Arquivo da tag: Sérgio Fonta e Rubens Corrêa

RUBENS CORRÊA REDIVIVO

Um dos mais importantes, vibrantes e emblemáticos atores do país, RUBENS CORRÊA é uma lacuna enorme, profunda, impreenchível.

De posse do livro RUBENS CORRÊA – UM SALTO PARA DENTRO DA LUZ, de autoria de Sérgio Fonta, o legado do ator nos preenche a alma inteira.

  

Ante a história de vida, pessoal e profissional de RUBENS – em quem as duas coisas eram inseparáveis -, somos tomados de imensa saudade, as lágrimas quase brotam e por vezes invejamos os muitos partícipes de seu bordado insuspeito e contínuo nos meandros misteriosos de quem abraça o TEATRO como quem sorve oxigênio na mais densa e límpida floresta de virgens matas e ventos benfazejos.

O livro de Sérgio Fonta, também ator, é um mergulho intenso e prazeroso pela trajetória singular de RUBENS CORRÊA: desde que o tomei nas mãos, não larguei mais. Quanto mais se lê, mais se quer avançar, “percorrer” os caminhos trilhados pelo ator matogrossense, vislumbrando pelo olhar de Rubens – tão bem captado por Fonta – momentos históricos e artísticos relevantes da cultura brasileira.

Invade-nos uma saudade… mas não triste, quase feliz, por um tempo que intuímos ter sido vivido em toda sua plenitude pelo visceral RUBENS, de quem tive a honra de ser aluna e espectadora muitas vezes.  

  

Rubens Corrêa com Antônio Petrin na novela O Marajá, na Rede Manchete

As judiciosas palavras de Sérgio Fonta – que em pouco mais de um ano realizou um trabalho de vulto, portentoso, exemplar e digno do traçado de RUBENS CORRÊA – merecem ser lidas. O livro Um Salto para Dentro da Luz é peça obrigatória em toda biblioteca que se arvore de ter este nome. É um dos mais volumosos e  bem escritos livros da Coleção APLAUSO – esta coleção vigorosa e por demais meritória bancada pela Imprensa Oficial de São Paulo, sob a coordenação insone de RUBENS EWALD FILHO, digna de todos os APLAUSOS. 

  

Rubens Corrêa recebe cumprimentos da eterna diva, Tônia Carrero: encontros felizes

Saber de RUBENS CORRÊA nos faz mais ricos de alma. Conhecer seus trabalhos nos enche de orgulho e também carência por tudo quanto “perdemos” ou não vivemos juntos. Saber de RUBENS CORRÊA nos faz acreditar: a entrega vale a pena e dedicar à vida ao que se ama engrandece e dá sentido à vida.

Perscrutar vida e obra de RUBENS CORRÊA nos faz validar as filigranas de todo trabalho artístico feito com amor, por amor, apesar e a partir dele, como assim foi, vida inteira, a plantação prolífica deste monumental ATOR, revalidada e redimensionada nas quase 600 páginas deste NECESSÁRIO TRABALHO de SÉRGIO FONTA, ora ofertado pela IMPRENSA OFICIAL DE SÃO PAULO àqueles que apreciam o SER e crêem, cada vez mais, na capacidade de perpetuar-se através dos amigos, das obras, do tempo voraz, o qual, entretanto, não joga cinzas sobre o MAIS. Ao contrário, encarrega-se de anunciar para os pósteros o que É porque sempre FOI e continuará eternamente SENDO.

SARAVÁ, RUBENS CORRÊA ! Que DEUS continue a nos inspirar com sua Força e sua LUZ através das eras, preservando você – e os muitos amigos com os quais a vida lhe abençoou, como IVAN DE ALBUQUERQUE e LEYLA RIBEIRO – no lugar reservado aos ANJOS, como inspiradamente nos impressiona Sérgio Fonta ao final de seu emblemático UM SALTO PARA DENTRO DA LUZ.

NOSSOS APLAUSOS CALOROSOS para Sérgio Fonta e a COLEÇÃO APLAUSO !!!

Nossa Estima e Admiração Eternas por RUBENS CORRÊA !!!

Enfim, A Biografia de RUBENS CORRÊA

Rubens Corrêa, um Salto para Dentro da Luz, livro de Sergio Fonta (Coleção Aplauso, Editora Imprensa Oficial de São Paulo, 600 p.) Lançamento: HOJE na Livraria Travessa / Leblon, às 19h. 

PORQUE  RUBENS CORRÊA MERECE NOSSA ETERNA SAUDADE e ADESÃO  

 

 

                 O Legado da Paixão

 

Rubens Corrêa foi um dos maiores atores do Brasil, talvez o maior. Para alguns esta afirmação pode parecer um exagero, mas não é: ele foi mesmo. Quem o assistiu em cena nunca mais o esqueceu. Diário de um louco, que ele interpretou com 33 anos, Marat-Sade (em São Paulo e depois Rio) ainda nos anos 60, O assalto, O arquiteto e o imperador da Assíria, Hoje é dia de rock, O beijo da mulher-aranha, mais que tudo Artaud! e O futuro dura muito tempo, seu último trabalho antes de retomar Artaud! até o fim de seus dias, todos estes trabalhos-ícones, entre dezenas de outros, transformaram-se num legado apaixonado de quem amou o teatro como poucos.

