Arquivo da tag: Sergio Fonta

Vestido de Noiva, ainda e sempre… Nelson Rodrigues e o Teatro

Peça mais conhecida de Nelson Rodrigues ganha análise do escritor SÉRGIO FONTA

Leandra Leal brilhou na versão Vestido de Noiva de Gabriel Villela, em 2009

A conferência de SÉRGIO FONTA está marcada para o próximo dia 21 de agosto, terça-feira, a partir das 16h, com entrada franca.

Julinha Lemmertz ao lado do escritor Sérgio Fonta, autor de ótima biografia do ator Rubens Corrêa…

A Academia Luso-Brasileira de Letras, através de seu Presidente Francisco dos Santos Amaral Neto convida para Conferência com o ator/diretor e escritor SÉRGIO FONTA – que comanda o programa TRIBO DO TEATRO, toda sexta, às 12:30h, na rádio Roquette Pinto -, que vai comentar a obra de um dos Dramaturgos Brasileiros mais importantes de todos os tempos, o pernambucano NELSON RODRIGUES.

Nelson Rodrigues, um dos dramaturgos mais festejados do país…

A atual montagem de Vestido de Noiva pelo grupo Os Satyros: em cartaz até domingo no Teatro Cacilda Becker (SP). Direção Rodolfo García Vázquez e Helena Ignez como Madame Clecy.

Marília Pera: Madame Clecy na versão cinematográfica de Vestido de Noiva

A obra a ser destrinchada por Sérgio Fonta é a mais popular de Nelson, a emblemática Vestido de Noiva, que ganha sucessivas montagens em todas as partes do país, já tendo também chegado ao cinema e à tela da TV Globo.

Tônia Carrero e Suzana Vieira na versão de Vestido de Noiva para a TV Globo – Programa APLAUSO, 1979…

Considerada marco inicial do moderno teatro brasileiro, encenada pela primeira vez em 1943 com direção do polonês Ziembinski, Vestido de Noiva causa polêmica desde sua primeira montagem. Segundo o professor e crítico Sábato Magaldi, grande estudioso de Teatro, esta faz parte de uma série de peças psicológicas do dramaturgo, com uma linguagem forte que transporta para o palco a profunda angústia presente nos textos do autor, capaz de chocar e emocionar o público há gerações pelo modo cru e abrupto de retratar a realidade velada da classe média carioca.

Uma das montagens de Vestido de Noiva em 1965…

A trama acontece através de ações simultâneas, as quais vão-se desenhando em três planos – realidade, alucinação e memória.

Versão dos Sátyros: Ivam Cabral, Helena Ignez e Cléo De Páris (foto: André Stéfano)

VESTIDO DE NOIVA é a peça que deu início ao processo de modernização do teatro brasileiro

Essa era a segunda peça escrita por Nelson. O autor trabalhava como jornalista, profissão que herdara do pai, e procurava, naquele período, uma fonte de sustento complementar. Seu primeiro trabalho para os palcos, A Mulher sem Pecado, tinha como pretensão conseguir o sucesso obtido por outras produções da época, como A Família Lero-Lero, comédia do cearense Raimundo Magalhães Júnior.

O grupo Os Comediantes na revolucionária versão de Vestido de Noiva, 1943

De acordo com os estudiosos, embora a peça de Nelson fosse obra de valor artístico muito superior a de Magalhães Júnior, ao estrear, em 1942, não obteve a simpatia do público e resultou em fracasso de bilheteria. Um ano depois, Vestido de Noiva iria revolucionar o teatro brasileiro através da lendária montagem sob a direção do polonês Zbigniew Marian Ziembinski, que chegara ao Brasil cerca de dois anos antes. E aqui, pela primeira vez, foi então usado o hoje muito conhecido Método de encenação do russo Stanislavski, através do qual é o próprio ator quem empresta aos personagens suas emoções pessoais para então criar uma outra persona através de sua própria vivência, suas experiências, sua memória afetiva.

