Arquivo da tag: SBT

Cena antológica consagra pico de audiência à Avenida Brasil

Carminha (Adriana Esteves) ficará nas mãos de Nina (Débora Falabella)

Desde sexta, quando a personagem de Adriana Esteves descobre que Nina (vivisa por Débora Falabella) é a mesma Rita, que ele odiava desde pequenina e de quem pensava ter-se livrado através de umas e outras que ela aprontou pra cima da adversária, a novela AVENIDA BRASIL (TV Globo, 21h) vem dominando ainda mais a atençã odo público e da imprensa. O capitulo de sábado, em que Carminha passa um ‘chega pra lá’ quase defintivo em Nina, teve a magistral cena do quase enterro de Nina/Rita. A cena é, indubitavelmente, das mais criativas, bem realizadas e dramaturgicamente brilhante. APLAUSOS para João Emanuel Carneiro, sua trupe de colabores (do texto à realização na telinha), e ao seu magnânimo elenco.

Mas hoje, quando sabia-se que Nina voltaria a encontrar Carminha, o público respondeu em peso ao ‘chamado’ da trama e a novela teve seu maior índice de audiência, ultrapassando os 44 pontos – até então, ainda não alcançado.

Números divulgados pelo Ibope dão conta de que AVENIDA BRASIL reinou  absoluta na noite, alcançando 44,5 pontos. A segunda colocação ficou com o SBT, 6 pontos, seguida de 5 pela Record. Até então, o índice mais alto da novela era o de 43 pontos.

A expressiva (e merecida) audiência deve-se a essa torcida que vem ganhando contornos bem nítidos entre o público: a audiência quer ver a vitória de Nina e sabe que, até isso acontecer, ainda irá se surpreender muito.

Cauã Reymond esteve no programa do Faustão domingo e afirmou que a novela agora tem ‘cenas secretas’ sendo gravadas. Ou seja, para algumas cenas, o sigilo é total, e só entra no estúdio os atores cujos personagens estejam envolvidos.

A TV Globo quer evitar – em muito boa hora – que comecem a vazar notícias de próximas cenas, e o destrinchar de acontecimentos seja revelado, coisa que, quando acontece, causa muigta chateação em quem assiste à novela com emoção de telespectador fiel, e quer acompanhar o desenrolar da trama via tevê. Do contrário, melhor seria ler fotonovelas, já que a telenovela – assim como os filmes, mas sobretudo o gênero obra aberta televisiva, foi criado para se assistir via telinha, e não ficar conhecendo a trama via revistas, sites, ou comentários de colegas.

Você que não viu, mas quer checar a grande cena que foi ao ar hoje, cesse o site da Globo – www.globo.com – e confira. Amanhã, a cena continua, e haja competência.

A chegada de Carminha em casa, sozinha, crente que lá vai encontrar os empregados Lúcio e Janaína… e a personagem vai adentrando a casa, tudo no escuro, e, de repente, apenas um facho de luz acende e ela vê a ‘desaparecida’ Nina sorridente, e ainda ameaçando-a, e quando Nina diz pra ela acender a luz, Carminha acende e tem a surpresa inesperada… francamente, foi um show de Dramaturgia e Realização. Uma cena antológica, já nos arquivos das melhores cenas de telenovelas do país.

Resumindo: AVENIDA BRASIL está Sensacionallllllll !!!

Descoberta no Teatro, nordestina TITINA MEDEIROS dá Show em ‘Cheias de Charme’…

Feliz descoberta de ‘olheiros globais’, Titina Medeiros é um dos grandes trunfos da novela Cheias de Charme

Natural de Acari, no Rio Grande do Norte, com 16 anos de carreira no teatro potiguar e destaque nacional na festejada companhia Clowns de Shakespeare, Titina Medeiros, a Socorro da trama Cheias de Charme, está estreando nas novelas.

