Arquivo da tag: teatro municipal

Luz, Câmera, ARAXÁ: Primeiro Festival de Cinema será aberto dia 10 de setembro

Lançado esta manhã, em coletiva de imprensa no Teatro Municipal de Araxá, em Minas Gerais, o 1º ARAXÁ CINE FESTIVAL – Festival Nacional de Cinema de Araxá.

Débora Torres, uma exímia articuladora cultural, alcança mais um tento e consegue dar vazão ao seu objetivo de espalhar Cinema Brasileiro, por onde der. O ARAXÁ CINE FESTIVAL é mais uma cria de Débora, que sonhava á tempso essa benfazeja ideia.

A cidade de Araxá já está entando no clima do festival. Mês que vem, durante sete diasde 10 a 16 de setembro, a aprazível cidade mineira, conhecida por suas belezas naturias, águas e lamas medicinais, vai se transformar na Capital do Cinema Brasileiro.

A programação do Araxá Cine consiste em mostras competitivas cinematográficas, nas seguintes categorias: longas-metragens brasileiros de ficção convidados, curtas-metragens mineiros convidados, e curta-metragens araxaenses selecionados, festivalzinho para as crianças da rede municipal de ensino, palestras, debates, oficinas e workshops de audiovisual. O festival é realizado através da Lei de Incentivo à Cultura (Lei Rouanet – Ministério da Cultura), e todas as atividades programadas terão acesso gratuito, com apresentações musicais na abertura de cada sessão, promovendo o intercâmbio interregional entre profissionais, público e amantes da arte cinematográfica e musical. 

Porque um Festival em ARAXÁ 

O Estado de Minas Gerais sedia festivais nacionais e internacionais bem consolidados, os quais apresentam aos artistas e ao público referências de alta qualidade técnica e artística, não raras vezes marcadas pelo caráter de inovação. Araxá, cidade da messoregião do Triângulo Mineiro, possui aspectos que a tornam absolutamente propícia a receber um festival de cinema, a começar pela beleza de suas paisagens naturais, ainda mais quando o objetivo está alicerçado numa proposta onde história e memória da cinematografia brasileira desenham-se em intercâmbio com o local, regional e nacional,  centrando o foco no Cinema como Patrimônio em diálogo com o Público.

 As exibições dos filmes, oficinas e workshops serão itinerantes e gratuitos. Com estas ações pretende-se:   

. Troca de experiências e integração entre profissionais, críticos e artistas no campo do cinema e do vídeo, e demais artes ou segmentos culturais;  

. Fomentar a discussão sobre as possibilidades culturais locais; capacitar os agentes disseminadores da produção audiovisual; 

. Formar platéia para o cinema nacional, projetar o potencial turístico e cultural do município de Araxá; 

. Promover o cinema e o vídeo como forma de recurso multidisciplinar a ser usado nas escolas;  

. Fomentar a cultura cinematográfica;  

. Difundir o cinema brasileiro;  

. Despertar a criação de novos cineastas e entusiastas da cultura audiovisual brasileira;  

. Despertar nos empresários e políticos locais a necessidade de amplo investimento na área cultural e incentivar iniciativas para a preservação cultural.           

. Realizar uma semana de exibições públicas de filmes de todos os gêneros cinematográficos, com apresentação das equipes técnicas e artísticas dos filmes. 

. Realizar Oficinas de Roteiro, de Produção Executiva, Direção com duração de 6 dias, num total de 12 horas / aula, para cada oficina. 

. Realizar workshops de audiovisual.  

. Realizar 7 dias de apresentações de grupos musicais da Associação dos Funcionários e Alunos da Escola Municipal de Música Maestro Elias Porfírio de Azevedo.  

 

Como nasceu o I ARAXÁ CINE FESTIVAL 

O projeto é uma iniciativa de regionalização, nacionalização e democratização. A ideia é trabalhar para ver o Brasil presente nas telas, nas ruas, nas praças, no rosto, na voz, no pulso de quem faz, de quem vê, de quem pensa, de quem sonha, de quem acredita e cria oportunidades para provocar mudanças, gerar desenvolvimento, atrair novos agentes culturais, seja da estrutura de platéia à quem produz.

Objetivando apresentar ao público a diversidade da produção cinematográfica brasileira em formação, reflexão, exibição e difusão, o  1º ARAXÁ CINE FESTIVAL pretende abrir precedentes para disseminar Cultura & Arte em todos os aspectos, através de encontros e diálogos, de revelação e integração de novas iniciativas, ampliação e visibilidade para todos que têm compromisso com seu país. 

 

As imagens exercem um grande poder na formação das pessoas. A qualidade do conteúdo que apresentamos a elas, sejam filmes, programas de TV ou estímulos artísticos, ajudam na construção de valores e saberes. Música e cinema caminham paralelamente desde os tempos em que víamos desfilar num ecrã as imagens em preto e branco ao som de uma pianola; já então a música acompanhava as imagens e dava-lhes a expressão certa, fosse nos momentos de suspense, de tristeza ou numa mera cena de pancadaria. A empatia entre estas duas formas de expressão artística é tão forte que as nossas memórias de um filme são, frequentemente, a lembrança da trilha sonora ou, pelo menos, de um dos seus temas.

