Arquivo da tag: SESC Pinheiros

Mistérios da Amazônia no Teatro

ESPETÁCULO INFANTIL AMAZÔNIA ADENTRO APRESENTA MISTÉRIOS E HISTÓRIAS DA REGIÃO AMAZÔNICA
 
Com a Cia. Conto em Cantos, a peça possui texto inédito, criado a partir da pesquisa de campo em comunidades ribeirinhas realizada pelas atrizes Juliana Offenbecker e Priscila Harder

 
A Cia. Conto em Cantos está em temporada do espetáculo teatral infantil Amazônia Adentro, no Auditório do Sesc Pinheiros, fazendo apresentações todos os domingos até 12 de dezembro.  A peça aborda lendas e culturas da região amazônica e busca aproximar as crianças, jovens e adultos deste universo de magia, repleto de seres encantados e misteriosos.
 
O espetáculo possui texto inédito criado a partir da pesquisa de campo realizada pelas atrizes Juliana Offenbecker e Priscila Harder. As artistas pesquisaram por dois meses a cultura popular em comunidades ribeirinhas da Amazônia (Amazonas e Pará) e dedicaram quase dois anos para a construção da obra (entre 2008 e 2009), que possui também trilha sonora ao vivo e canções do poeta manauara Celdo Braga.
 
Na peça, Barbra e Sirona são vizinhas ribeirinhas no Amazonas. Sozinhas numa canoa desejam chegar a Parintins e participar da “Festa do Boi”. Nesta viagem percorrem uma trajetória mítica que envolve universos humanos e amazônicos, resgatando lendas, tradições, músicas, superstições e encantamentos do povo ribeirinho. Adentrando rios infinitos e matas densas e seculares, Barbra e Sirona, fazem também uma viagem para dentro de todos nós desvendando histórias, muitas vezes desconhecidas, mas tão ligadas a nossa fonte inicial, a nossa raiz: o ser brasileiro, o ser universal.
 
 
Ficha técnica
Direção e dramaturgia | Solange Dias
Pesquisa de campo | Juliana Offenbecker e Priscila Harder
Atrizes | Juliana Offenbecker e Priscila Harder
Direção musical e Músico | Fabio Freire
Canções | Fábio Freire e Celdo Braga (compositor manauara)
Manipulação de bonecos e contra-regra | Ludmila Dorta
Iluminação | Camila Andrade
Cenografia e adereços | Marisa Rebolo
Orientação de manipulação de bonecos | Carolina Cal
Preparação circense e teatro de sombras | Wilson Mandri
Figurinos e bonecos | Leide de Castro
Produção | Juliana Offenbecker e Priscila Harder

 
 
Cia. Conto em Cantos
A companhia Conto em Cantos foi fundada em 2005 pelas atrizes Juliana Offenbecker (formada pelo teatro-escola Célia Helena e licenciada em Artes Cênicas na UNESP) e Priscila Harder (formada pelo teatro-escola Célia Helena e Bacharel em Direção Teatral na Escola de Comunicação e Artes da USP).

Com interesse em aprofundar seus conhecimentos na linguagem cênica por meio de histórias e narrativas, e de levar o potencial transformador da vivência teatral ao mais diversos lugares a companhia desenvolveu, ao longo de 05 anos, apresentações de narração de histórias, entre as quais destacam-se: Contos de Meio Ambiente, Quatro Contos do Mundo, Encantos Reais, Limeriques, Contos Brasileiros e Uma Linda Mulher e outras histórias.
 