Com atuação de veterana, Titina esbanja competência e foi descoberta no Teatro, onde atua há 16 anos…

Encantada com o papel, a atriz diz que Socorro tem um quê de folclórico: “Ela é o Saci-Pererê, que é uma figura mítica que vem para provocar o caos. E é um malvado que ninguém percebe como malvado. Ele é visto com graça. A Socorro é essa figura popular dentro da novela. Ela faz errado, mas ela é engraçada, ela é humana”, explica Titina, que aposta que a empregada irá conquistar o público pelo humor.

Socorro fugindo dos conterrâneos depois de aprontar como falsa Chayenne

Na novela, a personagem vem do Piauí e vive ‘aprontando’. Pois Titina atua com tanta espontaneidade e descontração que é difícil  dissociar a atriz da espevitada empregada nordestina. TITINA teve sorte de pegar um papel onde pode derramar seu talento singular e natural vocação para a comédia. E se vale de expressões que já viraram ‘bordão’ para o público da novela. Afinal, é adorável acompanhar a atriz ‘roubando’ todas as cenas nas quais aparece e seus trejeitos, salamaleques e armações não permitem que ninguém passe impune ao seu desbaratado jeito de ser matreira. Com que categoria implacável ela se batizou de ‘personal colega de Chay’ (referindo-se a uma suposta amizade com a grande estrela da trama, a cantora brega, multivendedora de discos, CHAYENNE)…

A trama de Filipe Miguez e Izabel de Oliveira vem tendo ótimos índices de audiência: esta semana, marcou 33.7 de média e pico de 37 pontos. No mesmo horário, a Band, o SBT e a Record obtiveram 5.5, 5.0 e 4.7, respectivamente.

Titina Medeiros está em Cheias de Charme com ‘status de quinta protagonista’: “É como os autores Filipe Miguez e Izabel Oliveira vêm chamando a personagem dela, Socorro, uma empregada sem jeito para o trabalho doméstico – cozinha mal, é preguiçosa e atrapalhada”.

Titina conta: “Desde que eu comecei a gravar a novela, eu não sei muito o que eu estou fazendo. Até sei, mas é muito diferente do teatro”. Engraçada, a atriz compara o processo a tomar um caldo sem afogamento: “Estou me permitindo estar nessa onda”.

Sem tantas turbulências ou medo de morrer na praia, Titina diz ter-se inspirado em mulheres do povo e em uma travesti para dar vida à espevitada Socorro: “Não é um personagem que vou longe para elaborar. Ela está próxima de mim”, confessa a atriz assumindo o seu lado popular.


Titina Medeiros e Luiz Henrique Nogueira em cena de Cheias de Charme: trama conquista público e é recorde de audiência no horário…

* Se você não acompanha a novela Cheias de Charme, mas se interessa em conhecer grandes atuações, não deixe de ver a nordestina TITINA MEDEIROS dando Show de Interpretação na trama global das 19h… este AURORA DE CINEMA recomenda.

Desde já, a atriz é fortíssima concorrente à REVELAÇÃO DO ANO na telinha. Um luxo vê-la atuando… Saravá !!!

Deborah Secco poderá viver Joelma no Cinema

Deborah Secco poderá interpretar a cantora Joelma, da Banda Calypso, no cinema, revelou a própria cantora durante entrevista ao programa De Frente com Gabi, que vai ao ar neste domingo (22), no SBT.

Deborah Secco poderá assumir mais um personagem da vida real…

Joelma, que faz dupla com o marido Chimbinha, guitarrita, é do interior do Pará, e já vendeu mais de 10 milhões de discos em 12 anos de carreira.

A história da dupla será retratada num longa-metragem, com previsão para chegada aos cinemas em 2013.

“Acho o sucesso muito perigoso. Ele muda a personalidade das pessoas”, disse Joelma à apresentadora Marília Gabriela.

“Quando o Calypso surgiu, não prestava. Hoje é ‘cult'”, avaliou Chimbinha.

