Arquivo da tag: Wálter Salles

Grandes atuações tomam conta de AVENIDA BRASIL

Adriana Esteves como Carminha: enfim, um papel à altura desta grande intérprete

Avenida Brasil consagra à Globo merecida audiência

Quem gosta de ouvir e de contar histórias, não pode deixar de ficar plenamente tocado quando ouve ou vê uma trama bem contada, quando descobre  nos meandros de uma obra dramática as luzes da competência em inventar enredos, desenvolvê-los, torná-los atraentes e segurar o interesse do público, constantemente.

Sobretudo, quando isso acontece numa telenovela, gênero sempre desprezado pela “inteligentzia“, e para o qual é preciso um fôlego hercúleo do escritor e seus assistentes (já que a história permanece no ar, em geral, 6 meses), ademais difícil criar a audiência, torná-la cativa, e preservá-la pelo tempo em que uma novela fica no ar.

Juliano Cazarré e Isis Valverde: Adauto e Suélen em momento inusitado…

Com as tramas de Gilberto Braga, que conseguem deixar, de um capítulo pro outro, sempre um gancho de interesse, nós que acompanhamos o gênero sabemos que isso acontece. E que a audiência do autor é uma audiência qualificada – em geral, os que acompanham as tramas de Gilberto Braga pertencem a uma faixa de nível intelectual mais elevado, sendo ele inclusive o autor de novelas preferido pela maior parte da crítica de cinema.

Alexandre Borges, Débora Bloch e Camila Morgado: trio é hilário !

Outro que tem esta audiência merecidamente consagrada é João Emanuel Carneiro, autor de A Favorita, considerada por este Aurora de Cinema (e outros veículos que igualmente acompanham a telenovela brasileira) a Melhor Novela da primeira década dos anos 2000.

Débora e Marcelo Novaes: cenas intrincadas entre Nina e Max…

 

Entramos em 2012 e lá vem outra trama de João Emanuel Carneiro, escritor que conhecíamos por ter assinado o tocante roteiro de Central do Brasil (ao lado de Walter Salles e Marcos Bernstein ), e outras tantas novelas muito bem escritas, como Da cor do pecado, por exemplo. Nesta segunda década dos anos 2000, João Emanuel Carneiro assina outra trama antológica, no ar às 21h pela Rede Globo: AVENIDA BRASIL.

Cauã Reymond e Murilo Benício:  sintonia dos atores resvala em personagens críveis e de fácil adesão popular…

Avenida Brasil é sucesso de público e crítica, vai deixar saudades e deve ganhar muitos prêmios, no Brasil e no exterior. Tivéssemos no país um naipe de jornalistas tão atentos à produção teledramatúrgica brasileira como o temos em cinema e de há muito já podíamos estar formando novas gerações de criadores televisuais e uma boa fornada de analistas a observar com rigor, profissionalismo e a devida atenção o vasto, diversificado e qualificado painel de talentos que responde pela qualidade indiscutível alcançada pela nossa Teledramaturgia no mundo inteiro (e aqui falo especificamente da Rede Globo, a única emissora que realmente investe com vigor e profundidade em Dramaturgia).

A doce Mel Maia marcou com força sua passagem em Avenida Brasil

AVENIDA BRASIL é espetacular, em qualquer das vertentes pelas quais se analise a novela. Tudo nela é de extrema qualidade e tudo funciona muito bem, daí nosso acompanhamento eloquente e constante à trama.

Vera Holtz: brilhantismo já bem conhecido, evidenciado com a ‘Mãe Lucinda’…

E hoje este Aurora de Cinema volta, mais uma vez, ao elenco, a parte mais ‘visível’ da novela:

Adriana Esteves é talvez a intérprete mais solicitada da trama. Afinal, quase tudo gira em torno de sua monstruosa personagem Carminha. E a atriz tem dado conta do recado além da conta: sua atuação é arrebatadora. Se alguém ainda duvidava do talento da atriz, agora não pode mais deixar de curvar-se à sua  impressionante capacidade de dar vida a um personagem. Sua atuação é digna dos melhores e mais fortes Aplausos. A Carminha de Adriana Esteves é das melhores personagens já desenvolvidas dramaturgicamente na televisão brasileira, permitindo a atriz ‘esculpir’ uma linha de atuação esmerada e convincente. Adriana Esteves responde com brilho e magnetismo avassalador ao papel que lhe foi dado. Sua criação é avassaladoramente irretocável. Uma gigante em cena !

