas por nomes famosos do cinema brasileiro como diretores, produtores e cineastas, que escolherão os vencedores do prêmio Dona Beja, em dinheiro (valor total da premiação R$130 mil), e do Troféu Araxá – Terra do Sol, idealizado pelo araxaense Aloísio Zema, que também assina o troféu.

O júri oficial do 1º Araxá Cine Festival será presidido pelo diretor Sérgio Bianchi, responsável por longas-metragens  premiados como “Cronicamente Inviável”, “Quanto vale ou é por quilo?”, e “Os Inquilinos”, dentre outros. O diretor Jeremias Moreira (“Menino da Porteira” (1977 e 2009) e “Fuscão Preto”), o diretor Ricardo Pinto e Silva (“sua excelência, o candidato”, “Querido estranho”,“Dores e Amores” e “Carro de Paulista”), a atriz e produtora brasiliense Malu Moraes (“No Coração dos Deuses”, “Círculo de Fogo”, “Homem Mau Dorme Bem”) e a produtora Liane Muhlenberg  (“Parayba – Mulher Macho”, “Gaijin – Ama-Me Como Sou”, “O Homem da Capa Preta”, “Bete Balanço”) completam o júri.

INGRA LIBERATO vai ministrar workshop para atores…

OFICINAS E WORKSHOPS

Durante o festival, acontecerão uma oficina e diversos workshops no salão Ouro Preto do Tauá Grande Hotel de Araxá, sendo que a oficina será na parte da manhã, e os workshops  no período da tarde, a partir das 15 h.  As inscrições estão abertas no site oficial do festival (www.araxacinefestival.com.br) e são totalmente gratuitas para públicos de todas as idades, interessados nas artes cinematográficas,  com emissão de certificado para os participantes.

A “Oficina Cinema Total – Roteiro, Produção e Direção”, a ser ministrada pelo cineasta e produtor internacional Walter Webb, consta de três oficinas em uma, e visa a fornecer formação prática no tocante à linguagem e técnicas do cinema e do vídeo, com temas que abordam todas as fases de uma produção cinematográfica. Também na programação os workshops “Como fazer um filme do começo ao fim” com o premiado diretor e cineasta carioca Aluizio Abranches“Preparação – Vivência da Personagem no Tempo Presente” com a atriz Ingra Liberato, a eterna Ana Raio da novela “Ana Raio e Zé Trovão”; “Ler, escrever e adaptar” com o ator Germano Pereira;  “Por que um cinema brasileiro?” com o diretor João Batista de Andrade, ex-secretário da Cultura do Estado de SP e atual presidente do Memorial da América Latina; além de encontros com a atriz global Rosamaria Murtinho,  que vai falar sobre sua gloriosa carreira na televisão, cinema  e teatro, e ainda mesas de debate sobre  fomentos ao cinema mineiro, com a presidência da ABD –MG (Associação Brasileira de Documentaristas do Estado de Minas Gerais) e presidência da Film Comission do Governo de Minas.

LANÇAMENTOS DE LIVROS E DVDS

Durante o 1º Araxá Cine Festival, haverá lançamentos de livros e DVDs por seus autores e representantes. Serão lançados  “Dicionário de Filmes Brasileiros – Curta e Média-Metragem”, do pesquisador Antônio Leão (15 de setembro); “Ensaios de Cinema”, do crítico L.G. de Miranda Leão (14 de setembro); “Criação de Curta-Metragem em Vídeo Digital”, do cineasta e roteirista Alex Moletta (12 de setembro);  “Autobiografia do Rei da Pornochanchada” de David Cardoso (11 de setembro); do DVD e CD “No Passo do Birim” da cineasta Aurora Miranda Leão (14 de setembro); além do livro “Roberto Pires – O Inventor de Cinema”, de Aléxis Góis, e o DVD “Redenção”, longa de Roberto Pires, estes dois últimos a serem lançados por Laura Pires (13 de setembro).

HOMENAGEADOS

No 1º Araxá Cine Festival, será concedido o Troféu Araxá Homenagem (pelo conjunto representativo de obras) a nomes significativos do cinema brasileiro e mineiro.

Atriz Bete Mendes será uma das homenageadas em Araxá…

Durante as noites do festival, serão homenageadas personalidades, como a cineasta Tizuka Yamasaki, os diretores Helvécio Ratton, João Batista de Andrade e Guilherme de Almeida Prado; os atores Murilo Rosa, Oscar Magrini, David Cardoso e Leandro Firmino da Hora ( filme “Cidade de Deus”); as atrizes Bete Mendes e Ingra Liberato; o produtor cinematográfico Flávio Tambellini; o diretor de arte Oswaldo Lioí; o jornalista e cineasta Hermes Leal; a pesquisadora e produtora Alice Gonzaga; e o embaixador Lauro Moreira, pela difusão do cinema brasileiro no exterior.