Ziembinski deu nova forma ao texto de Nelson. Seu rigor na encenação  com a exigência de ensaios constantes, e a transmissão de novas diretrizes em termos de interpretação elevou a concepção brasileira de teatro a novos níveis.

Yoná Magalhães como Alaíde na versão de Vestido de Noiva, em 1965…

A representação de VESTIDO DE NOIVA, conforme a divisão em 3 planos, desenvolve-se em três atos, cuja relação não é exatamente cronológica, a não ser no plano da realidade, o qual acompanha a degradação do estado de saúde de Alaíde e a aniquilação consequente dos outros dois planos.

A versão dirigida por Gabriel Villela em 2009 com Leandra Leal, Marcello Antony e Vera Zimmermann…

 A palestra de SÉRGIO FONTA intitula-se VESTIDO DE NOIVA: NELSON RODRIGUES EM TRÊS ÂNGULOS DE HISTÓRIA e acontece na próxima terça, com ENTRADA FRANCA.

SERVIÇO

Luciana Braga e Malu Mader em uma das versões de Vestido de Noiva

Conferência VESTIDO DE NOIVA: NELSON RODRIGUES EM TRÊS ÂNGULOS DE HISTÓRIA

Com o escritor SÉRGIO FONTA

ONDE:  Academia Luso-Brasileira de Letras
(Confederação das Academias de Letras do Brasil)

Endereço: rua Teixeira de Freitas, 5 / 3º andar, Lapa , RJ
perto da Estação Metrô/Cinelândia (saída Passeio)

Horário: 16h

ENTRADA FRANCA

Marcello Antony como Pedro e Leandra Leal como Alaíde em montagem dirigida por Gabriel Villela…

Sérgio Fonta dirige musical para Zé Kéti… Bravo !

Meu querido amigo SÉRGIO FONTA – ator/escritor/dramaturgo/roteirista e diretor de teatro –  esTá em cartaz na CAPITAL CARIOCA COM UM NOVO ESPETÁCULO.

dESTA VEZ, O CENÁRIO É O HISTÓRICO PRÉDIO DA Academia Brasileira de Letras, E O esPEtácUlo É dedicado ao nobre compoSitor Zé Kéti.

Sérgio Fonta com Denise Emmer (escritora, poeta, compositora e violoncelista), filha dos queridos Janete Clair e Dias Gomes, no lançamento do livro dele sobre Rubens Correa, na Livraria Argumento, em Ipanema (RIO)

Tudo com uma qualidade invejável e o CONHECIDO cuidado com o qual Fonta sempre faz qualquer coisa.

Vamos ao TEATRO !

RESTA UM.. filme marcante na cabeça de cada um

São tantas as opiniões que anotamos sobre nosso curta RESTA UM, que resolvemos publicá-las para partilhar com você, leitor amigo, que já conhece ou ainda vai ver este exercício audiovisual coletivo…

Roteiro inteligente, edição competente e condução elegante com Ingra Liberato esbanjando sensualidade.
                                               – Maria Letícia, cineasta

Foi um grande prazer te ajudar nessa. Adorei o filme!
               – Cavi Borges, cineasta

Importa pelo que é capaz de despertar no espectador…
                            – Edinha Diniz, pesquisadora de Música
Absolutamente transgressor, dá gosto ver, faz bem à alma.
                                               – Jorge Salomão, poeta

Bom de ver, leve, descontraído e alegre como sua diretora. Já disse que quero fazer parte do próximo.

                                      – Vera Ferreira, atriz


 Leve, descontraído, dá vontade de assistir mais de uma vez para adentrar melhor neste universo a que o filme nos remete.
                                                                     – Sérgio Fonta, ator

Supimpa ! Um sopro de bendita transgressão no universo audiovisual contemporâneo.
                                            – Carmem Araújo, filósofa

Uma excelente loucura, digna do Bressane… Você é demais, parabéns!
                                          – Miguel Jorge, escritor


Enfim, um filme que faz exatamente o que se propõe: instigar, confundir, mexer com o intelecto. E é gostoso de ver…
                                                      – Alice Gonzaga, pesquisadora

Resta Um é uma bela homenagem à Belair, mostra que ainda hoje a intuição pode vencer a forma e criar algo sensível e singelo.
                                                                          – Alex Moletta, dramaturgo

Tá muito legal o filme e é uma honra ter um trechinho do Áurea passeando lá dentro. Ver o filme deu vontade de estar lá.

