Arquivo da tag: Vladimir Brichta

Quando agosto chegar, Gramado vai virar Cinema

A 41a edição do Festival de Cinema de Gramado, que vai acontecer de 9 a 17 de agosto, vai exibir oito longas-metragens brasileiros em competição. Entre filmes de ficção, documentário e animação, os diretores comentam as expectativas para o Festival, bem como experiências passadas no evento e o que esperam da exibição de seus filmes.

“Achamos que nosso filme tem uma voz e que traz algo de novo e original. Ficamos muito felizes com a coragem em selecionar um filme ousado e diferente como o nosso. Estar concorrendo com outros respeitados diretores é gratificante. Esperamos que nosso filme influencie outras pessoas a filmarem e exporem o que têm dentro de si”.

Andradina Azevedo e Dida Andrade, diretores de A Bruta Flor do Querer

“Estar em Gramado vai ser também uma boa oportunidade para lembrar e homenagear o trabalho do Walmor Chagas, que atua ao lado do Vladimir Brichta. Com esse filme, estamos na presença de duas estrelas e de dois grandes atores. Parece-me que o filme passa uma mensagem positiva e necessária para esse clima de transição e dúvidas que vivemos agora”.

Bernard Attal, diretor de A Coleção Invisível

“Ter sido selecionado já é uma tremenda vitória. Se vier alguma premiação, será uma festa! O filme teve quase oito anos de produção e foi feito com muito cuidado e paixão. Tem conflito entre culturas antagônicas e muita música, regados a uma tórrida paixão impossível. É uma temática bastante universal… No mínimo, teremos uma Sbórnia em Gramado este ano!”

Ennio Torresan Jr. e Otto Guerra, diretores de Até Que a Sbórnia nos Separe

Filme Éden, de Bruno Safadi, é um dos concorrentes brasileiros…

Éden é um filme que fala de temas universais e ao mesmo tempo regionais, particulares e extremamente atuais. Fala de gravidez, de feminilidade, de religião, de violência, e tem um trabalho arrojado em linguagem cinematográfica. Foi uma grande alegria saber que vou estar no Festival, que é uma referência no nosso cinema e na cultura brasileira!”

Bruno Safadi, diretor de Éden

“Já participei do Festival de Cinema de Gramado com meus filmes e também como convidada, jurada de curtas e jurada de longas. É importante exibir meu filme num festival tão prestigioso. Será a primeira exibição de Os Amigos, o que já é uma emoção especial. Ele é um filme delicado que pode tocar a todos… É sobre amizade e outros carinhos”.

Lina Chamie, diretora de Os Amigos

Atrizes no novo longa do mestre Domingos Oliveira…

“Meu filme toca quem gosta de gente. Quem gosta de um cinema comunicativo, pessoal, que não pretende mais do que é. Uma comédia ao modo de Altman sobre a inevitabilidade do dia de amanhã. Gosto de Gramado, me sinto jovem lá. Já ganhei muita coisa no Festival… No alto da minha estante da sala tem uma roda de kikitos conversando animadamente”.

Domingos Oliveira, diretor de Primeiro Dia de Um Ano Qualquer

“Frequento o Festival de Gramado há muitos anos. Espero uma boa exibição, que as pessoas gostem do filme e que o debate seja produtivo. Será a primeira exibição pública de Revelando Sebastião Salgado, então, diante disso tudo, estou bastante ansiosa, mas vou para Gramado confiante na força do personagem”.

Betse de Paula, diretora de Revelando Sebastião Salgado

“O olhar do outro é o último estágio na construção de um filme. E é a estreia de Tatuagem. Só isso é o suficiente para deixar a cabeça cheia de expectativas para ver e ouvir o que as pessoas. vão comentar Acredito que temos muito o que discutir sobre o nosso cinema, e Gramado pode – e deve – ser um palco privilegiado para isso”.

Hilton Lacerda, diretor de Tatuagem

Como acontece o Cinema em Lisboa, direto do FESTin

A quarta edição do Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa foi aberta no último dia 3 de abril em solenidade no Cinema São Jorge. O Festival este ano homenageia a cinematografia angolana, e o Festival de Gramado.