Os grandes realizadores perceberam cedo essa importância disso e contrataram para os seus filmes  os melhores compositores, sendo que alguns destes especializaram-se em música para o cinema. O cinema é uma expressão que incorpora a música, a literatura, as artes cênicas e plásticas, além de outras áreas do conhecimento, como história, geografia, ciência. A Sétima Arte pode ser um suporte para a formação cultural de um indivíduo mais crítico e consciente, bem como o audiovisual pode e deve ser usado como ferramenta pedagógica. 

 

O cinema valoriza a cultura (a ‘nossa’ e a do ‘outro’), incentiva a auto-estima, gera curiosidade e, acima de tudo, transforma o pensamento, diverte  as pessoas. Pode ser a chave para um mundo melhor. Um mundo que aceite as diferenças como parte da riqueza cultural.

Débora Torres, entusiasmada com a concretização do projeto, que alimentava há cerca de 3 anos, afirma: “Araxá é uma cidade acolhedora, com uma rede hoteleira muito boa. Queremos que seja um evento que venha para ficar.” 

Anápolis encerra Festival de Cinema com fôlego de gigante…

Festival idealizado por Débora Torres e realizado pela Prefeitura Municipal reúne grandes filmes e expressivos nomes, provando que veio para ficar e demarcar importante espaço no cenário audiovisual

A segunda edição do Festival de Cinema de Anápolis consagrou como grandes vencedores os filmes Estômago, Olhos Azuis e Como Esquecer.

Realizado de 19 a 26 de março, o festival foi idealizado pela produtora e cineasta Débora Torres, e possível graças à Prefeitura Municipal (através da Secretaria de Cultura), que tem como diretriz básica investir em Cultura e Educação. Único festival a homenagear o pioneiro Adhemar Gonzaga (jornalista fundador da revista Cinearte e da Cinédia) com o nome de uma mostra, o Festival de Cinema de Anápolis reuniu importantes nomes da cinematografia brasileira, de diversas regiões, numa semana de muita troca de experiências, debates, oficinas, homenagens, e exibições gratuitas, no teatro municipal e em diversas praças de comunidades da periferia anapolina.

Rubens Ewald Filho assinou a Curadoria da Mostra Adhemar Gonzaga de Longas-Metragens, na qual concorreram os seguintes filmes: Onde está a felicidade ?; As melhores coisas do mundo; Estômago; Como esquecer; O Palhaço; e Olhos azuis – todos os filmes contaram com pelo menos um representante presente ao festival, que teve ainda mostra de curtas anapolinos e mostra de documentários do centro-oeste.

A abertura foi com o documentário Bokemboka – a trajetória de ‘Seu Menino’ (vencedor do Prêmio Incentivar, concedido pela Prefeitura Municipal de Anápolis, na primeira edição do Festival), seguindo-se Rock Brasília – Era de Ouro, de Vladimir Carvalho.

Entre os muitos homenageados, Zózimo Bulbul, João Batista de Andrade, Embaixador Lauro Moreira, Vantoen Pereira Jr., Hermes Leal, André Moraes, Oscar Magrini, David Cardoso e Bete Mendes (a única que não pôde comparecer devido a compromissos por conta da novela Gabriela). Todos estes receberam o Troféu Anápolis, criação do artista anapolino Napefi.

David Cardoso também recebeu o troféu Anápolis e lançou livro no Festival…

Betina Vianny lançou livro com a obra do pai, e recebeu cumprimentos de Aurora Miranda Leão…

O festival também contou com lançamentos dos seguintes livros: ‘Davi Cardoso – O Rei da Pornochanchada’, autobiografia do ator; Acervo de Alex Vianny, de autoria da atriz Betina Vianny; Ensaios de Cinema, do crítico L.G. de Miranda Leão; Dicionário de Filmes Brasileiros – Curtas e Médias, por Antônio Leão; Cinema (d) e Horror: ensaios críticos, por Carolina Sartomen; além do lançamento do Box Mulheres que fazem cinema, reunindo 10 curtas de cineastas goianas – lançamento da Associação de Cinema Independente de Goiás (Acine).

No palco, convidados recebem box Mulheres de Cinema, lançado pela ACINE…

O Festival de Anápolis contou ainda com uma mostra paralela de filmes do cineasta João Batista de Andrade, e outra com curtas-metragens do ator e cineasta Zózimo Bulbul, que também participou (e foi muito aplaudido) de debate promovido pelo Cineclube Xícara da Silva, co-realizador do Festival. Aliás, cineclubistas do centro-oeste estiveram reunidos ali também por conta do I Encontro Anápolis de Cineclubes. E teve ainda o Festivalzinho, de 20 a 25 de março, com a exibição do filme Pequenas Histórias, de Helvécio Ratton, ofertado às crianças das escolas municipais mas com entrada franca a toda a comunidade.

Zózimo Bulbul e Vladimir Carvalho em foto de Aurora Miranda Leão…

Germano Pereira mostrou que além de ótimo ator, também canta e toca com simpatia e competência… a noite foi no Pub 767 e a platéia quase não deixa ele sair do palco… Saravá !

A comissão julgadora, coordenada pelo produtor Delvo Simões, foi formada por Rosamaria Murtinho, Alice Gonzaga, Leandro Firmino da Hora, Walter Webb, Ingra Liberato, o embaixador Lauro Moreira, Germano Pereira, Vladimir Carvalho e Jarleo Barbosa. Dentre as oficinas, Cinema e Filosofia com a socióloga gaúcha Ada Kroef, e Produção de curta digital de baixo custo, com o dramaturgo e roteirista Alex Moletta.

