Arquivo da tag: Viva o Teatro !

Deborah Finocchiaro viaja o país com Solos e Bem Acompanhados

Atriz de farto talento, impressionante sensibilidade e carisma, Deborah Finocchiaro percorre o país ganhando aplausos, prêmios e mais tarimba pra sua incrível performance cênica…

A Companhia de Solos & Bem Acompanhados, de Porto Alegre, segue mostrando sua performance em  mais uma turnê nacional através do Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz.

Os espetáculos são Sobre Anjos & Grilos – O Universo de Mario  Quintana e Pois é, Vizinha… apresentados em cinco cidades,  sendo a primeira etapa realizada em agosto nas cidades de Teresina e  Parnaíba, no Piauí.

Na segunda etapa, este mês, as apresentações serão em Palmas (TO), e  Natal e Santa Cruz, no Rio Grande do Norte.

Mostra Companhia de Solos & Bem Acompanhados
ETAPA TOCANTINS 13 e 14 de outubro de  2012
13/10 – 20h Sobre Anjos & Grilos – O Universo de Mario  Quintana
14/10 – 19h Pois é,  Vizinha…
Teatro SESC  Palmas
Centro de Atividades do SESC – 502 Norte – Palmas/TO – (63) 3212.9954
Após os  espetáculos, bate papo com a plateia.
ETAPA Rio Grande do Norte – 17 a 22 de  outubro de 2012
SANTA  CRUZ
17/10 – 20h Sobre Anjos & Grilos – O Universo de Mario  Quintana
18/10 – 20h Pois é,  Vizinha…
Teatro  Candinha Bezerra
Centro – Santa Cruz/RN – (84)  9651.2112
NATAL
20/10 – 20h Sobre Anjos & Grilos – O Universo de Mario  Quintana
21/10 -20h Pois é,  Vizinha…
22/10 – das 18h às  22hOficina Espontaneidade e Desenho no  Espaço
Casa da  Ribeira
Rua Frei Miguelinho, 52 – Ribeira – Natal/RN – (84)  3211.7710
Assista aos  clipes das peças:
Companhia de Solos & Bem Acompanhados já  percorreu diversos estados brasileiros e também a Argentina. Em sua trajetória,  contabiliza 32 prêmios, sendo 6 de Melhor Espetáculo, 17 de Melhor Atriz, um de Melhor Direção, e ainda Melhor Cenário, Trilha, Texto Adaptado e 2 como Melhor  Artista de Teatro. O espetáculo Pois é,  Vizinha… está há 19 anos em cartaz e soma mais de 200.000 espectadores e mais de 10 prêmios. A peça  é uma adaptação do texto Una Donna Sola, de Franca Rame e Dario Fo  (Prêmio Nobel de literatura 1997). O premiado Sobre Anjos & Grilos – O Universo de Mario  Quintana estreou em junho de 2006, dentro  das comemorações oficiais do centenário do poeta Mário Quintana, e vem  participando de temporadas, projetos e festivais nacionais e  internacionais.
Leia alguns comentários  da etapa Piauí (realizada em agosto de  2012)
Sobre Sobre Anjos & Grilos
“ Um raio fulminante de luzes e dramaturgia varreu o  solo do palco do Theatro 4 de Setembro, em Teresina, na noite do dia 07 de  agosto de 2012… esteve cheia de graça, alegria e virtuose mimetizada entre  obra e artista quintaniano, a atriz Deborah Finocchiaro que não deixou sobra de  não entendimento, nem sombra de falha de compreensão das falas de Mario… A  iluminação grave para feitos e efeitos de técnica invejável… Sons, luzes,  imagens animadas, signos e siglas poéticos, emblemas e ilustrações de natureza  criativa em mímesis da humanidade experimentada, um luxo de concentrado ato  dramático eficaz… Definem para acertos de contas, a performance inteira de  Deborah Finoccchiaro, em poeta feito forma vívida, e a equipe fechada que assina  como Companhia de Solos & Bem Acompanhados…”
Maneco Nascimento, ator, radialista e  jornalista  – Blog do Maneco – http://www.vooz.com.br /  manekonascimento.blogspot.com , 08/08/2012 – Teresina/PI
A beleza esteve em Teresina ! Faço referência ao  espetáculo “Sobre Anjos & Grilos”, ancorado na poética de Mario Quintana e com a vibrante performance de Deborah Finocchiaro. Delicadeza e profundidade  pisaram no palco. O poeta ganhou uma representação cênica afinada com o encanto da sua poesia. O solo de uma atriz bem acompanhado dos poemas e textos de um  poeta subvertedor e transcendente… O teatro está  vivo !
Francisco Junior, Dr. em Sociologia e Professor da UFPI – 08/08/2012 – Teresina/PI
Sobre Pois é, Vizinha…
“… O público não arredou um instante do denso e divertido enredo… Deborah Finocchiaro não só demonstra ser uma excelente  atriz, como também despende pique para não deixar dúvida de que reconhece a  terra em que está pisando… Nessa divertida comédia para fundo crítico exasperado, ela consegue metralhar informações com uma dinâmica concentrada em que não se perde qualquer fio da informação. Direta, humorada, sinuosa quando necessário, lacônica por exigência da dramaturgia, a  personagem encontra na atriz, e vice versa, uma afinidade teatral muito precisa… “Pois é, vizinha…” atrai a atenção, mesmo que  pelo riso, a uma discussão sobre violência contra a mulher. A atriz se despoja a trazer essa chaga social de forma empertigada e crítica em filtro tragicômico. Seu recado fixa ao riso e à reflexão. O ator convidado, Tito Grando, está muito à vontade e declina sua atuação sem que se confunda as  personagens da sua pauta de contracena… Deborah e sua personagem encantam, chocam, comovem e  deixam um exemplo de teatro para rir e pensar…  A Cia. de  Solos & Bem Acompanhados cumpre seu papel no roteiro e pauta do teatro  brasileiro. Sabe das coisas de Baco e Téspis.”
Maneco Nascimento, ator, radialista e  jornalista  – Blog do Maneco – http://www.vooz.com.br /  manekonascimento.blogspot.com , 11/08/2012 – Teresina/PI
Deborah Finocchiaro: uma atriz admirável, com total domínio da cena
Sobre Anjos & Grilos – O Universo  de Mario Quintana 