O ator e escritor Germano Pereira vai apresentar o Festival e fará workshop…

O festival será apresentado pelo ator global Germano Pereira e contará ainda com a presença das atrizes Patrícia Naves e Bruna Lombardi, do ator e cineasta Carlos Alberto Riccelli, além de diversos atores e atrizes dos elencos dos filmes das mostras competitivas.

Bruna Lombardi é presença aguardada em Araxá…

Todas as atividades do 1º Araxá Cine Festival são gratuitas e abertas ao público. Mais informações: www.araxacinefestival.com.br e www.facebook.com/araxacinefestival 

SERVIÇO

1º ARAXÁ CINE FESTIVAL

Data: 10 a 16 de setembro de 2012

Local: Tauá Grande Hotel de Araxá e Festa de Premiação (16 de setembro) no Teatro Municipal de Araxá (Justificativa de realização no Tauá Grande Hotel: na cabine do Teatro Municipal não cabe o projetor 35mm do festival)

Araxá Cine terá Murilo Rosa, Ingra Liberato e Carlos Alberto Riccelli

Primeira edição do Festival de Araxá começa no próximo dia 10…

Reta final dos preparativos para o festival que vai tornar Araxá a Capital do Cinema Brasileiro. Durante uma semana, que terá início no próximo dia 10, a tranquila cidade mineira vai receber convidados, jornalistas, realizadores, artistas, produtores, turistas, estudantes e profissionais interessados na Sétima Arte para viver dias e noites de Cinema em diversas atividades distribuídas em muitas versões.

Carlos Alberto Riccelli, ator e cineasta, vai abrilhantar I Araxá Cine

Será a primeira edição do aguardado festival idealizado pela produtora e cineasta Débora Torres, com Curadoria do crítico Rubens Ewald Filho, e patrocínio do Governo de Minas Gerais.

O burburinho em Araxá por conta disso começou quando da coletiva que anunciou oficialmente a programação do I Araxá Cine Festival. A partir dali, ainda no início de agosto, a imprensa local, regional e nacional começou a divulgar o festival, e a comunidade audiovisual ganhou este novo ponto no mapa. Sobretudo com a realização das mostras Curta Minas e Curta Araxá, as quais vão exibir boa parte da atual produção mineira de curtas-metragens, e também descobrir e revelar novos talentos do audiovisual, a partir da cidade de Araxá, reconhecida e festejada por turistas de todas as partes do mundo por conta de suas famosas águas termais e lamas medicinais.

Atriz INGRA LIBERATO, presença sempre bem vinda, estará em Araxá…

O I ARAXÁ CINE FESTIVAL terá uma premiação total de R$ 130 mil, distribuída em mostras competitivas cinematográficas, nas seguintes categorias: longas-metragens brasileiros de ficção convidados,curtas-metragens mineiros convidados,ecurta-metragens araxaenses selecionados, festivalzinho para as crianças da rede municipal de ensino, palestras, debates, oficinas e workshops de audiovisual. Todo o regulamento do Festival pode ser conferido no site oficial do evento, que estará lançando dois novos prêmios para o Cinema Brasileiro: os troféus Dona Beja e o Araxá Terra do Sol, a serem distribuídos para os vencedores do festival, conforme avisa Débora Torres.

Festival terá dois novos prêmios para o Cinema Brasileiro: Troféu Dona Beja e Araxá Terra do Sol

Localizado no alto de Santa Rita, com acesso por escadaria com 236 degraus ou pela avenida,o Mirante do Cristo oferece vista panorâmica da cidade de Araxá.

O festival é realizado com apoio principal da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), e Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), através da Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet – Ministério da Cultura), e todas as atividades programadas terão acesso gratuito, com apresentações musicais na abertura de cada sessão, promovendo um salutar intercâmbio interregional entre profissionais, público e amantes da arte cinematográfica e musical.

Na noite de encerramento, será exibido, em avant première, o filme Vazio Coração, primeiro longa-metragem de Alberto Araújo, produzido por Débora Torres, contando com elenco repleto de nomes bem conhecidos do grande público: Murilo Rosa, Lima Duarte, Othon Bastos, Bete Mendes, Oscar Magrini, o Embaixador Lauro Moreira, Larissa Maciel, e Patrícia Naves.