Alice Gonzaga, David Cardoso e Aurora Miranda Leão no hall do Teatro Municipal…

Murilo Rosa e Elisa Tolomelli no debate sobre o longa Como esquecer

Além de todos os nomes já citados, circularam em Anápolis na semana do Festival, os seguintes atores, atrizes e produtores: Carlos Alberto Riccelli, Murilo Rosa, Fernando Alves Pinto, Irandhir Santos, Erom Cordeiro, Gustavo Machado, Babu Santana, Bruna Barros, Elisa Tolomelli, Cláudia Natividade, Mallu Moraes, Ana Carolina Machado (do filme O Carteiro), Wandi Doratiotto, Flávia Rodrigues, Ângelo Lima, e as belas atrizes Gisella Motta e Bruna Chiaradia (do filme O Palhaço).

Gisella Motta, Flávia Rodrigues, Bruna Chiaradia e Aurora Miranda Leão…

Wandi Doratiotto, Aurora Miranda Leão e Fernando Alves Pinto: curtição na noite anapolina…

Carlos Alberto Riccelli também curtiu a noite anapolina e distribuiu simpatia…

De quebra, a organização do Festival ofereceu alguns passeios prá lá de especiais, entre esses uma visita à Base Aérea de Anápolis, ao Porto Seco, e um passeio à Pirenópolis, onde um grupo, liderado pelo produtor Walter Webb, foi fazer uma visita à atriz Eliane Lage (Diva do cinema brasileiro dos anos 50, estrela dos filmes Sinhá Moça e Ravina).

Walter Web, Eliane Lage, Lucília e Vladimir Carvalho, e Lauro Moreira…

Confira os vencedores:

1.1 – Melhor Filme de Ficção  – ESTÔMAGO-de Marcos Jorge-R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais) mais troféu;

1.2 – Melhor Direção-OLHOS AZUIS-de José Joffily – R$ 12.500,00 (doze mil e quinhentos reais) mais troféu;

1.3 – Melhor Ator-OLHOS AZUIS-Irandhir Santos –R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.4 – Melhor Atriz-COMO ESQUECER-Ana Paula Arósio –R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.5 – Melhor Ator Coadjuvante-ESTÔMAGO-Babú Santana – R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.6 – Melhor Atriz Coadjuvante-ESTÔMAGO-Fabíula Nascimento – R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.7 – Melhor Roteiro-OLHOS AZUIS- Paulo Halm e Melanie Dimantas – R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.8 – Melhor Fotografia-AS MELHORES COISAS DO MUNDO- Mauro Pinheiro Jr. – R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.9- Melhor direção de Arte-O PALHAÇO- CLAUDIO AMARAL PEIXOTO-

R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.10-Melhor Montagem-OLHOS AZUIS- Pedro Bronz- R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.11-Melhor Som-ONDE ESTÁ A FELICIDADE?- Miriam  Biderman, ABC, e Ricardo Reis

 R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.12Melhor trilha Sonora-AS MELHORES COISAS DO MUNDO-BiD- R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu; 

A produtora e roteirista Cláudsa Natividade com Babu Santana: prêmios para Estômago

1.13- – Melhor curta-metragem documentário do Centro-Oeste-DIGA 33-de Angelo Lima –– R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

 

David Cardoso, Carlos Alberto Riccelli e Rubens Ewald Filho: feliz reencontro de amigos…

1.14 – Melhor curta-metragem Anapolino-O GIRO DA CAPELINHA-de Arnaldo Salustiano de Moura – Prêmio Incentivar- Secretaria Municipal da Cultura à Produção de curta-metragem que será destinado à produção de um novo curta-metragem a ser produzido na região de Anápolis e exibido na abertura do 3º ANÁPOLIS FESTIVAL DE CINEMA – R$ 37.500,00 (trinta e sete mil e quinhentos reais) mais troféu;

 

Débora Torres e Alice Gonzaga: amizade acalentada pela Sétima Arte…

‘Estômago’ e ‘Olhos Azuis’, os grandes vencedores de Anápolis

AURORA DE CINEMA direto do Festival de Anápolis:

Foi bonita e com platéia lotada a noite de encerramento do II Festival de Cinema de Anápolis, realizada no Teatro Municipal da cidade.

Walace Oliveira, Débora Torres e Aurora Miranda Leão: Anápolis é de Cinema !

Tudo começou antes das 19h com apresentação de banda de música no espaço contíguo ao teatro.  Às 20 horas, o apresentador Guido Campos subia ao palco para dar início à solenidade, que começou com uma apreentação de dança e seguiu com a exibição de O Sumiço de Alice.

O curta, da jornalista Aurora Miranda Leão, ganhou rápido a adesão da platéia, a qual se reconhecia na tela através dos ‘personagens’ que aparecem no doc-ficção, todos convidados e participantes da primera edição do Festival de Cinema de Anápolis.

Quem mais chamou a atenção da platéia foi a atuação convincente de Débora Torres, produtora, cineasta, idealizadora e coordenadora-geral do Festival de Anápolis, que surpreendeu porque também revela em O Sumiço de Alice seus fartos dotes interpretativos.

Alice Gonzaga e o protagonista do curta anapolino, KITE

Foi uma alegria para a produtora Aurora de Cinema poder ganhar elogios para O Sumiço de Alice do músico André Moraes, da figurinista Biza Vianna, e da atriz Bruna Chiradia.