                                                                          – Zeca Ferreira, cineasta


 Aurora constrói com habilidade e leveza um painel espontâneo sobre o fazer cinematográfico, renovando nosso espírito de querer encontrar o novo.  
                                                      – Jorge Ritchie, ator     

           
Um filme que reaviva a crença no cinema de invenção. 
                                                – Phylis Lilian Huber, jornalista

Inteligente, ousado, instigante, tão experimental como sua própria diretora.

                                                – Walter Webb, produtor e cineasta

Aurora, o filme é muito bommmmmmm ! Estou encantado… ele passa o tempo inteiro uma enorme vontade de fazer e isso é contagiante. E que atriz espetacular essa Ingra ! Parabéns !

                                                               – Gui Castor, cineasta

 

* O CARTAZ de RESTA UM é criação do amigo Chico Cavas Júnior…

Mais 21 Títulos Dignos de APLAUSO

A Cinemateca rasileira foi cenário esta noite do primeiro lançamento coletivo deste ano da Coleção Aplauso, editada pela Imprensa oficial do Estado de São Paulo, na gestão do professor Marcos Monteiro, no comando da instituição desde janeiro.

Para esse lançamento, foram selecionados 21 títulos,  sendo nove da série Perfil, oito da série Cinema Brasil e quatro da série Especial.

O total de títulos lançados da Coleção Aplauso, desde a sua criação em 2004, é de 260. Com os novos lançamentos esse número salta para 277. São livros que traçam o perfil de dramaturgos, atores, atrizes e diretores de teatro, cinema e televisão. A Coleção Aplauso também publica peças de teatro, críticas de cinema e roteiros cinematográficos e foi idealizada pelo crítico Rubens Ewald Filho, coordenador da meritória coleção.

Tânia Alves, uma das biografadas, e Rubens Ewald Filho, um querido

Série Cinema Brasil

As Melhores Coisas do Mundo”, roteiro de Luiz Bolognesi, para filme de Laís Bodanzky.

Carro de Paulista: Dos Palcos ao Cinema na TV”, texto teatral de Mário Viana e Alessandro Marson; roteiro de Dagomir Marquezi e Ricardo Pinto e Silva.

Dores e Amores”, roteiro de Patrícial Müller, Dagomir Marquezi e Ricardo Pinto e Silva.

Olhos Azuis”, roteiro de Paulo Halm, Melanie Dimantas e Jorge Duran; filme de José Joffily.

Os Famosos e os Duendes da Morte, roteiro de Esmir Filho e Ismael Caneppele; filme de Esmir Filho.

Jorge Ileli: O Suspense de Viver”, de Ely Azeredo.

Marco Altberg: Muitos Cinemas”, de Roberta Canuto.

Zelito Viana: Histórias e Causos do Cinema Brasileiro”, de Betse de Paula.

Série Especial

Dicionário de Fotógrafos do Cinema Brasileiro”, de Antonio Leão da Silva Neto.

Márcio Aurélio: O Que Estava Atrás da Cortina?”, de Aguinaldo Cristofani Ribeiro da Cunha.

TV Tupi do Rio de Janeiro: Uma Viagem Afetiva”, de Luís Sérgio Lima e Silva.

Ziembinski: Mestre do Palco”, de Antônio Gilberto.

Série Perfil

Bráulio Pedroso: Audácia Inovadora”, de Renato Sérgio.

Carlos Alberto Soffredini: Serragem nas Veias”, de Renata Soffredini.