Murilo Rosa é o protagonista de Vazio Coração, que terá lançamento no Festival

Por conta disso, e da exibição de outros longas-metragens durante os 7 dias do I ARAXÁ CINE FESTIVAL a presença dos atores Murilo Rosa, Ingra Liberato e Carlos Alberto Riccelli, que é autor (junto com a atriz Bruna Lombardi) e diretor do filme Onde Está a Felicidade ?

SERVIÇO

1º ARAXÁ CINE FESTIVALFestival Nacional de Cinema de Araxá

Data: 10 a 16 de setembro

Onde: Araxá, Minas Gerais

Coordenação: Débora Torres

Curadoria: Rubens Ewald Filho

ENTRADA GRATUITA

Mais informações: http://www.araxacinefestival.com.br

REDES

FACEBOOK – https://www.facebook.com/araxacinefestival

TWITTER – https://twitter.com/AuroraMLeao

BLOG – http://www.auroradecinema.wordpress.com

Festival de Araxá: Troféu Araxá Terra do Sol e prêmio Dona Beja para o Cinema

O burburinho na cidade já começou: Araxá se prepara em ritmo acelerado para receber artistas, realizadores, cineastas, produtores, jornalistas, e diversos profissionais da área do Cinema. Na web, o festival vem mobilizando sites, blogs, twitter e Facebook.

O I Araxá Cine Festival foi idealizado pela cineasta e produtora Débora Torres, que também é sua Coordenadora-Geral e Produtora Executiva.Tem Curadoria do festejado Rubens Ewald Filho e será realizado de 10 a 16 de setembro.

Débora Torres conta: “O curador do Festival, Rubens Ewald Filho, já definiu os filmes de longa-metragem que vão concorrer aos prêmios da Mostra de Araxá. O regulamento do Festival está no site, assim como os prêmios Dona Beja e Troféu Araxá Terra do Sol, os quais serão distribuídos para os vencedores do festival.” 

A promotora do Araxá Cine Festival está entusiasmada e diz que fazer um festival em Araxá era um desejo antigo, ressaltando dois outros destaques: a mostra Curta Minas, na qual concorrerão filmes de curtas-metragens produzidos em Minas Gerais, com Curadoria do diretor Guido Pádua, de BH; e o Curta Araxá, modalidade exclusiva para produções genuinamente araxaenses.

As inscrições para os filmes de curta-metragem produzidos em Araxá podem ser feitas através do site até dia 25 de agosto. Os cineastras araxaenses serão submetidos à avaliação de Rubens Ewald Filho, que fará a seleção dos participantes: “A premiação a ser distribuída no Araxá Cine Festival é muito boa e bastante interessante. São R$ 130 mil em prêmios, com destaque para o vencedor do Curta Araxá, que receberá a melhor premiação, ou seja, R$ 40 mil para ser investido na produção de um novo curta-metragem, que vai abrir a segunda edição do Festival, em 2013. O Curta Minas terá um prêmio de R$ 10 mil para o vencedor, e os filmes de longa-metragem de ficção brasileiros concorrerão a R$ 80 mil”, diz a incansável Débora Torres.

Débora Torres apresenta a programação visual do Festival à imprensa…

O Araxá Cine Festival vai exibir em sua noite de abertura o longa-metragem  O Mineiro e o Queijo, do premiado cineasta mineiro Helvécio Raton. Na mostra competitiva, o primeiro dia terá como atração O Contador de Histórias, do diretor Luiz Villaça. Dia 12 será a vez de O Palhaço, filme do ator Selton Mello. Em seguida, vem o filme Não se preocupe, nada vai dar certo, de Hugo Carvana, estrelado por Mariana Rios. E tem ainda Olhos Azuis, de José Joffily; e o filme de Carlos Alberto Riccelli e Bruna Lombardi, Onde Está a Felicidade ?

 Com apoio principal da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM) e Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), a organização captou R$ 600 mil dos R$ 980 mil totais do projeto e planeja a participação de artistas conhecidos do grande público e cineastas renomados.

A ideia de Débora Torres e sua equipe é fomentar o gosto pel oaudiovisual em crianças, adolescentes e jovens de todas as idades, uma vez que o acesso às novas mídias est´possibilitando que cada vez mais um número maior de pessoas se expresse através das imagens. Para tanto, o festival vai realziar um “Festivalzinho” pela manhã, oficinas, workshops, lançamentos de livros e DVDs, debates sobre os filmes exibidos, além das mostras competitivas de longas-metragens de ficção e de curtas-metragens araxaenses.