Débora Falabella: atriz de grandes personagens, agora é Rita/Nina…

Ao lado dela, vem Débora Falabella, Cauã Reymond, Murilo Benício, Vera Holtz, todos excelentes, defendendo com maestria seus personagens.

Eliane Giardini: beleza e espontaneidade como Muricy

Na casa de ‘Tufão’, há também o talento precioso de Marcos Caruso, Eliane Giardini, Juliano Cazarré, Letícia Isnard, Cacau Protásio, Cláudia Missura,  e a garota Ana Karolina explodindo de graça e competência na telinha.

E nas tramas paralelas, as interpretações não ficam por menos: Isis Valverde  é ótima atriz, além de linda, e criou uma ‘Suélen’ safada, esperta e sofrida, com nuances interpretativas sensacionais, chegando a tornar a personagem uma das mais queridas do público. Uma jovem atriz de muito talento. Uma graça vê-la em cena !

José Loreto estreando na TV e mandando bem com seu Darckson…

Alexandre Borges (sensacional como o ‘presepeiro’ Cadinho), Déborah Bloch, Camila Morgado, Heloísa Périssé, Nathália Dill, Daniel Rocha, Fabíula Nascimento, Otávio Augusto, Bianca Comparato, Bruna Griphao, Ronny Kriwat, José de Abreu, José Loreto, Débora Nascimento, Thiago Martins, Bruno Gissoni, e todo o grupo que faz parte da comunidade do Divino, merecem igualmente nossos Aplausos.

Débora Nascimento e Marcos Caruso como Tessália e Leleco, um casal pra lá de insólito…

A novela não provocaria o mesmo entusiasmo nem teria o mesmo pique não fosse o trabalho harmônico, competente e coeso de todos que fazem a trama, desde a criança mais nova que habita o ‘lixão’, até chegar a Amora Mautner e José Luís Villamarim, os diretores que comandam com preciosismo toda a ‘orquestra’.

Heloisa Périssé como a complicada Monalisa…

É bom demais vê-los atuando e não são raras as vezes nas quais me pego ‘aplaudindo’ enormente cada um deles pelos seus rasgos de excelência interpretativa.

Fabíula Nascimento: ‘descoberta’ pelo cinema, revelada ao país pela TV

Show de elenco, novela com ritmo, texto, edição, figurino, direção de arte e ótimas tramas paralelas, tudo contribuindo enormemente para o acerto que é AVENIDA BRASIL.

Assim como A Favorita, mais um gol de placa de João Emanual Carneiro e toda a poderosa e exponencial equipe que o acompanha.

O APLAUSO Aurora de Cinema para AVENIDA BRASIL !

Walter Salles: “A Palma de Ouro é como entrar no estádio do Camp Nou para jogar contra o Barcelona”

“Vou de peito aberto, sem esperar nenhum prêmio”, diz WALTER SALLES sobre a disputa pela Palma de Ouro

Na edição de ÉPOCA desta semana, Ruth Aquino conversa com Walter Salles, em Paris, sobre seu último (e polêmico) filme, Na Estrada. A produção concorre à premiação máxima do Festival de Cannes, a cobiçada Palma de Ouro: “Vou de peito aberto, sem esperar nenhum prêmio. Competir em Cannes é como entrar no estádio de Camp Nou, na Espanha, para jogar contra o Barcelona”, diz o cineasta.

 

Para levar o tema às telas, Walter Salles adaptou a história de Pé na Estrada, clássico do poeta Jack Kerouac, que relata uma viagem de travessia dos EUA, feita por dois jovens da geração beat – considerada ícone da contracultura e da transgressão.  Kerouac era um ideólogo da liberdade a todo custo e, por isso, tanto o romance quanto o filme, polemizam por tratarem o sexo de forma aberta e as drogas como um meio para a ampliação dos sentidos e do autoconhecimento. 

Quanto ao que levou o diretor a se tornar cineasta, ele explica que foi o fato de sempre ter se encantado pelas narrativas das estradas, o que são o tema das produções de Central do Brasil, Diários de Motocicleta e agora de Na estrada, todas dirigidas por ele: “O filme que me trouxe para o cinema foi Passageiro: profissão repórter, de Antonioni, com Jack Nicholson no papel de David Locke.”, conta.