Dina Lisboa: Moldando EmoçõesA Vida me Fez AssimAtriz, Mulher de Teatro”, de Maria Aparecida Lisboa.

Fúlvio Stefanini: Abrindo as Gavetas”, de Nilu Lebert.

Geraldo Vietri: Disciplina é Liberdade”, de Vilmar Ledesma.

Imara Reis: Van Filosofia” de Thiago Sogayar Bechara.

José Marinho: Luzes do Sertão, Luzes da Cidade”, de José Marinho, José Carlos Monteiro, Tunico Amâncio e Juliana Corrêa.

Lauro César MunizSolta o Verbo”, de Hersch W. Basbaum.

Rubens Corrêa: Um Salto para Dentro da Luz”, de Sérgio Fonta.

Coleção AplausoEditora: Imprensa Oficial do estado de São Paulo Quanto: R$ 15 (pockets) e R$ 30 (Série Especial).

RUBENS CORRÊA REDIVIVO

Um dos mais importantes, vibrantes e emblemáticos atores do país, RUBENS CORRÊA é uma lacuna enorme, profunda, impreenchível.

De posse do livro RUBENS CORRÊA – UM SALTO PARA DENTRO DA LUZ, de autoria de Sérgio Fonta, o legado do ator nos preenche a alma inteira.

  

Ante a história de vida, pessoal e profissional de RUBENS – em quem as duas coisas eram inseparáveis -, somos tomados de imensa saudade, as lágrimas quase brotam e por vezes invejamos os muitos partícipes de seu bordado insuspeito e contínuo nos meandros misteriosos de quem abraça o TEATRO como quem sorve oxigênio na mais densa e límpida floresta de virgens matas e ventos benfazejos.

O livro de Sérgio Fonta, também ator, é um mergulho intenso e prazeroso pela trajetória singular de RUBENS CORRÊA: desde que o tomei nas mãos, não larguei mais. Quanto mais se lê, mais se quer avançar, “percorrer” os caminhos trilhados pelo ator matogrossense, vislumbrando pelo olhar de Rubens – tão bem captado por Fonta – momentos históricos e artísticos relevantes da cultura brasileira.

Invade-nos uma saudade… mas não triste, quase feliz, por um tempo que intuímos ter sido vivido em toda sua plenitude pelo visceral RUBENS, de quem tive a honra de ser aluna e espectadora muitas vezes.  

  

Rubens Corrêa com Antônio Petrin na novela O Marajá, na Rede Manchete

As judiciosas palavras de Sérgio Fonta – que em pouco mais de um ano realizou um trabalho de vulto, portentoso, exemplar e digno do traçado de RUBENS CORRÊA – merecem ser lidas. O livro Um Salto para Dentro da Luz é peça obrigatória em toda biblioteca que se arvore de ter este nome. É um dos mais volumosos e  bem escritos livros da Coleção APLAUSO – esta coleção vigorosa e por demais meritória bancada pela Imprensa Oficial de São Paulo, sob a coordenação insone de RUBENS EWALD FILHO, digna de todos os APLAUSOS. 

  

Rubens Corrêa recebe cumprimentos da eterna diva, Tônia Carrero: encontros felizes

Saber de RUBENS CORRÊA nos faz mais ricos de alma. Conhecer seus trabalhos nos enche de orgulho e também carência por tudo quanto “perdemos” ou não vivemos juntos. Saber de RUBENS CORRÊA nos faz acreditar: a entrega vale a pena e dedicar à vida ao que se ama engrandece e dá sentido à vida.

Perscrutar vida e obra de RUBENS CORRÊA nos faz validar as filigranas de todo trabalho artístico feito com amor, por amor, apesar e a partir dele, como assim foi, vida inteira, a plantação prolífica deste monumental ATOR, revalidada e redimensionada nas quase 600 páginas deste NECESSÁRIO TRABALHO de SÉRGIO FONTA, ora ofertado pela IMPRENSA OFICIAL DE SÃO PAULO àqueles que apreciam o SER e crêem, cada vez mais, na capacidade de perpetuar-se através dos amigos, das obras, do tempo voraz, o qual, entretanto, não joga cinzas sobre o MAIS. Ao contrário, encarrega-se de anunciar para os pósteros o que É porque sempre FOI e continuará eternamente SENDO.