A linguagem da companhia prima por mesclar narração e dramatização, utilizar recursos sonoros e materiais simples que estimulem a imaginação. Atualmente, a companhia Conto em Cantos trabalha com espetáculos teatrais, narração de histórias e oficinas de teatro. Foram realizadas, desde 2005, mais de 400 atividades que ocorreram em teatros, escolas públicas e particulares, centros culturais, rede Sesc, livrarias, bibliotecas, feiras de livros e parques no estado de São Paulo  e em comunidades ribeirinhas e na periferia dos estados do Amazonas e do Pará.
Desde 2007 a companhia é contemplada pelo PROART e realiza apresentações em escolas municipais, CEUs e participa do programa Recreio nas Férias da Prefeitura Municipal de São Paulo.
Em 2009 estreou o espetáculo de teatro-narrativo VOZ INVENTADA, criado a partir de poemas de Manoel de Barros. Este espetáculo foi convidado a participar do projeto Viagem Literária 2010 e a realizar diversas apresentações em cidades do interior do estado de São Paulo.
No ano de 2008 iniciamos uma pesquisa de campo na Amazônia com os seguintes objetivos: intercambio cultural (narração de histórias do nosso repertório e coleta de histórias populares da região), imersão cultural, criação de uma nova dramaturgia baseada na cultura amazônica, e apresentação do espetáculo AMAZÔNIA ADENTRO. A pesquisa e o processo de criação duraram aproximadamente 2 anos, e culminou na estréia e temporada do espetáculo no Centro Cultural São Paulo.

VAMOS AO TEATRO !
 
Mais informações :
http://www.ciacontoemcantos.blogspot.com/

IMPRENSA OFICIAL Recebe TROFÉU APCA

 

Empresa receberá o inédito Troféu APCA, entregue pela primeira vez nesta edição como reconhecimento ao seu trabalho desenvolvido em prol das artes e da cultura paulistas. Premiação acontece nesta terça-feira, no Sesc Pinheiros, a partir das 20 horas.

Durante a 54ª edição do prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte, a Imprensa Oficial do Estado de São Paulo terá destaque especial ao ser premiada com o Troféu APCA. Criado pela entidade a partir desta edição para homenagear o trabalho de uma instituição, o troféu será concedido pela primeira vez como reconhecimento ao apoio e incentivo da empresa às artes, principalmente pelo lançamento da Coleção Aplauso.

Segundo a direção da APCA, a coleção é “um registro histórico relevante das artes paulistas”. O presidente da Imprensa Oficial, Hubert Alquéres, receberá o prêmio ao lado de Eva Wilma, Nicete Bruno e Etty Fraser, atrizes biografadas pela Aplauso, e Nydia Lícia, autora de “Eu Vivi o TBC” e da biografia de Raul Cortez, entre outros títulos da coleção. A cerimônia acontece HOJE, a partir das 20 horas, no Teatro Sesc Pinheiros – Rua Paes Leme, 195.

Com mais de 200 livros lançados desde 2004, a Coleção Aplauso, coordenada pelo jornalista RUBENS EWALD FILHO, reúne grande parte da memória artística nacional, entre biografias, roteiros de cinema, perfis e histórias de emissoras de TV. Seu objetivo é resgatar e registrar a história das artes cênicas nacionais e seus principais protagonistas. Boa parte dessa produção está acessível pela internet: numa iniciativa pioneira, a Imprensa Oficial colocou 174 livros da coleção à disposição para download gratuito no site www.imprensaoficial.com.br/colecaoaplauso. 

Desde sua entrada no ar, em dezembro de 2009, o portal teve 45 mil acessos, com 2,1 milhões de páginas visualizadas e cerca de 50 mil downloads feitos. Neste endereço estão disponíveis para download gratuito 174 títulos da Coleção Aplauso, com biografias de Raul Cortez, Fernanda Montenegro, Mazzaroppi, Cecil Thiré, Eva Wilma e Tônia Carrero; roteiros de filmes como Chega de Saudade, Cidade dos Homens, Contador de Histórias e Zuzu Angel; e a trajetória das TVs Tupi, Excelsior, Cultura e Gazeta e do Teatro Brasileiro de Comédia.

