Arquivo da tag: UFJF é destaque no #blogauroradecinema

Semana Márcio Guerra de Comunicação será aberta hoje em Juiz de Fora

Resultado de imagem para Prof márcio guerra e a rádio UFJF

Começa esta noite a II Semana de Comunicação Professor Márcio Guerra.

A sessão solene no Plenário da Câmara Municipal está grifada para às 19h com uma mesa de abertura que terá como convidadas as jornalistas Iluska Coutinho e Christina Musse (ambas professoras da Faculdade de Comunicação da UFJF), Érica Salazar, Fernanda Lília e Gilze Bara, ocasião em que serão debatidos os 50 anos do Jornal Nacional. Promovido pela Câmara Municipal de Juiz de Fora, a Semana de Comunicação Márcio Guerra é aberta a todos os interessados. 

Este ano, a programação da Semana Márcio Guerra contará prioritariamente com ex-alunos da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) em participações distribuídas entre a UFJF, a Faculdade Estácio de Sá, o Centro de Ensino Superior (CES), Forum de Cultura e Câmara Municipal. Os temas abordados em palestras, painéis e mesas-redondas contemplam diversos aspectos da Comunicação, destacando participações que discutem desde os desafios do jornalismo esportivo até as coberturas políticas realizadas em Brasília na última década. 

Resultado de imagem para Prof márcio guerra

Prof. Dr. Márcio Guerra recebe esta noite homenagem na Câmara Municipal de Juiz de Fora.

Diretor da Imagem Institucional da UFJF,  homenageado da Semana de Comunicação, o Professor Doutor Márcio Guerra diz que a programação foi pensada de modo a evidenciar a Comunicação como um vasto leque  de possibilidades: “Trabalhamos para tentar trazer nesta edição assuntos que não foram abordados ano passado. A programação foi concebida de forma que pudéssemos ter palestras em cada uma das faculdades participantes, além de eventos na Câmara e um no Forum de Cultura.”

Dos mais conhecidos e queridos docentes da Universidade Federal de Juiz de Fora, o professor Márcio Guerra declara que o tributo prestado pela Câmara Municipal e a presença de ex-alunos na Semana de Comunicação são motivos duplos de felicidade: “A emoção de receber este tipo de homenagem é sempre muito grande. Ganhar em vida o reconhecimento de um trabalho tem um sentido bastante ampliado. Normalmente, preocupam-se com homenagens apenas após a morte, então o fato de a Câmara Municipal ter aprovado este projeto ano passado me sensibiliza muito.”

A Semana Márcio Guerra de Comunicação foi instituída pela Lei 13.745/2018, de autoria do vereador Wanderson Castelar (PT).

Resultado de imagem para Prof márcio guerra UFJF e A facom

Prof. Dr. Márcio Guerra, um dos grandes ícones da Comunicação em Juiz de Fora, dá nome a Semana de Comunicação da cidade mineira.

Saiba mais sobre o Professor MÁRCIO GUERRA

Formado em Comunicação Social pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), o professor Dr. Márcio Guerra é Mestre em Comunicação. Possui Doutorado e pós-Doutorado em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). É docente e pesquisador do curso de Comunicação Social da UFJF e, há alguns anos responde pela diretoria de Imagem Institucional da UFJF, através do qual realiza um belíssimo trabalho em defesa da Educação, da Cultura Brasileira, das minorias, e contra toda espécie de preconceito.

Márcio Guerra começou a jornada profissional atuando em rádios de Juiz de Fora, como Diário da Tarde e PRB-3, principalmente na área de jornalismo esportivo. Nessa incursão, conviveu e aprendeu com profissionais de destaque, como João Batista de Paula, Mário Helênio, Dirceu Costa Ferreira, Paulo César Magela, entre outros. Também trabalhou e ajudou a consolidar o jornal Tribuna de Minas, além de ter também atuado como repórter da TV Globo. No final da década de 80, ingressou na carreira de professor e então passou a titular do curso de Jornalismo da UFJF.

Grupo elaborou a Carta de Maceió, com posicionamento das assessorias para fortalecimento das universidades públicas e gratuitas (Foto: Raul Mourão/UFJF)

Reeleito em agosto para a presidência do Colégio de Gestores de Comunicação das Universidades Federais (Cogecom), durante encontro realizado em Maceió (AL), o professor Dr. Márcio Guerra é o terceiro diretor do Colégio de Gestores de Comunicação,  criado em 2016 com a missão de assessorar a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), e reúne comunicadores de todo o país.