SARAVÁ, RUBENS CORRÊA ! Que DEUS continue a nos inspirar com sua Força e sua LUZ através das eras, preservando você – e os muitos amigos com os quais a vida lhe abençoou, como IVAN DE ALBUQUERQUE e LEYLA RIBEIRO – no lugar reservado aos ANJOS, como inspiradamente nos impressiona Sérgio Fonta ao final de seu emblemático UM SALTO PARA DENTRO DA LUZ.

NOSSOS APLAUSOS CALOROSOS para Sérgio Fonta e a COLEÇÃO APLAUSO !!!

Nossa Estima e Admiração Eternas por RUBENS CORRÊA !!!

Hoje tem TRIBO DO TEATRO

Tribo do Teatro / Ano 1
  
Hoje, sexta, 3 de dezembro, na Roquette-Pinto FM (94,1), ao meio-dia e meia, ou pelo site 94fm.rj.gov.br. 
(a edição anterior pode ser ouvida em qualquer outro horário, durante a semana, acessando o site da emissora). 
  

 

* Entrevista: Sergio Fonta conversa com a atriz Anita Terrana, produtora e protagonista da peça A prostituta respeitosa, de Sartre, que encerra sua temporada no Centro Cultural da Justiça Federal no dia 16
  
* Dica da semana:   Conversando com mamãe, com Beatriz Segall e Herson Capri (Centro Cultural Correios)
  
* Dionysos também lê:  Livros de ontem e de hoje – Coleção Teatro Brasileiro / vol. 1 , com peças de Maria Adelaide Amaral, Wladimir Capella, Jandira Martini e Domingos Oliveira
 
* Bastidores:  Três reestreias no Rio: Otro, Produto e Meniná
                          Curta temporada do espetáculo Nada, nenhum e ninguém, na Fundição Progresso
 
 
 
 
Contatos

Tudo, com detalhes, você ouve nesta sexta-feira na 94 FM.

 
Rádio Roquette-Pinto FM / Arte em Movimento / Tribo do Teatro (Av. Erasmo Braga, 118 / 11º)
 
Remessa de livros: Rua Paula Freitas 45 / 801  cep: 22040-010  Rio de Janeiro-RJ
 
Vá ao teatro ! 
Você precisa de teatro e o teatro precisa de você .

Sexta é dia de TRIBO DO TEATRO

HOJE, 26 de novembro...
a Roquette-Pinto FM (94,1), apresenta, 
ao meio-dia e meia, o programa TRIBO DO TEATRO
Acompanhe: 94fm.rj.gov.br 
 
* edição anterior pode ser ouvida em qualquer outro horário, acessando o site da emissora). 
  
  
* Entrevista: Sergio Fonta conversa com a atriz e jornalista Jalusa Barcellos, idealizadora da Escola das Artes Técnicas, há sete anos formando profissionais de excelência para o mercado de trabalho
 
 
* Dica da semana:   Maria do Caritó, de Newton Moreno, com Lília Cabral (Teatro dos Quatro)
     
* Dionysos também lê –  Livros de ontem e de hoje: Peças, Pessoas, Personagens, de Décio de Almeida Prado (Ed. Companhia das Letras)
 
* Bastidores –  Mais uma opção de comédia: O Pintor, direção de Guilherme Piva, no Teatro do Leblon 
 
  
Contatos
Rádio Roquette-Pinto FM / Arte em Movimento / Tribo do Teatro (Av. Erasmo Braga, 118 / 11º)
 
Remessa de livros: Rua Paula Freitas 45 / 801  cep: 22040-010  Rio de Janeiro-RJ
 
Vá ao teatro ! 
Você precisa de teatro
e o teatro precisa de você !