Após a exibição do curta, vieram as homenagens, e só depois então começou a divulgação dos nomes dos vencedores do Festival de Cinema de Anápolis.

Babu Santana: atuação vencedora, unanimidade entre júri e platéia…

Entre os vencedores, os que mais conquistaram a adesão da platéia foram os troféus e prêmios para o filme Estômago, de Marcos Jorge, escolhido o melhor da competição, levando também os prêmios para Melhor Ator e Atriz Coadjuvantes.

Babu Santana e Fabíula Nascimento foram os coadjuvantes vencedores, enquanto Ana Paula Arósio e Irandhir Santos ganharam como Melhor Atriz e Ator.

Ana Paula Arósio, símbolo de beleza e elegância, é atriz pra ninguém botar defeito e foi, disparado, a Melhor Atriz em Anápolis… Como esquecer Arósio ?

Anápolis vai viver semana de Capital do Cinema Brasileiro

Está tudo pronto para o II Anápolis Festival de Cinema. O festival, idealizado e coordenado pela produtora e cineasta Débora Torres, reverteu-se de pleno êxito quando de seu lançamento, ano passado, e este ano vem maior e com boas novidades. O festival será aberto na próxima segunda, 19, às 19 horas, e prossegue até dia 26, no Teatro Municipal de Anápolis.

Débora Torres (entre Murilo Rosa e Alberto Araújo): energia para comandar um festival que já nasceu grande…

A abertura do II Anápolis Festival de Cinema será marcada pela exibição do filme documentário Bokemboka – A trajetória de Washington “Seu Menino”. A obra tem direção de Carlos César, o Cesinha, e foi produzido a partir do Prêmio Incentivar da primeira edição do festival.

A abertura da Mostra Adhemar Gonzaga de Cinema Brasileiro será com a exibição do documentário Rock Brasília – Era de Ouro, de Vladimir Carvalho, um olhar sobre as bandas e o movimento de rock em Brasília, nos anos de 1970. 

Rubens Ewald Filho, Curador da Mostra de Longas, é presença garantida

O festival ainda terá a presença do renomado crítico de cinema e curador da Mostra de Longas-metragens Convidados, Rubens Ewald Filho; do curador da Mostra de Curtas Documentários do Centro- Oeste, Beto Strada; a atriz e curadora da Mostra Curtas Anápolis, Mallu Moraes; os atores Leandro Firmino e Germano Pereira, e o cineasta João Batista de Andrade.

Germano Pereira, sucesso na novela Passione, estará no festival de Anápolis

A mostra de longas-metragens de Ficção Brasileira homenageia o pioneiro Adhemar Gonzaga, fundador da CINÉDIA, a primeira companhia cinematográfica brasileira. Nessa modalidade, além do filme Rock Brasília, serão exibidos, a cada noite, os filmes Onde está a Felicidade ?, de Carlos Alberto Riccelli; As Melhores Coisas do Mundo, de Lais Bodanzki; Estômago,de Marcos Jorge; O Palhaço, de Selton Mello; Como Esquecer,de Mallu De Martino; e Olhos Azuis, de José Joffily, sempre às 19 horas, no Teatro Municipal.

Selton Mello vai a Anápolis com o seu premiado O Palhaço

O II Anápolis Festival de Cinema é aberto a toda comunidade, a qual terá a oportunidade de acompanhar a exibição de filmes de produção regional e nacional gratuitamente. O festival ainda possibilita a aproximação da plateia com atores e produtores cinematográficos, gerando assim uma interação única oportunizada pelo Festival.

Alice Gonzaga, filha do pioneiro Adhemar Gonzaga, estará na comissão julgadora e no curta O Sumiço de Alice, a ser exibido no encerramento…

FESTIVALZINHO

Junto à programação do II Anápolis Festival de Cinema, acontece o Festivalzinho, sessões de filmes desrtinados às crianças da rede municipal de ensino. Também serão ministradas durante o festival as oficinas Cinema & Filosofia com Ada Kroef , e Produção de Curta Digital de Baixo Custo com o cineasta/ator/dramaturgo Alex Moleta, além da realização de debates com diretores, produtores e elenco dos filmes das mostras competitivas.

A atriz Bete Mendes é presença confirmada em Anápolis

Presenças

O Festival contará com a presença de grandes personalidades do cinema como Rubens Ewald Filho (curador da mostra de longas convidados); do compositor e trilheiro, André Moraes; Beto Strada (curador da mostra de curtas documentários do Centro- Oeste); as atrizes Mallu Moraes (curadora da mostra de curtas anapolinos), Bete Mendes, Rosamaria Murtinho (presidente do júri), Betina Viany e Ingra Liberato; os atores Oscar Magrini, Irandhir Santos, Leandro Firmino, Germano Pereira, Murilo Rosa, Gustavo Machado, Wandi e Babu Santana; os cineastas Zózimo Bulbull, Carlos Alberto Riccelli, Selton Mello, João Batista de Andrade, José Joffily, Jarleo Barbosa, Walter Webb, Vladimir Carvalho e Alex Moleta (oficineiro do festival); o embaixador Lauro Moreira; os jornalistas, Hermes Leal, Cid Nader e Aurora Miranda Leão (também atriz e cineasta); os produtores Fabiano Gullane, Marcelo Tôrres, Elisa Tolomelli, Ligocki, Alice Gonzaga, Biza Viana e Cláudia Natividade; o fotógrafo Vantoen Pereira Júnior; entre outros.