Nascido em Aquidauana, Mato Grosso do Sul, em 23 de janeiro de 1931 e morto em 22 de janeiro de 1996 no Rio de Janeiro, Rubens Corrêa construiu sua carreira ao lado do diretor e também ator Ivan de Albuquerque, cujo impulso definitivo veio com a inauguração do Teatro Ipanema, onde a dupla emplacou seus maiores sucessos. Mas Rubens não se limitou ao teatro e, embora não fosse o seu chão, realizou belos trabalhos também em cinema, como Na boca da noite e Álbum de família, entre outros, e na televisão, em novelas como Partido alto, Kananga do Japão e Pantanal, em Especiais como O bispo do rosário ou seriados como Decadência, de Dias Gomes, na Rede Globo, seu último trabalho em tv. Além disso, dirigiu inúmeros espetáculos com enorme sensibilidade, além de fazer a trilha sonora para vários deles. Amou o teatro, a poesia, a música, a vida e o ser humano. Um nome para não esquecer. Agora ficará para sempre lembrado também em livro.

O ator, dramaturgo e diretor Sergio Fonta conheceu Rubens Corrêa nos anos 70, bem jovem, quando começava sua caminhada, ainda como repórter, trabalhando no Jornal de Ipanema e no Jornal de Letras. Entrevistou-o diversas vezes durante a vida mas, desde a primeira vez, surpreendeu-se com seu carisma, sua inteligência e sua generosidade. Mais impactado ainda ficou quando assistiu à montagem histórica de O arquiteto e o imperador da Assíria, no Teatro Ipanema, em que Rubens contracenava com José Wilker, então surgindo como ator: acabou repetindo a dose por oito vezes mais.

Na introdução de Um salto para dentro da luz, Sergio Fonta fala da emoção daquele momento:

“ – O que dizer das atuações de Rubens, senhor do seu espaço, comandante irrevogável, dilacerado e definitivo, e de Wilker, pleno como o Arquiteto? Dois belos momentos de teatro. E o que dizer da inesquecível trilha sonora criada por Cecília Conde? E da encenação com direito a pietás, missas mozartianas e um enorme e misterioso chapéu branco de mulher”?

O trabalho de pesquisa de Fonta durou mais de um ano. Além da escrita do próprio livro em si, colheu dezenas de depoimentos e entrevistas com todos os que conviveram com Rubens no teatro, na tv ou no cinema, entre eles, Sérgio Britto, Ary Coslov, Julia Lemmertz, Emiliano Queiroz, Caíque Botkay, Ivone Hoffmann, Ricardo Blat, Fauzi Arap, Evandro Mesquita, Cristina Pereira, Thelma Reston, José Wilker, Nildo Parente, Maria Padilha, Walter Lima Júnior, Jacqueline Laurence, Rosamaria Murtinho e  Tizuka Yamasaki.

“ – Espero ter contribuído para a preservação da memória deste grande ator, diz Fonta. Seu universo é tão vasto, suas amizades tão permanentes, pois todos os que deram seus depoimentos conservam intactos seu sentimento por ele, que, talvez, fosse necessário mais um livro sobre ele, tanta a admiração e a saudade de quem o conheceu ou o viu num palco”.

 

Rubens Corrêa, um Salto para Dentro da Luz, será lançado no dia 24 de janeiro, próxima segunda-feira, na Livraria Travessa do Shopping Leblon, a partir das 19h. 

Algumas declarações sobre Rubens Corrêa para o livro Um salto para dentro da luz, de Sergio Fonta 

Emiliano Queiroz:

“RUBENS CORRÊA, um homem bom e generoso. Um artista BELO, um encantador de almas”.

 Rosamaria Murtinho: 

“Rubens deixou como legado o amor a um ideal, o amor ao teatro. A procura do texto bom para mostrar ao público. Ele sempre nivelou por cima. Sempre procurou coisa boa, espetáculo bom. E o público ia. Sempre”.

 

Maria Padilha: 

“Arte e ética juntos são imbatíveis! Esse, para mim, é o maior legado que o Rubens deixou”.

Júlia Lemmertz: 

Além de ser um ator incomparável, era uma criatura linda, dava vontade de ficar por perto dele e conversar muito”.

Sergio Britto: 

“Eu sempre disse que nós, atores, tentamos dialogar como os personagens à nossa frente. Sempre achei que o Rubens dialogava mais alto, sem exageros, ele dialogava com Deus. As suas falas adquiriam dimensão maior. Não eram meras palavras de um texto, era um ser humano tentando a comunicação maior. Esse é o Rubens Corrêa que merece ser lembrado”.

* Foi com grande alegria que soube, há mais de um ano, que Sérgio Fonta trabalhava na feitura desta biografia do ator RUBENS CORRÊA e, por causa disso, eu e Sérgio trocamos figurinhas desde então. Uma enorme e saudável alegria saber que ele se debruçava sobre vida e obra deste Mestre Querido de todos os Palcos e Telas, uma satisfação imensa partilhar este lançamento auspicioso de hoje com você, leitor amigo. Mais uma meritória iniciativa da Imprensa Oficial de São Paulo.

Esta redatora teve a honra e a alegria de entrevistar RUBENS CORREA, de vê-lo algumas vezes, sempre MAGNÂNIMO, em cima do palco, e ademais, a imensa Glória de ser aluna do Ator-Entidade, o Ator-Soberano, o Ator de todos os papéis e pra quem qualquer APLAUSO será, sempre, merecido.

Saudades enormes de Rubens Corrêa !