Arquivo da tag: Theatro Arthur Azevedo em destaque no #blogauroradecinema

Euclides Moreira Neto autografa hoje livro-homenagem aos 40 do Guarnicê !

Euc livro Guarnecendo Memórias. Este é o título do livro-homenagem que o professor/cineasta/pesquisador Euclides Moreira Neto autografa esta noite no Centro de Criatividade Odylo Costa Filho, no aconchegante centro histórico de São Luis, a partir das 18h.  A noite de autógrafo integra a programação dos 40 anos do Festival Guarnicê de Cinema, do qual o professor Euclides Moreira foi o mais profícuo dos coordenadores.

O livro foi lançado no último dia 2 de junho com apoio da Universidade Federal do Maranhão e do Instituto Guarnicê por ocasião da solenidade de abertura do Festival Guarnicê.

Guarnecendo Memórias é assinado pelo jornalista, Mestre em Comunicação Social e doutorando em Estudos Culturais pela Universidade de Aveiro (Portugal), Euclides Moreira Neto, que participou efetivamente das 31 primeiras edições do referido festival, como concorrente e coordenador, posteriormente. O livro Guarnecendo Memórias reúne 26 depoimentos primorosos de protagonistas do festival audiovisual maranhense, os quais relatam experiências e momentos singulares propiciados pelo Festival Guarnicê. Entre os colaboradores, nomes muitos atuantes no meio cultural maranhense e brasileiro, tais como Alice Gonzaga, Joaquim Haickel, Murilo Santos, Cecília Leite, Aurora Miranda Leão, Amélia Cristina, João Ubaldo de Moraes, Breno Ferreira, Nerine Lobão e Mário Cella.

Falando sobre o livro, o Chefe do Departamento de Comunicação Social da UFMA, Protássio Santos, afirma: “A cada ‘capítulo’ o tempo salta e envolve o leitor, ‘levando-o a reviver todo um diálogo onde o autor e os demais convidados, que violaram suas memórias dando depoimentos primorosos, são protagonistas e narradores”. O professor Doutor Protassio diz ainda que os relatos descritos em Guarnecendo Memórias nos dão a certeza de que o que aconteceu em São Luís por conta do Guarnicê – nas décadas de 70, 80 e 90 do século passado e nos primeiros anos deste século -, “não são coisas do passado e sim a história viva e aguerrida de grande significado atual para nós que vivemos e fazemos a cultura deste estado”.

Euclides e eu 15 ago 15 - Cópia

Aurora Miranda Leão e Euclides Moreira Neto: amizade nascida no Guarnicê…

E conclui: “Euclides Moreira Neto nos permite, com suas lembranças e “outros  testemunhos férteis”, ver a vida como “uma peça em andamento”, e “fazer o hoje melhor do que o ontem que não conseguimos realizar”. O livro Guarnecendo Memórias nos faz confrontar sentimentos e lutas que ainda habitam em nós, finaliza o professor Protássio Santos, titular do DCSo/UFMA.

RESGATE E HOMENAGEM

Euclides Moreira Neto conta que quando decidiu escrever o livro, o sentimento que lhe moveu foi o de trazer à tona lembranças de fatos e acontecimentos que vivenciou durante sua trajetória na comunidade acadêmica, a qual ele dedicou toda sua competência como gestor público, fazendo da UFMA uma referência no campo cultural nas décadas de 1980, 1990 e nos primeiros anos dos anos 2000, quando aquela Instituição de Ensino Superior era vista como vanguarda no movimento cultural maranhense e do Nordeste.

Euc autog

Euclides Moreira Neto faz importante resgate histórico do cinema no Maranhão…

Além disso, Euclides diz ter se sentido provocado a prestar contas de sua atuação como gestor e das cumplicidades vividas no campo acadêmico com pessoas de todas as áreas de atuação. Por isso, ao convidar tantos amigos para expressarem suas impressões em relação ao Guarnicê, Euclides também se viu imbuído da ideia de homenagear aqueles tantos com quem partilhou momentos, alegrias, ideias e projetos audiovisuais, eles todos irmanados como construtores de sonhos.

Quando o festival Guarnicê foi criado, em 1977, só havia 2 universidades no Maranhão, a UFMA e a UEMA, e em nenhuma dessas havia cursos ligados ao audiovisual, por isso o festival assumiu um papel vital para manter vivo o movimento audiovisual em terras maranhenses.

Guarnicendo Memórias, lançado pelo selo da editora da UFMA (EDUFMA), tem 376 páginas, e sua primeira edição está sendo impressa na Gráfica Minerva com prefácio do também jornalista e pesquisador de cultura popular, Herbert de Jesus Santos, que afirma em seu depoimento: “Desejamos que Guarnecendo Memórias atinja a culminância traçada pelo seu idealizador, já ele, por assim dizer, sabatinado nos versos do alteroso “I-Juca-Pirama”, ou o monumental poema épico americano, de Gonçalves Dias, colocando voz no chefe Timbira para o guerreiro Tupi: “(…) Dize-nos quem és, teus feitos canta,/ou se mais te apraz, defende-te! (…)”, ou, no popularizado e, também, demasiadamente, repetido, por nós: “Diga com quem andas, e eu te direi quem és!”.

Para Herbert, há muitos outros ditos da coleção maranhense nos quais se pode encaixar, perfeitamente, este entusiasta e reluzente Guarnecendo Memórias, de Euclides Moreira Neto. Mesmo ele, modestamente, avisando aos navegantes que “O tema não se encerra com essa narrativa, porém, que ela seja motivadora, para que outras narrativas venham à tona e delas surjam frutos benéficos para outros se inspirarem”. E arremata: “O Mundo é minha provocação!”.

*O conteúdo do novo livro de Euclides Moreira Neto já está disponibilizado ao público pela plataforma digital da Editora EDUFMA.

Theatro lotado menor

Theatro Arthur Azevedo, Patrimônio do Maranhão, lotado em noite de Cinema na edição Guarnicê 2008…

SERVIÇO 

O QUÊ: Noite de autógrafos do livro Guarnecedendo Memórias

QUANDO: 09 de junho de 2017, às 18 horas

ONDE: Centro de Criatividade Odylo Costa Filho – Centro Histórico de São Luís.

Com depoimentos de: Alice Gonzaga, Amélia Cristina, Aurora Miranda Leão, Arly Arnaud, José Guterres Filho, Joaquim Haickel, Mário Cella, Murilo Santos, Cecília Leite, Luís Carlos Cintra, Bertrand Lira, Breno Ferreira, Joaquim Santos, Miguel Veiga, Francisco Colombo, Nerine Lobão, João Ubaldo de Moraes, Fábio Eneas, José Maria Eça de Queiroz, Raimundo Nonato Medeiros, Renato Alexandre Ferreira, Frederico Machado, Ralf Tambik, Wilson Chagas, Celso Brandão, Isa Albuquerque e outros.

ENTRADA FRANCA