 A atriz Ingra Liberato vai levar sua beleza para Anápolis…

Premiações

Os filmes selecionados para o II Anápolis Festival de Cinema concorrerão ao troféu Beto Leão de Cinema.  O prêmio é uma homenagem in memoriam ao ex-crítico, pesquisador, roteirista, diretor, produtor e escritor goiano. Também serão conferidos o Troféu Anápolis (criação do artista plástico Napefi) aos vencedores e Troféu Anápolis Homenagem a nomes significativos do cinema brasileiro.

Irandhir Santos, do elenco de Olhos Azuis, estará em Anápolis

OS LONGAS DE ANÁPOLIS
Mostra Adhemar Gonzaga de Cinema Brasileiro
ROCK BRASÍLIA – Era de Ouro

Datal: Dia 19 de Março às 19 horas
Local: Teatro Municipal de Anápolis
Reexibição: Dia 20 de Março às 19 horas
Local: Parque Ipiranga 

ONDE ESTÁ A FELICIDADE ?

Datal: Dia 20 de Março às 19 horas
Local: Teatro Municipal de Anápolis
Reexibição: Dia 21 de Março às 19 horas
Local: Industrial Munir Calixto 
AS MELHORES COISAS DO MUNDO

Datal: Dia 21 de Março às 19 horas
Local: Teatro Municipal de Anápolis
Reexibição: Dia 22 de Março às 19 horas
Local: Vila Formosa 
ESTÔMAGO

Datal: Dia 22 de Março às 19 horas
Local: Teatro Municipal de Anápolis
Reexibição: Dia 23 de Março às 19 horas
Local: Distrito de Goialândia – Anápolis GO 

O PALHAÇO

Datal: Dia 23 de Março às 19 horas
Local: Teatro Municipal de Anápolis
Reexibição: Dia 23 de Março às 19 horas
Local: Distrito de Souzânia – Anápolis GO


COMO ESQUECER

Datal: Dia 24 de Março às 19 horas
Local: Teatro Municipal de Anápolis
Reexibição: Dia 25 de Março às 19 horas
Local: Bairro São Joaquim 

OLHOS AZUIS

Datal: Dia 25 de Março às 19 horas
Local: Teatro Municipal de Anápolis
Reexibição: Dia 26 de Março às 19 horas
Local: Bairro Recanto do Sol

Confira a premiação:

Longa-metragem de ficção – Mostra Adhemar Gonzaga

Melhor Filme de Ficção – R$ 25 mil, mais troféu;
Melhor Direção – R$ 12,5 mil, mais troféu;
Melhor Ator –R$ 6.250 mil, mais troféu;
Melhor Atriz –R$ 6.250 mil, mais troféu;
Melhor Ator Coadjuvante – R$ 6.250 mil, mais troféu;
Melhor Atriz Coadjuvante – R$ 6.250 mil, mais troféu;
Melhor Roteiro – R$ 6.250  mil, mais troféu;
Melhor Fotografia – R$ 6.250 mil, mais troféu;
Melhor Direção de Arte – R$ 6.250 mil, mais troféu;
Melhor Montagem – R$ 6.250 mil, mais troféu;
Melhor Som – R$ 6.250 mil, mais troféu;
Melhor Trilha Sonora – R$ 6.250 mil, mais troféu.

Curta- metragem Documentários do Centro-Oeste

Melhor curta-metragem do Centro-Oeste – R$ 6.250 mil, mais troféu.

Curta Anápolis 

Melhor Curta Metragem Anapolino – Prêmio Incentivar – Secretaria Municipal da Cultura. A premiação será destinada à produção de um curta, a ser produzido na região de Anápolis e exibido na abertura do III Anápolis Festival de Cinema. Valor do prêmio R$ 37,5 mil, mais troféu.

O Sumiço de Alice será atração na festa de encerramento do Festival de Anápolis

 

O Sumiço de Alice, mais recente curta-metragem Aurora de Cinema Produções, foi escolhido para abrir a solenidade de encerramento da segunda edição do Festival de Cinema de Anápolis, que começa no próximo dia 19 e prossegue até dia 26.

Alice Gonzaga, grande inspiradora e homenageada com o curta de Anápolis…

Rodado em Anápolis (GO), durante o I Festival de Cinema de Anápolis (idealizado e coordenado pela cineasta Débora Torres), realizado em abril de 2011 no município goiano, o curta é um trabalho experimental que agrega diversos nomes importantes do cinema nacional. 

A inspiração veio numa visita à bucólica cidade de Pirenópolis, em passeio proporcionado pela organização do festival, reunindo diversos realizadores, produtores e artistas. 

Berço de tantos filmes brasileiros (como “Simeão, o boêmio”, primeiro filme dirigido pelo goiano João Bennio; O Tronco, de João Batista de Andrade; O Leão do Norte, de Carlos Del Pino; e o curta Borralho, do maranhense Arturo Sabóia de Almada), Pirenópolis é um município tombado pelo Patrimônio Histórico, a atrair, durante todo o ano, um enorme fluxo de turistas por conta de suas belezas naturais, sua tranqüilidade e suas festas populares, como as tradicionais Cavalhadas.

 

Selva Aretuza estreia como atriz em atuação descontraída…

Gravado em formato digital, com imagens captadas em mini DV, o curta O Sumiço de Alice é mais uma produção Aurora de Cinema, finalizada em parceria com a Cabeça de Cuia Filmes (da fotógrafa e cineasta cearense Lília Moema). 