Beleza extrema, sensibilidade, educação, inteligência: Walter Salles nasceu merecendo a Palma de Ouro

Outro ponto abordado na entrevista foi o objetivo de se fazer cinema. Usando a máxima do colega de profissão, Manoel de Oliveira, ´A cultura é aquilo que sobra quando todo o resto acabou’, Walter Salles diz: “Não importa como você deixa esse testemunho. (…) O importante é que seja uma tradução de sua inquietação.”

Walter Salles, de novo, na estrada de Cannes…

     Novo filme do brilhante cineasta está na seleção oficial de CANNES

O longa Na Estrada (On The Road), de Walter Salles, foi selecionado para a Mostra competitiva do 65º Festival de Cannes, a ocorrer de 16 a 27 de maio. Na Estrada é baseado no romance de Jack Kerouac, lançador das bases a geração Beat e tem como protagonistas Sam Riley, Garrett Hedlund e Kristen Stewart. 

O diretor Walter Salles comenta a indicação: “Na Estrada é um projeto para o qual um grupo de pessoas, muitas delas vindas da família de Diários de Motocicleta, dedicou 7 anos de suas vidas. O fato de o filme ter sido selecionado na Mostra principal do Festival de Cannes é um prêmio para os jovens atores e técnicos, que deram tanto ao filme. Rodamos mais de 100 mil kms para filmá-lo, e isso dá uma ideia da aventura que vivemos.”

 

A produtora American Zoetrope, de São Francisco, começou a idealizar o projeto há mais de 30 anos e realizou parceria inédita com a produtora francesa MK2, que adquiriu os direitos. No Brasil, o filme será lançado dia 15 de junho, com distribuição da Playarte. 

“Na Estrada só existe por causa da paixão que todos nós tínhamos pelo livro de Kerouac, pela revolução comportamental que ele deflagrou. E também pela ação corajosa de produtores e distribuidores independentes que, liderados pela MK2 e associados a Zoetrope, tornaram o filme uma realidade”, acrescenta Walter Salles.

Além dos três protagonistas, o elenco reúne Viggo Mortensen, Kirsten Dunst, a brasileira Alice Braga, Tom Sturridge, Danny Morgan, Elizabeth Moss e Amy Adams. O filme foi rodado em 2011, em estradas nos Estados Unidos e Canadá, assim como nas cidades de São Francisco e Nova Orleans, e também no México.

 

Em Cannes: Walter Salles, Daniella Thomas e o elenco masculino de Linha de Passe

Walter Salles já participou da Competição Oficial no Festival de Cannes com outros dois filmes: Diários de Motocicleta (2004) e Linha de Passe(2008). Linha de Passe foi premiado com a Palma de Ouro de Melhor Atriz para Sandra Corveloni. 

Filme de Walter Salles valeu Palma de Ouro para Sandra Corveloni

O trailer legendado de NA ESTRADA está em http://youtu.be/UnxRnojkXag

 

Os cartazes com os três protagonistas do longa Na Estrada – Sam Riley, Garrett Hedlund e Kristen Stewart – já estão disponíveis. Além do poster oficial, o filme ganhou uma série especial com dez cartazes destacando os personagens principais e frases do livro de Jack Kerouac, no qual o filme é baseado.

Também já foram lançados no Brasil os cartazes com a imagem de Alice Braga, Amy Adams, Elizabeth Moss, Kirsten Dunst, Vigo Mortensen e Tom Strurridge. 

Sobre WALTER SALLES

Bonito como ele só, Walter Salles é um dos mais aclamados cineastas do Brasil…

Além dos filmes que participaram da Mostra competitiva do Festival de Cannes, Walter Salles também teve filmes selecionados no Festival de Berlim (“Central do Brasil”, em 1998) e Veneza (“Abril Despedaçado”, em 2000). “Central do Brasil” ganhou o Urso de Ouro de Melhor Filme, e Fernanda Montenegro, o Urso de Prata de Melhor Atriz. 

No Festival de Veneza de 2009, Walter Salles recebeu o Prêmio Robert Bresson, pelo conjunto de seus filmes. 