Coletiva de lançamento do site e programação do Araxá Cine aconteceu no Teatro Municipal, a ser inaugurado com o Festival…

A secretária Municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Parcerias, Alda Sandra Barbosa Marques, garante a abertura do novo Teatro Municipal para a estreia do Araxá Cine Festival: “ Nosso teatro vai estar em condições de sediar o Festival de Cinema de Araxá. As obras se encontram em fase de acabamento e o cronograma tem sido cumprido”, destaca.


Débora Torres, Alda Sandra e Débora Afonso unidas em torno do Araxá Cine

Segundo Alda Sandra Marques, há uma grande expectativa em torno do sucesso do Araxá Cine Festival. “Este evento vai divulgar o nome de Araxá, através de mídia espontânea em todo o Brasil. A nossa cidade estará recebendo muitos artistas e centenas de visitantes. Isto representa mais crescimento turístico e cultural para Araxá”, avalia a secretária.

O festival vai ser o  primeiro evento realizado dentro do Teatro Municipal de Araxá, que só será  inaugurado oficialmente após as eleições, devido à proibição da legislação eleitoral.

Saiba mais: http://www.araxacinefestival.com.br/

O Grande Hotel de Araxá, construção dos anos de 1940: Patrimônio que atrai turistas do mundo inteiro…

Cine Festival vai evidenciar beleza e paisagens naturais de Araxá

 

Às vésperas de realizar seu primeiro Festival de Cinema, a cidade de Araxá começa a despertar atenção. É lá que, durante uma semana, o Cinema Brasileiro vai estar hospedado numa intensa programação, da qual constam oficinas, workshop, lançamentos de livros e DVDs, exibições grstuitas de filmes brasileiros, e diversas mostras competitivas e informativas.

O I Araxá Cine Festival foi idealziado por Débora Torres, que também é sua Produtora-Executiva, tem Curadoria de Rubens Ewald Filho, e direção artística de Alberto Araújo. O Festival será aberto dia 10 e prossegue até 16 de setembro.

Minas Gerais

História preservada: o antigo prédio da Rede Feroviária, onde hoje funciona a Fundação Cultural de Araxá…

Minas Gerais

As lindas paisagens da região atraem centenas de turistas a Araxá, anualmente…

Minas Gerais

Cercado de verde, calmaria e beleza, a arquitetura imponente do Grande Hotel é uma das atrações mais visitadas pelos turistas…

Minas Gerais

O Museu Dona Beja leva o nome de famosa cortesã que viveu na região no século XIX e foi inspiração para conhecida novela…

O museu também guarda itens usados na novela da Manchete, que contou a história da mulher que deu nome ao local. Ana Jacinta de São José, a Dona Beja, é considerada uma das mulheres mais bonitas de seu tempo. Em sua época, foi mal vista pelas conterrâneas por causa de sua beleza. Apaixonada por um homem que se casou com outra, ela acabou virando cortesã, amante de grande parte dos homens casados da cidade, e enriqueceu às custas de seus admiradores.

Outro ponto importante para o turista é conhecer a Fundação Cultural Calmon Barreto. O local expõe peças de artesanato e ótima opção para quem deseja comprar produtos locais. São doces caseiros, peças de arte e até sabonetes de lama. Quando for visitar Araxá, não deixe também de provar os doces de Dona Joaninha e Dona Ana, que incluem frutas cristalizadas e doces de amendoim. A cachaça também é destaque neste município mineiro. 

As igrejas de Araxá, de beleza simples e encantadora, também valem uma visita. Entre as mais visitadas, a Igreja Matriz de São Domingos e o Santuário Nossa Senhora de Fátima. Na Igreja Matriz de São Sebastião, os turistas podem ver também o Museu Sacro São Sebastião

Minas Gerais

A Igreja São Sebastião, onde fica o Museu Sacro…

Depois da visita ao centro histórico, os amantes de esportes radicais, ecologia, e turismo de aventura podem encontrar muitas opções de passeios. Araxá é um dos principais acessos ao Parque Nacional da Serra da Canastra, onde encontram-se cachoeiras, trilhas e é possível escalar paredões.  Já o Centro de Aventura do Barreiro está dentro do Complexo do Barreiro, contando com tirolesa e arvorismo, com programas especiais para crianças e adultos.

Minas Gerais

Araxá é uma das portas de entrada para a famosa Serra da Canastra…

Araxá: porque o Cinema deve brilhar como o Sol

Cidade que já foi tema de livros, romances e até de uma novela de muita audiência, Dona Beja (protagonizada por Maitê Proença), ARAXÁ, a 367 km da capital mineira, vai sediar seu primeiro festival de cinema, a partir do próximo dia 10 de setembro.