SEXTA é Dia de TRIBO DO TEATRO

Tribo do Teatro / Ano 1
  
Na Roquette-Pinto FM (94,1), ao meio-dia e meia, ou pelo site 94fm.rj.gov.br    

  

* Entrevista: Sérgio Fonta conversa com Rodrigo Nogueira, que escreve, dirige e também atua em sua nova peça, Ponto de fuga, em cartaz no Teatro Gláucio Gill.
   
* Dica da semana:   Hedwig e o centímetro enfurecido, direção de Evandro Mesquita, no Teatro das Artes. 
      
* Dionysos também lê: Livros de hoje, de ontem e de sempre: Um ator errante, de Yoshi Oida, prefácio de Peter Brook (Ed. Beca).
 
* Bastidores:  Sessenta títulos, a maioria de teatro, serão lançados no próximo dia 28, dentro da Coleção Aplauso, em São Paulo.
 
 
Contatos

Tudo, com detalhes, você ouve nesta sexta-feira na 94 FM.

 
Rádio Roquette-Pinto FM / Arte em Movimento / Tribo do Teatro (Av. Erasmo Braga, 118 / 11º)  ou  alazuli@terra.com.br
 
Remessa de livros: Rua Paula Freitas 45 / 801  cep: 22040-010  Rio de Janeiro-RJ
 
Vá ao TEATRO !
Você precisa de teatro e
o teatro precisa de você !

Hoje tem TRIBO DO TEATRO

Tribo do Teatro / Ano 1
  
HOJE, na Roquette-Pinto FM (94,1), ao meio-dia e meia, ou pelo site 94fm.rj.gov.br. 
 
  
 

* Entrevista: Sergio Fonta conversa com Artur Ribeiro, um dos diretores do imperdível espetáculo Fragmentos do Desejo, que, ao lado de André Curti, comanda a excelente Cia. Dos à Deux.
  
* Dica da semana:   Tudo o que eu queria te dizer, com Ana Beatriz Nogueira, no Centro Cultural Correios.
   
* Dionysos também lê:  Livros de ontem, de hoje e de sempre:
Vianninha/Teatro, Televisão, Política (Ed. Funarte)e hoje, de ontem e de sempre: Vianninha / Teatro, Televisão, Política, de Oduvaldo Vianna Filho. (Ed. Funarte)
* Bastidores:  Urucubaca!, de Jorge Mautner, com o Grupo AfroRegaee.  
 
 

Contatos

Tudo, com detalhes, você ouve na 94 FM.

 
Rádio Roquette-Pinto FM / Arte em Movimento / Tribo do Teatro (Av. Erasmo Braga, 118 / 11º)
Tels: (21) 2256-3535 ou 9606-4777.
 
Remessa de livros: Rua Paula Freitas 45 / 801  cep: 22040-010  Rio de Janeiro-RJ
 
Vá ao teatro !
Você precisa de teatro e o teatro precisa de você .

TRIBO DO TEATRO na Roquette-Pinto

Primeira audição foi ontem mas você pode acessar a Roquette-Pinto FM (94,1) a qualquer momento pelo site www.94fm.rj.gov.br

   

O programa que recomendamos é o  

Tribo do Teatro,

comandado pelo ator e jornalista Sérgio Fonta   

 

 
* Entrevista: Sergio Fonta conversa com a atriz e cantora Laila Garin, que faz sucesso no espetáculo Eu te amo mesmo assim (Teatro das Artes).
  
* Dica da semana:   Especial: nota para Cissa Guimarães.
 
* Dionysos também lê:  Arquitetura do espetáculo (teatro e cinemas na formação da Praça Tiradentes e Cinelândia), de Evelyn Furquim.
  
 
Contato: Rádio Roquette-Pinto FM / Arte em Movimento / Tribo do Teatro (Av. Erasmo Braga, 118 / 11º)
 
 
 

Vá ao teatro !

 

Você precisa de teatro e o teatro precisa de você !