Cena de Linha de Passe, o filme anterior de Walter Salles, que deu a Palma de Ouro a Sandra Corveloni…

Os filmes de Salles ganharam mais de 140 prêmios internacionais em festivais, e receberam 4 indicações ao Oscar, 10 indicações para o Bafta e 4 indicações para o Globo de Ouro. Venceram 3 vezes o Bafta (incluindo os prêmios de Melhor Filme Estrangeiro para “Central do Brasil” e “Diários de Motocicleta”), uma vez o Globo de Ouro (Melhor Filme Estrangeiro para “Central do Brasil”) e um Oscar (Melhor música original para “Diários de Motocicleta”). 

Os filmes de WALTER SALLES já foram vistos por mais de 24 milhões de espectadores.

ELENCO

Sam Riley

Garret Hedlund

Kristen Stewart

Tom Sturridge

Viggo Mortensen

Kristen Dunst

Danny Morgan

Elizabeth Moss

Amy Adams

Com Alice Braga

 

FICHA TÉCNICA

Um filme de Walter SALLES

Roteiro Jose RIVERA

Baseado no romance de Jack KEROUAC

Produzido por Nathanaël KARMITZ, Charles GILLIBERT

Produzido por Rebecca YELDHAM, Roman COPPOLA

Produtores Francis FORD COPPOLA, John WILLIAMS, Jerry LEIDER

e Tessa ROSS, Arpad BUSSON

Produtores associados Peter CAVANEY, Marin KARMITZ

Direção de fotografia Éric GAUTIER – (AFC)

Direção de arte Carlos CONTI

Trilha sonora de Gustavo SANTAOLALLA,

com Charlie HADEN e Brian BLADE

Figurino Danny GLICKER

Produtor de elenco David RUBIN, Richard HICKS

Montagem François GÉDIGIER

Montagem adicional Lívia Serpa

Som Patrick ROUSSEAU, Jean-Paul HURIER

Supervisão musical Lynn FAINCHTEIN

Direção de fotografia (Segunda unidade) Mauro Pinheiro

Coprodutor executivo Michael ZAKIN

Diretor de produção Benjamin HESS

1º assistente de direção Myron HOFFERT

Uma produção Jerry Leider Compagny – Em associação com Vanguard Films, Film 4

Em coprodução com France 2 Cinéma Com a participação de France Télévisions, Canal+ et Ciné+

Uma produção MK2 / American Zoetrope

Palma de Ouro: Walter Salles e Nelson Pereira dos Santos em Cannes

Com o novo filme, Na estrada, diretor vai competir com David Cronenberg e Ken Loach.

O festejado cineasta brasileiro Walter Salles, com o filme Na estrada, disputará a Palma de Ouro do 65º Festival de Cannes, que começa dia 16 de maio.

Na estrada tem no elenco Sam Riley, que dá vida ao alter ego de Jack Kerouac, Garret Hedlun, que encarna Dean Moriarty, inspirado no escritor Neal Cassady, Kristen Stewart (a estrela da saga “Crepúsculo”), que interpreta a esposa de Moriarty, Kirsten Dunst e Viggo Mortensen.

Criador de Terra Estrangeira, Central do BrasilAbril DespedaçadoDiários de motocicleta, Walter Salles é um colecionador de prêmios mundo afora:  venceu o Urso de Ouro em Berlim e acumula diversas outras estatuetas. Na Estrada começou a ser rodado em 2010, inspirado no clássico beatnik “Pé na estrada” (“On the road”). A adaptação do livro de Kerouac relata uma viagem pelos Estados Unidos no fim dos anos 40, repleta de drogas, sexo, álcool e aventuras.

Walter Salles já tinha experiência com um road movie, pois retratou a viagem do jovem médico Erneto Che Guevara pela América Latina em “Diários de motocicleta”, também exibido em Cannes, em 2004.

O cineasta Francis Ford Coppola (“O Poderoso chefão”, “Apocalypse Now”) comprou os direitos do livro de Kerouac em 1979 e tentou diversas vezes filmar a obra, que definiu a geração beat dos Estados Unidos, mas o projeto nunca encontrava financiamento. Depois de assistir Diários de motocicleta, Coppola escolheu Walter Salles para dirigir o filme.

O roteirista de Na estrada é o portorriquenho José Rivera, que trabalhou com Salles em “Diarios de Motocicleta”.