O I Araxá Cine Festival foi criado pela cineasta e produtora Débora Torres, tem Curadoria de Rubens Ewald Filho, e terá uma extensa programação de 7 dias com exibições gratuitas, e uma premiação de R$ 130 mil, distribuída para várias categorias.

Rubens Ewald Filho, o crítico mais festejado do país, é também o Curador do I Araxá Cine Festival

A programação do Araxá Cine consiste em mostras competitivas cinematográficas, nas seguintes categorias: longas-metragens brasileiros de ficção convidados,curtas-metragens mineiros convidados,ecurta-metragens araxaenses selecionados, festivalzinho para as crianças da rede municipal de ensino, palestras, debates, oficinas e workshops de audiovisual. O festival é realizado através da Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet – Ministério da Cultura), e todas as atividades programadas terão acesso gratuito, com apresentações musicais na abertura de cada sessão, promovendo um salutar intercâmbio interregional entre profissionais, público e amantes da arte cinematográfica e musical.

Araxá, cidade da messoregião do Triângulo Mineiro, possui aspectos que a tornam absolutamente propícia a receber um festival de cinema, a começar pela beleza de suas paisagens naturais, ainda mais quando o objetivo está alicerçado numa proposta onde história e memória da cinematografia brasileira desenham-se em intercâmbio com o local, regional e nacional, centrando o foco no Cinema como Patrimônio em Diálogo com o Público.

Objetivando apresentar ao público a diversidade da produção cinematográfica brasileira em formação, reflexão, exibição e difusão, o 1º ARAXÁ CINEFESTIVAL pretende abrir precedentes para disseminar Cultura & Arte em todos os aspectos, através de encontros e diálogos, de revelação e integração de novas iniciativas, ampliação e visibilidade para todos que têm compromisso com seu país.

Débora Torres entre Murilo Rosa e Alberto Araújo: concretizando mais um Festival de Cinema…

A idealizadora do Festival, cineasta e produtora Débora Torres, entusiasmada com a concretização do projeto, que alimentava há cerca de 3 anos, afirma: “Araxá é uma cidade acolhedora, com uma rede hoteleira muito boa. Queremos que seja um evento que venha para ficar.”

A LOGOMARCA

A assinatura visual do 1º Araxá Cine Festival foi desenvolvida através de um processo de estudo e pesquisa, visando a representar em um símbolo todo o objetivo do festival: trazer o cinema brasileiro à cidade de Araxá. Optou-se por elaborar uma marca com o conceito de que, durante o período do festival, Araxá e cinema serão um só. Transmitindo também a proposta de transformar a cidade na Capital Nacional do Cinema Brasileiro no período.

O símbolo é representado por um elemento traduzido em metade sol e outra metade uma fita de cinema. O sol representa Araxá. Elemento que é a tradução literal do nome do município, nome indígena que significa “lugar alto onde primeiro se avista o sol”. O círculo central também representa uma fita de cinema, envolto por uma lata na cor cinza escuro. O tom amarelo ouro também remete a “era dourada do cinema”.

 Débora Torres e Aurora Miranda Leão, unidas pela Sétima Arte…

O logotipo foi elaborado com as cores cinza e preto, transmitindo os conceitos seriedade e sobriedade. A tipografia foi desenvolvida para, ao mesmo tempo, passar o conceito de jovialidade e seriedade. As cores aliadas ao amarelo significam sucesso, brilho e  glamour, conceitos diretamente ligados ao universo cinematográfico.

Todos os elementos que formam a composição (símbolo, logotipo, legenda) estão dispostos de modo harmônico, para que haja uma simbiose capaz de agregar todos os objetos num conjunto gráfico.

Cena de O Mineiro e o Queijo, filme que vai abrir o Araxá Cine Festival

A solenidade de abertura do Festival está marcada para às 19h do dia 10 de setembro com show musical de artistas araxaenses no Teatro Municipal de Araxá, que será inaugurado oficialmente na ocasião. Em seguida, às 20h, será exibido o documentário O Mineiro e o Queijo, de Helvécio Ratton.

Dentre os livros a serem lançados, DICIONÁRIO DE FILMES BRASILEIROS – CURTA E MÉDIA METRAGEM, do pesquisador Antônio Leão; Ensaios de Cinema, do crítico L.G. de Miranda Leão; e Criação de Curta-Metragem em Vídeo Digital, do cineasta e roteirista Alex Moletta. Ainda na programação, a oficina de Walter Webb – ROTEIRO, PRODUÇÃO & DIREÇÃO, e o workshop PREPARAÇÃO – VIVÊNCIA DA PERSONAGEM NO TEMPO PRESENTE, com a atriz Ingra Liberato.