Guido Campos, ator goiano, tem participação destacada em O Sumiço de Alice…

O processo de produção resume-se a 3 dias de filmagens no circuito Teatro Municipal-Estância Park de Anápolis, mas, apesar do pouco tempo, o filme conta com elenco estelar, onde despontam o talento vibrante de Zezeh Barbosa, a criatividade singular dos goianos Deborah Torres e Guido Campos, a expressividade da atriz Dila Guerra, a criatividade do escritor Miguel Jorge, a descontração do cineasta e produtor Walter Webb, a simpatia de Alice Gonzaga, o tom descontraído de Mallu Moraes, a seriedade na estréia de Selva Aretuza e Manaíra Carneiro, além da inteligente participação dos jornalistas Cid Nader e Felipe Brida.

 

Mallu Moraes, Guido Campos e Dila Guerra: trio é pura descontração …

Um belo plano-seqüência gravado em Pirenópolis responde pela abertura de O Sumiço de Alice. O filme vai-se desenvolvendo e, ao longo de seus 20 minutos, uma sucessão de imagens e depoimentos insólitos vão mapeando a intrincada história do inopinado e misterioso sumiço de Alice.

 

Débora Torres: produtora revela dimensão de seu talento como atriz…

Até o final, paira no ar a pergunta que não quer calar: como e porquê Alice sumiu  

* O Sumiço de Alice terá sua  exibição pública no II ANÁPOLIS FESTIVAL DE CINEMA, às 19h, abrindo a solenidade de encerramento. 

A  ótima Zezeh Barbosa é destaque com participação cativante e bem humorada…

FICHA TÉCNICA 

Argumento, Roteiro, Fotografia e Direção: Aurora Miranda Leão

Produção: Aurora de Cinema e Cabeça de Cuia Filmes

Apoio de Set: Pedro Pinheiro e Ângela Torres

Assistente de produção: Itamar Borges, Mallu Moraes e Luziany Gomes

Direção de Platô: Laura Pires

Trilha sonora  – Carmina Burana, de Mozart (versão remix)

                                 Capricho, de Villa Lobos

 (Antônio Meneses, violoncelo – Cristina Ortiz, piano)

                            

Edição: Aurora M. Leão e Lília Moema

Still: Edvaldo Cajazeira e Laura Pires

Elenco:  ALICE GONZAGA

                ZEZEH BARBOSA

                DÉBORA TORRES

                GUIDO CAMPOS

                WALTER WEBB

                MIGUEL JORGE

                SELVA ARETUZA               

                DILA GUERRA

                MALLU MORAES

                JOÃO BATISTA DE ANDRADE

                MANAÍRA CARNEIRO

                CID NADER

                FELIPE BRIDA

                SERINA RARUÁ

                ITAMAR BORGES

                LAURA PIRES

                ED CAJAZEIRA

 

Sai o edital do II Festival de Cinema de Anápolis

 

EDITAL N° 01/2012 do II ANÁPOLIS FESTIVAL DE CINEMA

 

Nome:

PREFEITURA MUNICIPAL DE ANÁPOLIS

Modalidade:

 

C o n c u r s o
Local:

 

 

 

Praça Bom Jesus, nº101 – Centro – Anápolis – GO

CEP: 75025 – 050

Tel: 3902–1074 / 3902-1077

 

Site:  

www.anapolis.go.gov.br/anapolisfestivaldecinema

 

 

Horário:

 

Atendimento: 09h às 12h e 14h às 18h.

 

Objeto: Consiste na realização de mostras competitivas ADHEMAR GONZAGA de filmes de longas-metragens brasileiros de ficção convidados e que tenham sido premiados em festivais de cinema nacionais ou internacionais; de curtas-metragens documentários do Centro-Oeste e de curtas-metragens anapolinos a serem selecionados na forma deste Edital, e exibidos no 2º ANÁPOLIS FESTIVAL DE CINEMA, no período de 19 a 26 de março de 2012, no Teatro Municipal de Anápolis.

 

Inscrições de curtas documentários do Centro-Oeste e de curtas anapolinos:

De 1º de fevereiro a 13 de março de 2012 no site do festival.

 

Premiação “BETO LEÃO”:

R$ 143.750,00 (cento e quarenta e três mil e setecentos e cinqüenta reais) a serem distribuídos em três categorias, a saber: longa-metragem de ficção brasileiro, curta-metragem documentário do Centro-Oeste e curta-metragem anapolino de todos os gêneros.

 

PREÂMBULO

 A Prefeitura Municipal de Anápolis, por intermédio da Secretaria Municipal de Cultura, torna público que realizará o 2º Anápolis Festival de Cinema, doravante denominado 2º ANÁPOLIS FESTIVAL, regido pela Lei Federal nº 8.666, de 21 de junho de 1993, e alterações posteriores, na modalidade Concurso no período de 19 a 26 de março de 2012, no Teatro Municipal de Anápolis. 

01. OBJETO 

Consiste na realização de mostras competitivas de filmes de longa-metragens brasileiros de ficção convidados e de curtas-metragens documentários do Centro-Oeste e de curtas-metragens anapolinos, inscritos e selecionados conforme Edital n° 01/2012 e seus anexos, e exibidos no 2º ANÁPOLIS FESTIVAL DE CINEMA, no período de 19 a 26 de março de 2012.  