O diretor brasileiro Walter Salles e o ator Viggo Mortensen conversam no set do longa 'Na estrada' (Foto: Divulgação)
Walter Salles e o ator Viggo Mortensen conversam no set de ‘Na estrada’ (Foto: Divulgação)

Além do filme de Walter Salles, o cinema do Brasil será o convidado de honra do 65º Festival de Cannes, anunciaram os organizadores do evento.

O filme mais recente de Nelson Pereira dos Santos, A música segundo Tom Jobim, será exibido em sessão especial, como parte da presença de honra brasileira no Festival.

Outro cineasta latino-americano, o mexicano Carlos Reygadas, também disputará a Palma de Ouro, com o filme “Post tenebras lux”.

Entre os 20 filmes que integram a mostra principal do maior festival de cinema do mundo, estão “Like someone in love”, do iraniano Abbas Kiarostami, “Cosmopolis”, do canadense David Cronenberg e com o astro do momento Robert Pattinson, e “Mud”, do americano Jeff Nichols, assim como “Amour”, do austríaco Michael Hanek.

Ator Viggo Mortensen em cena do filme 'Na estrada' (Foto: Divulgação)
Ator Viggo Mortensen em cena do filme ‘Na estrada’
(Foto: Divulgação)

O britânico Ken Loach, que já apresentou 16 filmes em diversas mostras de Cannes, competirá pela Palma de Ouro com “The angel’s share”.

A Itália estará presente com “Big house” de Matteo Garrone, que foi premiado em Cannes em 2008 com “Gomorra”. O presidente do júri da mostra oficial, Nanni Moretti, pode ser sensível ao tema do longa-metragem: a televisão italiana sob Berlusconi.

Três filmes franceses também foram selecionados: “Vous n’avez encore rien vu”, de Alain Renais, “De rouille et d’os”, de Jacques Audiardy, e “Holly motors”, de Leos Carax .

Walter Salles: mais uma vez no Festival de Cannes…

O filme de Wes Anderson “Moonrise kingdom” (Edward Norton, Bruce Willis, Bill Murray, Frances McDormand e Tilda Swinton) abrirá o Festival, onde será exibido fora de concurso o filme de animação “Madagascar 3″”.

Entre os atores esperados na Riviera estão Nicole Kidman, Brad Pitt e a francesa Marion Cotillard.

“Thérèse Desqueyroux”, que o francês Claude Miller concluiu pouco antes da morte, no início de abril, encerrará o festival, dia 27 de maio.

Fortaleza e Berlim são Futuro nas lentes de Karim Aïnouz

Depois de produções com temáticas femininas, como o longa “O Céu de Suely” (2006) e a série de televisão “Alice” (2008), Karim Aïnouz começa a filmar dia 27 Praia do Futuro que trata de estereótipos masculinos, como a paixão por máquinas e velocidade.

“Vai ser filme de macho”, disse o diretor cearense à Folha, em tom de brincadeira.

A entrevista foi feita num restaurante no alternativo Kreuzberg, bairro turco de Berlim, primeira locação do filme. Fortaleza, onde Aïnouz nasceu, será a outra.

Dez anos depois de lançar o premiado Madame Satã (2002), Aïnouz dirige pela primeira vez no exterior.

“Eu cheguei a ter alguns convites, mas não achava que estava preparado nem queria fazer por fazer. ‘Praia do Futuro’ é um filme afetivo, rodado em lugares em que vivi ou vivo, então acho que agora faz sentido”, contou.

Aïnouz morou em Berlim em 2004 e, desde 2008, ele divide seu tempo entre São Paulo e a capital alemã. O filme tem roteiro dele e de Felipe Bragança.

A história se passa em dois momentos. O primeiro se situa em 2004, quando o salva-vidas cearense Donato (Wagner Moura) resgata o turista alemão Konrad (Clemens Schick), na praia do Futuro, em Fortaleza. Em seguida, ambos vão para Berlim.

O outro se passa em 2012, quando o irmão de Donato, Ayrton (Jesuita Barbosa), um entusiasta das motocicletas, sai em busca do irmão.

  Joe Dilwortth/Divulgação  
Jesuita Barbosa (esq.) e Wagner Moura integrarão elenco de "Praia do Futuro", novo filme de Karim Aïnouz (centro)
Jesuita Barbosa (esq.) e Wagner Moura integrarão “Praia do Futuro”, novo filme de Karim Aïnouz

BRIC

Diferentemente da situação de “Terra Estrangeira” (1996), longa de Walter Salles e Daniela Thomas, quando imigrantes brasileiros viviam, em geral, como subempregados, Praia do Futuro deve refletir o novo momento do país.