Na noite de encerramento, acontecerá a avant-première do filme Vazio Coração, a primeira exibição pública do longa-metragem de Alberto Araújo, que foi produzido por Débora Torres, e que tem elenco formado por Murilo Rosa, Lima Duarte,  Othon Bastos, Bete Mendes, Oscar Magrini, o Embaixador Lauro Moreira, Larissa Maciel, e Patrícia Naves no elenco.

Murilo Rosa protagoniza o longa Vazio Coração, de Alberto Araújo, que terá uma prévia na noite de encerramento do I Araxá Cine Festival

SAIBA MAIS SOBRE  VAZIO CORAÇÃO: http://auroradecinema.wordpress.com/2011/10/28/debora-torres-entre-vazio-coracao-e-festival-de-cinema-de-araxa/

QUEM FAZ o ARAXÁ CINE FESTIVAL

Idealização, Produção Executiva e Programação Visual:
DÉBORA TORRES

Curadoria da Mostra de longas metragens:
RUBENS EWALD FILHO

Curadoria de Curtas Minas:
GUIGO PÁDUA

Direção Artística:
ALBERTO  ARAÚJO

Coordenação Artística:
DÉBORA FRANCISCO

Coordenação das Mostras Competitivas e Paralelas:
PEDRO PINHEIRO

Coordenação de Comunicação:
DELVO  SIMÕES

Coordenação de Oficinas:
JOÃOZINHO UIRAPURU

Coordenação de transporte e logística:
CÉLIA PIO

Coordenação de Produção:
ALMIR AVELAR

Programação, Captação e tráfego de filmes:
ÂNGELA TORRES

Chefe de Receptivo e Cadastramento:
WALDIANE ERICEIRA

Secretária Executiva:
SÔNIA PASSOS

Assessoria de Imprensa do Festival:
AURORA MIRANDA LEÃO 

SERVIÇO

1º ARAXÁ CINE FESTIVAL – Festival Nacional de Cinema de Araxá

Data: 10 a 16 de setembro de 2012-08-10

Local: Teatro Municipal de Araxá e itinerâncias

Mais informações: http://www.araxacinefestival.com.br

Corrida pelos KIKITOS revela filmes concorrentes

Festival de Cinema de Gramado vai de 10 a 18 de agosto

Betty Faria será uma das Homenageadas na 40 edição do Festival de Gramado

A organização do Festival de Gramado anuncia os filmes selecionados para sua 40ª edição: 8 longas nacionais e cinco estrangeiros vão disputar os KIKITOS, bem como 14 curtas brasileiros e outros 21 gaúchos em mostra dedicada exclusivamente a essa produção.

Entre os Homenageados, receberão prêmios especiais o cineasta argentino Juan José Campanella (ganhador do Oscar por “O Segredo dos Seus Olhos”), as atrizes Betty Faria e Eva Wilma, e o diretor e jornalista Arnaldo Jabor.

Na competição brasileira, são destaque O Som ao Redor, do pernambucano Kleber Mendonça Filho (vencedor do prêmio da crítica internacional no Festival de Roterdã, na Holanda), e Eu Não Faço a Menor Ideia do que Eu Tô Fazendo com a Minha Vida, segundo filme de Matheus Souza, depois do elogiado “Apenas o Fim”.

Também foram selecionados “Futuro do Pretérito: Tropicalismo Now!” e “Jorge Mautner – O Filho do Holocausto”, documentários que já haviam sido exibidos no circuito de festivais no país. Entre os curtas brasileiros, está O Duplo, de Juliana Rojas, recentemente premiado no Festival de Cannes.

Eva Wilma também vai receber merecida Homenagem em Gramado

“Temos uma variedade estética e narrativa muito grande. É uma seleção que explora as múltiplas possibilidades do cinema nacional e latino”, afirma o jornalista Marcos Santuário, responsável pela curadoria ao lado do crítico Rubens Ewald Filho e do ator José Wilker.

Uma novidade deste ano é a diminuição do valor dos ingressos para o público ter acesso às sessões no Palácio dos Festivais: R$ 20 e R$ 10 para estudantes e idosos.