Sobre o importante papel à frente do COGECOM, diz o Prof. Márcio Guerra:

“Eu acho que o papel de uma universidade pública é estar ao lado da democracia, estar ao lado de uma luta pelos direitos que foram conquistados na Constituição de 1988. Então, quando esses direitos são ameaçados, como nós estamos vendo agora, é importantíssimo discutir quais são as estratégias que nós temos usado, na UFJF. Como estamos enfrentando o conservadorismo e o que há de pior no ser humano, que é o egoísmo, que é a vontade de não ver o outro progredir. Fazemos essa reflexão especialmente com futuros profissionais, que hoje estão se preparando para entrar no mercado de trabalho e precisam ter a consciência aberta para isso”.

Resultado de imagem para Prof márcio guerra UFJF reeleito para o COGECOM

“Papel da Universidade pública é estar ao lado da Democracia”, defende o professor Dr. Márcio Guerra, presidente do Cogecom e titular da FACOM/UFJF.

SERVIÇO

II Semana de Comunicação Prof. Dr. Márcio de Oliveira Guerra

Quando: Segunda-feira, 04 de novembro, às 19h

Onde: Câmara Municipal de Juiz de Fora (Parque Halfeld).

ENTRADA FRANCA.

*Programação vai até sábado, dia 9 de novembro de 2019.

Saiba mais: (32) 3313-4734/4941- Câmara Municipal de Juiz de Fora

Confira a programação.

Christina Musse lança novo livro com reflexão sobre Comunicação

Livro Musse

Comunicação e Universidade – reflexões críticas é o livro que acaba de ser lançado em Juiz de Fora com organização da jornalista, pesquisadora e Profa. Doutora Christina Musse.

Christina Musse tem uma bagagem invejável e tem inúmeros livros publicados, como autora ou organizadora, e ainda integra coletâneas e atua intensamente na seara acadêmica, seja participando de eventos da área da Comunicação, organizando seminários e simpósios em Universidades, além de orientar estudantes de Mestrado e Doutorado na UFJF.

O livro “Comunicação e Universidade: reflexões críticas” traz o selo da editora Appris e foi lançado no último dia 15 de agosto no Centro de Conservação da Memória (CECOM) da Universidade Federal de Juiz de Fora. Segundo Christina Musse, “é um livro escrito por muitas mãos, e, mais do que nunca, necessário para a reflexão da importância da Universidade na constituição de um país livre e democrático.”

“Comunicação e Universidade: reflexões críticas” começa traçando um histórico da universidade pública no Brasil e os desafios de se realizar uma comunicação nas instituições, objetivando criar uma imagem positiva da instituição para o maior público possível. Esta análise é feita por meio de artigos e texto de pesquisadores da área.

A segunda parte do livro apresenta um histórico da formação e a criação de uma secretaria responsável pela Comunicação da UFJF, e também reúne relatos dos profissionais da área da Comunicação que trabalham ou já trabalharam na Diretoria de Imagem Institucional, sobre os trabalhos realizados e suas experiências bem sucedidas.

“Falar sobre universidade é algo extremamente necessário. A ideia do livro foi de fazer uma reflexão sobre o porquê de a Comunicação ser importante para sedimentar junto aos vários públicos uma imagem positiva e de pertencimento da comunidade em relação à universidade. O livro traz colaboração de pesquisadores que tem textos muito bons para essa reflexão.Também têm um pouco de história e o processo comunicacional da nossa Universidade”, afirma a professora Christina Musse.

O LIVRO

“Comunicação e Universidade: reflexões críticas” inova ao reunir o pensamento teórico de atuantes pesquisadores do campo, como José Marques de Melo, Carlos Chaparro e Margarida Kunsch.

A organizadora Christina Musse destaca a participação do saudoso acadêmico José Marques de Melo, um dos mais respeitados nomes da Comunicação e cita trecho dele: “A universidade assumiu,durante muito tempo,o perfil de gueto intelectual isolada do mundo a que pertencia[…] Felizmente, o panorama hoje é completamente distinto. As nossas universidades estão convencidas de que a sua subsistência institucional depende de recursos externos.” 

A obra traz também a contribuição crítica dos professores Eduardo Magrone e Antônio Hohlfeldt, como também a experiência prática, resultado do trabalho de planejamento e gestão de ações de comunicação, realizado pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), em Minas Gerais.