“Estamos em 2012, diante da força do Bric [bloco econômico formado por Brasil, Rússia, Índia e China], e o Donato vai ser um brasileiro que fala alemão e tem um bom emprego”, explica Karim.

Os principais personagens do filme são baseados em heróis de quadrinhos e séries de TV. O salva-vidas foi inspirado no Aquaman, e o irmão no piloto Speed Racer.

“Eu quero fazer um filme de ação e aventura, bagunçar um pouco a ideia de filme de autor [de produções mais intelectualizadas e com total autonomia do diretor]. Pode até ser abusado dizer, mas quero algo tipo James Bond.”

Orçado em cerca de R$ 6,3 milhões, Praia do Futuro será uma coprodução Brasil-Alemanha com cinco semanas de filmagens em Berlim e outras duas em Fortaleza.

Em seguida, ainda no primeiro semestre, Karim organiza o lançamento de “O Abismo Prateado” no Brasil. O filme, que liga o Ceará a Alemanha, deve ser lançado em 2013.

* Matéria de FABIO CYPRIANO, da Folha
ENVIADO ESPECIAL A BERLIM

Walter Salles Leva à Tela Clássico de Kerouac

   

Primeiras imagens do longa On The Road, dirigido por Walter Salles e estrelado por Kristen Stewart 

Um dos filmes mais aguardados, há muitos anos, On The Road , baseado no clássico de Jack Kerouac, deve estrear ainda este semestre.

Dirigido por Walter Salles, o longa-metragem é inspirado no livro homônimo de Jack,  ícone da geração beat, e estrelado por Kristen Stewart, atriz de Crepúsculo.

Ela interpreta Marylou, uma menina de 16 anos que percorre os Estados Unidos ao lado do namorado Dean Moriarty, vivido pelo ator Garret Hedlund, de Tron.

Ainda conta com a participação de Alice Braga e Gisele Itié, que interpreta Antonia. “Ela é a paixão mexicana do protagonista Sal Paradise”, diz Gisele, referindo-se ao protagonista da história.

O filme foi rodado parte na Argentina, parte no Canadá, e deve levar muito público às salas de cinema do mundo.

 

 

Fotos: Divulgação

Moreira Salles, Guardião da Cultura Brasileira

Acaba de chegar ao Instituto Moreira Salles o acervo pessoal do escritor Carlos Drummond de Andrade. A coleção ainda será submetida a inventário e catalogação mas é composta por livros da biblioteca de Drummond, edições de publicações do próprio escritor, cartas, desenhos, fotos e todas as crônicas que ele escreveu para o Jornal do Brasil, de 1969 a 1984. Todos esses documentos estavam sob os cuidados da família. A coleção ficará sob a guarda do IMS em regime de comodato, por dez anos.

Casa onde nasceram e cresceram Walter Salles e o caçula João Moreira Salles: transformada em Instituto, é hoje um templo onde repousam preciosidades da Cultura Brasileira

Aproveitando o recém-lançamento de Uma pedra no meio do caminho – Biografia de um poema, nova edição do livro concebido pelo próprio Drummond em 1967, ampliada pelo também poeta Eucanaã Ferraz, o Instituto Moreira Salles preparou um vídeo especial para seu site com 11 traduções do poema No meio do caminho

Participaram da produção David Arrigucci Jr., Matthew Shirts, Paulo Schiller, Jean-Claude Bernardet, Carlos Papa, Yael Steiner, Heloisa Jahn, Pieter Tjabbes, Jana Binder, Sidney Calheiros, Laura Hosiasson e Eucanaã Ferraz.

Curso de Cinema Homenageia Walter Salles

 

Abertas no Espaço Unibanco de Cinema inscrições à 9ª edição do curso Mito, Cinema e Nunca Mais Fui o Mesmo Depois Daquele Encontro – ministrado por Ana Figueiredo – a ser realizado entre 16 de outubro e 12 de dezembro.

Nesta edição, o homenageado é o cineasta Walter Salles Jr. e seus filmes serão exibidos em cada etapa do curso.

Ao todo serão nove encontros, sempre aos sábados, das 10h às 13h30. 

Inscrições podem ser feitas através do telefone (11) 3266-5115 ou e-mail cursos@espacounibanco.com.br.