Gramado prepara 40a edição: 40 anos dando visibilidade ao Cinema Brasileiro…

Confira a lista dos SELECIONADOS ao Festival de Gramado 2012:

Longas-metragens brasileiros
“Super Nada” (SP), de Rubens Rewald
“Insônia” (RS), de Beto Souza
“O que se Move” (SP), de Caetano Gotardo
“Futuro do Pretérito: Tropicalismo Now!” (SP), de Ninho Moraes e Francisco César Filho
“Eu Não Faço a Menor Ideia do que Eu Tô Fazendo com a Minha Vida” (RJ), de Matheus Souza
“O Som ao Redor” (PE), de Kleber Mendonça Filho
“Colegas” (SP), de Marcelo Galvão
“Jorge Mautner – O Filho do Holocausto” (RJ), de Pedro Bial e Heitor D’Alincourt

Longas-metragens latinos
“Artigas, La Redota” (Uruguai), de Cesar Charlone
“Calafate, Zoológicos Humanos” (Chile), de Hans Mülchi Bremer
“Vinci” (Cuba), de Eduardo del Llano Rodríguez
“Leontina” (Chile), de Boris Peters
“Diez Veces Venceremos” (Argentina), de Cristian Jure

Curtas-metragens brasileiros
“#”, de Andre Farkas e Arthur Guttilla (SP)
“A Ballet Dialogue”, de Filipe Matzembacher e Márcio Reolon (RS)
“A Mão que Afaga”, de Gabriela Amaral Almeida (SP)
“A Triste História de Kid-Punhetinha”, de Andradina Azevedo e Dida Andrade (SP)
“Casa Afogada”, de Gilson Vargas (RS)
“Di Melo – O Imorrivel”, de Alan Oliveira e Rubens Pássaro (SP)
“Diário do Não Ver”, de Cristina Maure e Joana Oliveira (MG)
“Dicionário”, de Ricardo Weschenfelder (SP)
“Funeral à Cigana”, de Fernando Honesko (SC)
“Linear”, de Amir Admoni (SP)
“Menino do Cinco”, de Marcelo Matos de Oliveira e Wallace Nogueira (BA)
“Meta”, de Rafael Baliu (SP)
“O Duplo”, de Juliana Rojas (SP)
“Piove, il film Di Pio”, de Thiago Brandimarte Mendonça (SP)

Mostra de curtas gaúchos
“24 Horas com Carolina”
“A Vida da Morte”
“As Irmãs Maniacci”
“Boa Viagem”
“Brisa”
“Casa Afogada”
“Dr Lang e a Ciência da Metalinguagem”
“Elefante na Sala”
“Estrada”
“Fez A Barba E O Choro”
“Garry”
“Ignácio e Saldanha”
“Lobos”
“Noite Um”
“O Beijo Perfeito”
“Paraphilia”
“Quem é Rogério Carlos?”
“Rigor Mórtis”
“Rua dos Aflitos, 70”
“Só isso”
“Todos os Meus Ídolos Estão Mortos”

Arnaldo Jabor: trajetória vitoriosa será alvo de Homenagem em Gramado

Cláudio Assis faz vigorosa poesia imagética e arranca aplausos no CineCE

Cine CE chega ao fim hoje. Noite de conhecer vencedores de curta e longa-metragem. Cinema Brasileiro e Iberoamericano. Não acompanhei o festival de forma presencial desde o início pq estava no OLHAR DE CINEMA – Festival Internacional de Cinema de Curitiba -, mas acompanhei via Blog Aurora de Cinema e do programa Cultura & Música (toda segunda na Universitária FM).

Claudio Assis: Theatro José de Alencar lotou para ver Febre do Rato

O que vi do Cine CE na ida ao Theatro José de Alencar foram ótimos curtas exibidos na noite de ontem, e o premiado longa de Cláudio Assis – Febre do Rato.


Casa cheia, silêncio respeitoso, atenção colada na tela, aplausos ao final.
O filme foi o grande vencedor do Festival de Paulínia, em julho passado, e lembro que, à época, o diretor ganhou destaque na imprensa por conta de suas declarações sempre pertinentes e sua inteligência afiada.
Li comentários positivos a respeito do filme e meu querido amigo Rubens Ewald Filho também me falou muito bem do filme em Curitiba. Enfim, fui ver Febre do Rato já munida de muitos aspectos que me fazem renovar uma sintonia com mais um trabalho do arretado pernambucano Cláudio Assis.

Matheus e Irandhyr: atuações magnânimas em filme forte e necessário…

Ademais, o filme conta com dois Atores Espetaculares, queridos do coração: MATHEUS NACHTERGAELE e IRANDHYR SANTOS.

Ambos, são um capítulo à parte nesta obra vigorosa de Cláudio Assis…

FEBRE DO RATO – Um Filme para ser visto e recomendado.