A primeira parte, “Pensar a Comunicação e a Universidade”, apresenta importantes referenciais teóricos para o entendimento crítico da Comunicação na Universidade. Os artigos de Ângelo Ésther, Eugênia Barichello, Márcio Simeone Henriques, Wilson Bueno e Boanerges Lopes incorporam novas reflexões sobre a instituição no ambiente complexo da contemporaneidade.

A segunda parte, “Retratos da Comunicação na UFJF”, é composta por relatos e estudos de caso, que expõem de forma crítica os processos de criação e utilização de produtos e serviços desenvolvidos pelo Setor de Comunicação da UFJF. Três autores contextualizam a Universidade em abordagens de cunho historiográfico: Lola Yazbeck, Guilherme Fernandes e a própria Christina Musse, cujos textos mostram como a comunicação consolida-se como estratégia de gestão.

C Musse

Christina Musse tem atividade intensa na Comunicação.

Um pouco mais sobre Christina Musse

Christina Musse possui mestrado em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2001) e doutorado também em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2006). É professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM) da Universidade Federal de Juiz de Fora.

É Professora visitante da Universidade de Paris VIII, Saint-Denis, na França, onde ministrou aulas, participou de Seminários e atuou juntos aos professores Anne-Marie Autissier e Alain Sinou, do Instituto de Estudos Europeus, em março de 2015. Vice-coordenadora da GT de Estudos do Jornalismo da Associação Latino-Americana de Investigadores em Comunicação – Alaic, desde 2018.

CM em dita

MUSSE é autora dos livros: “Imprensa, cultura e imaginário urbano: exercício de memória sobre os anos 60/70 em Juiz de Fora” (2007); “Memórias possíveis: personagens da televisão em Juiz de Fora” (com a colaboração de Cristiano José Rodrigues) (2011) e “Os cinemas de rua de Juiz de Fora: memórias do Cine São Luiz” ( com a colaboração de Gilberto Faúla Avelar Neto e Rosali Maria Nunes Henriques).

É co-autora do livro “Memórias do cineclubismo: a trajetória do CEC – Centro de Estudos Cinematográficos de Juiz de Fora” (de autoria de Haydêe Sant’Ana Arantes) (2014). Foi editora-chefe da revista “A3” de Jornalismo Científico e Cultural (2011/2014). Atualmente, é membro do Conselho Editorial desta publicação, como também integra o Conselho Editorial da “Revista Brasileira de História da Mídia”.

É líder do grupo de pesquisa COMUNICAÇÃO,CIDADE, MEMÓRIA/CNPq (COMCIME) do PPGCOM/UFJF. Participa da Rede de Pesquisa Jornalismo, Imaginário e Memória (JIM), junto com os Grupos de Pesquisa JORXXI, da Universidade Tuiuti, do Paraná, e Tecnologias do Imaginário, da PUCRS. do Rio Grande do Sul.

Foi coordenadora do GP de Telejornalismo da INTERCOM. É ex-coordenadora e participa do GP de História da Mídia Audiovisual e Visual da Rede Alcar – Associação Brasileira dos Pesquisadores em História da Mídia. Faz parte da Rede Telejor, de Pesquisadores em Telejornalismo, dentro da Sociedade Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPjor).

É coordenadora dos projetos de pesquisa: “Cidade e memória: a configuração do espaço urbano pelas narrativas audiovisuais”; “Ruínas do passado: a imprensa, a memória e os depoimentos da CMV-JF” e do projeto “Ruínas narrativas: a construção midiática dos imaginários sobre a ditadura militar em Minas Gerais”. Coordenou os projetos de pesquisa “Memórias da imprensa de Juiz de Fora”; e “Memórias Possíveis”, este último, desenvolvido pelo grupo de pesquisa do qual é líder, em parceria com o Museu de Arte Murilo Mendes da UFJF.

Cinema Musse

Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Videodifusão, atuando principalmente nos seguintes temas: comunicação, globalização, cultura, memória, cidade, identidade e televisão. Foi apresentadora do programa semanal “Panorama Entrevista”, veiculado pela TV Panorama, hoje, TV Integração, emissora afiliada à Rede Globo de Televisão, de novembro de 2005 a dezembro de 2009. Na emissora, foi responsável pelo projeto “Curso de Treinamento Básico em Telejornalismo”, que capacitou dezenas de estudantes da UFJF, nas áreas de produção, reportagem, edição e apresentação de TV. Foi produtora e repórter de televisão de 1981 a 1994, na antiga TV Globo de Juiz de Fora.