Textos e Poemas – Mário Quintana / Concepção, Roteiro e Atuação – Deborah Finocchiaro / Direção – Deborah Finocchiaro e Jessé Oliveira / Imagens – Zoravia Bettiol / Trilha Sonora Original – Chico Ferreti (Com exceção das músicas Ecogliter, de Laura Finocchiaro e Franco Junior, e trechos das músicas Baleada Noturna, de Lory Finocchiaro, 4ª Sinfonia de Mahler e Concertos de Brandenburgo n° 4 e 5 de Johann S. Bach) / Voz em OffPaulo José / Iluminação – Fabrício Simões e Jessé  Oliveira / Figurino – Raquel Cappelletto / Programação Visual – Ricky Bols / Operação de luz e  Responsável técnico – Leandro Roos Pires / Operação de Som e Imagens – Zé Derli Rodrigues / Programação Gráfica – Ricky Bols

 

Deborah Finocchiaro como ‘A Vizinha’: 19 anos em cartaz e 17 troféus de Melhor Atriz… ela mereceeee !

Pois é, Vizinha…

Texto – Dario Fo e  Franca Rame / Tradução (do original Una Donna  Sola) – Roberto  Vignati  / Direção, Adaptação e Atuação – Deborah Finocchiaro / Ator convidado – Zé Derli Rodrigues / Cenografia – Rafael Silva / Iluminação – Fabrício Simões e Leandro Roos Pires / Operação de luz – Leandro Roos Pires / Operação de som – Vitor Leal  / Figurino – Cléria Finocchiaro / Projeto gráfico – Eloar Guazelli Filho e  Cléo Magueta 

Mostra Companhia de Solos & Bem Acompanhados

Produção Executiva – Daniela Lopes e Deborah  Finocchiaro / Assessoria de Imprensa – Bebê Baumgarten / Produção  Local – Antoniel Ribeiro (PI), Ana Carolina de Aguiar (TO), Henrique Fontes e Mariana Hardi  (RN) / Assessoria de Imprensa Local – Biá Boakari (PI), Ana  Carolina de Aguiar (TO), Casa da  Ribeira (RN)

Assessoria de Comunicação  Digital e Assistência de Produção – Vitor Leal / Projeto  Gráfico – Sandro Ka / Gerenciamento de Projeto – Deborah Finocchiaro

Produção e  Realização – Companhia de Solos & Bem  Acompanhados

Este projeto foi contemplado com o  Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz 2011