Espaço Unibanco de CinemaAnexoRua Augusta, 1470, São Paulo

CINEMA Vai Brilhar na Sapucaí

O Salgueiro já tem tema para 2011. A vermelho e branco da Tijuca levará toda a magia do cinema para a Sapucaí com o enredo ‘Salgueiro apresenta, o Rio no cinema: 2011, a ser desenvolvido pelo carnavalesco Renato Lage. O desfile terá um patrocínio de aproximadamente R$ 5 milhões da Fox Film do Brasil e servirá como plataforma para o lançamento do filme Rio 3D, uma animação produzida por Carlos Saldanha, o mesmo de A Era do Gelo.

A ideia chegou até a diretoria do Salgueiro através do prefeito Eduardo Paes, que após uma conversa com Carlos Saldanha, viu no desfile uma excelente forma de promover o filme, que tem a Cidade Maravilhosa como cenário. Antes, no entanto, o tema foi proposto à Vila Isabel. A diretoria da escola tijucana fará o anúncio oficial amanhã, quando promoverá festa que marcará também a reinauguração de sua quadra.

Passeio por clássicos do cinema

Na Avenida, o Salgueiro, que foi campeão em 2009, lembrará grandes filmes ambientados no Rio e que tiveram repercussão internacional, entre eles: ‘Voando para o Rio’, ‘Interlúdio’, ‘Orfeu Negro’, ‘007 – O espião que me amava’, Central do Brasil, Cidade de Deus, Tropa de Elite e O Incrível Hulk.

Walter Salles será um dos homenageados na Sapucaí

Diversas fases do cinema brasileiro também serão homenageadas pela Academia do Samba, começando pelo pioneirismo de Humberto Mauro, passando pelas chanchadas e o Cinema Novo e indo até o momento atual. Cineastas importantes como Glauber Rocha, Cacá Diegues, Leon Hirszman, Fernando Meirelles e Walter Salles serão citados no enredo.

Salgueiro exaltará a primeira animação ambientada no Rio

Rio 3D conta a história de uma arara azul que deixa o conforto de sua gaiola, no interior do Estado do Minnesota, nos EUA, e parte para o Rio. Anne Hathaway, Rodrigo Santoro e Neil Patrick Harris estão entre os dubladores. A produção fica por conta de Chris Jenkins e Bruce Anderson. O filme tem lançamento previsto para  abril de 2011.

WALTER SALLES, HOJE, no Espaço UNIBANCO

Walter Salles e o professor de cinema da USP, Ismail Xavier. participam do programa Seminários de Cinefilia que promove encontros entre profissionais de cinema e seu público, pela primeira vez, no Espaço Unibanco de Cinema, em Sampa.

O bate-papo que vai girar em torno do depoimento pessoal ou da análise histórica, vai acontecer nesta quarta, 12, e quinta, 13, às 20h30, com entrada franca.

Arquivo/AE

 Walter Salles hoje em aula gratuita no UNIBANCO

Hoje, o tema da aula do diretor de Central do Brasil e Diários de Motocicleta será Fim do Cinema, Fim da Cinefilia? Walter Salles vai falar sobre as formas de resistência ligadas ao cinema, entre outras abordagens.  Já Xavier vai falar sobre A Mediação Civilizadora da Cinefilia. O autor de livros como Alegorias do Subdesenvolvimento e O Olhar e a Cena, vai comentar pela primeira vez sobre sua formação de cinéfilo, além de traçar um histórico da cinefilia. A mediação do encontro será feita pelo editor da PubliFolha Alcino Leite Neto.

“Cinefilia como criação de cinema” será o tema do cineasta Carlos Reichenbach, amanhã. O diretor de Alma Corsária e Dois Córregos, vai explicar a influência da cinefilia em seu processo de criação, além de relatar os fatos importantes de sua formação de cinéfilo. Reichenbach vai dividir a noite com o crítico da Folha Inácio Araújo, cuja aula terá como tema Cinefilia como Crítica de Cinema. A mediação será de Adhemar Oliveira, programador e diretor do Espaço Unibanco de Cinema e do Unibanco Arteplex.

Seminários de Cinefilia – HOJE e amanhã, às 20h30. Local: Espaço Unibanco de Cinema . Endereço: Rua Augusta, 1475. Tel.: 3287-5590. Entrada Franca