 

Mauro Mendonça autografa sua biografia em dia de lançamento da COLEÇÃO APLAUSO

Além da Coleção Aplauso, seu catálogo editorial reúne 650 livros, incluindo as áreas de Direito, História, Política, Antropologia, Comunicação, Informática e Ciência e Tecnologia. Parte deles é editada e produzida em coautoria com as mais importantes instituições educacionais e culturais do Pais, como USP, Unicamp e Unesp. A Imprensa Oficial possui ainda o selo Imprensa Social, que até o momento publicou 28 títulos.


Tônia Carrero recebe o carinho de TONY RAMOS na noite de lançamento de sua biografia, em belíssima edição, um dos volumes mais festejados da coleção

APCA Premia RÁDIO

 
O livro Ninguém Faz Sucesso Sozinho (2a edição, Escrituras Editora), de Antônio Augusto Amaral de Carvalho, o “Seu Tuta”, levou o Grande Prêmio da Crítica de rádio da Associação Paulista de Críticos de Arte. O prefácio da obra é de José Bonifácio de Oliveira Sobrinho (Boni), com organização e coordenação editorial do jornalista José Nêumanne Pinto.
 
A obra foi lançada em 21 de setembro passado, em evento que contou com mais de 2000 convidados durante oito horas de autógrafos, transformando-a rapidamente em sucesso editorial. Leitura obrigatória sobre os anos de ouro da Jovem Pan e TV Record, com seus programas memoráveis, o livro tem importância documental, apresentando depoimento autobiográfico de um pioneiro da história do rádio brasileiro.
 
Tuta inicia a narrativa contando seu primeiro contato com a então Rádio Panamericana, em 1949, e segue num depoimento apaixonante até os dias de hoje. Aos 78 anos de idade, Tuta continua à frente da Rádio Jovem Pan de São Paulo, uma das mais importantes do Brasil e do mundo, com mais de 140 emissoras afiliadas, que chegam a 1500 municípios brasileiros, atingindo 25 milhões de ouvintes. Na Jovem Pan, Tuta foi responsável por iniciativas pioneiras do rádio brasileiro, como a Jovem Pan online, o rádio com imagem.
A festa de premiação da APCA é amanhã, terça, às 20h, no Teatro Sesc Pinheiros (Sala Paulo Autran), em São Paulo, reunindo as maiores personalidades das artes do país.
 
 
Ninguém faz sucesso sozinho
A. A. A. de Carvalho – TUTA
2a edição
 
O livro Ninguém faz sucesso sozinho (Escrituras Editora) traz a  trajetória de vida do jornalista Antonio Augusto Amaral de Carvalho,o Tuta, um inovador e um dos nomes mais importantes da história da rádio e da televisão do Brasil.
 
O início da trajetória do jornalista Antonio Augusto Amaral de Carvalho, o Tuta, 78 anos, deixando sua marca na história da radiodifusão brasileira, ocorreu em 1949, como auxiliar na então Rádio Panamericana, que era, na época, a “Emissora dos Esportes”.
 
Em 1952, Tuta assumiu a direção-geral da Panamericana. Tinha, então, 21 anos de idade. Em 1953, Tuta deixou a Panamericana para trabalhar TV Record, que iniciava suas transmissões. Na TV Record, criou e dirigiu programas históricos da televisão brasileira, como “O Fino da Bossa”, “Bossaudade”, “Família Trapo”, “Hebe”, “Show do dia 7” e muitos outros que marcaram época.
 
Por seu trabalho na TV Record, da qual se desligou em 1973, Tuta recebeu por dez anos consecutivos, a partir de 1955, o Prêmio Roquete Pinto, que era a maior distinção da televisão brasileira na época. Em 1958, recebeu o Tupiniquim, da TV Tupi, e mais outro se seguiu. Em 1966 e 1969 foi agraciado com o Prêmio Governador do Estado.
 
Embora pertencendo aos quadros da TV Record, Tuta assumiu novamente a direção da Rádio Panamericana em 1964. O nome Jovem Pan, substituindo Panamericana, surgiu em 1965, dado pelo doutor Paulo Machado de Carvalho, o Marechal da Vitória. Em 1966, Tuta começou a grande transformação da emissora que, mais tarde, se tornaria em uma referência do rádio brasileiro.
 
