Arquivo da tag: teatro em Recife

Ceará leva Frei Tito ao Teatro de Recife

Este final de semana, o teatro cearense aporta em Recife através do Grupo Formosura Teatro.

Esta noite, acontece a primeira apresentação da leitura dramática de Frei Tito: Vida Paixão e Morte, texto do ator e encenador Ricardo Guilherme com direção de Graça Freitas.

Texto do dramaturgo Ricardo Guilherme em nova versão…

A realização é da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça e do Instituto Frei Tito de Alencar em parceria com o Grupo Formosura e a Secretaria de Direitos Humanos e Segurança Cidadã – Prefeitura de Recife.

As apresentações são gratuitas e acontecem no Teatro Luiz Mendonça -Parque Dona Lindu, HOJE às 20h30; amanhã às 20 h, e domingo em duas sessões, às 16h e às 19h. Além da peça, estará em cartaz a exposição  SALA ESCURA DA TORTURA sobre os últimos dias de Frei Tito.

A propósito: vale conferir o filme BATISMO DE SANGUE, do cineasta mineiro Helvécio Ratton, o qual aborda a questão dos frades dominicanos, torturados na época negra da história política brasileira, tendo como foco principal o Frei Tito de Alencar Lima, cearense morto em Paris, magistralmente interpretado por Caio Blat. O filme é baseado no livro homônimo de Frei Betto.

Confira trechos em http://www.youtube.com/watch?v=Abs9p0Dlt8U

Imagem

Grupo Formosura revive trajetória de Frei Tito através de texto de Ricardo Guilherme…

Deborah Secco no Teatro Santa Isabel

Nada do tradicional até que a morte os separe. Em Mais uma vez Amor, peça teatral com Deborah Secco e Erom Cordeiro, os personagens Lia e Rodrigo vivem um amor eterno cheio de encontros e desencontros, começos e recomeços. “Talvez não conte a sua história, mas com certeza vai passar por ela”, promete Deborah. Nas idas e vindas, os dois vivem intensamente uma história de amor que vai de encontro ao ideal de casamento feliz e muitos filhos correndo pela casa.

De hoje a domingo, o público recifense vai conferir em primeira mão, o resultado de uma intensa rotina de um mês de ensaio. Isso mesmo. Tudo foi concebido em pouco menos de trinta dias. Apesar disso, o elenco garante que a sintonia em palco é muito grande e que o público vai se divertir e emocionar com o enredo. Mais uma vez amor marca a volta de Deborah aos palcos, onde começou sua carreira de atriz, e sua estreia nos bastidores, como coprodutora. “Eu sempre dizia que queria voltar aos palcos. Se você espera os convites, eles vêm na hora errada. Quando consegui uma brecha, vi que ou eu produzia, ou não rolava. Recebi três convites depois, mas não eram o que eu queria fazer”, explica a atriz, que está de folga da televisão até o início das gravações da próxima novela das 8, escrita por Gilberto Braga, ainda sem título definido.

As transformações acontecem na frente do público, que assiste a mudanças de cenários e personagens, enquanto são projetada imagens que marcam a passagem de tempo e da história do país. Durante o período de ensaios, despertou interesse o fato de Deborah ficar só de calcinha em cenas quentes. “É o menos importante da peça. É como usar peruca no final, um elemento cênico. As pessoas têm que desfocar disso. Não é gratuito, nem comercial. É necessário para contar a história“, minimiza, bastante à vontade com a situação. De qualquer forma, quem se agradou com as fotos sensuais feitas para a Playboy em 1999 e 2002 terá a chance de vê-la ao vivo. Ou esperar a estreia do filme O Doce Veneno do Escorpião, protagonizado por ela no papel da prostituta Bruna Surfistinha.

Assim que leu o texto de Roseane Svartam (que dirigiu a adaptação para o cinema), Lulu Silva Telles e Ricardo Perroni, Deborah decidiu que queria encená-lo. “Pensei direto no Neco (Ernesto Piccolo), diretor da primeira montagem”. A escolha de Erom como companheiro de palco também foi imediata, embora através de teste de elendo. “Ele leu o texto e olhou fundo nos meus olhos. Naquela hora eu olhei para o pessoal da produção e já sabia: é ele”, lembra Deborah. Os dois se conheceram em 2006, nas gravações da novela América, em que Erom interpretou Zeca, peão que namorava Júnior (Bruno Gagliasso).

O espetáculo segue para Maceió, João Pessoa, Fortaleza e Salvador. “Recife é praça sempre incrível. As pessoas têm o hábito de ir ao teatro, respeitam. É uma emoção pisar no Santa Isabel”, defende Deborah. “Tudo calhou para que fosse aqui. A primeira montagem também estreou aqui. Vamos começar com o pé direito”, completa Erom.

Serviço
Mais uma vez amor, com Deborah Secco e Erom Cordeiro
Quando: 15 a 18 de julho (quinta a domingo), às 21h
Onde: Teatro Santa Isabel (Praça da República, s/n, Santo Antônio)
Informações: 3232-2940