Festin por Brida

O filme exibido na sessão inaugural foi O grande Kilapy (2012), comédia dramática caprichada com pano de fundo real (a ditadura em Portugal e em Angola nos anos 60), co-produção Angola-Brasil-Portugal, com Lázaro Ramos, Antonio Pitanga, João Lagarto, Silvia Rizzo e Hermila Guedes.

Hotel Lisboa

FESTin teve concorrida noite de abertura em Lisboa…

Brida lanç Lisboa

Livro do jornalista, blogueiro, comentarista de cinema e professor universitário Felipe Brida foi lançado em festiva noite no Hotel Fontecruz…

Brida Port

Felipe Brida autografa exemplares de Cinema em Foco

Até o próximo dia 10, serão exibidos 77 filmes, entre 24 longas e 53 curtas-metragens (ficção, documentário e animação), provenientes de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe. Uma vez mais destaca-se a forte presença de filmes oriundos do Brasil.  O festival é organizado pela Padrão Actual, em coprodução com a EGEAC – Cinema São Jorge.

Neste domingo, terá início logo mais, às 18h, a Mostra de Inclusão Social, com oito curtas-metragens, uns brasileiros, outros portugueses. E a partir das 18h30, começa a competição dos longas. Os da noite de hoje são: “Vidas vazias e as horas mortas” (de Pedro Lacerda), às 18h30; “A coleção invisível” (de Bernard Attal – com Vladimir Brichta, Walmor Chagase e a querida amiga Conceição Senna), às 20h; “Cine Holliúdy” (de Halder Gomes), com Roberto Bomtempo, às 21h30; e o documentário “A primeira vez do cinema brasileiro” (de Hugo Moura, Denise Godinho e Bruno Graziano), às 22h.

A seguir, texto de Felipe Brida sobre suas primeiras impressões de Lisboa:

Lisboa arte Lisboa fria

Chuva fina e frio de cortar os lábios em Lisboa.
Que cidade receptiva! Vejo nossas raízes por todos os cantos nessa cidade milenar. É na verdade um Brasil com ar europeu, com trânsito menos caótico e pessoas mais simpáticas e que sentem prazer em nos dar informações nas ruas.
Por causa da chuva pude hoje dar um rápido passeio pelos arredores de onde estou instalado, num gostoso hotel na avenida 5 de Outubro, próximo ao Cinema São Jorge, onde logo mais às 21h teremos a abertura oficial do Festin Lisboa – Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa. Hoje haverá um coquetel e a exibição do longa “O grande Kilapy” (2012, co-produção Angola, Brasil e Portugal, com Lázaro Ramos, João Lagarto e Hermila Guedes).
Ah, e não poderia deixar de abrir o primeiro dia com um bacalhau de parar o mundo, acompanhado de um vinho Esporão no ‘Laurentina – O rei do bacalhau’, um restaurante fino típico, à moda da casa.

Lis Maternidade

As fotos são da avenida Conde Valbom, nos arredores da 5 de Outubro, onde há praças abertas, prédios antigos com arquitetura deslumbrante e o Laurentina…

Felipe janta

* Informações e fotos do jornalista Felipe Brida, que participa do IV FESTin, direto de Lisboa…

QUINCAS de PAULO JOSÉ em CANNES

 

PAULO JOSÉ VIVE QUINCAS EM MAIS UMA ATUAÇÃO MARCANTE

A duas semanas da coletiva de imprensa que revelará os filmes da seleção oficial da 63ª edição do Festival de Cannes, uma penca de possíveis candidatos corre contra o tempo para ficar pronto para o maior contenda cinematográfica do planeta.

O brasileiro QUINCAS BERRO D’ÁGUA, de Sérgio Machado, é um dos concorrentes. O filme tem no elenco também Vladimir Brichta, Mariana Ximenes e Milton Gonçalves.

VIVAAAA !!!!!!!