02. DA ORGANIZAÇÃO  

O 2º ANÁPOLIS FESTIVAL será realizado na cidade de Anápolis, Estado de Goiás, no período de 19 a 26 de março de 2012, sob a Coordenação Geral da Secretaria Municipal de Cultura-Prefeitura de Anápolis. 

03. DA PROGRAMAÇÃO 

Será composta das “MOSTRAS COMPETITIVAS ADHEMAR GONZAGA DE CINEMA BRASILEIRO” de longas-metragens de ficção convidados; de curtas documentários do Centro-Oeste e de curtas-metragens anapolinos de todos os gêneros, festival infantil, encontros, oficinas, debates, palestras, mesas redondas, homenagens, lançamentos de livros, exposições, solenidades de abertura e de premiação. 

04. DA EXECUÇÃO 

A execução do 2° ANÁPOLIS FESTIVAL DE CINEMA caberá à Secretaria Municipal de Cultura-Prefeitura Municipal de Anápolis.  

05. DA INSCRIÇÃO DAS MOSTRAS COMPETITIVAS “CURTA-DOCUMENTÁRIO DO CENTRO OESTE E DE CURTA-METRAGEM ANAPOLINO: 

I. As inscrições para os curtas documentários do Centro-Oeste e de curtas metragens anapolinos estarão abertas de 1º de fevereiro a 13 de março de 2012, via Internet pelo site: www.anapolis.go.gov.br/anapolisfestivaldecinema

II. devendo a ficha de inscrição preenchida ser enviada juntamente com o material para a Coordenação Geral do Festival, na sede da Secretaria Municipal de Cultura de Anápolis, situada na Praça Bom Jesus, nº 101, Centro, Anápolis, Goiás.

 

II. A ficha de inscrição, Anexo I, o Termo de Cessão de Direitos Autorais, Anexo II e o Regulamento, Anexo III do Edital n° 01/2012 estarão disponíveis no site: www.anapolis.go.gov.br/anapolisfestivaldecinema

 

III. No ato da inscrição, os interessados deverão, obrigatoriamente, apresentar a ficha de inscrição devidamente preenchida e a cópia do filme em DVD.

 

IV. Somente poderão participar da mostra competitiva em 35 mm e/ou digital os filmes brasileiros de longa-metragem de ficção convidados, que tenham sido produzidos ou concluídos a partir do ano de 2008 e premiados em festivais nacionais ou internacionais.

 

V. Somente poderão participar das mostras competitivas de curtas-metragens documentários do Centro-Oeste e de curtas-metragens anapolinos filmes que tenham sido produzidos ou concluídos a partir do ano de 2008, e que tenham sido inscritos via internet e selecionados.

 

06. DAS MOSTRAS COMPETITIVAS ADHEMAR GONZAGA DE LONGAS-METRAGENS BRASILEIROS DE FICÇÃO CONVIDADOS; DE CURTAS-METRAGENS DOCUMENTÁRIOS DO CENTRO-OESTE E DE CURTAS- METRAGENS ANAPOLINOS DE TODOS OS GÊNEROS:

 

I. As mostras competitivas serão realizadas simultaneamente no período de 20 a 25 de março, sendo exibidos 06(seis) filmes de longa-metragem brasileiros de ficção convidados que tenham sido premiados em festivais de cinema nacionais e/ou internacionais.

 

II- Serão selecionados 06 filmes de curta-metragem documentários do Centro-Oeste para a mostra competitiva “Curta Documentários do Centro-Oeste”.

 

III- Serão selecionados 06 filmes de curta-metragem Anapolinos de todos os gêneros para a mostra competitiva “Curta Anápolis”. 

IV. Os responsáveis pelos filmes de longa-metragem de ficção convidados pela Curadoria do festival deverão encaminhar à Coordenação Geral do Festival o seguinte material para divulgação: 

a) Fotos e cartazes do filme; e

b) Imagens em película e/ou DVD, ou digital DVCAM.*

* O formato de exibição será definido pela Coordenação do 2º ANÁPOLIS FESTIVAL DE CINEMA após a seleção oficial dos filmes. 

V- Os responsáveis pelos filmes de curta-metragem documentário do Centro-Oeste e de curtas-metragens anapolinos selecionados deverão apresentar: 

a) Fotos e cartazes do filme; e

b) Imagens em película ou DVD. 

VI. Os filmes das mostras competitivas Adhemar Gonzaga de longa-metragem brasileiro de ficção convidados e de filmes de curta-metragem documentários do Centro-Oeste e de curtas-metragens anapolinos serão re-exibidos ao grande público, em praça pública, com programação e local a serem definidos pela Secretaria Municipal de Cultura de Anápolis. 

07. DA COMISSÃO DE PRÉ-SELEÇÃO DE FILMES DAS MOSTRAS COMPETITIVAS ADHEMAR GONZAGA 

Os filmes das mostras competitivas de longas-metragens de ficção convidados, de curtas-metragens documentários do Centro-Oeste e de curtas-metragens anapolinos, serão selecionados por Comissão específica de Pré-Seleção e posteriormente julgados pela Comissão de Premiação Oficial (JÚRI) constituída de profissionais do cinema brasileiro, designada por ato do Secretário de Cultura.

