Arquivo da tag: vidas passadas

Literatura de Leo Tabosa ganha mais uma obra: As Aventuras do Menino Pontilhado

Livro para crianças e adolescentes encanta a partir dos belos desenhos do artista Java Araújo…

Ele é jornalista e cineasta premiado, gestor cultural na Universidade Católica de Pernambuco, e idealizador da Mostra Unicap de Cinema e Vídeo.  Além disso, Leo Tabosa é também dramaturgo e escritor, e está lançando agora o livro As Aventuras do Menino Pontilhado, uma história para o público infanto-juvenil, projeto vencedor de edital da Secretaria de Cultura do Estado de Pernambuco.

As Aventuras do Menino Pontilhado, que tive a honra de receber em casa com emocionante dedicatória do autor, é um livro que conquista o leitor desde a capa. Contando com admiráveis ilustrações do artista Java Araújo, a obra vem acompanhada de belos cartões postais e marcadores, tudo fruto do caprichado projeto gráfico de Java, um expert no tema.

Como bem diz Andrea Almeida Campos na apresentação do livro, Leo Tabosa bebe na fonte mais genuína das histórias desse gênero, irmanando-se  “ao que de melhor já se produziu na literatura dita infanto-juvenil e que passa a servir de ‘bíblia’ para adultos… uma história a ser mascada como um chicletes de bola, lambuzada como um pirulito, mordida como um chocolate pelas crianças. Mas pra ser refletida pelos adultos, esmiuçada pelos filósofos, escutada pelos psicanalistas”.

Leo Tabosa já havia sido distinguido com importante honraria com seu primeiro trabalho literário, a peça teatral Mandacuru Selvagem, gostosa comédia de costumes, ambientada em Pernambuco e repleta de situações hilárias. Foi em 2008, quando ganhou o concurso Prêmios Literários Cidade de Manaus – prêmio Aldemar Bonates – e teve seu texto publicado. Anos mais tarde,  em 2011, recebeu Menção Honrosa no mesmo concurso com o texto teatral Vidas Passadas e Engomadas.

Agora, com a instigante história de Joãozinho, o Menino Pontilhado, Leo Tabosa nos revela uma nova faceta literária, relevante e necessária (assim como acontece com a dramaturgia), qual seja a escrita de qualidade para um público necessitado de histórias bem construídas e temáticas interessantes.

A saga de Joãozinho começa mostrando um garoto desencantado ante o cotidiano onde está inserido e insatisfeito com o lugar-comum de seu dia-a-dia. Até o momento no qual, de repente, esse mesmo mundo sem graça, o arremessa para um novo mundo, um outro lugar, um planeta chamado Lata. Nessa Lata, como afirma Andrea Campos, “tudo é desenhado, tudo é colorido, é um mundo das fantasias e do lápis de cor. Um mundo desenhado tão somente para crianças, onde elas exercem o poder supremo, inclusive o de engolir a lua para que nunca mais venha a noite e elas não tenham, jamais, que parar de brincar”.

E é aí que surge o conflito da história… mas este Aurora de Cinema vai deixar para você, amigo leitor, a chance de enveredar pela trama sem saber de seus pormenores, perfazendo um convidativo mergulho através das poéticas letras de Leo e das lindas gravuras de Java, esperando inocular em você o desejo de conhecer mais sobre as idas e voltas da história deste perspicaz Menino Pontilhado.

Pois é isso que merece a bela obra deste talentoso e criativo escritor que é Leo Tabosa, um artista a quem muito admiramos e a quem aplaudimos por mais este trabalho literário, aproveitando para antecipar um convite visando ao lançamento de As Aventuras do Menino Pontilhado dentro da Mostra Curta Vazantes de Cinema, que vai acontecer no primeiro semestre de 2013, no município cearense de Vazantes.

Parabéns a Leo Tabosa pela sensível e bem construída história do Menino Pontilhado e as instituições (Funcultura e Fundarpe) que tornaram possível a impressão deste oportuno livro.

‘Boa Sorte, meu Amor’ é único brasileiro em Locarno

Filme pernambucano em Festival na Suíça …

O filme brasileiro Boa Sorte, Meu Amor  será o único representante do país no 65º Festival de Locarno, a acontecer de 1º a 11 de agosto, na Suíça.

O primeiro longa-metragem dirigido pelo pernambucano Daniel Aragão, assistente de direção do longa Cinema, Aspirinas e Urubus (2004), integrará a seleção “Cineastas do Presente”, mostra oficial com novos diretores de diversos países.

Daniel Aragão estará em Locarno com seu primeiro longa…

O drama, ou um “anti-romance”, como diz o diretor, fala sobre um casal de jovens (Vinícius Zinn e Christiana Ubach), de raízes interioranas, que lida de forma diferente com a vida numa grande cidade.

Filmado em preto e branco, o longa também aborda a busca apai­xo­nada e tem no elenco Christiana Ubach, Jack Mugler e Jr. Black. As loca­ções acon­te­ce­ram no Recife e no inte­rior de Pernambuco. A pro­du­ção é de Pedro Severien. O filme estreia em Locarno dia 9 de agosto e ainda não tem pre­vi­são de che­gada ao cir­cuito comercial.

Um dos festivais mais antigos do mundo, Locarno tenta recuperar o prestígio que já teve no passado, principalmente nas décadas de 1960 e 1970 quando servia de base de lançamentos para longas de cineastas como Stanley Kubrick e Bernardo Bertolucci.

Para isso, o diretor artístico Olivier Père aposta numa mostra competitiva eclética e uma paralela para o público com destaques de festivais recentes.

A dificuldade do festival, cujo troféu principal é o Leopardo de Ouro para os vencedores, é a proximidade com o Festival de Veneza, que acontece no fim de agosto e ganhou mais fama ao longo dos anos, atraindo celebridades hollywoodianas.

Na presidência do júri de Locarno está o tailandês Apichatpong Weerasethakul, ganhador da Palma de Ouro de Cannes por “Tio Boonme, Que Pode Recordar Suas Vidas Passadas”, em 2010.

Confira o teaser: http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/1120002-filme-de-pernambucano-integra-mostra-de-festival-de-locarno-na-suica.shtml

* Com informações de RODRIGO SALEM, da Folha SP