Olhar de Cinema termina hoje e tem ótimos filmes na disputa

AURORA DE CINEMA direto do Festival de Curitiba

Como se não bastasse acontecer na adorável capital curitibana, há ótimos filmes em competição no Festival OLHAR DE CINEMA – cuja solenidade de encerramento acontece esta noite -, todos foram exibidos em sessões gratuitas e a programação foi bem recebida pelo público, acontecendo em vários espaços diferentes.

O imponente edifício do SESC Paço da Liberdade, palco do Seminário e debates

Com Assessoria de Comunicação a cargo da Planeta Tela (leia-se Celso Sabadin), o festival idealizado e comandado por Aly Muritiba, Mirela Merlo e Antônio Júnior, arregimentou vários profissionais e movimentou espaços culturais diversos para abrigar a polpuda grade de programação desta primeira edição, que contou com patrocínio da Volvo, Scheweppes e Copel; apoio da RPC-TV, Sesi, Sesc, Shopping Crystal e outras empresas.

Dentre os jornalistas, estamos por aqui, abrigados no Hotel Slaviero Slim – bem no coração do centro histórico – o Aurora de Cinema, o Cinequanon (com Cid Nader), Sérgio Alpendre, Eduardo Antunes, Diego Benevides, Carlos Alberto Mattos e Rubens Ewald Filho – perdão se algum nome me escapa…

Entre realizadores, pesquisadores e estudiosos da Sétima Arte, podemos citar Hernani Heffner, Evaldo Mocarzel, Lina Chamie, Leonardo Cata Preta, Fernando Severo, Eduardo Kishimoto, Eduardo Nunes, Frederico Machado, Cláudia da Natividade, Sandra Zawadzki, é Cássia Hauari, para citar apenas alguns.

Filme de André da Costa Pinto: potência que vem de Campina Grande…

O Festival nasceu da disposição de um trio ‘parada dura’ em busca de fomentar o cinema e alavancar a produção audiovisual em Curitiba: os diretores Aly Muritiba, Marisa Merlo e Antônio Júnior não se intimidaram na hora de arregaçar as mangas e fazer o festival de cinema acontecer na capital paranaense. Durante um ano, foram à luta para produzi-lo.

Assim, foram 7 dias, nos quais o OLHAR DE CINEMA exibiu 72 filmes de 22 países e diversas cidades brasileiras. Segundo Antônio Jr., a realização do festival partiu de ideias bem definidas: “Escolhemos esses espaços onde os filmes foram exibidos porque eles já são conhecidos do público que busca assistir a algo que fuja do formato norteamericano. A ideia era justamente essa: exibir filmes que trouxessem alguma coisa a mais, além do cinema de  Hollywood.

Mesmo sendo a primeira edição, o festival recebeu mais de 1500 inscrições de mais de 80 países. O critério de escolha dos filmes foi justamente “escolher produções independentes que não teriam espaço na programação das cadeias de cinema ou porque possuem uma baixíssima distribuição, ou porque não despertam o interesse mercadológico dos cinemas locais. São filmes que dificilmente chegariam ao público, não fosse pelo festival.” 

Sudoeste é um dos fortes concorrentes…

Diante da lista de filmes exibidos, da plena participação do público em todos os espaços e atividades – até mesmo nas oficinas ofertadas – prova o acerto da organização do Festival e aponta para novas edições, com bastante fôlego para se firmar no calendário dos grandes festivais do país.

A solenidade oficial de encerramento acontece esta noite, a partir das 20h, no Teatro Guairinha.

O AURORA DE CINEMA acompanha tudo com um OLHAR DE CINEMA… 

Vem aí POP CORN, o Almanaque dos Filmes do Rock

prefácio traz o prestigiado nome de RUBENS EWALD FILHO, crítico que equivale a uma ‘Enciclopédia da Sétima Arte’ 

O Grupo Editorial Pensamento e a Livraria Saraiva convidam para o lançamento do livro Popcorn-Almanaque dos filmes de Rock, da Editora Seoman, quarta que vem, na Saraiva do Morumbi Shopping.

Rubens Ewald Filho estará na Saraiva fazendo uma das coisas de que mais gosta: conversar sobre Cinema…

O livro é de autoria de Garry Mulholland e tem recomendação que por si só já o credencia muito bem: o prefácio é assinado por Rubens Ewald Filho, que vai participar de um bate-papo com a platéia, ao lado do músico Kid Vinil na noite do lançamento, das 19:30h às 22 horas.

O AURORA DE CINEMA recomenda o livro e a ida à Saraiva !

Entrada franca. Mais informações: (11) 5181. 7574.