 08. DA PREMIAÇÃO OFICIAL DO II ANÁPOLIS FESTIVAL DE CINEMA 

I. Serão conferidos o Prêmio “BETO LEÃO” e “Troféu Anápolis” (criação do artista plástico NAPEPHI) aos vencedores e “Troféu Anápolis Homenagem”(conjunto representativo de obras) a nomes significativos do cinema brasileiro.

 

II. Os Prêmios Oficiais –“BETO LEÃO” e “Troféu Anápolis” serão conferidos aos filmes de longa-metragem brasileiros de ficção convidados; aos curtas metragens documentários do Centro-Oeste e aos curta-metragens anapolinos, conforme abaixo indicado:

 

a) – Filme brasileiro de longa-metragem de ficção:

 1) PRÊMIO BETO LEÃO: 

1.1 – Melhor Filme de Ficção – R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais) mais troféu;

1.2 – Melhor Direção – R$ 12.500,00 (doze mil e quinhentos reais) mais troféu;

1.3 – Melhor Ator –R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.4 – Melhor Atriz –R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.5 – Melhor Ator Coadjuvante – R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.6 – Melhor Atriz Coadjuvante – R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.7 – Melhor Roteiro – R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.8 – Melhor Fotografia – R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.9- Melhor direção de Arte- R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.10-Melhor Montagem– R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.11-Melhor Som– R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

1.12Melhor trilha Sonora– R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu; 

c) – Filme de curtas-metragens documentários do Centro-Oeste 

2) PRÊMIO BETO LEÃO 

2.1 – Melhor curta-metragem documentário do Centro-Oeste –– R$ 6.250,00 (seis mil duzentos e cinquenta reais) mais troféu;

 

c) – Filme de curtas-metragens anapolinos de todos os gêneros

 

2) PRÊMIO BETO LEÃO 

3.1 – Melhor curta-metragem Anapolino – Prêmio Incentivar Secretaria Municipal de Cultura à Produção de curta-metragem que será destinado à produção de um novo curta-metragem a ser produzido na região de Anápolis e exibido na abertura do 3º ANÁPOLIS FESTIVAL DE CINEMA – R$ 37.500,00 (trinta e sete mil e quinhentos reais) mais troféu;

 09.DAS COMISSÕES DE PREMIAÇÃO OFICIAL (JÚRI) DO 2º ANÁPOLIS FESTIVAL 

I. Será constituída uma Comissão Julgadora Oficial (Júri) para premiação dos filmes de longa-metragem em 35 mm e/ou digital de ficção convidados, de curta-metragem documentários do Centro-Oeste e de curtas-metragens anapolinos selecionados, composta de membros nacionais e/ou goianos, todos escolhidos entre cineastas, produtores, críticos, pesquisadores e artistas, convidados e designados por ato do Secretário da Cultura. 

II. As Comissões de Pré-Seleção e de Premiações (Júri) são soberanas em suas decisões a serem lavradas em atas e serão dissolvidas tão logo sejam divulgados os resultados. 

III. Caberá recurso quanto aos critérios aplicados ao deferimento ou não das inscrições do curta-metragem documentários do Centro-Oeste e de curtas-metragens anapolinos selecionados, o qual deverá ser obedecido o que rege o artigo 109 da Lei nº8666/93. 

IV. Quanto à seleção do curta-metragem documentários do Centro-Oeste e de curtas-metragens anapolinos não caberá recurso. 

10. DA ENTREGA DOS TROFÉUS E PRÊMIOS 

Os troféus das mostras competitivas serão conferidos aos vencedores no dia 26 de março, às 20h, em solenidade de encerramento no Teatro Municipal de Anápolis, sendo que o Prêmio “BETO LEÃO” será entregue no mesmo ato, em forma de cheque representativo. 

11. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS 

I. Os filmes convidados e selecionados não poderão ser retirados do certame, não cabendo qualquer recurso e/ou pedido de indenização. 

II. Os prêmios “BETO LEÃO” serão pagos mediante apresentação da documentação exigida, expedida pelas pessoas físicas (Cópia da Identidade, do CPF, do Título Eleitoral e do Comprovante de endereço, Número da conta corrente em nome do premiado, PIS/PASEP/NIT,) ou jurídicas (Cópia do Contrato Social, do Cartão do CNPJ, Número da conta corrente em nome do premiado) contempladas e deverão ser encaminhadas completas, até, no máximo, 30(dias) dias após o encerramento do 2º ANÁPOLIS FESTIVAL DE CINEMA, resguardando o seu direito. Caso não seja atendido em tempo hábil o Município exime-se de sua responsabilidade. 

III. O pagamento da premiação será efetuado obedecendo-se os trâmites legais. 

IV. A alíquota de 20%, calculada sobre o valor total da premiação, referente ao imposto de renda é de responsabilidade do premiado, sendo que seu recolhimento será retido na fonte conforme legislação vigente. 

V. A inscrição do candidato implicará o conhecimento e a tácita aceitação das normas e condições estabelecidas neste Edital nº 01/ 2012, seus Anexos I, II e III, em relação às quais não poderá alegar desconhecimento. 

VI. Os casos omissos serão resolvidos pela Comissão Organizadora do Festival. 

VII. A divulgação do resultado será no dia 16 de março de 2011 e estará disponível no Site: e www.anapolis.go.gov.br/anapolisfestivaldecinema na imprensa de um modo geral. 

Anápolis, 25 de janeiro de 2012 

 

Antônio Roberto Otoni Gomide

Prefeito de Anápolis 

Augusto César de Almeida

Secretário Municipal de Cultura