* DEBORAH FINOCCHIARO é uma Artista Querida, que conheci no final dos anos 90, no Festival de Teatro Isnard Azevedo, realizado na adorável Florianópolis.  Em Deborah, chamou-me a atenção, de pronto, a simpatia contagiante, a inteligência vibrante e a atriz vulcânica em cena, dividindo-se em diferentes nuances sensórias, numa mesma personagem. A ‘Vizinha’ de Dario Fo e Franca Rame – que vira também na versão com Marília Pera – foi destaque naquele festival de teatro de Floripa. E a grande prova do acerto do público ao aderir ao espetáculo, e do festival, ao premiá-lo, é a trajetória que Pois é, Vizinha vem cumprindo de lá pra cá.
Fico feliz em saber da permanência aguerrida de Deborah Finocchiaro em palcos pelo Brasil e noutros países, e mais ainda em saber de seu sucesso junto ao público e à crítica. Tenho certeza que muito mais ainda há de vir. E, mesmo de longe, aplaudo a querida Débora Finocchiaro com efusão !
A Deborah Finocchiaro e sua Companhia de Solos & Bem Acompanhados meu aplauso efusivo e meus votos de vida longa, sempre com muito público, palcos diversos, e muito mais troféus e adesões, no Brasil e em qualquer parte do Planeta.

Vestido de Noiva, ainda e sempre… Nelson Rodrigues e o Teatro

Peça mais conhecida de Nelson Rodrigues ganha análise do escritor SÉRGIO FONTA

Leandra Leal brilhou na versão Vestido de Noiva de Gabriel Villela, em 2009

A conferência de SÉRGIO FONTA está marcada para o próximo dia 21 de agosto, terça-feira, a partir das 16h, com entrada franca.

Julinha Lemmertz ao lado do escritor Sérgio Fonta, autor de ótima biografia do ator Rubens Corrêa…

A Academia Luso-Brasileira de Letras, através de seu Presidente Francisco dos Santos Amaral Neto convida para Conferência com o ator/diretor e escritor SÉRGIO FONTA – que comanda o programa TRIBO DO TEATRO, toda sexta, às 12:30h, na rádio Roquette Pinto -, que vai comentar a obra de um dos Dramaturgos Brasileiros mais importantes de todos os tempos, o pernambucano NELSON RODRIGUES.

Nelson Rodrigues, um dos dramaturgos mais festejados do país…

A atual montagem de Vestido de Noiva pelo grupo Os Satyros: em cartaz até domingo no Teatro Cacilda Becker (SP). Direção Rodolfo García Vázquez e Helena Ignez como Madame Clecy.

Marília Pera: Madame Clecy na versão cinematográfica de Vestido de Noiva

A obra a ser destrinchada por Sérgio Fonta é a mais popular de Nelson, a emblemática Vestido de Noiva, que ganha sucessivas montagens em todas as partes do país, já tendo também chegado ao cinema e à tela da TV Globo.

Tônia Carrero e Suzana Vieira na versão de Vestido de Noiva para a TV Globo – Programa APLAUSO, 1979…

Considerada marco inicial do moderno teatro brasileiro, encenada pela primeira vez em 1943 com direção do polonês Ziembinski, Vestido de Noiva causa polêmica desde sua primeira montagem. Segundo o professor e crítico Sábato Magaldi, grande estudioso de Teatro, esta faz parte de uma série de peças psicológicas do dramaturgo, com uma linguagem forte que transporta para o palco a profunda angústia presente nos textos do autor, capaz de chocar e emocionar o público há gerações pelo modo cru e abrupto de retratar a realidade velada da classe média carioca.

Uma das montagens de Vestido de Noiva em 1965…

A trama acontece através de ações simultâneas, as quais vão-se desenhando em três planos – realidade, alucinação e memória.

Versão dos Sátyros: Ivam Cabral, Helena Ignez e Cléo De Páris (foto: André Stéfano)

VESTIDO DE NOIVA é a peça que deu início ao processo de modernização do teatro brasileiro

Essa era a segunda peça escrita por Nelson. O autor trabalhava como jornalista, profissão que herdara do pai, e procurava, naquele período, uma fonte de sustento complementar. Seu primeiro trabalho para os palcos, A Mulher sem Pecado, tinha como pretensão conseguir o sucesso obtido por outras produções da época, como A Família Lero-Lero, comédia do cearense Raimundo Magalhães Júnior.

O grupo Os Comediantes na revolucionária versão de Vestido de Noiva, 1943

De acordo com os estudiosos, embora a peça de Nelson fosse obra de valor artístico muito superior a de Magalhães Júnior, ao estrear, em 1942, não obteve a simpatia do público e resultou em fracasso de bilheteria. Um ano depois, Vestido de Noiva iria revolucionar o teatro brasileiro através da lendária montagem sob a direção do polonês Zbigniew Marian Ziembinski, que chegara ao Brasil cerca de dois anos antes. E aqui, pela primeira vez, foi então usado o hoje muito conhecido Método de encenação do russo Stanislavski, através do qual é o próprio ator quem empresta aos personagens suas emoções pessoais para então criar uma outra persona através de sua própria vivência, suas experiências, sua memória afetiva.