  Carol Soares/Divulgação/SBT  
Marília Gabriela recebe Joelma e Chimbinha da Banda Calypso neste domingo
Marília Gabriela recebe Joelma e Chimbinha, da Banda Calypso, no próximo domingo…

Betty Faria no Teatro Santa Isabel

Betty Faria não teve feriado nesta semana. “Foi feriado para Tiradentes, porque eu gravei novela”, brinca. Atriz de televisão, teatro e cinema, Betty diz que a calmaria não tem vez no seu cotidiano. “Gostaria que o dia tivesse 36 horas”. Atualmente, a eterna Tieta do Agreste está na telinha na novela Uma Rosa com Amor, do SBT, e no teatro com a montagem Shirley Valentine, com apresentações neste sábado e domingo, no Teatro Santa Isabel.


Espetáculo será apresentado neste sábado e domingo, no Teatro  Santa Isabel Foto: Aguida Amaral/Divulgacao

O texto da peça,  já adaptada ao cinema, é do inglês Willy Russel (o papel no teatro também já foi de Renata Sorrah, em 1991). Trata-se de uma mulher que, depois de um casamento de anos, filhos criados, se vê – literalmente – conversando com as paredes. Até que uma amiga a convida para fazer uma viagem pelas ilhas gregas. Mas ela ainda não tem certeza se vai viajar. “Não é papo de mulherzinha. Toca o coração de homens, jovens, mulheres, gays. Essa mulher é uma pessoa que tem uma vontade imensa de viver, mas que está amortecida”.

A atuação (que rendeu à atriz a indicação ao prêmio Shell na categoria melhor atriz – vencida por Fernanda Montenegro, de Viver sem Tempos Mortos) no monólogo marca o reencontro de Betty Faria com os palcos, depois de mais de dez anos longe do teatro. “São coisas da vida. Não sei te dizer porque foi tanto tempo. Realmente não sei. Quando estreei em São Paulo, vi como tinha sido uma boba. Deixei a vida me levar. E é verdade que foi uma década bastante complicada em minha vida, em vários sentidos”.

A atriz conta que o primeiro ‘encontro’ com Shirley Valentine aconteceu em janeiro de 2008, quando recebeu o texto de um produtor paulista interessado em montar a peça.

Só que, à época, Betty estava na televisão, na novela global Duas Caras. O trabalho, aliás, vinha se sucedendo de forma quase ‘engatinhada’. Betty fez o show BettyFaria.Doc, em que era acompanhada por uma banda, no Rio e em Fortaleza; atuou no filme Chega de Saudade, de Laís Bodanzky; nas novelas Pé na Jaca e Duas Caras.

Tempos depois, numa homenagem que recebeu do Banco do Brasil, Betty fez a leitura do texto. “Não pensava em fazer um monólogo, já tinha feito Camaleoa (1993), estive até aí no Recife. Mas ela (Shirley) aconteceu. Fui me encantando pela mensagem de força, superação, mudança, esperança”. A atriz conta ainda que não esperava a repercussão da peça e que está feliz por vir ao Recife. “É minha cidade de coração. Sou cria de ‘vó pernambucana’. Só tem uma tristeza: “não vou ficar o tempo que preciso para matar a saudade”.

Querida e aplaudida em todo o país, Betty Faria aporta em Recife para apresentação no histórico Teatro Santa Isabel

Shirley Valentine estreou em abril do ano passado, com direção de Guilherme Leme. O texto foi traduzido por Euclydes Marinho, com adaptação dele e de Leme, e mostra de forma muito contundente a situação limite de uma mulher. “Eu não sabia se fazia o que eu queria ou o que eu tinha de fazer. Estávamos em pé na fila do check-in, eu e a Jane. Eu perguntei para ela ‘pra que tanta vida se a gente não usa?’ Ela disse que era culpa dos homens e continuou a ler sua revista. Bobagem, não são os homens que fazem isso com as mulheres”.

Serviço  Shirley Valentine, com Betty Faria
Onde: Teatro Santa Isabel
Quando: sábado, às 21h; e domingo, às 20h
Quanto: R$ 80 (plateia), R$ 40 (meia); R$ 60 (camarote), R$ 30 (meia), à venda na bilheteria do teatro e na Saraiva do Shopping Recife
Informações: (81) 3232-2940

* Reportagem de Pollyanna Diniz, de Recife