Já com o nome de Jovem Pan, Tuta iniciou vários programas com ídolos da MPB que, na época, faziam grande sucesso na TV Record. Em 1970, começou a criar na Jovem Pan os primeiros programas jornalísticos e de prestação de serviços que transformaram o rádio do Brasil, fazendo escola, especialmente a “Equipe Sete e Trinta”, que depois se tornaria no “Jornal da Manhã”, que é o mais ouvido no país até hoje.
 
Em 1976, implantou a Jovem Pan-2, FM, designando Antonio Augusto Amaral de Carvalho Filho, para sua direção, cargo que ocupa até hoje. Foi outra iniciativa que mudou tudo nas FMs do país.
 
Em 1993, Tuta iniciou o Projeto Jovem Pan-SAT, implantado em 1994, transmitindo via satélite para todo o país, com sinal de áudio totalmente digital. Sob a direção de Marcelo Carvalho, hoje a Rede Jovem Pan-SAT, uma das maiores do mundo, conta com mais de 130 emissoras que transmitem para mais de 1500 municípios do país, incluindo 17 capitais, atingindo um contingente de 25 milhões de ouvintes.
 
Em 1997, Tuta criou o site da Jovem Pan na Internet, que se transformou, também, numa referência no que diz respeito à informação em tempo real.
 
Em 2007, implantou a Jovem Pan Online, o rádio com imagem, com uma programação que funciona dia e noite, abrangendo todos os setores, como Política, Economia, Esportes, Internacional, Cultura, Ciências e Comportamento. Dirigida por Sílvia Carvalho, a Jovem Pan Online representa outra iniciativa pioneira do jornalista Antonio Augusto Amaral de Carvalho que, com os olhos sempre voltados para o futuro, transformou a radiodifusão do Brasil, sempre com uma tecnologia e equipamentos de ponta, dos mais modernos do mundo, além de profissionais da mais alta qualidade, que fizeram a Jovem Pan ser chamada de “A Rádio do Brasil”.
 
José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, resume essa história com essas palavras que escreveu no livro: “Quando todos os profissionais de rádio achavam que nada mais havia para ser feito nesse veículo, Tuta apareceu com a inovadora Jovem Pan, diferente de todos os modelos existentes no rádio de todo mundo (…) Na televisão, Tuta foi responsável por inovações no esporte e no entretenimento que entraram para a história do veículo. Com a experiência da televisão, quando liderou a equipe A, produzindo as mais importantes atrações da TV Record, ele usou o rádio para fazer aquilo que a televisão sonhava fazer, mas não conseguia realizar (…) Reconheço e respeito Tuta, saudando-o por todo o seu magnífico trabalho na televisão e no rádio. E por este livro, que registra sua indiscutível competência e seu espírito renovador”.
 
José Nêumanne Pinto foi responsável pela organização, coordenação editorial, coleta de depoimentos e texto final do livro. Nêumanne é jornalista, poeta, escritor, editorialista do Jornal da Tarde e comentarista da Rádio Jovem Pan e do Sistema Brasileiro de Televisão (SBT).

Título: Ninguém faz sucesso sozinho (2a edição)
Autor:  A. A. A. de Carvalho – TUTA
Organização e coordenação editorial: José Nêumanne Pinto
Prefácio: José Bonifácio de Oliveira Sobrinho (Boni)
Colaboração especial: José Carlos Pereira
Foto capa: Fernando Gardinali
Gênero: Biografia/Literatura brasileira
ISBN: 978-85-7531-344-2
Formato: capa dura com sobrecapa, 21,5 X 27 cm
Páginas: 432
Peso: 2,070 kg
Preço: R$ 90,00
Escrituras Editora
 
Conheça todos os ganhadores do APCA 2009 em http://apca.org.br/OS_MELHORES_DA_APCA_EM_2009.pdf.