Ziembinski deu nova forma ao texto de Nelson. Seu rigor na encenação  com a exigência de ensaios constantes, e a transmissão de novas diretrizes em termos de interpretação elevou a concepção brasileira de teatro a novos níveis.

Yoná Magalhães como Alaíde na versão de Vestido de Noiva, em 1965…

A representação de VESTIDO DE NOIVA, conforme a divisão em 3 planos, desenvolve-se em três atos, cuja relação não é exatamente cronológica, a não ser no plano da realidade, o qual acompanha a degradação do estado de saúde de Alaíde e a aniquilação consequente dos outros dois planos.

A versão dirigida por Gabriel Villela em 2009 com Leandra Leal, Marcello Antony e Vera Zimmermann…

 A palestra de SÉRGIO FONTA intitula-se VESTIDO DE NOIVA: NELSON RODRIGUES EM TRÊS ÂNGULOS DE HISTÓRIA e acontece na próxima terça, com ENTRADA FRANCA.

SERVIÇO

Luciana Braga e Malu Mader em uma das versões de Vestido de Noiva

Conferência VESTIDO DE NOIVA: NELSON RODRIGUES EM TRÊS ÂNGULOS DE HISTÓRIA

Com o escritor SÉRGIO FONTA

ONDE:  Academia Luso-Brasileira de Letras
(Confederação das Academias de Letras do Brasil)

Endereço: rua Teixeira de Freitas, 5 / 3º andar, Lapa , RJ
perto da Estação Metrô/Cinelândia (saída Passeio)

Horário: 16h

ENTRADA FRANCA

Marcello Antony como Pedro e Leandra Leal como Alaíde em montagem dirigida por Gabriel Villela…

As rosas amarelas sobem ao palco com Mazé Figueiredo

 

O espetáculo Quando as rosas amarelas se tornam marrons, projeto aprovado em edital do Centro Cultural Banco do Nordeste, estreia no próximo dia 28 em Fortaleza, tendo como palco o Teatro Antonieta Noronha, no centro da cidade.

 O texto é de autoria do ator e diretor Walden Luiz e tem direção de
 Wagner Pereira, contando com o seguinte elenco: Walden Luiz, Mazé Figueiredo (proponente do projeto), Zerivaldo Beserra e Lorenna Aletéia.

Walden Luiz e Mazé Figueiredo em cena: Teatro Cearense estreia mais um espetáculo…

A pequena temporada será dias 28, 29 e 30 deste junho, às 19.30h, no Teatro Antonieta Noronha, Rua Pereira Filgueiras, nº 4, por traz do Paço Municipal, com entrada franca.


Walden Luiz está completando 50 anos atuando no teatro cearense, enquanto Mazé Figueiredo, a incansável atriz, produtora, divulgadora e coralista, que é funcionária aposentada do Banco do Nordeste, completa uma dezena de peças atuando de forma ininterrupta. Haja fôlego ! 

Vamos ao Teatro ! Vamos ver Quando as rosas amarelas se tornam marrons !

 

Sérgio Fonta dirige musical para Zé Kéti… Bravo !

Meu querido amigo SÉRGIO FONTA – ator/escritor/dramaturgo/roteirista e diretor de teatro –  esTá em cartaz na CAPITAL CARIOCA COM UM NOVO ESPETÁCULO.

dESTA VEZ, O CENÁRIO É O HISTÓRICO PRÉDIO DA Academia Brasileira de Letras, E O esPEtácUlo É dedicado ao nobre compoSitor Zé Kéti.

Sérgio Fonta com Denise Emmer (escritora, poeta, compositora e violoncelista), filha dos queridos Janete Clair e Dias Gomes, no lançamento do livro dele sobre Rubens Correa, na Livraria Argumento, em Ipanema (RIO)

Tudo com uma qualidade invejável e o CONHECIDO cuidado com o qual Fonta sempre faz qualquer coisa.

Vamos ao TEATRO !

Atores e a Formação Profissional

CAL Estimula Magia do Palco e da Tela…


APLAUSO:Mais Sete Títulos de TEATRO

LIVROS em Capítulos de DESTAQUE no FESTIVAL de  TEATRO Ibero-Americano de São Paulo :
 
 

Governo de S?o Paulo Memorial da Am?rica Latina Imprensa Oficial

 

Estes movos importantes lançamentos da meritória Coleção APLAUSO, idealizada por Rubens Ewald Filho, serão lançados semana que vem, em Sampa, numa demonstração indubitável de apoio, respeito e incentivo ao Teatro.

VIVAAAAAAAAAAA  !!!